BrasileirasPeloMundo.com
França

Dicas para estudar francês em Toulouse

Dicas para estudar francês em Toulouse.

No post deste mês, contarei um pouco sobre o curso de francês que fiz entre os meses de agosto e setembro deste ano. Estava com vontade de estudar desde que cheguei por aqui, mas não conciliava as datas do curso básico (que sempre aconteciam no início do mês), com meus retornos de viagens que faço a trabalho. Nos meses de julho, agosto e setembro pude realizar muitas mudanças, boas e ruins, e eis que consegui concluir uma fase do curso de francês que ainda tenho planos de continuar.

Escolhendo escolas

Bom, primeiro vou falar das questões práticas principalmente para quem pensa em fazer um intercâmbio. A diferença de preço era muito pequena entre a Alliance Française (AF) e o Institute Catholic Toulouse (ICT) que também tem um excelente curso, por isso, o preço não foi muito importante na minha tomada de decisão, mas entendo que para quem está fechando o pacote do Brasil, qualquer economia possível talvez seja levada em consideração.

Comecei a análise pelos ambientes, pensando onde me sentiria melhor. Os dois lugares tinham ambientes um pouco diferentes: O ICT, por ser uma universidade, acaba tendo um ambiente mais sério começando pelo primeiro atendimento, onde te explicam sobre o curso e procedimentos; te entregam um dossiê com todos os detalhes e o formulário que precisa ser preenchido. Você pode obter essas informações por e-mail e através do site que coloquei abaixo. Eles são muito profissionais e organizados.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar na França

A AF, por ser uma escola focada somente no idioma, acaba tendo um ambiente mais descontraído. São tão profissionais quanto o ICT, porém tem um clima mais relaxado, o que me agradou mais. Mas, como disse, depende de cada um e no meu caso, fiquei mais confortável na AF. Outro ponto que para mim contou muito, foi à localização. A AF fica na Praça do Capitole, ponto principal de Toulouse, porém mudará em janeiro/18. Já o ICT, fica a uns 15 minutos de distância da referida praça, no bairro Carmes.

Para vocês terem uma ideia sobre preços, abaixo apresento os valores informados no momento da minha pesquisa:

ICT – €65 matrícula + €575 o curso – de segunda a sexta das 8h30 às 12h15 – com intervalo de 20 minutos.

AF – €50 matrícula + €25 material didático* + €550 o curso – de segunda a sexta das 9h00 às 12h30 também com intervalo de 20 minutos.

* para todo o módulo básico (três meses de curso).

Moradia

Caso você tenha interesse em contratar moradia diretamente com agências, serão dadas algumas opções: casas de família, apartamento individual ou quarto em apartamento estudantil.

Se você estiver vindo por conta própria, pode pesquisar no Airbnb ou Leboncoin que há opções de apartamentos e quartos para pouco tempo de estadia, o que pode sair mais em conta.

Se o curso que você quer fazer tiver a duração de até três meses (90 dias), você não precisará de visto já que esse é o prazo que brasileiros têm de permanência legal na Europa. Algumas escolas pedirão para você tirar o visto principalmente para quem pretende fazer cursos de pelo menos três meses, mas vai depender muito da data da viagem. As escolas pedem isso em situações em que o estudante queira vir uma semana antes e voltar uma semana depois do término do curso e também como precaução para não estourar o prazo dos 90 dias, porém, tudo é questão de explicar direitinho o que precisa e verificar o que eles têm como opção.

Esclareça bem suas dúvidas em relação a isso. Sobre o curso, sei que a AF e o ICT fecham o pacote pelo site e deve ficar mais barato, só que não há a mesma facilidade de parcelamento como temos no Brasil.

Aprendizados

Os aprendizados que tive sobre o curso, foi de poder perceber que mesmo tendo contato com culturas, religiões, pensamentos e crenças diferentes somos iguais de alguma forma, e melhor, que é possível estarmos unidos para um objetivo comum. Nesse caso, era apenas o fato de falarmos um determinado idioma, mas abriu minha mente para o que podemos fazer se realmente quisermos trabalhar juntos.

Diferentes sotaques tentando se aproximar ao máximo da pronúncia do francês (que não é uma das mais fáceis, confesso). A turma era composta por: uma britandesa (britânica/ tailandesa), porto-americana (porto-riquenha/americana), uma coreana (do sul) que viveu 10 anos em Milão, eu (luso-brasileira) e mais duas brasileiras (imaginaram a sala né?), um espanhol, um saudita (que morava em Djibouti – também não conhecia esse país), uma sul-africana, um chinês e uma georgiana da Geórgia – não o estado da Geórgia nos EUA que pensei que fosse.

Foto da turma: estudando e cozinhando – Acervo pessoal

Essa foi a turma nas duas primeiras semanas. Na terceira e quarta semana, saiu o espanhol e entraram: um britânico e mais uma brasileira, nessa hora nosso professor très français (bem francês) esboçou um riso querendo dizer: mais uma que fala demais (brasileiras). Éramos doze na turma e com a chegada da nova aluna, chegamos a treze.

Quis mostrar para vocês como a classe pode ser bem mista nesses cursos de intercâmbio, o que particularmente acho ótimo. Imaginem agora quanta diferença. Me lembro que quando abri algo para comer e ofereci (mania de brasileiro), todo mundo olhou meio desconfiado. Uns aceitaram meio sem saber o que fazer, outros agradeceram e sorriram, mas para minha surpresa, do dia seguinte em diante todos começaram a compartilhar os lanchinhos em sala.

Leia também: custo de vida na França

Tivemos muitos momentos divertidos. Uma das brasileiras apresentou o brigadeiro e beijinho para a turma, recebemos mimos da coreana e do chinês além da americana que levava croissants nas sextas para o nosso café. Foi um modo de compartilharmos um pouco da nossa cultura e costumes. No fim, a turma acabou virando uma grande e engraçada família, incluindo nosso querido professor que achava estranho a forma de nós brasileiros e latinos nos cumprimentarmos.

Se eu fosse descrever cada uma das pessoas maravilhosas que conheci durante os trinta dias que estudei, acho que daria um livro, mas posso dizer que aprendi muito com cada uma delas, pois também vale para perceber que as diferenças são enriquecedoras.

Foi uma lição de vida. Ganhei irmãs de alma que estavam perdidas no mundo, ganhei sorrisos e abraços que ficarão comigo para sempre. Hoje temos um grupo no WhatsApp que espero manter e, quem sabe de vez em quando ainda esbarre com alguns em Toulouse já que alguns ainda estão por aqui.

Cada um estava aqui por alguma razão e nos cruzamos por um mesmo objetivo. Acho que uma das coisas que temos em comum é a coragem, pois não é fácil mesmo para quem esteja somente estudando, deixar a todos que ama para ir em busca de um seu sonho. Para a maioria, não foi só um curso de um mês, foi a chave para abrir portas para o novo e para o que ainda pode ser sonhado.

Sou grata por isso e desejo que quem tenha o mesmo interesse possa ter essa maravilhosa experiência de fazer um intercâmbio, como eu tive. Conselho: esvazie o copo antes de iniciar, será bem mais recompensador e libertador.

Ah, o idioma? Oui, je parle um petit peu francais, mais je compreende mieux… (Sim, falo um pouco de francês, mas entendo melhor).

Related posts

Hambúrgueres vegetarianos em Paris

Rosana Alcântara

Viagem pela costa sudoeste da França

Sabrina de Paula

Preparando minha mudança da França

Stephanie Caires

4 comentários

Maria Risolêta Fevereiro 22, 2018 at 1:24 am

Gostei muito das explicações que você deu em relação ao Intercambio ,foi muito clara e objetiva. Estou pretendendo ir à França no meio do ano, estou me preparando.

Resposta
Monique Março 29, 2018 at 3:46 am

Olá Rafaela, minha sobrinha de 18 anos está interessada num intercâmbio em Toulouse e ideia é fechar td por aqui por conta do custo. Pela idade dela, a preocupação é principalmente com hospedagem, se vale alugar pelo airbnb ou quais são as outras opções. Para a escola, pensamos na AF e conseguimos resolver td via site. Queria uma indicação sua de como podemos seguir nesse caso, consegue ajudar? Obrigada!

Resposta
Fatima Chahin Março 15, 2019 at 11:21 am

Olá Rafaela, estou planejando uma viagem para estudar francês e Toulouse me pareceu uma excelente opção. Por gentileza, voce poderia me indicar um bairro bacana pra eu alugar um imóvel por 3 meses (Airbnb) e estudar pela AF?
Obrigada

Resposta
Liliane Oliveira Março 15, 2019 at 10:47 pm

Olá Fatima,
A Rafaela Honorato, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação