BrasileirasPeloMundo.com
Bélgica Dicas para aprender idiomas

Dicas para aprender neerlandês na Bélgica

Todos sabemos que aprender uma nova língua requer tempo e dedicação. E muita paciência. Muita. Aprendemos por razões práticas, por puro desejo de aprender, por motivos intelectuais ou sentimentais. Mas quaisquer que sejam elas, ter em nossa cabeça uma razão clara pelo qual queremos aprender determinado idioma ajuda bastante a manter a motivação nos estudos, no meu caso aprender neerlandês, na Bélgica.

Quando você se muda para um outro país, aprender a língua local ajuda você a se comunicar e a se integrar à nova sociedade, além de ser extremamente importante na sua recolocação profissional. Inglês é universal, sim. Mas em um país onde mais de 60% da população fala inglês fluentemente, falar o idioma oficial é essencial. A EF – Education First, maior organização educacional do mundo realiza anualmente um estudo bastante interessante sobre o índice de proficiência em inglês entre 72 países.

Segundo esse índice, conhecido como EF EPI, a Bélgica ocupa a 7ª melhor posição, apresentando proficiência considerada alta, com uma pontuação de 60.90. É o 10º país com maior proficiência em inglês entre 26 países da Europa. É possível ainda, na página referente ao estudo, comparar os países envolvidos.  Como podemos conferir na página da EF, o Brasil ainda ocupa a 40º posição, apresentando uma pontuação de 50.66, ou seja, proficiência baixa. Comparam, ainda, o PIB per capita, média de anos escolares em cada país, gastos em educação e penetração da internet na sociedade. Vale a pena dar uma olhada!

Portanto, a primeira coisa que fiz quando comecei a pensar em me mudar para a Bélgica foi me matricular em um curso de neerlandês. Estava em Oud-Turnhout (cidade próxima a Antuérpia, na região de Flandres) ainda como turista, e aproveitei para fazer o nível 1.1 de neerlandês no CVO de Turnhout, um centro de educação para adultos. Cada nível do curso no CVO tem a duração de aproximadamente 3 meses e custa 92 euros, incluído o valor dos livros. Lembrando que aqui no país existem três línguas oficiais: neerlandês ou flamengo (língua oficial da região de Flandres, ao norte), francês (oficial na região da Valônia, ao sul) e alemão (oficial em um pequena parte ao leste). Bruxelas é considerada bilingue, tendo o francês e o neerlandês como línguas oficiais.

Várias pessoas me perguntam a diferença entre o neerlandês falado na Holanda, que alguns chamam de holandês, e o falado aqui na Bélgica, também conhecido como flamengo (flemish, em inglês). Entre os moradores dos dois países existem diversas piadas quanto ao sotaque um do outro. Basicamente, a língua é a mesma: neerlandês. Tanto o “flamengo” quanto o “holandês” são dialetos do neerlandês, ou seja, não existem livros e jornais em holandês e flamengo, tampouco existem dicionários de holandês ou de flamengo. Língua é apenas uma, o neerlandês.

É uma situação que pode ser comparada ao inglês falado na Inglaterra e ao inglês falado na Escócia ou com o alemão falado na Alemanha e o alemão falado na Áustria. O fato de os dialetos neerlandeses terem sido falados durante muito mais tempo na região de Flandres fez com que a maioria dos belgas de língua neerlandesa não usassem nas suas conversas cotidianas o neerlandês padrão. Falam um dialeto neerlandês ou então uma mistura de neerlandês padrão com o dialeto da sua região. O neerlandês padrão, a grande maioria dos flamengos só usa para escrever ou então para falar na escola com professores ou em outros acontecimentos oficiais. 

Quando se é residente no país, o curso de neerlandês é oferecido gratuitamente aos estrangeiros, desde que frequentem o programa de integração oferecido pelo governo belga conhecido como Inburgering e já explicado pela Tábata Senna neste post.

Apaixonados por idiomas concordarão comigo: estudar uma língua totalmente estranha, fonética e gramaticalmente falando, de todas as outras que você sabe é desafiador, mas extremamente estimulante e libertador. Algumas vezes, também frustrante. No primeiro dia de aula, em que o professor fala apenas neerlandês do início ao fim, você se sente um cego em tiroteio e qualquer “Ausjeblieft” (por favor) dito soa como algo eternamente impronunciável. Você olha para os livros e nada faz o menor sentido.

Mas garanto, o desespero inicial passa. Estou no nível 2.1 e a sensação que se tem ao entender várias palavras, de já conseguir entender um diálogo ou simplesmente de comprar algo sozinha no supermercado é maravilhosa. Claro que sair da zona de conforto do inglês não é tarefa das mais fáceis, mas cada vez que você sai, é recompensador. A maioria das pessoas sabe o qual difícil é o neerlandês para o estrangeiro e reconhece seus esforços. Pelo menos em minhas experiências, posso dizer que o povo belga é bem simpático e prestativo quando percebem que você tentou.

A ortografia holandesa é bem complicada, apesar de baseada em alguns princípios básicos. Uma vez que se aprendem as regras de conjugação dos verbos regulares, pode-se conjugar qualquer verbo em neerlandês. Os verbos irregulares, entretanto, precisam ser decorados. A parte mais complexa da gramática neerlandesa, para mim, é a ordem das palavras. Há uma regra geral para se produzir uma sentença, mas à medida que você vai aprendendo os tempos verbais você percebe que a maneira mais fácil de aprender é ler muito, muito e muito. A ordem básica no neerlandês de uma frase é sujeito | verbo principal | tempo | modo | lugar | outros verbos. Exemplo: “Eu treinei sem vontade ontem na academia” você escreve assim:

Sujeitoverbo principaltempomodolugaroutro(s) verbo(s)
Ikhebgisterenmet tegenzinin de sportschoolgetraind

. Loucura, não é? Com o tempo você se acostuma.

Outro dilema para mim são os três artigos da língua: o indefinido ‘een’ (um, uma) e os definidos ‘de’ e ‘het’ (o, a). Lógica para se usar esses artigos definidos não há nenhuma, decora-se.

A pronúncia também não é nada fácil. A dificuldade depende da origem de cada um. Dizem que o “g” gutural (para o brasileiro, pronuncia-se como “rê”) é mais fácil para quem fala espanhol e árabe do que para quem fala inglês e japonês. Mas complicados mesmo, em unanimidade, são os sons do “uu”, “ui” e “eu”. Só mesmo nos expondo a eles, constantemente. Misture-se com quem fala neerlandês, mergulhe em áudios, vídeos, internet, televisão (quase todos os canais aqui apresentam legenda em neerlandês)…use todos os recursos em seu favor.

Em resumo, “aprenda tudo o que puder, sempre que puder, de quem quer que seja; sempre haverá um momento que você se sentirá grato por ter feito isso” – Sarah Caldwell.

Fontes

Academia

Dutch Grammar

Related posts

As melhores lendas urbanas da Bélgica

Elisa Penna

Cidadania belga

Tábata Senna

Como abrir conta bancária na Bélgica

Ana Laura Visentini

5 comentários

Melissa Junho 24, 2017 at 12:37 pm

Que texto maravilhoso!! Terminei o 1.1 essa semana e achei que só eu tinha essa dificuldade na ordem de construção de uma frase, realmente tá sendo o mais difícil pra mim! Inclusive minha professora me pontuou nisso. A pronúncia de palavras com “sch” super difícil também. Tenho assistido bastante aos noticiários e coloco todos os canais com legenda, mas ainda sinto que vai demorar pra eu começar a falar algo. Você tem alguma dica de livros fáceis ou alguns aplicativos que possam ajudar? As férias escolares estão aí e como vou ficar esse tempo todo sem aula, queria ter algo mais didático pra fazer nesse tempo e não esquecer o que aprendi.

Resposta
Elisa Penna Julho 5, 2017 at 8:24 am

Obrigada, Melissa!!! Fico feliz por ter ajudado! Tenho algumas dicas, sim…
No site DutchGrammar.org, clique em “growing number of languages editions”. Você consegue baixar um livro de gramática em Português!
Em http://www.oefenhiergenederlands.be, se você mora na região de Flandres, em “Ik leer Nederlands”, clique em “bestel de boekjes” e você pode pedir para entregarem em sua casa, gratuitamente, 4 livros de bolso para treinar vocabulário.
Outros sites por onde gosto de estudar: http://www.eudu.eu, http://www.taalblad.be, http://www.nederlandsoefenen.be e http://www.learndutch.org.
Em relação a aplicativos, acho o Duolingo muito bom para quem está começando.

Ótimos estudos para você! 🙂

Resposta
Ademar Rodrigues Chaves Janeiro 29, 2018 at 12:08 pm

Ola, Elisa Penna!
Estou voltando a Bélgica e quero estudar Inglês, Neerlandês e melhorar meu Francês.
Vc pode me informar como posso conseguir, de uma instituição Belga uma carta para visto de estudante ou qualquer documento do gênero…
Desde já, agradeço.

Ademar Chaves

Resposta
Katiana Abdala Maio 22, 2018 at 8:20 am

Olá Elisa. Vc teria algum artigo relacionado com animais domesticos (cães e gatos) na Bélgica? Gostaria de leva-los comigo numa eventual mudança. Desdes já. Obrigada pelos posts. Att. Katiana.

Resposta
Mara Lara Janeiro 27, 2019 at 4:12 pm

Boa tarde Elisa, vc poderia me indicar um curso de neerlandês aqui em BH? Obrigada desde já…

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação