BrasileirasPeloMundo.com
Dinamarca Empregos Pelo Mundo

Dicas para conseguir um emprego na Dinamarca

Recomeçar a vida em um novo país é sempre um processo desafiador. Repentinamente, somos jogados em uma realidade diversa, com expectativas sociais diferentes, com um idioma desconhecido e em um contexto no qual pouco ou nada é familiar. Temos que aprender ou reaprender quase tudo – do mais trivial, como o funcionamento do transporte público, ao bem mais complexo, como o funcionamento do mercado de trabalho e como ingressar nele. No post desse mês, falarei um pouco sobre as particularidades do mercado de trabalho dinamarquês e sobre o caminho a percorrer para conseguir um emprego na Dinamarca.

Detesto soar pretensiosa, e peço perdão aos leitores se o faço, mas conseguir emprego no Brasil nunca foi um problema para mim. Graduada e pós-graduada em uma das mais prestigiosas faculdades de Direito do país, o meu problema geralmente era decidir quais ofertas aceitar e que caminho seguir. Eu sabia que estava amparada não só pela minha formação e currículo, mas também pelas minhas habilidades sociais. Em outras palavras, eu falo pelos cotovelos, e não descansando até achar um tópico em comum, um interesse compartilhado ou algo que me aproxime daqueles em cujas mãos está o poder de decidir se me ofertam a vaga ou não: da série B do campeonato gaúcho de peteca, passado pelas particularidades da escrita cuneiforme suméria e chegando à filmografia guatemalteca dos anos 90, eu sempre achava algo capaz de criar uma empatia com o entrevistador que invariavelmente me beneficiava.

Com esse histórico de sucesso que me fazia sentir a Ivete Sangalo dos processos seletivos, acreditei que nada poderia dar errado na Dinamarca. Avance o filme para um mês depois da minha chegada na Dinamarca e lá estava eu, deprimida, enrolada em um cobertor, de pijama às duas da tarde, chorando copiosamente ao receber mais uma entre tantas cartas de rejeição de uma empresa dinamarquesa e pensando que nem para caixa de supermercado eu tinha qualificação, já que até hoje me embaralho com os números em dinamarquês.

ID-100248988
Certamente preenchi mais de 20 formulários como este em minha busca por empregos na Dinamarca. Fonte:www.freedigitalphotos.net

Avance o filme mais um pouco e hoje, enquanto escrevo este post, bebo uma taça de vinho para celebrar a oferta de um emprego para o qual eu nem me candidatei, e para ganhar consideravelmente mais do que ganho em minha atual posição. Portanto, nada melhor do que celebrar essa vitória partilhando minha experiência na esperança de que ela possa ajudar quem ainda está naquela primeira fase de novela mexicana, na qual a protagonista é pobre, miserável, esfarrapada e ainda não descobriu que, na verdade, é a herdeira perdida de uma fortuna inestimável. Aqui vão minhas dicas:

1. Comece respirando fundo e dando tempo ao tempo

Se eu pudesse voltar no tempo, teria me poupado de tanta angústia e aproveitado mais o período inicial de adaptação, investido mais em conhecer pessoas, estudado dinamarquês com mais afinco e relaxado, pois tudo vem ao seu tempo e, na Dinamarca, é mais fácil conseguir um emprego porque você foi legal com um colega de academia que trabalha na empresa X do que por um currículo que conquistaria o coração de Donald Trump e Roberto Justus. Dinamarqueses não procuram o “melhor” candidato, e sim alguém com quem eles possam trabalhar tranquilamente e conversar sobre o tempo, o transporte público ou a carga de impostos enquanto tomam um café.

2. Faça QUALQUER tipo de trabalho voluntário

Eu não tenho como enfatizar o suficiente este ponto! Fazer um trabalho voluntário vai ajudar a dar sentido a seus dias e a construir um networking. Eu comecei me voluntariando para fazer QUALQUER coisa na Igreja na qual eu estudava dinamarquês, e minha boa vontade levou um dos responsáveis a me apresentar ao chefe de uma ONG que trabalha com discriminação racial. Lá também eu comecei como voluntária, mas logo fui contratada para fazer relatórios para órgãos da ONU. E lembre-se: encare o trabalho voluntário como TRABALHO, com responsabilidade e horários, pois essas pessoas podem ser aquelas que serão contatadas pelo RH para ter uma recomendação sua.

Leia sobre motivos para não morar na Dinamarca

3. Seja humilde

Ingressar no mercado de trabalho dinamarquês não é fácil, e aqui há uma outra diferença: os salários são muito parecidos, então não existe uma pressão social para ser o rei da cocada preta. Os adolescentes trabalham em padarias ou supermercados, incentivados por seus pais, e ser gari, marceneiro, arquiteto ou advogado garante um padrão de vida não muito diferente. Então, esteja aberto a começar por baixo e, em entrevistas de emprego, esqueça toda aquela baboseira de reality show à la O Aprendiz. Seja humilde, diga que você quer aprender e que não dá importância para títulos. Uma vez dentro do mercado de trabalho, é muito mais fácil mudar para algo melhor.

4. Ative TODA sua rede de contatos

Não tenha medo de pedir pro parceiro de squash do seu marido para encaminhar seu CV. Aqui quase sempre se consegue algo através de alguém. Os dinamarqueses são naturalmente reticentes em relação aos estrangeiros e gostam de conhecer as pessoas antes de iniciar qualquer relação. Da mesma forma, use ferramentas como o LinkedIn para achar pessoas na sua área e escreva convidando para um café, pois você gostaria de saber mais sobre o trabalho delas.

5. Fale sobre você

Em sua carta de apresentação, fale sobre você e sobre o que o trouxe aqui. Dinamarqueses precisam de contexto e de algum indicativo de estabilidade, e certamente vão perguntar o que olhe trouxe até aqui, o que você faz em seu tempo livre, etc. Não hesite em mencionar seu marido, esposa ou namorado(a) dinamarquês, e diga que você AMA viver aqui, que nada lhe faria mais feliz do que ficar nessa versão geopolítica de um freezer para sempre!

6. Nunca, em hipótese alguma, fale sobre temas polêmicos

Depois de 3 entrevistas na mesma empresa, eu perdi uma oferta de emprego porque mencionei que era casada na igreja Católica. Dinamarqueses veem religião como algo polêmico e não entendem a religiosidade sincrética do brasileiro. Enquanto nós vemos religiosidade como algo positivo, eles veem como fanatismo. Se você quiser acabar com uma conversa aqui, mencione que a missa de domingo passado estava espetacular.

7. Vista-se e aja como um deles

No meu post passado, mencionei minha natureza de viúva Porcina. Eu sou praticamente um carro alegórico ao me vestir, mas aqui fui de preto para as entrevistas de emprego, e com quase nada de maquiagem. Também controlei meus gestos e minha voz, e mostrei conhecimento e interesse sobre a Dinamarca. Além disso, ressaltei no meu currículo e nas entrevistas que estava estudando dinamarquês. Diga que você a-do-ra andar de bicicleta, que acha pão preto com patê de fígado uma iguaria, e comente sobre o brilhante desempenho do time nacional de handebol.

Espero que essas dicas ajudem quem está procurando por um emprego aqui na Dinamarca e lembre-se de não desanimar: esse processo é difícil para todos os estrangeiros que vivem aqui, mas com paciência e perseverança se chega lá!

Related posts

Como se mudar para a Dinamarca

Camila Vicenci Witt

Dicas para alugar imóvel em Copenhague

Camila Vicenci Witt

Benefícios de um cão no ambiente de trabalho

Thais Amaral Tellawi

45 comentários

lia Fevereiro 22, 2016 at 11:22 pm

linda e divertida historia
otimos conselhos
eu estou por aqui tbm agora estudo em casa e a cada palavra que aprendo fico mega orgulhosa kkkkkkkkkkkkk ja me vejo trabalhando 😀

Resposta
Camila Vicenci Witt Fevereiro 23, 2016 at 1:37 pm

Oi Lia!
Que bom que você gostou do post! É isso aí! Você tem que ficar orgulhosa dos seus progressos 😀 Quem persevera sempre chega lá! Beijos

Resposta
Simone Souza Fevereiro 23, 2016 at 1:01 pm

Camila, AMEI o seu post. Estou me mudando em Março para Dinamarca e já posso me imaginar passando por todas essas fases que você mencionou. Muito, muito obrigada pelas dicas. Por favor continue a escrever, pois gosto muito dá forma como você escreve. Simone

Resposta
Camila Vicenci Witt Fevereiro 23, 2016 at 1:40 pm

Olá Simone!
Muito obrigada pelos elogios 🙂 Espero de verdade que tudo corra bem em sua vinda para cá, e sinta-se à vontade para entrar em contato comigo caso precise de alguma ajuda 😀
O importante é não desanimar e ter consciência de que a esmagadora maioria das pessoas passa pelo mesmo processo, mesmo que sejam super qualificadas.
Beijos

Resposta
Priscila C Março 10, 2016 at 4:24 pm

Eu amo seus posts, Camila! kkkk Seus comentários são ótimos! Você indicaria algum site de busca de empregos?
Eu me cadastrei no http://www.jobindex.dk/
Você conhece?

Resposta
Camila Vicenci Witt Março 20, 2016 at 6:15 pm

Oi Priscila, muito obrigada!!!!! Em primeiro lugar, desculpe a demora pra responder, mas passei a semana de cama com uma gripe apocalíptica. Para ser BEM sincera, no meu caso foi mais efetivo entrar em contato com agências de headhunting ou investir em contatar pessoas em sua área no LinkedIn. Eu mandei umas 100 applications pelo job index sem sucesso 🙁 Há muitos eventos para networking aqui, e cursos, como na International House Copenhagen….até em sauna eu fui pra conhecer pessoas…rsrsrsrs. Espero ter ajudado, e me escreva se precisar de mais alguma coisa 🙂 Beijos e boa semana!

Resposta
Dirce Maria Março 15, 2016 at 9:40 pm

Olá…aqui estou, muito interessada em morar na Dinamarca, tenho uma amiga que mora aí, é medica e me fala muito bem deste País.
Sua dicas foram primordiais, e trabalhar em uma ONG é tudo que mais quero.
Onde posso postar meu currículun?

Um abraço

Resposta
Dirce Maria Março 15, 2016 at 9:43 pm

Olá, boa noite!!

Meu nome é Dirce Maria, tenho muito interesse em morar na Dinamarca.
Trabalhar em uma ONG e ou algo parecido no terceiro setor.
Minha formação é Jurídica,

Abraços,

Resposta
Camila Vicenci Witt Março 20, 2016 at 6:07 pm

Oi Dirce Maria, tudo bem? Desculpe a demora em responder, mas peguei uma gripe braba e passei de cama 🙁
Eu sugeriria que você procurasse diretamente nos sites das ONGs, como o Danish Refugee Council, Red Cross, Action Aid, etc. Há também muitas vagas na UN City (use o sistema de busca da ONU, o Inspira), mas é importante saber que é difícil conseguir um emprego pleno e remunerado em ONGs aqui, pois há abundância de voluntários. O melhor caminho é entrar em contato com as ONGs, mandar o CV e dizer que você também está disponível para voluntariado, para conseguir experiência 🙂 Beijos e boa sorte!!!!

Resposta
Andrea Abril 1, 2016 at 10:58 am

Matérias interessantes, texto objetivo é útil! Muito bom.

Resposta
Camila Vicenci Witt Abril 9, 2016 at 3:29 pm

Obrigada, Andrea!!!!

Resposta
Camila Vicenci Witt Maio 7, 2017 at 7:40 pm

Obrigada, Andrea!

Resposta
Isabela Abril 22, 2016 at 7:46 pm

Oi Camila !! Queria dizer que amei o seu texto !! Queria te perguntar algo, eu sei que “uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa”, mas na sua opinião, você diria que essas regras poderiam se aplicar a alguém q vai procurar trabalho na Noruega ??? Beijos, tudo de bom !

Resposta
Camila Vicenci Witt Abril 30, 2016 at 12:40 pm

Oi Isabela, tudo bem?
Eu penso que, de maneira geral, é possível fazer essa analogia sim 🙂 Qual é sua área?

Resposta
Isabela Maio 4, 2016 at 2:37 pm

Bom dia Camila !! Obrigada por responder !! 🙂 Eu sou formada em direito e trabalho há alguns anos com licitação, uma coisa que pouca gente tem noção do que é, mesmo no Brasil ! 🙂 Na Noruega eu estava pensando em, além de tentar todos os tipos de trabalho possíveis, já que não falo nada de norueguês, tentar algum trabalho em um ambiente de escritório ou banco como você, porque minha rotina é bem administrativa ! Realmente não sei …

Resposta
Elias Abril 25, 2016 at 2:24 pm

Olá Camila! Você acha que ter uma certa fluência no inglês ajuda (ou é essencial) no aprendizado de idiomas diferentes, como o dinamarquês? Ou você acha possível aprender dinamarquês sem depender do inglês? Como foi sua experiência no aprendizado do dinamarquês? Quero ter uma ideia por onde devo começar.

Muito obrigado pelas informações do post, foram muito úteis! 🙂

Resposta
Camila Vicenci Witt Abril 30, 2016 at 12:45 pm

Oi Elias! Olha, a grande e esmagadora maioria das pessoas aqui falam inglês, e as escolas de idiomas ensinam o dinamarquês a partir do inglês. Contudo, posso te indicar uma pessoa que trabalha também como professora de dinamarquês e que é brasileira, a Cátia Macmillan (procure no facebook e na comunidade Brasileiros da Dinamarca).No meu caso, me viro bem mais com o inglês do que com o dinamarquês, mas se você está iniciando nos dois idiomas e quer ficar por aqui, então sugiro focar no dinamarquês 🙂 Boa sorte 🙂

Resposta
Isabela Julho 20, 2016 at 4:19 pm

Oi Camila, tudo bem ? Lá vou eu comentar aqui de novo ! Eu me espelho muito em você pq tenho uma formação semelhante a sua (direito com pós) e vou morar num país nórdico (Noruega), além de ter muita vontade de, se possível, trabalhar num ambiente bancário quando estiver lá … Queria saber como você conseguiu trabalhar nessa área de Risco ! Será que vc poderia me dar algumas dicas além dessas do post ? Obg ! Abs 🙂

Resposta
Camila Vicenci Witt Julho 21, 2016 at 7:26 am

Oi Isabela!!! Mil desculpas pela demora em responder!
Bem, o que eu fiz foi, em primeiro lugar, me dedicar bastante a trabalhos voluntários, o que não só deu um sentido pra minha vida como me garantiu boas referências para as entrevistas futuras. Depois disso, foi enviar muitos cvs, sempre ressaltando que minha principal qualidade era ter disposição para aprender. Ajuda bastante se você conhecer alguém que te indique, por isso atividades sociais de todo gênero são bem-vindas 🙂 outra coisa importante é dizer que você está aprendendo a língua local, porque eles querem alguém com quem possam conversar no almoço 🙂 espero ter ajudado!!! Beijos e boa sorte!

Resposta
Vivian Julho 24, 2016 at 3:52 pm

Oi Camila! Parabéns pelo texto, muito bem escrito e super leve de ler.
Estou me preparando para mudar pra Copenhagen após os Jogos Olímpicos aqui no Rio, onde eu trabalho e queria perguntar se o currículo que os Dinamarqueses esperam receber é o mesmo formato do Brasil:
Nome e informações pessoais
Objetivo
Habilidades principais
Formação
Experiência
Idiomas

Tem alguma ordem? Eles procuram algo mais resumido, ou mais detalhado?

Obrigada pela ajuda! Beijos

Resposta
Camila Vicenci Witt Julho 25, 2016 at 7:36 am

Oi Vivian, tudo bem?
Em geral, o cv é bem parecido. O que é muito diferente é que eles geralmente querem algumas informações mais pessoais na cover letter: porque você está na Dinamarca? Você é casada com dinamarquês? Aqui, qualquer elemento de “estabilidade” com a Dinamarca conta muito. Além disso, saliente experiências de voluntariado e, se possível, coloque um telefone e endereco daqui, porque qualquer fator “estrangeiro” costuma desestimular nesse sentido: eles querem algo fácil, alguém que esteja aqui, etc. O meu cv costuma ser mais sucinto, porque me orientaram a não escrever muito 🙂 Beijos e boa sorte 😀

Resposta
Cris Agosto 7, 2016 at 3:46 pm

Camila, adorei todas as dicas desse post. Vi que você é doutora em Direito Internacional Sou graduada em Direito e pós-graduada em Direito Tributário. Meu namorado é dinamarquês e mora em Copenhague. Provavelmente vou me casar no ano que vem e ir morar na Dinamarca. É possível conseguir um emprego relacionado ao Direito na Dinamarca? É difícil revalidar o diploma? São tantas dúvidas. Confesso que o medo me assombra constantemente.

Resposta
Camila Vicenci Witt Agosto 22, 2016 at 11:15 am

Oi Cris, tudo bem?
Eu atualmente não trabalho como advogada, mas com Compliance. Adianto que, infelizmente, para exercer a advocacia aqui é necessário ter feito faculdade na Dinamarca, mas você pode atuar como Legal Counsel sem problemas. Grandes multinacionais como Mærsk, Novo Nordisk, Dong, PWC, Deloitte e Vestas são bons lugares para iniciar sua busca 😀 Sobre o medo, é sempre assustador pular rumo ao desconhecido, mas também é uma experiência muito enriquecedora. Espero ver você por aqui 🙂 Beijos

Resposta
Karla Agosto 23, 2016 at 8:37 pm

Camila, gostei muito do texto! Assim como vc, sou advogada, mas com pós em D. Ambiental. Passarei a morar na Dinamarca no ano que vem, e fico apavorada com a possibilidade de demorar muito a começar a trabalhar, ou de sequer conseguir algo na área, Em quanto tempo vc conseguiu a sua primeira oportunidade de trabalho?Precisou fazer mestrado/doutorado no país para conseguir? Experiências profissionais no Brasil são muito ou pouco relevantes para ser selecionada? Obrigada pelas dicas!

Resposta
Camila Vicenci Witt Agosto 24, 2016 at 8:36 am

Oi Karla, tudo bem?

Olha, o tempo para conseguir um emprego varia muito de pessoa pra pessoa, mas mesmo pessoas qualificadas frequentemente ficam mais de um ano procurando emprego aqui. Eu já vim pra cá com doutorado, mas a minha titulacão pesou pouco: o que mais me ajudou foi fazer trabalho voluntário por um tempo, além das aulas de dinamarquês, pois assim construí uma rede de contatos e consegui boas referências. Além disso, eu não trabalho na minha área de formacão aqui, o que é bem comum. Dependendo de onde você irá morar, existem cursos e programas que ajudam na sua colocacão no mercado de trabalho (aqui em Copenhage temos cursos na International House), mas sugiro que você esteja pronta para aceitar vagas em outras áreas, e ir construindo seu caminho pouco a pouco. Se eu puder dar uma dica, comece a estudar um pouco de dinamarquês ainda no Brasil, pois isso aumenta muito as suas chances. Espero vê-la por aqui ano que vem 😀 Beijos

Resposta
Camila Vicenci Witt Agosto 24, 2016 at 8:38 am

Ah, e no meu caso, vim no final de outubro de 2014, comecei trabalho voluntário em novembro, consegui meu primeiro contrato em fev/mar, e o emprego definitivo veio em junho de 2015 🙂

Resposta
Ramon Março 6, 2017 at 6:52 pm

Legais as dicas; MAS elas são voltadas para quem já está na Dinamarca. E quem mora no Brasil e quer emigrar?! Acho que a dificuldade é maior ainda, pois são entrevistas por Skype e você não conhece ninguém lá pessoalmente. Você estava no país com visto de turista?

Resposta
Camila Vicenci Witt Maio 7, 2017 at 7:39 pm

Oi Ramon,

Não, eu vim com visto para cá (Greencard scheme). Infelizmente, não sei de ninguém que tenha feito processo seletivo pelo Skype, e acho que seria difícil um empregador dinamarquês querer contratar alguém que sequer veio até o país, pois há uma grande chance da pessoa não se adaptar e decidir voltar. Sempre perguntam aos estrangeiros “o que você está fazendo na Dinamarca”, e não é por maldade, mas apenas por reconhecimento de que poucas pessoas acordam e decidem se aventurar em um país remoto, frio e recluso sem uma boa razão pra isso. Se você realmente quer emigrar, o primeiro passo é conhecer o país e avaliar suas chances de se adaptar. Daqui é bem mais fácil conseguir oportunidades. Boa sorte!

Resposta
Vanessa Maio 5, 2017 at 6:48 pm

Muito bom o post!
Parabéns Camila!
Estarei o do para a Dinamarca no final de 2017 e Queria tirar uma dúvida que não tem nada haver com emprego … eu tenho um filho de 4 patas e gostaria de saber se é fácil de.embarcar na Dinamarca com meu filhote, será que vc poderia me ajudar por favor?

Resposta
Camila Vicenci Witt Maio 7, 2017 at 7:44 pm

Oi Vanessa,

Este site aqui tem algumas dicas: http://www.pettravel.com/immigration/Denmark.cfm

Sei que o microchip e passaporte são obrigatórios, além das vacinas, mas apesar de ter um processo burocrático, muitas pessoas conseguem trazer seus filhotes de 4 patas pra cá! Beijos e boa sorte!

Resposta
Adão da Silva Nhate Maio 11, 2017 at 6:14 pm

show, muito obrigado pela dica
sou cineasta Africano de Guine-Bissau situado na costa oeste de africa ex colonia de Portugal,residente no Brasil quase a 8 anos, tenho nacionalidade Brasileiro
sou AfroBrasileiro rsrsrs
no proximo mês estou pensando ir para Dinamarca para passar 3 a 6 messes tentar sorte na area de Audio Visual ou fotografia ect:
13 anos tras falava inglês fluente hoje em dia entendo mas de que falar!
Camila vc poderia me ajudar com sugestão sobre trabalho?
Obrigado.
E-mail [email protected]

Resposta
Higor Lima Maio 27, 2017 at 2:00 am

Boa noite Camila.
Muito Bom Post! Parabéns!
Tenho 24 anos e sou do Rio de Janeiro. Morei 6 anos na Dinamarca (Em Horsens) entre meus 4 e 10 anos de idade, minha mãe foi casada com um dinamarquês. Falo a linguá com boa fluência, porém esqueci bastante da escrita. Ano que vem me formo em Bacharel em Educação Física e sou Técnico de enfermagem. Estou muito tempo sem ir na Dinamarca. Queria saber como estão as coisas por ai e se você sabe como funciona e como está o mercado de trabalho em alguma dessas duas áreas. Amo a Dinamarca! e meu sonho é voltar a morar ai rss. Hoje sou casado e gostaria muito de reconstruir minha vida ai.

Desde já agradeço 🙂

Resposta
Camila Vicenci Witt Maio 29, 2017 at 7:20 am

Oi Higor, tudo bem?
Obrigada pelo seu comentário 🙂
Bem, infelizmente, as políticas imigratórias têm se tornado cada vez mais restritivas por aqui, e é muito difícil vir pra cá se não for por casamento ou por trabalho. Sugiro que você dê uma olhada no site New To Denmark, que contém todos os tipos de vistos possíveis, e veja se você ou sua esposa poderiam se enquadrar em algum deles. Abraços e boa sorte!

Resposta
Herberth de Mesquita Junho 21, 2017 at 1:27 pm

Ola Camila!
Tudo bem? Belas dicas, na verdade são poucas pessoas que estão dando dicas tão boas assim com você. Parabéns pela iniciativa. Queria um informação sua se possível é claro: Tenho a intenção de morar na Dinamarca no começo do ano que vem, tenho uma irmã que já mora da DK, como faço para me ingressar no parte de empregos, pois vi que não é nada facil. Sou formado da area de logistica e estou na area a 12 anos, mas estou disposto a novos desafios, falo inglês intermediario e estou fazendo aula de Dk pela internet. O que voce me aconselharia?
Desde já, agradeço!!
Abraço !

Resposta
Camila Vicenci Witt Julho 2, 2017 at 8:19 pm

Oi Herbert, tudo bem?

Muito obrigada 🙂
Herbert, embora não seja fácil, é possível. Talvez fosse bom investir ainda mais no inglês, pois isso é essencial. Além disso, siga enviando currículos, mas pense em entrar em contato com um headhunter que trabalhe na sua área. Também sugiro que, em suas cover letters, você mencione que está indo para ficar com sua irmã, pois dinamarqueses sempre perguntam “o que você está fazendo aqui”? Desejo muita sorte em sua busca!

Resposta
herberth Julho 6, 2017 at 3:43 pm

Muito Obrigado. É que por aqui “Brasil”, fica mais difícil de obter as informações necessárias, pois tem muitos brasileiros que se negam a ajudar. Minha irmã mesmo, conversou com os brasileiros que empregam brasileiros, só que eles se fecham com relação a ajudar. Formam seu próprio grupo e se você não for do meio deles “conhecidos”, eles meio que eliminam você. Mais ainda tem gente como você ajudando. Fico Grato. =).

Resposta
Camila Vicenci Witt Julho 12, 2017 at 7:45 am

Oi Herbert, tudo bem?
Fico feliz por ter ajudado. Infelizmente, as políticas migratórias ficaram bem mais restritivas, então muitas pessoas estão com um justificado receio em oferecer ajuda. Trabalho ilegal, por exemplo, é amplamente combatido e fiscalizado, e muitas pessoas perderam seus vistos por empregarem estrangeiros que não tinham visto de trabalho. Poucas são as empresas que estão na list do fast track, e os vistos estão demorando a serem expedidos, por isso muitas pessoas que antes podiam oferecer ajuda hoje já não podem, mas espero que você consiga algo logo e venha para cá 🙂

Resposta
Sebastião Pereira Novembro 16, 2017 at 9:20 pm

Olá Camila! Boa noite agradeço pela postagem, pois me abriu novos horizontes, tenho feito uma procura para trabalhar fora do Brasil, e trabalhar na Dinamarca me chamou muito a atenção, sou da area de metalurgia estou fazendo um curso de inglês e gostaria de saber se você tem algum conhecimento de como está essa area.

Resposta
Camila Vicenci Witt Novembro 26, 2017 at 8:46 pm

Oi Sebastião, tudo bem?
Infelizmente, eu não tenho conhecimento específico sobre essa área, mas apostar no inglês é uma ótima iniciativa!
Boa sorte 🙂

Resposta
Walbrino Araujo Novembro 18, 2017 at 12:38 am

Ola boa noite ao ve a reportagem da rede globo.fiquei interessado em trabalho de gari.ou se possivel me informe

Resposta
Walbrino Araujo Novembro 18, 2017 at 12:53 am

Boa noite uma informação queria ir para Dinamarca sou pedagogo no momento desenpregado me fala do emprego de gari.

Resposta
Camila Vicenci Witt Novembro 26, 2017 at 8:45 pm

Oi Walbrino,

Inicialmente, você tem que ter visto para residir aqui, senão não pode trabalhar. Dê uma olhada nos meus outros textos sobre vistos e no site New to Denmark.
Boa sorte 🙂

Resposta
Gabriela Ferreira Dezembro 19, 2017 at 11:18 pm

Oi Camila amei suas dicas e sua solidariedade em ajudar outras preso as que têm os mesmos interesse como os seus. Minha filha mais velha tem interesse em se formar e morar na dinamarca e eu dou todo apoio pois sei que ela é muito esforçada, carismático e responsável e que a Dinamarca é um país exemplar em educação,tranquilidade e honestidade. Estamos tentando contato com a professora Cátia que vc indicou pra ela já começar a estudar o dinamarquês. Se for da vontade de Deus tudo dara certo.

Resposta
Thomaz B. Outubro 5, 2018 at 9:22 pm

Parabens pelo texto, inspirador. estou me mudando com espsa e filha em janeiro de 2018. obg.

Resposta
Cristiane Leme Outubro 5, 2018 at 9:37 pm

A Camila parou de colaborar conosco, mas que bom que gostou do texto dela!
Recomendamos ler outros textos que falam sobre os requisitos para morar na Dinamarca, como tirar o visto, custo de vida, transporte, melhores cidades para estrangeiros, dicas para aprender dinamarquês etc. Também sou colunista da Dinamarca e além de mim há outras 3.
Boa sorte!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação