BrasileirasPeloMundo.com
COVID-19 Dicas de planejamento para imigrar Itália

Mudar para a Itália em 2021 é uma boa ideia?

Mudar para a Itália em 2021 é uma boa ideia?

Finalmente, um dos anos mais difíceis que muitos de nós já viveram, chegou ao fim; mas 2020 foi tão atípico que trouxe reflexões muito mais profundas do que as tradicionais resoluções de Ano Novo.

Muita gente começou a analisar as próprias escolhas de vida e percebeu que estava na hora de mudar. Em alguns casos, literalmente. Mas será que mudar para a Itália em 2021 é uma boa ideia?

Antes de responder esta pergunta, devo reforçar que cada caso é um caso e que ninguém, além de você mesmo, pode saber o que é melhor para si. Mas, de forma geral, eu não recomendo mudar para a Itália neste ano pelos motivos que segue:

1- A pandemia não acabou

A pandemia de COVID-19, infelizmente, continua firme e forte por aí. E a Itália, um dos primeiros países a serem afetados pelo vírus, continua sofrendo pesadamente com uma segunda onda de contágios desde setembro de 2020. Mesmo que a possibilidade de uma vacina seja iminente em 2021, o novo imigrante terá que enfrentar um cenário de possíveis restrições de circulação, hospitais públicos lotados e uma recessão econômica, além de lidar com os desafios da própria adaptação.

2- A economia vai demorar para se recuperar

A Itália já sofre há anos com um déficit público que é o segundo maior da Europa, atrás apenas da Grécia. Segundo o Eurostat, órgão da União Europeia que mapeia dados macroeconômicos dos países-membro, em 2019 o déficit italiano era de 134,7% do PIB.

Leia também: Itália com a pandemia de coronavírus

E este cenário apenas se agravou com a pandemia, que afetou diretamente muitos setores importantes da economia italiana, do turismo à moda. Com uma contração de -9,9% do PIB em 2020, as expectativas da Comissão Europeia são de que a Itália só volte aos níveis de crescimento econômico pré-pandemia em 2022.

Com estes índices  desanimadores, vêm também uma redução da oferta de trabalho, principalmente em setores que costumavam empregar muitos imigrantes, como o de serviços e de turismo.

3- Enfrentar um lockdown longe de casa é mais difícil do que parece

A pandemia trouxe consequências muito sérias para a saúde mental, como o aumento de casos de depressão em todo o mundo. Um estudo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) mostrou um aumento de 80% nos níveis de ansiedade da população brasileira em 2020.

Leia também: A solidão na vida do imigrante

Já no caso de um imigrante, o desgaste mental é ainda maior. Além de fatores que afetam a todos em menor ou maior grau, como o medo do contágio, o expatriado ainda tem que lidar com os riscos de ficar doente e sozinho em outro país, da dificuldade de comunicação em outra língua no caso de uma emergência, dos desafios associados à adaptação a uma nova cultura e da solidão.

Esta é inevitável para quem vive longe da família e dos amigos e, se durar muito, poderá desencadear uma depressão.

4- A Dolce Vita Italiana não é a mesma com a pandemia

Entre os principais motivos que levam estrangeiros para a Itália, está a vontade de vivenciar um pouco do estilo de vida despojado dos italianos. E quem não gostaria de aproveitar a vista deslumbrante da Toscana acompanhado de um bom vinho?

O problema é que o COVID-19 mudou, pelo menos de forma temporária, o comportamento de todos, inclusive dos italianos.

Restaurantes com horário de funcionamento reduzido, atrações turísticas fechadas, vida noturna praticamente inexistente e voos cancelados são alguns exemplos do impacto direto da pandemia.

Além disso, fazer amizades, algo essencial para uma boa adaptação a um novo país, ficou mais difícil neste momento. Eventos organizados pela comunidade de brasileiros, encontros de grupos de expatriados ou mesmo um aperitivo com colegas de trabalho após o expediente, migraram para as plataformas virtuais, como o Zoom, ou simplesmente foram cancelados.

5- Mudar de país não farão seus problemas desaparecerem

Muita gente acha que a vida no exterior é maravilhosa, que você vai chegar em Roma e que tudo vai começar a fluir com naturalidade, como em uma comédia romântica. Só que a realidade não é bem assim!

A Itália é um país maravilhoso, mas que apresenta desafios como qualquer outro lugar do mundo. Você pode até se livrar de alguns problemas morando fora, mas outros com certeza irão surgir, a começar pelo iminente choque cultural.

Então não vale a pena morar na Itália?

Nós não podemos ignorar todas as incertezas provocadas pela pandemia de COVID-19 no mundo. E, neste cenário, eu não recomendo uma mudança de país pelo fato de que a pandemia só fará com que este processo seja muito mais difícil e estressante do que poderia ser.

Mas calma, isso não significa abrir mão dos seus sonhos! Aproveite 2021 para fazer um “esquenta”, ou seja, uma preparação para imigrar.

Leia também: O que fazer antes de mudar de país

Faça um curso on-line de italiano, como o do canal Vou Aprender Italiano, assista filmes e séries sobre a Itália na Netflix e leia livros de autores italianos. Recomendo o excelente “A Amiga Genial”, de Elena Ferrante, que até virou série da HBO.

Além disso, utilize este período para se organizar financeiramente para uma mudança de país. Assim, com um pouco de paciência e uma boa preparação, você estará pronto para aproveitar o melhor que a Itália tem a oferecer. E quando bater o desânimo, lembre-se daquele velho ditado: “Todos os caminhos levam à Roma”.

Related posts

Visita ao Brasil após mudança para a Itália

Ana Paula Ganzarolli

Por que visitar Molise?

Ana Patricia da Silva

Fim de semana em Cinque Terre na Itália

Nathália Braga Bannister

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação