BrasileirasPeloMundo.com
Itália

Dez clássicos do cinema italiano

Dez clássicos do cinema italiano.

Hoje o elenco vai para o melhor do cinema italiano em 10 clássicos. Esta é uma pequena lista, mas são inúmeros os filmes que traçaram períodos históricos, políticos e sociais que influenciaram a história da Itália através do meio cinematográfico.

1 – ROMA CITTÀ APERTA (19459)

“É FACILE MORIRE BENE. DIFFICILE É VIVERE BENE.”

Um dos filmes simbólicos do neorrealismo, dirigido por Roberto Rosselini, é um afresco cru de uma das páginas mais negras da história da Itália. Filmado com dificuldades econômicas, mas ainda perfeito em seu minimalismo, é o retrato verdadeiro e espontâneo de um povo, considerando o recente fim da Segunda Guerra Mundial.

Enredo: a história é ambientada durante a Segunda Guerra Mundial, em particular durante a guerra de libertação liderada pelas tropas aliadas ( EUA, Grã-Bretanha e URSS) contra as forças do Eixo.

Na Roma ocupada pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, as histórias de diferentes personagens se entrelaçam: desde uma viúva amante de um guerrilheiro partidário, a um engenheiro comunista e até um simpático padre que ajuda os movimentos rebeldes.

2 – LADRI DI BICICLETTE (1948)

“C’É UNA CURA PER TUTTO, TRANNE CHE PER LA MORTE.”

Aclamado mundialmente como um dos maiores filmes já produzidos. Simples na sua construção e profundamente rico em conhecimento humano, o filme, com a direção de Vittorio De Sica, incorpora as maiores forças do neorrealismo italiano.

Clareza emocional, retidão social e honestidade brutal. Foi prêmio da Academia em 1949 como “Melhor filme estrangeiro”.

Enredo: após o roubo de sua bicicleta, um homem vagueia pela cidade com toda família esperando encontrá-la novamente. Tomado pelo desespero, ele não tem escolha a não ser roubar uma outra bicicleta, mas é bloqueado pela polícia, neste momento o assaltado comove-se e deixa ele ir embora. No filme, a poesia do cotidiano não esconde a realidade social.

3 – LA GRANDE GUERRA (1959)

” LA GUERRA É UN GRANDE OZIO DOVE NON HAI UN ATTIMO DI RIPOSO”.

Realizado em 1959 pelo diretor Mario Monicelli, La Grande Guerra é certamente um dos filmes mais exemplares da época, cinematograficamente relevante não só por ser um brilhante afresco da condição social, durante os anos de guerra, mas também porque se apresenta como a união perfeita de dois gêneros aparentemente opostos como a tragédia e a comédia.

Enredo: em um distrito militar, o romano Oreste Sacovacci, encontra o milanês Giovanni Busacca, um homem como ele, tentando escapar dos horrores da Primeira Guerra Mundial.

Um homem, destinado a entrar em um trem, vestindo um uniforme. Um trem que leva ao desespero e à violência da guerra, que gerando dor e desolação, se tornará uma experiência unificadora, que os levará a conhecer a essência da amizade, fraternidade e humanidade.

4 – LA DOLCE VITA (1960)

“É LA PACE CHE MI FA PAURA; TEMO LA PACE PIÚ DI OGNI ALTRA COSA: MI SEMBRA CHE SIA SOLTANTO UN’APPARENZA E CHE NASCONDA L’INFERNO.”

É um filme com direção de Federico Fellini, ambientado principalmente em Roma. A cidade entre paparazzi e a igreja, é projetada com alegre desrespeito, mas também com amor. E nem precisa lembrar Anita Ekberg na Fontana di Trevi: se você pensa em Roma e cinema italiano, pensa naquela cena.

Enredo: este filme é dividido em várias cenas, onde o protagonista principal é sempre Marcello, um jornalista que lida principalmente com fatos escandalosos, cuja verdadeira aspiração é se tornar um escritor. Em cada uma dessas cenas, Marcello assume sempre o papel de jornalista paparazzi, atraído pela bela vida, pela aristocracia e por belas mulheres.

5 – IL GATTOPARDO(1963)

“MA CHE DICI? IO VORREI CHE QUESTO BALLO NON FINISSE MAI.”

O Gattopardo é um poema épico. O filme recria, com nostalgia, o drama, a opulência e os tumultuosos anos do Risorgimento Italiano. O filme traduz o romance de Giuseppi Tomasi de Lampedusa em uma obra-prima cinematográfica dirigida por Luchino Visconti.

Enredo: enquanto as tropas de Garibaldi iniciam o processo de unificação da Itália, em 1860, uma família aristocrática siciliana tenta adaptar-se às mudanças sociais que ameaçam seu estilo de vida. Por exemplo, o príncipe Don Fabrizio Salina analisa sua posição e permite que seu sobrinho Tancredi case-se com Angélica, a bela filha do burguês Don Calogero.

Leia também: Dez clássicos da literatura italiana

6 – C’ERAVAMO TANTO AMATI (1974)

“CREDEVAMO DI CAMBIARE IL MONDO, E INVECE IL MONDO HA CAMBIATO NOI.”

A obra-prima de Ettore Scola é o ponto culminante da comédia italiana. Entre os inúmeros filmes produzidos na Itália entre o segundo período do pós-guerra, destinados à busca do romance popular, ninguém é capaz de igualar o deslumbrante poder visual e o tecido narrativo deste clássico.

Enredo: depois da guerra, três amigos ex-partidários, apesar do carinho que os une, tomam caminhos diferentes: Gianni, que nunca escondeu suas ambições, torna-se advogado em Milão; Antonio, homem simples e espontâneo, trabalha como porteiro em Roma; Nicola, intelectual e professor de Nocera Inferiore, tenta estabelecer-se como crítico de cinema.

7 – C’ERA UNA VOLTA IN AMERICA(1984)

“COSA HAI FATTO PER TUTTO QUESTO TEMPO, NOODLES? – SONO ANDATO A LETTO PRESTO.”

Sergio Leone foi conhecido como diretor do Spaghetti Western. O filme segue uma ordem dispersa, alternando entre as três fases da vida do protagonista – sua adolescência em 1922, a idade adulta em 1932-1933 e a velhice em 1968.

Enredo: uma New York dos anos 20 é o cenário para as façanhas de um pequeno grupo de garotos liderados por Max e Noodles. Ambos judeus, vivem na rua entre assaltos, pequenos furtos e chantageando os policiais. Os anos passam, a proibição chega e uma nova oportunidade para ganhar dinheiro fácil. A rua está repleta de morte, sangue, chantagem, amores violados, traições, amizades desfeitas. As falhas, no entanto, sempre têm um preço a pagar e as dívidas são pagas mesmo depois de algum tempo.

8 – NUOVO CINEMA PARADISO(1988)

“LA VITA NON É COME L’HAI VISTA AL CINEMATOGRAFO: LA VITA É PIÚ DIFFICILE.”

Com a direção de Giuseppe Tornatore, é um filme que pode facilmente comover os cinéfilos. Além disso, o compositor italiano Ennio Morricone criou uma trilha sonora verdadeiramente comovente, que vai fazer você se emocionar.

Enredo: um dos melhores filmes italianos da temporada 1987/1988. É a história de um cinema de uma pequena cidade, um ponto de encontro para todos. Os personagens principais são o projecionista e o seu pequeno aluno que toma o seu lugar quando o homem fica cego a causa de um acidente. A história é lembrada pelo garoto, agora um adulto com mais de 40 anos e diretor de cinema famoso.

9 – IL POSTINO(1944)

“QUANDO LA SPIEGHI, LA POESIA DIVENTA BANALE. MEGLIO DELLE SPIEGAZIONI, É L’ESPERIENZA DIRETTA DELLE EMOZIONI CHE PUÓ SPIEGARE LA POESIA AD UN ANIMO DISPOSTO A COMPRENDERLA.”

Com a direção de Michael Radford, é um filme sobre poesia e parece poesia. Isso nos faz refletir que a vida cotidiana é cheia de poesia e momentos poéticos, é um filme que vai fazer você encontrar beleza na vida cotidiana.

Enredo: o pescador Mário decide trabalhar como carteiro desde que o famoso escritor chileno Pablo Neruda mudou-se para sua ilha, na Itália, por razões políticas. O escritor precisa de alguém para enviar-lhe o grande número de cartas aos seus admiradores. Os dois tornar-se-ão grandes amigos, e o escritor ajudará Mário a conquistar a bela Beatriz.

10 – LA VITA É BELLA (1997)

“QUESTA É UNA STORIA SEMPLICE, EPPURE NON É FACILE RACCONTARLA.”

La Vita è Bella de Roberto Benigni, consegue andar na linha extremamente sutil entre humor, fantasia e tragédia. O filme é cômico, mas consegue comunicar de forma muito eficaz as enormes perdas sofridas nos campos de concentração.

Enredo: em 1930, um livreiro judeu de nome Guido começou uma vida de conto de fadas conquistando e casando com a mulher amada. O casal tem um filho e vivem felizes até os alemães ocuparem a Itália. Na tentativa de manter a família unida e ajudar seu filho a sobreviver aos horrores dos campos de concentração, Guido imagina que o Holocausto é um jogo e que o prêmio para quem ganha é um tanque armado.

Então fica a dica: pegue pipoca e guaraná e assista a estes clássicos… até porque o cinema italiano é uma longa love story!

Related posts

Morar no exterior e aprendizado na Itália

Bruna Roland

Seis dificuldades na vida de um imigrante na Itália

Ana Paula Ganzarolli

Dez clássicos da literatura italiana

Raquel Gonçalves

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação