Dez motivos para morar na França

25
10220
Advertisement

Todo mundo adora a França- euzinha inclusive – e encontrar APENAS 10 motivos para morar na França é crueldade.

Mas vamos lá, tentei compilar meus 10 motivos preferidos:

1) Saúde

A saúde, creio que seja um fator muito importante a se levar em conta ao mudar de país. Se no Brasil a gente tem que ficar meses na fila do SUS para para ser mal atendido, ou desembolsar uma boa grana anual no seguro-saúde para ter acesso a exames e médicos bons na hora da necessidade, aqui na França todos têm direito a um bom sistema de saúde, seja o mendigo, o trabalhador francês ou um estudante estrangeiro.

2) Um sentimento de civilidade

Aqui eu sinto um sentimento coletivo, como uma consciência cívica e moral.

Claro que existem as exceções, os malcriados, entre outros, mas de maneira geral sinto que existe um sentimento coletivo na França, um sentimento de respeito. Por exemplo, mesmo que não tenha um controlador, as pessoas vão lá e validam seus bilhetes do tramway (um tipo de bondinho elétrico) do ônibus, quando eles poderiam entrar e sair sem pagar.

Eles preservam os patrimônios públicos e se existe um vandalismo nestes prédios, os franceses ficam indignados com esses depredadores, pois a reforma será paga com o dinheiro público.

Aqui há a coleta seletiva do lixo, como em muitos países, e caso o lixo (entulho, vidro, roupa…) seja jogado no lugar errado, ele vai ficar lá até a pessoa se tocar e levar ao lugar certo, pois o gari não vai recolher este lixo jogado em qualquer lugar, pelo menos aqui no “interior” é o que eu já constatei.

3) Segurança

Para mim, a segurança é um argumento chave.

Vivi e adoro São Paulo, mas é verdade que a segurança não é o forte da cidade. Tenho amigos e família que nunca foram assaltados, e tem eu que já fui assaltada na frente da escola, dentro do carro, a caminho de casa e mesmo dentro do ônibus. Ou seja, ouvir iPod na rua, comprar celular bom ou um relógio bacana nunca mais… Até vir para a França! Aqui mesmo nas periferias eu não me sinto acuada, com medo, nem intimidada. Claro que até tem os pickpocketers (trombadinhas) mas essa coisa que acontece no Brasil de invadirem o seu espaço, o seu corpo, te agredirem, ameaçarem e tal, isso é muito mais raro aqui.

4) Transporte rápido

Olhem, depois de viver muitos anos de trânsito, de corredores de ônibus e linhas de metrô você fica acostumado a esperar, pois sabe que o ônibus vai chegar , apenas não sabe se será em 5 minutos ou em 50.

Já aqui : luxo!

Na parada do metrô, do tramway, do ônibus, sempre tem escrito o tempo em que ele vai chegar. E se alguém perde o metrô que acabou de sair, o próximo chega em 5 minutos MESMO!

5) Idioma

Acho que este argumento é válido para qualquer país.

Quando se mora fora todos os dias estamos aprendendo coisas novas e o mais óbvio disso é o idioma. Todo os dias se aprende um novo vocabulário, um novo nome de comida, de fruta, de produto de limpeza em um idioma que não é o seu.

6) O Espaço Schengen

A França faz parte do Espaço Schengen, que é uma zona de livre acesso. Uma vez dentro desta zona os europeus, apenas com um documento de identidade, podem ir e vir sem serem controlados nas fronteiras de mais de vinte países.

Eu acho isso incrível, são mais de 20 países que a gente pode ir, passear, e que também vêm para cá; ou seja, há um multiculturalismo, uma riqueza cultural, intelectual de línguas, comidas, pessoas…

7) Cultura

tanque de guerra

A França é um prato cheio para quem gosta de história.

São guerras, destruições, conquistas, perdas, batalhas, vitórias, divisões e uniões do seu próprio território, reis, imperadores até chegar na democracia de hoje. E com todo esse percurso da história, em cada canto, cada cidadezinha, tem muito para contar. Cada lugar daqui tem seu papel na França de hoje. E culturalmente falando o francês conhece de onde veio, sabe da sua história e honra seus heróis com monumentos mil.

Há um estímulo do governo em fazer o povo se interessar e a participar da própria história. Por exemplo, a cada primeiro domingo do mês os museus são gratuitos e uma vez por ano os patrimônios são abertos ao público.

 

8) Gastronomia

Óbvio que eu não poderia deixar de falar da comida francesa. Berço da gastronomia, aqui não tem desperdício. Tudo se come, até cavalo!

E um bom francês que se preze tem sempre a sua baguete fresquinha diariamente. Um brioche quentinho não tem para ninguém, mas atenção: nunca peça um croissant de chocolate pois um croissant é um croissant e um pão de chocolate é um pão de chocolate.

E não se enganem com os julgamentos brasileiros achando que aqui se come em proporções pequenas, pois mentira tem perna curta e aqui se come muito bem: entrada+ prato principal+ salada+ queijo +sobremesa e se ainda tiver espaço para um café gourmand, você não vai se arrepender!

Prato bem servido

9)Vinhos

Vinhos na adega em Champagne-Ardenne

É, creio que este é um argumento autoexplicativo.

Mas caso você ainda tenha dúvidas, os vinhos franceses são excepcionais e os loucos por vinhos têm passagem obrigatória por aqui. Além disso, se quiser uma boa desculpa para viajar e beber um bom vinho fica a dica: vinhos tintos de Bordeaux e brancos da Alsácia. E que tal passar pelo Pays de la Loire para um bom rosé? Mas não se deixe enganar com um “champanhe” que não venha da região de Champagne-Ardenne, pois ele não é considerado champanhe se não vem desta região determinada.

 

 

10) A geografia privilegiada

Les Ardennes Franceses

A França é muito bem localizada e privilegiada geograficamente,  pois aqui se agrada a gregos e troianos.

Se você quiser campo, natureza é o que não falta. Que tal fazer uma boa caminhada ou um tour de bicicleta para respirar ar puro pelas Les Ardennes que vão até a Bélgica?

Fronteira com Bélgica

Mas tem aqueles que adoram esquiar, e os Alpes não são as únicas opções; que tal tentar Les Pyrénées? Agora, para nós, que adoramos uma praia, existe Marselha com suas praias de águas azuis, ou senão, a famigerada Côte d’Azur. E para quem quer conhecer um vulcão? Tem na França sim senhor! Temos um vulcão inativo chamado Volcan D’Auvergne. Finalmente, para você que quer mais história, entre as mil igrejas, catedrais e monumentos existem os castelos, por exemplo o Château de La Loire que é algo absolutamente maravilhoso.

Monumento em homenagem aos heróis de guerra

Morar aqui é realmente muito gostoso, e a cada dia tem algo novo, algo que me surpreende e que gosto mais do que no dia anterior. Confesso que  quando comecei o texto já editei várias vezes até eu conseguir terminar, e assim creio que  seja a nossa percepção da vida e das coisas que são mais importantes, vamos evoluindo , mudando e talvez daqui um tempo a saúde e a civilidade serão tão óbvias que nem precisarão ser listadas!

25 Comentários

  1. Oi Ana, comecei a ler teus textos hoje e deu vontade de continuar! Estou morando em Bordeaux ha 2 meses e essas leituras de textos de brasileiros morando aqui me motivaram a vir e agora me ‘acolhem’. E esse blog acabou de entrar pra minha listinha ! Bom, como estou fazendo parte do doutorado, tenho data pra voltar. Mas a ideia, desde que cheguei, eh vivenciar a vida francesa ao maximo. Entao, pensar que vou voltar acaba se restringindo aos momentos que bate saudade da terrinha e das pessoas que ficaram mesmo.
    Pensei em te escrever so umas palavrinhas pra saberes que tens mais uma leitora e, como moradora da Province tbm, acho que vou me identificar muito ainda.
    Um abraço!!!

    • Oi Luana,que delícia receber sua mensagem, Adorei, obrigada!
      Bordeaux ainda não conheço, apenas parte boa daí: os vinhos..hummm!!E você está certíssima, tem mesmo que aproveitar ao máximo sua estadia aqui. E sobretudo, não deixe de comer TODAS as “patisseries” que você ver na vitrine da padaria, pelo menos foi isso que eu fiz quando cheguei aqui, meu namorido enlouqueceu pensando que fosse virar uma bola, daí parei, mas também já tive as fases de comer só croissant, ou só pain au chocolat, e agora estou numa fase brioche,rs…!
      Bom aí vai minha dica: coma tudo que te oferecerem, prove todos os vinhos possíveis, viaje muito e faça muuuitos amigos!!
      Fiquei feliz em te acolher e seja bem-vinda ao Brasileiras pelo Mundo!
      bisous

  2. Fuçando na internet achei seu blog!e esse artigo é fiquei muito fez por você. Sou formada em design de moda. E vou morar na França no meio do ano…filhos e marido. Tenho tantas dúvidas com relação a carreira pois aqui tenho emprego legal ganho bem e tudo mais. Quero muito fazer uma pôs ou master como se diz ai. Na minha área de moda.queria saber se vc trabalha na área se foi fácil. Obrigada!

    • Oi Karine tudo bem?
      Aqui a pós-graduação é chamada de “postgraduate” mesmo. A maioria dos cursos universitários é de 5 anos onde os dois primeiros são de “Licence”e os outros três, que são um aprofundamento do curso, é chamado de “Master”(master 1, master 2 e master 3).
      NEm relação ao trabalho, não posso mentir, o país está em crise e embora o presidente tente contornar a situação os índices de desemprego não melhoram. Cada dia mais e mais jovens se formam e sem perspectivas de trabalho, e finalmente nós, estrangeiras com diplomas estrangeiros, estamos na última lista de prioridades para os empregadores que por sua maioria oferece muitos estágios e nada mais. Se você não tiver o famosos Q.I. (Quem Indica) assim como no Brasil, aqui não é fácil encontrar trabalho.
      Já que você vem de mala e cuia te aconselho que ou você ou seu marido tenham um trabalho já em vista, ou um bom dinheiro guardado para os gastos: moradia, comida, transporte, estudos, material etc…
      Em seguida acho que pode ser interessante vir com toda a família e ficar 90 dias (pois assim apenas o visto de turista basta) e assim já sondar o custo de vida, ver se onde se alojar, onde estudar e finalmente se convêm ou não à todos da família!
      Espero ter ajudado,
      à bientôt!

      • Oi Ana
        Atualmente moro em Curitiba e estou com planos de ir morar na França em Agosto/2015. Sou formado em Adm. e tenho 14 anos de experiência em RH. Sei que não vou conseguir trabalhar na minha área na França, mas almejo fazer uma pós assim que tiver tranquilo em relação a moradia e trabalho.
        Falando em trabalho, penso em encarar o pesado ou a oportunidade que aparecer, nada de administrativo até ter uma base solida da língua e da cultura.
        Tenho parentes que moram em Nantes e eles tende a me arrumar uma colocação de trabalho antes da minha partida para a França. Pretendo ir sozinho e após alguns meses, após estar trabalhando e conseguir os (Q,is) para indicar um emprego para a minha esposa, pretendo leva-la junto com minhas 2 filhas pequenas (4 e 2 anos).
        Te pergunto, em relação a viver na França, eu e minha família terá uma qualidade de vida melhor que no Brasil? Conseguiremos dar uma boa educação para as crianças? Os 2 trabalhando e economizando durante 7 anos, dá para levantar um capital bacana para retornar ao Brasil e montar um negócio próprio? Em relação a saúde, conseguiremos atendimento com facilidade? Teremos segurança ao ponto de não ter medo de levar um tiro em assaltos? Como você vê a questão da violência urbana e a polícia? Brasileiro é bem visto na França?

        • Oi Jean, tudo bem?
          Tudo tem seus prós e contras né, e viver em outro país não é diferente.Vocês devem sobretudo estar abertos.
          Olha só tudo é relativo, eu não posso te dizer se suas economias serão suficientes para daqui 7 anos, eu não sei prever a situacão econômica e política nem tampouco a inflação no Brasil daqui 7anos.Ninguém vai poder te assegurar que as suas decisões sejam as boas. Agora o que eu posso te dizer é que se vocês se sentem seguros de vir , que venham , pois não tomar riscos é o maior risco que uma pessoa pode tomar!
          Eu posso te dizer que nós brasileiros temos outros parâmetros de comparação que os franceses e em relação a isto posso te diezr que a qualidade de ensino , de vida e de saúde públicos, são muito mais elevados que o nosso.
          Em relação à saúde, não apenas vocês terão acesso , como a saúde pública é obrigatória para todos. Em relacão a segurança eu me sinto muito mais livre de escutar um ipod na rua que em São Paulo, onde vivi porém fui assaltada diversas vezes.
          O brasileiro aqui é bem visto de maneira geral, ainda mais que somos um povo que tenta se integrar realmente à França, pois há muitas outras culturas que vivem fechadas nelas próprias, em que mesmo as pessoas não sabem falar francês,etc.
          Jean, creio que você é um homem corajoso e que deve seguir seus instintos, e se as coisas não forem como vocês gostariam, ao menos vocês terão a certeza de ter tentado!
          Boa sorte na sua nova empreitada e aqui te envio 2 links muito importantes: o do consulado brasileiro na França http://cgparis.itamaraty.gov.br/fr/Main.xml e o do serviço público francês: http://www.service-public.fr.

          à bientôt!

  3. Olá boa noite, gostava de emigrar para nice, contudo tenho alguns receios em relação a segurança, e aos preços e a escolas para crianças, o que acha?

  4. Ola, acabei de encontrar esse site por curiosidade, quero saber como os brasileiros que acabaram de chegar ou quem tem vontade de chegar para a França vêem esse pais.
    Pessoalmente cheguei aqui com a idade de 7 anos, e sempre tive vontade de voltar. Agora tenho 30 anos, tenho a dupla-nacionalidade e acabei por ser un verdadero frances. Alem disso, nunca consegui me afastar da cultura brasileira, tenho uma saudade loca, nao posso mais ver algo sobre o Brasil sem ter vontade de chorrar. Entao, no meu caso é de saber se voltar ao Brasil seria uma boa ideia ou nao ? Imagino que o Brasil das minhas lembranças ja nao existe mais. Mas a cada vez que estou la mesmo por ferias e depois da oportunidade de un ano em 2000 de ter morado la, essa ideia nunca se foi. Me sinto bem, como uma sensaçao de estar la onde tenho que estar.
    Somente, tudo isso é fantasmagorico.

    Estou perdido, nao sei se devo voltar ou nao, estudei aqui na frança e obtive uma licence e nem tneho certeza que posso utilisar-la no Brasil.

    Se alguem tem uma dica ou um comentario deixem um recado.

    Merci

    • Bom dia, René, como vai? Eu faço coro ao que o Jean disse. O Brasil das suas lembranças não existe mais. Hoje, o Brasil enfrenta uma terrível crise financeira, política e social. Como consequência direta e colateral desta crise composta, o Brasil passa por uma crise humana, onde os valores que deveriam guiar a sociedade brasileira, a saber, o respeito pelo próximo, a honestidade, a retidão de caráter, a aceitação das diferenças, estão, já em estado avançado, sendo substituídos por ignorância, fanatismo, extremismo (principalmente religioso, evangélico), desrespeito generalizado pelas leis e pela vida humana, conduzindo a uma sociedade mais e mais violenta. Eu sei que há coisas no Brasil que são encantadoras, como a alegria do brasileiros, o acolhimento, as festas, a simplicidade e aquela beleza física (tanto para mulher quanto para homens) oriunda de tanta miscigenação. Ainda assim, pesados na balança os prós e os contras, o Brasil tem muito pouco a te oferecer para que isto justifique a saída da França para morar lá. O Brasil é lindo de se visitar – sempre foi – mas está longe de ser um bom país para morar. Como o Jean mesmo disse, você sai de casa para trabalhar ou estudar SEM A GARANTIA de que voltará vivo. Por viver na França atualmente, sei que a mesma possui problemas, mas, acredite: o desemprego, os embates políticos e a questão da imigração não chegam nem perto dos problemas do brasileiro. Problemas estes que, diferentemente do que ocorre na França, afetam diária e diretamente a vida do brasileiro comum.

      Bonjour, René, comment ça va? Moi, j’ajoute ma voix à celle de Jean. Le Brésil dont vous vous souvenez n’existe plus. Désromais, le Brésil faire face à une forte crise financière, politique et sociale. Comme un dommage direct et colláteral de cette crise composée, Brésil suffrit une crise humaine, dont les valeurs qui devraient donner les directions à la société brésilienne, c’est-à-dire, le respect mutuel, l’honnêtité, le bon caractèr, la convivance avec les différences, sont en train de, rapidement, être remplacées pour l’stupidité, le fanatisme, l’extremisme (surtout le religieux, néo-protestant), la manque générale de respect pour les lois et la vie d’être humain, aboutissant vers une société de plus en plus violente. Je sais qu’il y a des choses ensorçelantes en Brésil, par example, la joie des brésiliens, leur façon de acueillir l’étranger, les fêtes, leur simplicité et leur beauté physique étourdissante (aussi les femmes que les hommes) originée de la métissage qui a eu lieu jadis. Néanmoins, en pesant le pour et le contre, le Brésil n’a pas beaucoup de bonnes opportunités à vous offrir pour que soit justifié le départ de la France vers là-bas. Brésil et, en effet, un très beau pays pour rendre la visite – en fait, il en a été depuis toujours – mais il n’est pas du tout un bon pays pour s’établir. C’est comme Jean vous a dit: nous allos travailler ou étudier SANS SAVOIR si nous allions rentrer encore vivants ou si nous serions tués en-dehors, avant de la tombe de la nuit. En habitant en France en ce moment-ci, je sais que la France possède ses propres problèmes aussi, mais, faites confiance en moi: le chomâge, les affrontements politiques et la question de l’imigration sont trop loins d’être si graves commes les soucis des brésiliens, celles que, diférenment de ce qu’arrive en France, sont des soucis qu’influencent directement la vie au jour le jour de le brésilien commun.

  5. Jean, bonjour.

    Li o blog (aliás muito bom) e, ao final, sua colocação.
    Estamos nos preparando para nos mudar para a França no ano que vem.
    É evidente que cada pessoa tem suas próprias experiências e expectativas, mas hoje o Brasil não atende mais às nossas expectativas. Sou advogado, tenho escritório com clientes e ainda sou produtor de mel. No entanto, acreditamos que a relativa tranquilidade financeira não é a questão mais importante para a família a ser considerada. Vivemos uma situação política e econômica desastrosa. Parece-nos hoje que o Brasil vive um estado de anarquia. A corrupção está descontrolada, a polícia e o Judiciário não funcionam, o Legislativo é corrupto, existe uma constante ameaça à democracia por regimes tirânicos (ditatoriais) da América Latina. A educação está em forte declínio, especialmente as universidades públicas, que antes tinham alto conceito no ranking internacional.
    O que mais motivou nossa, decisão, no entanto, é a violência generalizada e totalmente sem controle. Todos os dias assistimos amigos e parentes serem assaltados no trânsito, saindo das escolas, entrando em garagens da sua casa, e, grande parte das vezes, resultando na morte das vítimas.
    Tem acontecido cenas dignas de filmes do velho oeste americano. Em várias cidades pequenas do Estado de São Paulo e Minas Gerais, tem acontecido assaltos em que a quadrilha chega à cidade em grupos de quatro a cinco carros, todos fortemente armados, rendem (imobilizam) a polícia local, destroem caixas eletrônicos de bancos e vão embora da cidade impunemente. A polícia não consegue fazer nada, por falta de contingente (número de policiais) e pela superioridade do armamento dos bandidos (AR15, UZI, Fuzis, e outros mais fortes, até mesmo bazucas).
    Sempre fui um apaixonado pelo Brasil, tanto quanto pela França. O Brasil é uma terra abençoada pela sua natureza. É rico em água, solos férteis, clima excelente, amplo território, inúmeros recursos hídricos e minerais e uma natureza exuberante.
    Mas, infelizmente, diariamente corre-se o risco de sair para trabalhar ou para estudar e não voltar para casa. Tenho filhos adolescentes e não tenho coragem de deixá-los ir sozinhos até a escola.
    Moro em uma chácara no interior, próximo a São Paulo. Quando viajo, não consigo dormir por causa da preocupação com minha esposa e filhos sozinhos em casa, apesar de possuir cinco cachorros e a casa totalmente cercada.
    Quanto à validação dos diplomas de cursos de graduação, o grau de aceitação e burocracia varia de acordo com o ramo de trabalho. Tenho um conhecido, que é engenheiro português, formado pela Universidade do Porto, com doutorado, que conseguiu obter o reconhecimento de seu diploma pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Não foi tão difícil, pelo fato dos documentos já estarem em português, apesar da necessidade da chancela do Consulado. A grande dificuldade para ele está sendo conseguir licença para exercer a engenharia, pois o órgão de classe CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) tem dificultado um pouco.
    Mas, de um modo geral, embora nem sempre seja fácil, é possível validar seu diploma no Brasil.
    Espero ter ajudado.
    Como diríamos no Brasil, um abraço.
    René

  6. Superb, vous n’avez dit que de la vérité! A França é sensacional, eu estou apaixonado por este país maravilhoso – com os seus problemas, claro, mas, ainda assim, extremamente superior ao Brasil “dans un tás d’aspects”. Apesar da gastronomia francesa não ser lá aquiiiiiilo tudo que EU esperava, todo o resto eu concordei – a Securité Sociale bota o SUS e praticamente todos os planos de saúde privados do Brasil no chinelo, respiramos história nas ruas das cidades francesas, reciclagem é consciência de todo cidadão – até do estrangeiro que fica aqui um tempo superior aos 3 meses de turista -, os vinhos da Alsácia (onde moro) são espetaculares… e o idioma… aaaah, o idioma francês! Já é minha segunda língua! 🙂
    Única coisa “un peu deçevante” aqui foi a falta de oportunidades de emprego pra estrangeiro. Meu Deus, como eu me cansei de procurar estágio, alternância, emprego e até subemprego (leia-se: McDonald’s) e receber “Não” na forma polida de “Nous sommes au regret de ne pas pouvoir donner une suite favorable à votre demande”. Enfim, não existe paraíso na Terra.
    Ainda preciso terminar minha graduação no Brasil, mas tão logo o faça, a França já está na minha mira, novamente. Desta vez, por definitivo.

  7. Oi Ana, acabei de ler seus textos. Obrigada por eles, causaram-me muito boa impressão sobre a França. Estou planejando ir morar na França e as informações foram de grande valia. Abç.

  8. Á algum tempo conheci um homem em Bordeaux e estamos pensando em morar juntos na sua cidade, mas tenho muito medo de não me adaptar, de não conseguir aprender a lingua e vários outros medos. Uma amiga me disse que assim que pessoas como eu chegam à França, podem fazer um curso de francês na prefeitura e também tirar a carteira de habilitação e que para que eu consiga morar com ele eu teria que casar ou ele fazer uma declaração que moramos juntos. Gostaria de saber se essas informações são corretas e o que me diz da ideia de morar em Bordeaux, será que consigo me adaptar???

  9. Olá Ana!!
    Sou brasileira do Sul, separada a 5 anos e não sou mais jovem, mas com coragem e determinação,
    quero ir embora do Brasil, pensei em Portugal ou França.
    Vi seu blog pesquisando no google e te encontrei ao acaso.
    Adorei suas postagens do local e de muita valia. Obrigada querida.
    Gostaria de fazer amigos desses locais, nem sei como começar, talvez por aqui, se assim desejar.
    Mais informações na internet é possível, mas nada comparado com pessoas que já passaram por essa experiência.
    Aguardo seu retorno com muita alegria…Abraço!!
    Adriana Amaral

  10. Olá! Tenho cidadania europeia, meu sonho sempre foi residir na França. Vc sabe se há certa dificuldade em se conseguir empregos “não qualificados” na França?

  11. oi ana tudo bem? meu nome é cayrê
    eu gostaria de conversar com você, tenho muitas duvidas e planos sobre morar na frança mas tenho pouco conhecimento e nenhum conhecido que more. ficarei muito agradecido se responder meu email. aguardo obrigado

    • Cayrê, a Ana parou de colaborar conosco. Temos outras colunistas na França e diversos outros textos com muitos temas a respeito da vida no país. Por que você não dá uma lidinha e depois pergunta o que quer saber no próprio texto referente à sua dúvida?
      As colunistas só respondem dúvidas através dos comentários.
      Boa sorte,
      Equipe BPM

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.