BrasileirasPeloMundo.com
Itália Universo Feminino Pelo Mundo

Dicas de beleza na Itália

Dicas de beleza na Itália

No texto anterior, eu falei um pouco como é ser dona de casa na Itália. Para quem não leu, basta clicar aqui.

E hoje eu quero falar um pouco de como mudou a minha rotina de beleza desde que vim morar na Itália, algo que pode ser útil até para quem mora em outros países da Europa ou mesmo no Brasil.

A verdade é que até pouco tempo atrás, eu nunca tinha sido muito aficionada por cremes, maquiagens e afins. Sempre fiz a lição de casa direitinho, uso protetor solar desde os 20 anos, com fator de proteção solar (FPS) de 50 para cima, nunca fui muito de ficar torrando no sol. Sempre usei hidratante de manhã e à noite e, a partir dos 30 anos passei a usar creme anti-idade.

Mas o ponto é que mesmo tomando alguns cuidados, desenvolvi melasma (manchas causadas pelas alterações hormonais) durante a gravidez da minha filha e passei a me consultar com uma dermatologista para tentar minimiza-las e, porque não, deixar a pele com mais viço.

Outro ponto que me fez redobrar os cuidados atualmente é que a “maturidade” está chegando e apesar de muita gente achar que não parece, os 40 estão já batendo na porta.

Some-se a tudo isso, o fato de que a água aqui na Itália (e na Europa, de um modo geral) tem muito calcário, ela que é até conhecida como “acqua dura” por aqui, na prática dá uma boa detonada nos cabelos e na pele, pois resseca bastante. Além disso, o vento frio também não perdoa. Os cremes que eu trouxe do Brasil, recomendados pela minha dermatologista, não estavam mais dando conta do recado. Ela já tinha me avisado que isso ia acontecer e me recomendou usar os cremes que aqui não são tão caros como no Brasil como La Roche, Avene, Roic e afins.

Então, eu que sou conhecida pelos amigos por ser “mão de vaca”, passei a adotar algumas estratégias que tem funcionado para mim: eu mesma faço minhas unhas. Na Itália não é comum as manicures tirarem as cutículas, a maioria só empurra com uma espátula e depois esmalta as mãos.

Claro que você pode recorrer a alguma manicure brasileira. O que mais vejo nesses grupos de brasileiros vivendo na Itália são anúncios de brasileiras que fazem unha e cabelo, inclusive atendendo a domicílio.

Mas a verdade é que nunca achei muito difícil fazer a própria unha, pois não tenho muita cutícula e, depois de conhecer algumas “ferramentas” vendidas por aqui, essa tarefa ficou ainda mais fácil. Por exemplo, essa caneta da Kiko que remove o excesso do esmalte. Você pode pintar as unhas “borrando” o quanto quiser de modo a deixar o esmalte bem passado, depois retira o excesso com o palito e acetona e, por último, nos locais bem próximos da unha, você finaliza com essa caneta. O resultado é de uma manicure de fazer inveja com qualquer profissional por aí e o melhor, sem gastar praticamente nada. Eu comprei na Itália, mas acho que ela é vendida no Brasil também.

Além das unhas, eu mesma corto e hidrato o meu cabelo. Isso soaria impossível antes de mudar para cá. Mas como geralmente só corto as pontas, qualquer tutorial de auto corte do Youtube acabou me ajudando. Eu achei incrível conseguir fazer essas coisas. Além disso, eu comecei a usar pré-shampoos de cabeleireiros famosos na Europa que são tão ou mais eficientes que as hidratações em salões (Peter Kingsley, Leonor Greyl, Christophe Robin, etc.), basta passar no cabelo (sujo) e deixar por pelo menos 1 hora e depois lavar como de costume.

Pode parecer bobagem, mas cada corte de cabelo aqui custa uns 50 euros. A hidratação eu nem sei quanto custa. Com o dinheiro que economizo cortando e hidratando os cabelos, eu compro cremes e séruns potentes que têm deixado minha pele e cabelos maravilhosos.

Outra dica bacana que eu queria passar é que uso alguns cremes e séruns que são feitos pela empresa Deciem. A empresa é canadense e produz produtos com princípios ativos muito utilizados em cremes de marcas famosas, porém, por um décimo do valor que custa nessas embalagens chiques (e caras).

Eu tenho a maioria dos produtos da linha Ordinary e são realmente muito bons, estão fazendo uma grande diferença na minha pele! Eu uso alguns séruns de manhã, por baixo do filtro solar e antes da vitamina C, e outros à noite também antes do hidratante.

Eu alterno alguns ácidos que são os principais combatentes das rugas e linhas de expressão (ácido lático, ácido glicólico, ácido retinóico, ácido azelaico, etc.), com alguns antioxidantes (como o resveratrol e o EUK), e as linhas de expressão que estavam se formando na área dos olhos estão cada vez menores.

A boa notícia é que pelo o que eu pesquisei, eles entregam no Brasil então, se você se interessar, também pode comprar mesmo não morando na Itália. Eu recomendo que você consulte o seu dermatologista, principalmente se for usar os ácidos anti-idade, pois eles podem causar reações alérgicas e precisam de alguns cuidados especiais, como o uso constante de um filtro solar potente durante o dia – não basta os cremes com filtro solar, pois geralmente o FPS é muito baixo.

Até agora os cabelos brancos não chegaram (toc, toc, toc – bate na madeira que se tudo der certo vamos continuar sem eles por mais alguns anos). Eu sei que as tintas ressecam bastante o cabelo e acho que essa mistura de tintura + calcário realmente acaba com o cabelo. O que mais vejo são mulheres mais velhas na Itália que recorrem à tinta e têm o cabelo duro de tão ressecado. Me dá muita dó e vontade de ficar amiga só para dar umas dicas… (risos)

Acho o máximo conseguir ser cada vez mais autossuficiente em vários aspectos da minha vida. Pode parecer aterrorizante para a maioria das brasileiras que estão acostumadas a terceirizar essas pequenas coisas e fazer do ritual do salão uma terapia, e eu me incluía nesse grupo. Mas por outro lado é libertador fazer as coisas na hora que eu quiser sem ter que agendar, me locomover até o salão e, ao mesmo tempo, continuar me sentido bonita e bem cuidada.

Mas cada vez que aprendo uma coisa nova ou mudo a forma de pensar sobre algo, eu me sinto tão livre e independente! Acho o máximo aprender novas formas de “lifestyle”, é realmente muito enriquecedor morar fora, pois você muda de forma gradual o modo de pensar e agir, e quando percebe, essas pequenas coisas vão transformando você para sempre.

Related posts

Conversão da Carteira de Motorista na Itália

Farah Serra

Dicas para comprar roupas na França

Marcella Delfraro

Feminicídio na Itália: É possível sair da violência, ligue 1522

Farah Serra

2 comentários

Bárbara Sgarbi Março 14, 2019 at 4:02 pm

Oi Ana, me chamo Bárbara e mudei para a Itália tem um mês. Gostaria de saber o nome dos produtos que você usa para o cabelo e a pele, para reduzir linhas de expressão, será que poderia me enviar?
Agradeço muito

Resposta
Liliane Oliveira Março 14, 2019 at 8:43 pm

Olá Bárbara,
A Ana Paula Ganzarolli, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação