BrasileirasPeloMundo.com
França

Diferenças entre morar em Paris e no interior

Estes dias estive pensando nas semelhanças e diferenças de morar no Brasil e na França, e mais do que isso, entre morar em Paris e numa cidade do interior.

Às vezes estas diferenças são boas, às vezes são dificuldades, e muitas vezes são apenas diferenças.  Paris, por exemplo, é igualzinha à São Paulo no que diz respeito ao trânsito. O “Périphérique” que corresponde à nossa Marginal Pinheiros e/ou Tietê, que dá a volta na cidade, às sete da tarde pára. Ninguém vai ninguém vem. O metrô? Praça da Sé as seis da tarde! Ônibus? Todo mundo de pé e se tem gestante ou idoso, aqui o povo também finge que está dormindo (ok, menos que no Brasil).

Como no Brasil morar no interior não é a mesma coisa que morar na capital, aqui também não é. A primeira coisa é que Paris é uma capital cosmopolita como eu já contei aqui, e nós escutamos todo tipo de idioma por toda a cidade. Assim como São Paulo aqui existem também os bairros árabe,  judeu,  chinês,  português… Mas isso não vale necessariamente para as cidades do interior onde a gente vai encontrar muito menos estrangeiros que nas capitais, onde eles (ou nós) se concentram.

Claro que depende de pessoa, de nível cultural e de educação, mas ser estrangeiro no interior pode para uns, ser exótico mas para outros um incômodo. De maneira geral as pessoas do interior não são tão acostumadas com o que é novo, e para o que é estranho, portanto para o estrangeiro, então são um pouco mais reservadas.

Os estrangeiros do interior são frequentemente turistas, senão eles são “ O chinês”, “O italiano”, “A brasileira”, etc.

Em Reims, como é a cidade do champanhe tem muitas Maisons de Champagne então é muito comum ver grupos de amigos, casais ou mesmo excursões de japoneses, de chineses, de britânicos, de brasileiros entre outros, para fazer o tour destas maisons.

Já em Chantilly que é menor ainda que Reims porém mais próximo de Paris, os turistas estrangeiros vem em busca dos cavalos pois existe um jóquei enorme e muito conhecido onde ocorrem vários prêmios e com muitos famosos que vem assistir, como a Kate Winslet que deu os ares por aqui neste ano!

Mas agora , falando mais sobre estas diferenças que afetam o cotidiano, uma das coisas mais chocantes para mim foi o banco. Segunda-feira dia normal de pagar as contas e fazer as burocracias importantes, né? NÃO. Isso mesmo minha gente, o banco está fechado às segundas-feiras, e para piorar não apenas o banco como as padarias também fecham.

Tudo isso pelo simples fato de abrirem aos finais de semana. Pois é, os bancos no interior fecham às segundas e abrem aos sábados até o meio dia, e as padarias fecham nas segundas pois abrem aos domingos. Mas eu não terminei. Terça-feira, afinal tudo vai estar aberto, e quando você pensa que no horário de almoço você vai correr para pagar as contas ou enviar uma carta importante no correio, outra vez NÃO. Pois eles estão fechados para o almoço e só abrem a partir da uma da tarde. Ah, e claro, o correio daqui também é banco então você pode dar o azar de ir em uma agência que faz apenas os serviços bancários e eles não irão postar a sua carta por nada no mundo, ou seja: problema seu.

Posto 24horas? Não existe, bom, quer dizer, existe um a cada não sei quantos quiilômetros , e tampouco sei se a gasolina vai dar até chegar lá. E mercado 24 horas? Nem pensar. No máximo a vendinha de “O árabe” esteja aberta até as dez da noite, com os produtos essências para viver : massa , tomate e com muita sorte uma baguete. Sapateiro, costureira e todas estes profissionais maravilhosos super-úteis que fazem reviver, aquela bolsa ou aquele sapato que você ama? Aqui é uma fortuna, melhor comprar outro. No interior tem sim hora para comer e os restaurantes tem o serviço do meio dia até umas três no máximo e depois fecha, para reabrir o serviço do jantar, que vai até umas nove da noite. E o jornal de cada dia? Bom, o jornal que eu compro hoje, é datado e com as notícias de amanhã, mas a primeira vez que perguntei ao jornaleiro se ele não tinha o de amanhã ele olhou o outro freguês, e os dois gargalhando me responderam “ Senhora aqui é Province! ”. Os franceses chamam de Province tudo que não é Paris.

Estação em Chantilly com o único quiosque de revistas fechado.
Estação em Chantilly com o único quiosque de revistas fechado.

Viver na França e no interior requer uma certa organização de vida. Em Paris assim como nas capitais pelo mundo, há mais facilidades , mais produtos,  mais lojas abertas em horários diversos. Mas não pensem que em Paris a vida está ganha.

Uma vez precisei pegar um taxi às três da manhã rumo à um bairro mais isolado, pois bem, mesmo pagando o taxista simplesmente não quis me pegar pois chegando neste suposto bairro ele não teria passageiro para pegar na volta, portanto para ele não valia a pena, simples assim.

O taxi em Paris é muito caro, e se eles acharem que não convém , ou mesmo que o trajeto é pequeno, eles não te pegam, ponto final.

Fim da história, tive que pegar um ônibus às 5 da manhã.   Pois é minha gente, vivendo e aprendendo.

Related posts

Bullying na escola primária francesa

Jacira Ferreira Normand

Aqui não Tem Pão Francês

Ana Lozon

Dicas para alugar apartamento em Toulouse

Rafaela Honorato

22 comentários

Sydnei Vasconcelos Setembro 13, 2014 at 12:01 pm

Parabéns pelo texto, muito bom.
Ana, vc poderia falar um pouco sobre como são os franceses? Eu nunca fui à França então tenho aquela ideia “estereotipada” que franceses não gostam de tomar banho, que eles são esnobes, que eles não gostam de ingleses, enfim. Esses estigmas são reais?
Como seria a sua definiçao para os franceses em geral

Abs,

Sydnei

Resposta
Ana Lozon Setembro 15, 2014 at 9:45 am

Oi Sydnei, muito obrigada!
Ah sua pergunta é muito pertinente, ainda mais porque eu mesma já fiz todas elas!
Mas vou te contar, essa história de não tomarem banho é lenda,JURO! Tem quem me falou que os bem velhinho não tomam, mas felizmente eu nunca cruzei com nenhum velhinho fedido! Por outro lado tem uma coisa muito engraçada aqui é a estrutura das casas. O banheiro com a privada ficam separados do que é chamado de “sala de banho”onde a gente encontra justamente a banheira e a pia para lavar as mãos. Então a gente aqui vai no toalete num lugar e lava as mão e toma banho em outro. Fora os hotéis, todas asa casas aqui sejam mais modernas ou mais velhas são assim.

Esnobes..humm, vamos dizer que estes tipos têm na França assim como temos no Brasil. Uma visão que nós brasileiros temos dos franceses é que eles são todos chiques, esnobes, se vestem incrivelmente bem etc e tal. Mas é uma grande mentira e eles são gente como a gente. Acho que até mesmo ao contrário. Os franceses odeiam ostentar, e acham isso de uma vulgaridade horrível. Eles são simples, mas de forma geral muito cultos. Com eles não tem muita enrolação, por exemplo quando pedimos uma informação, quando eles sabem algo te ajudam, falam e explicam, mas quando não sabem também dizem que não sabem e pronto.

Em relação aos ingleses, existe uma rincha, mas acho que podemos falar que é assim como Brasil e Argentina, que a gente brinca de ser rival mas na verdade não existe ódio. Assim como a gente diz “ai os argentinos” eles fazem o mesmo com os ingleses, zoam dos ingleses, fazem piadinhas e tal, mas eu realmente acho que seja apenas brincadeira. Quer dizer, quando não se fala em política, porque daí a coisa fica um pouco mais séria, mas ainda assim respeitosa.
Também se diz que os franceses odeiam que fale inglês com eles. Tenho uma amiga francesa que me confessou que não é bem que eles não gostam, mas na realidade é que eles (de maneira geral) não sabem falar. Então assim, quando eu cheguei aqui só falava com meus amigos franceses em inglês e eles foram muito receptivos, outros que não sabiam falar ficavam na verdade um pouco constrangidos.Vou te dar outro exemplo, uns amigos argentinos vieram aqui e perguntavam em inglês para os franceses se eles sabiam falar espanhol, daí abriam um sorriso e esboçavam um espanhol, entendeu? Isso porque na escola muitos optam pelo espanhol e não pelo inglês.
Entendeu? então pode preparar suas malas para a França, pois eles são cheirosos e muito curiosos das outras culturas!
Até breve!!

Resposta
Sydnei Vasconcelos Setembro 18, 2014 at 8:26 pm

Hahaha Ana, vou sim viu! Quero muito conhecer a França, acho a cultura francesa em geral muito sofisticada e tenho certeza que vou gostar muito dos franceses.
Eu atualmente moro na Escócia e numa cidade de interior! Então eu entendo perfeitamente todos esses percalços! rsrsrsr
A Escócia é um país lindo Ana, muito exuberante, muitos cenários lindíssimos, muito verde, vales, montanhas, muita arquitetura medieval, castelos, enfim. Vc deveria vir conhecer.
Uma coisa que também percebi aqui é que os britânicos falam muito bem do Brasil e acham que é o paraíso (porque tem sol, calor e praias o ano todo). Britânicos em geral RECLAMAM demaaaaaais do tempo, eles detestam chuva e frio com todas as forças! rsrsrsr Os franceses são assim tambem? Resmungoes por causa do climaa?

Bjus

Resposta
Ana Lozon Setembro 22, 2014 at 7:15 pm

Poxa, eu não conheço a Escócia ainda, mas ela está na minha “wishlist”. A idéia que eu tenho daí, na minha cabeça, é exatamente esta de muita natureza, muita paisagem verde, paisagens intermináveis…aii adoroooro!

Ihh Sydnei, vou te falar que os franceses tem a fama de ser “raleurs”, ou seja: resmungões. Eles reclamam porque está frio demais, porque está quente demais, porque tem vento demais, umidade de menos, reclamam de tudo o tempo todo, mas na verdade acho que são apenas um tipo de um velho rabugento sabe. E eles também sempre pensam no Brasil associado ao sol, e quando eu falo que teve 18 graus em São Paulo eles morrem de rir..é são outros parâmetros mesmo!
Bisous

Resposta
Nathalia Lima Abril 10, 2016 at 2:47 pm

Olá, Ana ! Tudo bem ? Menina, estou lendo os comentários e li o seu texto… Estou indo para Picardie em agosto ! Eu ! Nathalia, que sempre morei em São Paulo e trabalhei na Paulista/Centro rsrsrs. Espero que eu acostume… Porque estou indo para colocar a cara nos estudos, na língua e cultura francesa. Torça por mim ! Quem sabe não nos encontramos por ai rsrs … Fazer aquele churrasco que só tem no Brasil kkkkkkkkkkk. Bjss

Resposta
Cristiane Leme Abril 10, 2016 at 8:57 pm

Nathalia, a Ana parou de colaborar com o blogue.
Edição BPM

Resposta
Erica Setembro 13, 2014 at 7:39 pm

Ana, excelente post! Fim de semana passado Yann e Eu, saímos de casa as 15h40 para almoçarmos hahahahahahah Serviço fechado, abertura as 18h30. Realmente me senti no seu texto, aqui em Laon, durante a semana tudo fecha entre 12h e 14h, mercados as 19h30 so o carrefour fica aberto ate as 21h para salvar nossas vidas! Como em todo lugar e toda situação, tem suas vantagens e desvantagens, aqui no “interior” não temos transito, não tem stress, do resto é se acostumar e como vc disse se planejar! Bjss e ate breve!

Resposta
Ana Lozon Setembro 15, 2014 at 9:19 am

Érica obrigada!!
Não estou falando? Tem que se organizar. Fome aqui tem que ter hora, não pode ficar com fome entre 12 e 14hs!!ahhah…
Tá mas eu vou te confessar que depois de bater com a cara na porta fechada do banco e do correio, no mês passado lá fui eu na segunda-feira a primeira da fila no correio mas… “já são 11:05hs , porque eles não abrem?” pensei comigo mesma. DÃA, mas hoje é segunda-feira afinal. Dei meia volta e voltei, ah e nem adianta querer comprar uma baguete, porque a padaria também está fechada!
É muito engraçado, a gente está condicionada e a cabeça não muda!!
Bisous!

Resposta
Erica Setembro 15, 2014 at 10:16 am

Pois é Ana, muito bom o texto! O pessoal vai ver que nem tudo é flores por aqui! rs Bisous

Resposta
Joy Matta Setembro 14, 2014 at 2:18 am

A paz do “interior” tem seu preço…. é difícil demais baixar o ritmo de vida, né??!!! Paciência!! E desfrute da calma!!

Resposta
Ana Lozon Setembro 15, 2014 at 9:13 am

É Joy, não é fácil não!!
Brincadeira, é apenas diferente. Tem gente que não pode viver no campo, outras que não suportam as metrópoles, mas na realidade depois de viver a vida toda em Sampa, vou te falar que é muito bom cruzar desconhecidos aqui no interior que te dão “Bom dia” assim, sem mais nem menos.É uma vida mais lenta.
A verdade verdadeira é que é muito bom provas coisas novas, ter experiências novas, é nós do BPM estamos aqui para provar que tudo tem sem lado bom!
Bisous Joy!

Resposta
Cintia Setembro 14, 2014 at 10:31 am

Oi Ana me identifiquei muito com seu texto. Moro em Uma cidade, acho q a ate menor que a sua e no inicio foi complicado….imagina, para quem estava acostumada com Sp, com muitos servicos 24 hs e de repente verificar q todo o comercio fecha as segundas e domimgos, menos os supermercados, mesmo assim o horario Maximo e ate as21 hs e so umas duas vezes na semana. Taxi, so mesmo ligando , pois nao tem ponto…….correio e no super , agencia bancaria so Uma,,,,e assim vai. Mas como vc disse, vivendo e aprendendo. Bjks.

Resposta
Ana Lozon Setembro 15, 2014 at 9:09 am

Oi Cintia,que legal que você se identificou!
Significa que eu não falei bobagem!rs…
Tudo isso é realmente uma realidade nova que nós brasileiras não conhecíamos, acho que estávamos mimadas a ter tudo o tempo todo.Mas por outro lado nos ensina a disciplina e a sermos amigas do relógio: pontuais!
Bisous.

Resposta
fabiana mesquita Setembro 15, 2014 at 11:40 am

Não consigo simpatizar com Paris, mas fiquei com vontade de conhecer a provincial francesa, que me parece muito charmosa e calma. Falta de serviços a gente acostuma, às vezes é bom perder o senso de urgência que nos norteia 🙂

Resposta
Ana Lozon Setembro 16, 2014 at 4:50 pm

Oi Fabiana , tudo bem?
Sabe que antes eu também tinha um pé atrás com esses franceses, afinal, são tantos os preconceitos que a gente tem deles tadinhos,rs… mas quando a gente passa a conhecer e a viver aqui entre eles, daí a gente vê que são pessoas muito legais, mas tímidos, o que sempre pode ser confundido com arrogância!
Mas você tem razão perder o senso de urgência é muito bom, e dá mais tempo para nós mesmos.Uma das coisas (mesmo na turbulenta Paris) é que aqui existe um tipo de vida mais bucólica. As pessoas sentam no parque para comer tranquilamente seus sanduíches, ou no final do dia, inúmeras pessoas fazem um happy-hour-pique-nique com os amigos à beira do rio Sena, e por aí vai…
Então se você pensa em vir para cá eu tenho três coisas a te dizer: VENHA, não demore e coma um bom crepe!
Até logo!

Resposta
ackolb Setembro 19, 2014 at 10:20 pm

Ana Lozon, amei seu texto e me senti em um filme francês! Sou sua fa, adoro seu jeito super pessoal e autentico de escrever! As descriçoes e balanceamento das coisas! Parabens! 🙂 Eu moro também numa cidade pequena aqui na Suiça, que é super cosmopolita, e adoro esta vida mais calms, acho um luxo, e voce sempre pode passar um fim de semana, de vez em quando em Paris, pra matar saudades das noites boemias e cultura cosmopolita! Namasté linda!

Resposta
Ana Lozon Setembro 22, 2014 at 6:58 pm

Ahhh Ana Cristina você é sempre muito linda!!!Obrigada!
Pois é vou te confessar que depois de sempre viver em Sampa, estar nesta calmaria, as pessoas que te dizem “Bonjour”na rua, e estes pequenos prazeres, calma, respeito e paz, são realmente um luxo mesmo chará!
Gostei da sua dica, vou pensar mais seriamente em de passar um final de semana em Paris pra agitar um pouco !!
Bisous!!

Resposta
leticia Março 21, 2015 at 9:51 pm

Olá Ana, muito bacana o seu post !
Estou pensando em ir fazer um Master na França, também estudei moda e quero fazer um master na área de fotografia, em Paris.
Minha dúvida é, você vê alguma diferença dos parisienses( famosos por serem beeeem fechados) com o pessoal das cidades menores, como Marseille?
Estou na dúvida, porque muitas pessoas me falaram que é tão dificil viver em Paris por conta do pessoal… e imagina, eu uma mineiríssima ! hahaha
Obrigada !!!
Bisou !

Resposta
Ana Lozon Abril 6, 2015 at 10:14 am

Oi Leticia tudo bem??
Ahhh, vou te falar a verdade, isso é mito! Alias fique bem tranquila pois eu conheço muitos mineiro que moram em Paris e A-DO-RAM!
Então venha com tranquilidade, seja qual for a cidade você será bem recebida, ainda mais porque de maneira geral eles adoram os brasileiros!!

ã bientôt!

Resposta
hele Outubro 17, 2015 at 3:00 am

Oi Ana
Quanto á legumes e frutas ai?
Encontro com facilidade ou nao?

Resposta
Cristiane Leme Outubro 17, 2015 at 11:02 am

A Ana deixou a colaboração do blog. É possível encontrar frutas e legumes variados na França, tanto em supermercados quanto em feiras livres.
Edição BPM

Resposta
Alessandra Abril 14, 2016 at 6:52 pm

Olá tudo bem? Estamos de mudança para a França com meu filho e marido. Eu e meu filho temos cidadania portuguesa e meu marido nao( ele é brasileiro) como faço paralela à residência dele? Eu tenho uma renda por mês de locações aqui que quero declarar e já pagar meus impostos para garantir o direito do meu marido á residência uma vez que somos ativos etc.. Sabe me dizer sobre isso? Ele não vai arrumar emprego tão rápido por que não fala Francês e se arrumar vai ser sub emprego claro! Temos algum prazo para algo? Como
Funciona ? Beijos e super obrigada

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação