BrasileirasPeloMundo.com
Dicas para aprender idiomas França

Dicas para estudar Francês

Em clima de provas, resolvi contar um pouco sobre o método de estudo da língua francesa para estrangeiros aqui na França. Vou começar explicando um pouco como funciona onde estudo, que é um departamento de línguas, onde os estrangeiros estudam o francês e os franceses estudam outros idiomas como espanhol, inglês e até mesmo chinês.

Este departamento chamado CIEF (Centre International d’Études Françaises) faz parte e existe em todas as Universidades francesas, assim que qualquer pessoa pode escolher qualquer cidade, se matricular neste departamento de línguas e cursar o idioma.

Ao entrar na Universidade, sim pois agora você não é apenas um aluno em um curso de francês mas sim um aluno universitário com todos os direitos e deveres desta Faculdade escolhida (tais como biblioteca, restaurante universitário, atividades extracurriculares como futebol, basquete, tango, salsa, escalada, badminton, etc…), você passará por um teste de nível, oral e de escrita que te colocará no nível mais adequado.

Aqui há seis níveis, quais acredito serem uma normatização da zona euro: A1, A2, B1, B2 que são referentes ao diploma chamado DELF (Diplôme d’études en langue Française) e os níveis C1 e C2 para os avançados no idioma que são referentes ao diploma DALF (Diplôme approfondi de langue Francaise).

Diferente da Alemanha como a Bárbara nos explicou, o curso não é reembolsado pelo Governo, e custa 800 Euros cada semestre, mas tem um porém, a escola aceita que você “repita” de nível apenas uma vez, ou seja, você pode fazer o mesmo nível apenas duas vezes, pois o que acontece é que uma vez inscrito, o CIEF te dá um certificado de inscrição e é com este documento que você obterá o seu visto de estudante para permanecer na França.  Um problema frequente que acontece são os alunos que se inscrevem no curso, vão em algumas aulas, faltam na maioria, não justificam as faltas (que são permitidas apenas três  justificadas por semestre) e como o visto de estudante em geral dá uma permissão para trabalhar 60% das horas (equivalente a um estágio, ou um trabalho de meio período) estes alunos estrangeiros, utilizam o visto de estudante para permanecer na França e trabalhar no mercado negro, ou seja, ganham por fora, em dinheiro líquido e não pagam impostos assim como seus empregadores.  A escola serve então apenas como um álibi.

Problemas de imigração à parte, muitos dos imigrantes passam por este curso de francês pois querem ingressar nas Universidades francesas, quais exigem determinado nível de francês.

Existem quatro competências básicas que são Compreensão Oral, Produção Oral, Compreensão Escrita e Produção Escrita, e são estas as competências nas quais os alunos sempre serão avaliados e terá em todos os níveis. A aulas em geral são de segunda a sexta das 8hs às 18hs, mas depende dos horários , da quantidade de alunos, da disponibilidade dos professores, a grade de aulas é estruturada diferente para cada nível e a cada semestre, então que pode calhar por exemplo, de alguns felizardos não terem aula em um determinado dia da semana, mas em compensação ter o outro super carregado. Foi o meu caso no semestre passado, na sexta eu não tinha aula e na segunda eu entrava mais tarde, assim eu podia emendar o meu final de semana mas na terça-feira eu tinha aula das 8h as 18hs, com pausa de 10 minutos para um cafézinho de máquina.

Nos cursos também há aulas chamadas de  “Civilização”, onde aprendemos a História da França e especialidades de cada região. Esta aula tem avaliação mas não é eliminatória. Conforme vamos aumentando de nível, a carga horária de aulas também, e para os níveis B1 e B2 há uma aula chamada Optativa nas quais temos três opções: Literatura, Economia ou Ciências. No semestre passado escolhi Economia então neste eu estava proibida de escolher a mesma. Optei por Literatura.

Nos horários pós-aula há ateliês de escultura, aquarela, colagem, etc., porque afinal estamos na França e respiramos arte o tempo todo!

Vou listar alguns livros que utilizamos na escola, mas o que também varia conforme o professor e obviamente, tem muito material que eles nos dão à parte, folhas de xerox, livros para ler, sites de apoio, dicas, etc. Na verdade apenas nos níveis A1 a B1 houve obrigatoriedade do livro durante as aulas.

Os níveis A1 e A2 cursei no Brasil com o livro Alter Ego 1. Ele vem com o livro, um CD de áudio e um caderninho de exercícios (DELF A1) para você se auto-avaliar no final do curso e é da autora Béatrix Sampsonis.

O nível B1 utilizei o livro Écho B1 que contém o livro com um CD, mas como foi comprado diretamente aqui na escola, por 25 Euros tivemos também o livro de exercícios, e o autor é Jacky Girardet. É possível comprar todos os níveis só da Coleção Alter Ego ou Echo .

Bom finalmente queria registrar aqui que seja na França ou onde você estiver, mesmo naqueles dias em que você pensa em não fazer nada e ver TV o dia todo, ou então escutar à rádio, apenas com estes gestos já estamos estudando, pois nada melhor do que trabalhar sua Compreensão Oral do que escutar o radio, ou então assistir filmes, ainda mais se eles estiverem com legenda (no idioma estudado) pois então você trabalhará sua Compreensão de Escrita, e que o aprendizado na imersão total quando se está num determinado país, vem quase que por osmose!

Bons estudos!

Related posts

Hábitos e curiosidades francesas

Sabrina de Paula

Imposto de Renda na França

Rafaela Prado

Violência doméstica na França

Carolina van Heesewijk

15 comentários

Cristiane Leme Novembro 18, 2013 at 1:01 pm

Perfeito! Informações super úteis, que já vou compartilhar. Merci !

Resposta
Emilia Hanashiro Novembro 19, 2013 at 9:15 am

Muito bom saber, ótimo texto, parabéns.

Emilia

Resposta
Daphne Novembro 19, 2013 at 10:30 am

Adorei saber como funciona o ensinamento de linguas ai na França. Aproveite mesmo para absorver toda a oportunidade que tiver na cultura do local aonde mora, isso sò adiciona na nossa vida. Parabéns pelo texto, super bem explicativo e claro!
Bj!
Daphne.

Resposta
Fernanda Moura Novembro 19, 2013 at 5:57 pm

Muito legal seu texto. Aqui no Mexico eu também estudo francês e uso o Alter Ego e o Bescherelle que são ótimos 🙂 Adoraria ter a oportunidade que vc tem de passar o dia estudando. Como tenho filho pequeno tenho somente algumas horas livres ( 5 para ser exata) quando ele está na escola para estudar, escrever, ir ao gym, arrumar casa, cozinhar, etc. Beijos e aproveita 🙂

Resposta
Ana Carina Novembro 20, 2013 at 4:39 pm

Oi Fernanda , tudo bem?
Já morei no México , eu digo que fui Queretana e você está morando onde??
Sim esses são muito bons e ambas as coleções têm todos os níveis!
Outra dica que eu faço muito e mesmo meus colegas me zoam(mas funciona muito bem!)é de comprar livos para crianças , pois afinal estamos sendo “alfabetizados” em um outro idioma! Então eu comecei com livros bem fáceis de exercícios, como para criancas de 6 anos, depois 8 anos, depois 12, 14…e por aí vai, esses exercícios vão fixando de maneira bem clara a teoria , pois afinal quando se faz exercícios bem fáceis a gente erra menos e se motiva mais!!
Bons Estudos!

Resposta
Fernanda Moura Novembro 23, 2013 at 2:12 am

Morou em Queretaro? Que legal! Estudava aqui ou veio a trabalho? Eu moro no DF:) Putz…isso de livro de criança é o máximo! Sabe que meu filho entrou para o lycee français e eu estou aprendendo junto com ele. O que assimilei de vocabulário lendo e vendo pelo youtube Tchoupi et Doudou, Petit Ours Brun e Trotro valeu mais que o A1 inteiro hahahaha. Agora livro de exercício para criança eu nunca tinha pensado…vou comprar já! rsrsrs Bjs

Resposta
Alessandra Janeiro 25, 2016 at 3:02 pm

Olá Fernanda. Sou Alessandra. Meu marido recebeu um convite de trabalho para o México. Será que vc poderia me ajudar com algumas dúvidas?

Resposta
Lea Silva Maio 4, 2014 at 2:03 pm

Olá Ana,
Estou começando um curso de francês no Brasil. Na verdade tive aulas com professor particular, mas apenas uma introdução (coisas básicas como artigo, nacionalidade, apresentação…) para viagem e ele utilizou o Écho. Agora estou retornando com os estudos, porém através de um curso de idiomas e este curso utiliza o Alter ego. Na sua opinião qual dos dois livros é o melhor, mais completo ou o que tem o melhor método de ensino.
Obrigada.

Resposta
Ana Lozon Junho 23, 2014 at 9:33 am

Oi Lea, tudo bom?
Olha , no Brasil eu também, aprendi com professoras francófonas e nós íamos adaptando as aulas segundo o que eu precisava (chegar no país, passar pela imigração, andar de metrô…) e também com elas cada momento usávamos um instrumento diferente tais como livros (inclusive o Alter ego), letras de músicas, textos clássicos, sites de internet, entre outros. Já na França o caminho foi inverso ao seu, nós começamos com o Alter Ego e continuamos com o Écho. Particularmente eu não tenho preferência Lea, ambos são muito bons mesmo, então não se preocupe.
Mas se você quiser complementar, você pode comprar livros infantis como eu falei para a Fernanda ali em cima, isso ajuda, pois são exercícios simples e qualquer maneira estamos nos alfabetizando em outro idioma. Outra dica é o Bescherelle, muito bom, muito usado por todos (adultos e crianças). Eu tenho um trio deles que são de conjugação, ortografia e gramática, na verdade ganhei, mas como eu estava começando comprei também o Bescherelle École, que justamente é para crianças!Espero que tenha ajudado e Bons estudos!
Bisous.

Resposta
Luiz Junho 22, 2014 at 8:13 pm

Olá Ana!
Eu não sei se você sabe mas essa série de livros Echo é também usada pela Aliança Francesa em todo o mundo para que, caso um aluno de um certo país tenha que ir para outro, não sofra com a mudança de material. Infelizmente, não é o principal livro que é indicado para quem almeja estudar o francês sozinho, porém, ainda assim é de ótima qualidade.

Resposta
Ana Lozon Junho 23, 2014 at 9:01 am

Oi Luiz, tudo bem?
Ah que loucura, eu não sabia!!Na verdade muito bem pensado para os alunos,aliás a Aliança francesa se mostra presente em muuiitos países! Porém eu não estudei lá, fiz aulas com professoras francófonas, e daí a gente modelava a aula conforme minhas necessidades. Mas de fato você tem razão, não é um livro para estudar sozinho apesar de ser muito bom, mas o que eu sugiro para estudar sozinho, e que inclusive eu fiz em paralelo às aulas quando cheguei aqui, foi pegar livros infantis mesmo ( 6, 7 anos)e depois ir evoluindo para os de 14 ,15 anos juntamente com o famoso trio Bescherelle de gramática, ortografia e conjugação!! Pois afinal o desejo de se alfabetizar -sozinho- em outro idioma, nunca é fácil!!
Bisous!

Resposta
thiago silva de souza Setembro 28, 2015 at 5:53 pm

Bom dia. Estou começando agora a estudar frânces. Gostaria de saber qual o melhor livro para eu utilizar? Um que venha com cd e resposta dos exercicios.

Resposta
Vívian Outubro 14, 2015 at 5:35 pm

Olá Ana,

bacana suas dicas. Queria saber se esse curso de francês que as universidades da França oferecem são gratuitos.
Merci!

Resposta
Victor Rodrigues Janeiro 9, 2016 at 2:39 am

Olá! Me chamo Victor. Sou apaixonado por línguas e me interesso muito em estudar o francês. Gostaria de utilizar ou o Echo ou o Alter Ego, porém sou autodidata e gostaria de saber se é possível usar ambos ou um destes materiais por conta própria. Minha pergunta se refere principalmente ao áudio do livro, que na maioria dos materiais fica acessível apenas para o professor. Todo o áudio que utilizo já vem com o livro ou preciso comprar os CDs de classe separados? Grato!

Resposta
Mateus Cabreira Junho 26, 2017 at 3:44 am

Víctor, comprei o Alter Ego + (plus) e ele vem com cd. Também sou autodidata e estou conseguindo estudar, embora no início esteja usando bastante o dicionário para entender as questões.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação