BrasileirasPeloMundo.com
Bélgica

De Bruxelas para Lisboa

E num piscar de olhos chegamos em dezembro. Mais um ano que se passa… E pra mim foi um ano um tanto quanto interessante, muita coisa aconteceu, inclusive uma mudança significativa na minha vida: Me mudei.
Saindo do país do chocolate e cervejas para me deliciar com pasteis de nata e vinho verde: deixei a Bélgica por Portugal e estou morando em Lisboa.
LisboaTenho muito carinho por Bruxelas e não foi por desgostar que comecei essa nova empreitada, mas sim por uma oportunidade de trabalho em terras lusitanas, casada com uma vontade de ver coisas novas. Para mim não existe melhor momento para falar de coisas novas do que exatamente no final de ano. Eu adoro essa época, esse momento no qual pensamos em renovação, no novo ciclo que está pra chegar, mesmo que seja só pra fazer uma lista de tudo que queremos mudar pra esquecê-la logo depois.

Aprendi muito com essa experiência, apesar de não ser a primeira mudança. Quando fui pra Bélgica foi em um contexto totalmente diferente, minha mãe já vivia lá há quatro anos, eu conhecia o país e cheguei sabendo bastante coisa. Dessa vez resolvi me aventurar sozinha para ver o que acontecia. Então, caso na sua listinha exista aquela vontade básica de sair de onde está para começar uma aventura em um novo destino, aqui vão minhas dicas:

Tenha informações sobre o país:

Parece óbvio, mas é sempre bom explicitar. Eu já tinha vindo à Portugal, conheço pessoas que moram aqui, fui me informando sobre muitas coisas, mas informação nunca é demais. Saber sobre as coisas básicas, como saúde, educação, mobilidade etc. é essencial. Porém tente também saber mais sobre como é a vida por lá, quais dificuldades outros migrantes passaram etc.. Você já começou bem e está no lugar certo, aqui no Brasileiras pelo Mundo se acha informações úteis sobre inúmeros países, com aquele gostinho de experiência pessoal, algo que não se vê em todo lugar e dá muito mais perspectiva de tudo.

Desapegue! (pero no mucho)

Sim esse é o melhor momento para triar guarda-roupas, estantes e gavetas. Descubra aquela surpresa do kinder ovo que você um dia achou fofa e acabou morando num canto da sua gaveta pela ultima década. Se desfaça daquele vestido que você absolutamente tinha de ter, mas usou uma vez e nunca mais. Aproveite para dar livros preferidos para pessoas que te são queridas…Perceber exatamente o que é essencial e o que é puramente algo que está na hora de deixar pra trás.
Mas não subestime aquelas pequenas coisas que te trazem um sorriso, que tens um certo afeto e que podem ajudar a fazer do seu novo destino um lar (mesmo que temporário). Seja uma caixa de sapato cheia de cartinhas e bilhetinhos ou aquele bichinho de pelúcia que você sempre guardou ou até sua caneca preferida. E lembrem-se amigos ficam com a gente no coração, ainda mais nesse mundo de WhatsApp e Facebook.

Companheiro de viagem
Companheiro de viagem

Espere despesas extras:

Eu vim para Portugal a trabalho. A empresa que me contratou ofereceu casa e emprego: para mim, a combinação perfeita! Eu só tinha que trazer minhas coisas e me instalar. Fui bem ingênua, achando que desde o início teria poucos gastos por conhecer a cidade e ter as facilidades que já tinha. Esqueci é que para além dos imprevistos usuais, chegar para morar em um lugar novo implica redescobrir o lugar com outro olhar. Dependendo de onde você estiver, suas necessidades bobas como o chocolate preferido, ou o alicate de unha que você esqueceu de trazer, não existem ou vão ser o “olho da cara”! Até se descobrir os truques e segredos, muitas vezes demora um tempo. A diferença do custo de vida também conta muito: você paga um preço crente que está abafando, mas no final tá pagando muito mais do que se encontra por aí, só porque sua antiga cidade era mais cara. Óbvio que nesse caso o ponto número um, se aplica: É ir se informando, sabendo onde e como o pessoal da cidade faz suas compras ajuda bastante nessas horas. Mas muitas vezes na emergência e na falta de tempo que uma mudança pode trazer, a praticidade ganha e ter aquele dinheirinho extra para esse momento de adaptação, ajuda bastante.

Saia da zona de conforto:

Sim, sair do país onde se está já é normalmente chutar a zona de conforto pra bem longe, ninguém vai negar isso. Mas é exatamente esse estresse inicial que vai muitas vezes te fazer correr pra dentro dela a cada oportunidade que apareça: tente não se deixar levar por essa tentação. Não, eu não quero dizer com isso que você tem que parar de comer pão de queijo e brigadeiro pra se entupir somente da comida local, ou que se deva evitar todo contato possível com brasileiros para só se relacionar com locais. Essas coisas vão de uma pessoa à outra e de cada situação. Matar aquela saudade de casa é mais do que normal, não deixe que o caos e baque que pode ser chegar num lugar novo te sobrecarregue. Porém não se esqueça que esse é um ótimo momento para se conhecer mais e testar antigos limites que muitas vezes esquecemos que estavam ali.

Você é forte e capaz de aguentar os perrengues:

Mesmo estando aqui só há três meses já me vi em situações onde tudo que queria era entrar em posição fetal debaixo das cobertas e chorar, ou simplesmente ter uma crise de risos por não acreditar no que estava acontecendo. Muitas vezes a situação não era tão ruim, muitas delas eram até bem bobas – como quando cheguei em casa tarde, cansada do trabalho e com fome pra perceber que só tinha comida para cozinhar: mas o acendedor do fogão tinha desaparecido completamente e todos meus colegas de apartamento já estavam dormindo. Foi uma mistura de muitas coisas, na hora não sabia se chorava, ria, pegava minhas malas e ia embora ou fazia a Carrie a estranha, punindo todo mundo. Hoje tenho uma história para contar e descobri como se faz arroz no micro-ondas.
Sim, nem tudo será assim tão fácil de resolver com apenas uma pesquisa do Google, mas é nessas horas que descobrimos que somos capazes de muito mais do que imaginávamos e que muitas vezes ajudas chegam da onde nem esperávamos.

Em todo caso, é sempre bom nos abrirmos pra mudanças, sejam elas físicas ou não, aproveitar um novo calendário para revisitarmos o velho e conhecermos o novo.

Que esse novo ano seja repleto de boas coisas e de novas experiências para todo mundo!

Related posts

Assistente Pessoal na União Europeia em Bruxelas

Tábata Senna

40 fatos que você não sabia sobre a Bélgica

Elisa Penna

Porque tudo é belga: parte 4

Marcela Vitarelli

4 comentários

Juraci Dezembro 27, 2014 at 1:43 pm

Adorei seu texto Bia. Ja passei por situacoes semelhantes…chorei,… mas hoje dou risada quando lembro do passado. Vicissitudes apenas vicissitudes. Abracos!

Resposta
lindsay Dezembro 28, 2014 at 8:33 am

Oi bianual, tudo bem? Parabéns por sua coragem e boa sorte! Aonde vc vai morar em Portugal? E qual sua profissão?

Resposta
emmanuele Janeiro 22, 2016 at 5:37 pm

Ola bia,se possivel me atualize em relaçao a saude em portugal …

Resposta
Cristiane Leme Janeiro 27, 2016 at 6:20 pm

Olá. A Bia parou de colaborar com o blog. Procure o texto da Lyria que fala sobre saúde em Portugal.
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação