BrasileirasPeloMundo.com
Itália

O sorvete italiano

Sorvete italiano - uma doce paixão

Depois da pizza, o sorvete italiano é um dos produtos mais populares e amados do mundo. Existem aqueles que nunca mudam a escolha dos sabores, aqueles que amam as combinações mais ousadas e aqueles que não têm um gosto favorito, mas quase todo mundo gosta de sorvete.

O sorvete italiano de qualidade, devido ao seu processo de preparação, é sempre artesanal. Cada artesão também contribui para melhorar a receita e introduzir novas inovações. A Itália é o lar dos sorvetes artesanais, no sentido que é o lugar onde há a maior concentração de sorveterias artesanais. É uma tradição que pertence à Itália, faz parte da cultura alimentar, e nos últimos anos houve certamente um boom de crescimento e interesse neste produto, não só na Europa, mas em todo o mundo.

Alguma vez você já se perguntou quem inventou o sorvete, uma das sobremesas mais amadas do verão?
Durante a antiguidade, para encontrar algum frescor durante os terríveis dias de verão, a única solução era refrigerar frutas, leite e mel. Alguns séculos depois, no final do século IX, os árabes encontraram a solução para adoçar o gelo na Sicília: a cana-de-açúcar!

Enquanto isso, na Sardenha, nasceu o carapigna, uma mistura de leite de ovelha, frutas secas e neve.
Durante a idade média, os primeiros sucos de frutas foram congelados, mas foi somente em 1686 que Francesco Procopio dei Coltelli, um chef siciliano, conseguiu criar a mistura perfeita para produzir o sorvete.

Para não errar na hora de se deliciar com um bom sorvete italiano, aí vão algumas dicas para reconhecer um sorvete italiano de qualidade:

No que diz respeito à cor

Deve ser uma cor natural. O problema da coloração diz respeito principalmente aos sabores de frutas. Tenha em mente que no processamento a fruta naturalmente oxida-se um pouco, e a vivacidade da cor tende a desbotar com baixas temperaturas. Portanto, amarelos berrantes, rosa de cor forte, verdes brilhantes devem ser vistos com desconfiança, porque são reforçados por colorantes. Lembre-se: o sabor da banana, se natural, é branco, o kiwi é verde claro, já o morango, vermelho claro, e assim por diante.

Leia também: Dez motivos para morar na Itália

A temperatura

Descarte as sorveterias com as montanhas de sorvete na vitrine. Pode parecer estranho, mas o sorvete não deve ser muito frio, ou seja, não deve dar a sensação de gelo na boca. Esta sensação, poderia ser um sinal de uma má incorporação de ar, devido a um balanceamento incorreto da receita, portanto, de um sorvete não equilibrado. Mas não precisa ser muito quente (aqueles que se parecem mais com as mousses do que sorvete) porque podem ter uma incorporação excessiva de gorduras ou estabilizadores.

Sorvete fresco

No sorvete, por definição existem cristais. Eles devem ser muitos finos, para uma estrutura que é macia na língua, lisa. Sorvete bem feito tem estas características. Mas eles não duram por muito tempo (porque a água, os açúcares, as proteínas e as frutas estão em equilíbrio). Quando o sorvete não é fresco, naturalmente tende a perder suas qualidades, mesmo que tenha sido bem feito. A presença de grandes cristais pode ser uma indicação de sorvete não fresco ou de um mostruário de temperatura não ideal, porque a água gradualmente recristaliza.

A fragrância de sabor e persistência aromática

Cada gosto deve ser reconhecido em sua individualidade. Em sorvetes que não são realmente artesanais ou em qualquer caso não são bem feitos, todos os cremes tendem a ser parecidos, porque são preparados a partir de bases comuns com a adição no final do ingrediente correspondente. Assim, cada gosto deve ter sua própria personalidade e não deve desaparecer imediatamente. O sabor e o aroma devem permanecer longos o suficiente na boca.

Sorvete de qualidade não faz com que você tenha sede

Às vezes, você tem a necessidade de beber depois de chupar um sorvete. De fato, a sensação é mais forte com sorvetes industriais, alguns dos quais usam gorduras vegetais. Este último, em alguns casos, tem um ponto de fusão mais alto que o sorvete artesanal. Sabemos que a temperatura de um corpo humano em condições normais não consegue dissolver os vegetais na boca e aqui está o desejo de beber.

Leia também: Delícias da cultura gastronômica na Itália

Curiosidades do sorvete italiano

• Se existisse uma sorveteria que oferecesse todos os sabores atualmente disponíveis, a escolha seria aproximadamente de 600 sabores. Os sabores preferidos dos italianos são chocolate (27%), avelã (20%), limão (13%), morango (12%), creme (10%), flocos (9%) e pistache (8%).

• Ao contrário do que se pensa, o sorvete é um alimento saudável. Na verdade, é recomendado pelos pediatras como substituto dos lanches da tarde para as crianças. Além disso, é recomendado pelos médicos nas dietas dos inapetentes, como idosos e quem está se recuperando.

• O sorvete artesanal italiano experimentou um verdadeiro boom entre os anos 70 e 80. Inicialmente, este tipo de sorvete criava problemas do ponto de vista higiênico: muitas pessoas ficavam doentes depois de comê-lo, pois ele era produzido com ovo cru. Hoje, o sorvete artesanal não contém mais ovo cru, e máquinas profissionais para fazer sorvete caseiro são pasteurizadas.

• No século XIX, muitos imigrantes italianos vendiam sorvete nas suas vans ou da janela de casa. Para permitir que os clientes alcançassem a janela com mais facilidade, tábuas de madeira foram colocadas uma sobre a outra. Foi assim que nasceram as primeiras “sorveterias”.

• Entre os muitos museus italianos, há um dedicado inteiramente ao sorvete. É o Gelato Museum Carpignani Di Anzola Emilia, não muito longe da cidade de Bolonha. Estruturado em três níveis, conta a história deste delicioso alimento, desde os antigos poços de neve até os dias atuais.

Esta doce delícia italiana é o resultado da força dos artesãos e o sorriso daqueles que lhe oferecem o cone ou um copinho com os mais variados sabores que irão te refrescar em um quente dia de verão.

P.S.: Você sabia que existe o Gelato Day? É o Dia Europeu do Sorvete Artesanal, que acontece todo o dia 24 de março!

Related posts

Cidadania Italiana: Cadastro dos Italianos Residentes no Exterior A.I.R.E.

Farah Serra

Por que conhecer a Lombardia?

Ana Patricia da Silva

Adaptação na Itália

Daphne Pierin

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação