BrasileirasPeloMundo.com
França Transporte de animais pelo mundo

Dicas sobre assessoria de Pet para a França

Quando decidi levar meus gatos, Tyrion e Scott,  para a França comigo, a dúvida seguinte foi contratar ou não uma assessoria.

Depois de ler muito sobre o assunto, eu “mão de vaquei” mesmo e decidi fazer o processo sozinha. É um processo complexo mas possível e, para quem for tentar, eu recomendo montar um cronograma e começar 4 meses antes da viagem. Nesse post detalho o passo a passo sobre.

Eu comecei pela bolsa de transporte, assim o Pet terá tempo de se acostumar e você poderá poupar um bom valor comprando online, mas atenção, cada companhia aérea possui um padrão de bolsa. Nós não tínhamos muitas opções, pois a Air France era a única com voo direto e que aceitava levar os dois gatos na cabine. Conexões ou despachá-los via porão seria apenas em último caso.

Com as medidas verificadas, comprei a bolsa online pelo mesmo preço de uma básica no Brasil. Foi possível comprar uma bolsa com extensores dos dois lados e, dentro do avião, permitiram que eles ficassem juntos na mesma bolsa e com os extensores abertos.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar na França

Bolsa de Viagem com extensor – arquivo pessoal

A equipe da Air France estava muito preparada para recebê-los, a companhia é totalmente Pet Friendly.

O Processo

Primeiro Passo: fomos à Veterinária para uma consulta e ela nos recomentou a Provet para a Microchipagem. Atenção: é necessário agendar com antecedência.

Segundo Passo: dois dias depois fomos até a Provet e o procedimento de Microchipagem foi bem simples.

Terceiro Passo: um dia depois, voltamos para aplicação da vacina anti rábica.

Pausa no processo esperar 30 dias e então fazer a Sorologia, até aqui, idas e vindas, mas nenhum imprevisto. Procurei na internet clínicas que faziam a Sorologia e apesar de poucas autorizadas, encontrei uma pertinho da minha casa.

Leia também: Como levar seu pet para a Escócia

Quarto Passo: no dia da coleta de sangue os gatos precisam estar em jejum, o que já causa uma agitação. Os meus são muito bonzinhos e mesmo assim, eles ficaram agitados tentando comer todas as plantas da casa e, quando cheguei na clínica eles já estavam com fome e como qualquer gato, não muito felizes em sair de casa. A coleta do Scott foi tranquila mas o Tyrion estava estressado e o veterinário não estava conseguindo pegar a veia dele, então tivemos que sedá-lo. Embora o procedimento seja chato, o veterinário nos passou bastante segurança.

O problema é que o sangue sofre alteração quando o animal está estressado e dias depois, aconteceu o mais provável e o que menos gostaríamos que acontecesse, ele nos avisou que deveríamos voltar para uma nova coleta do Tyrion, pois o sangue estava alterado.

Nova Coleta: jejum novamente e fomos para a clínica, dessa vez, como o veterinário queria evitar o estresse na tentativa de pegar a veia, ele optou por sedar logo no inicio e assim garantir a qualidade da coleta.

Pausa no processo para cumprir 3 meses da sorologia.

Nesse momento eu já tinha me arrependido de ter economizado na assessoria pois, se tivesse contratado, todas essas saídas para as clínicas seriam feitas pelo veterinário na residência, ou seja, muito menos estresse para os gatos e provavelmente por isso, não precisaríamos sedar o Tyrion para a coleta. Além disso, foram 5 visitas às clínicas e duas sedações e esse custo deve ser considerado quando fazemos as contas para saber se vale a economia.

Com o resultado da sorologia dentro do solicitado, comecei a cotar as passagens.

É importante ligar para as companhias aéreas antes de comprar as passagens, pois nem todas as aeronaves permitem animais na cabine, além disso existe um limite por cabine de dois animais, então é muito importante checar antes de emitir a passagem para evitar remarcações e taxas.

Dica: quando você liga para a companhia aérea, eles dizem que para agendar a sua passagem e do seu Pet por telefone, e ao mesmo momento, será cobrada uma taxa que, no meu caso, eram 80 dólares por passagem porém, em quase todas as companhias é possível reservar a passagem por um período e depois efetivar o pagamento.

Leia também: Como levar meu pet para o Panamá

Na Air France, por exemplo, esse serviço se chama “Pague para pensar”. Você reserva a passagem, paga uma taxa muito mais baixa e eles garantem essa passagem por um período e em seguida,  você pode ligar para a companhia aérea e checar o voo disponível para você e seu Pet com o melhor preço. A partir daí, entra no site novamente e reserva a passagem, volte a ligar para a companhia e peça a reserva do Pet, confirmada a reserva, você efetua o pagamento e assim, você garante que seu Pet irá no mesmo voo que você.

Faltava então o CVI (certificado veterinário internacional) e o atestado de saúde.

O problema começa com os prazos, pois você precisa emitir o CVI no máximo 10 dias antes da viagem e, se emitir com 15 dias, ele não será válido, o que deixa uma margem muito pequena. Liguei no Vigiagro  e é preciso persistência e muitas tentativas, mas eles atendem. Quando consegui, eles me informaram que nos dias que eu precisava, eles não tinham horário e que eu deveria mudar a minha passagem ou buscar um Vigiagro em outro local. Comecei então a ligar nos locais próximos a São Paulo e consegui para as datas que eu precisava em dois locais porém, eu precisaria fazer duas viagens, uma para solicitar e outra para buscar, pois esses locais não emitem o certificado veterinário na hora.

Pronto, a economia com a assessoria já tinha virado prejuízo e como eu não tinha tempo para essas viagens por causa do trabalho, liguei para a assessoria Pet Export e expliquei o que estava acontecendo. Eles me enviaram o orçamento para fazer essa emissão fora de São Paulo e como era um valor bem justo considerando a viagem, fechei o serviço e eles vieram buscar e entregar os documentos na residência.

Um dia depois de me entregarem o CVI dos dois gatos, eu já tinha conferido todos os dados mil vezes e estava no meio da bagunça da mudança, quando a assessora da Pet Export me ligou e disse que uma letra do meu nome estava errada e que ela achava melhor corrigir para evitar qualquer problema na hora do embarque. A assessoria já tinha ligado para o Vigiagro e solicitado a correção com urgência, que foi feito no dia seguinte. Sorte, porque se ela não tivesse me avisado, eu não teria visto.

O Veterinário responsável me deu a dica do Calmisyn para dar uns dias antes e deixar os gatos mais tranquilos e foi excelente.

Leia também: Preparando minha mudança para a França

Bom, se arrependimento matasse…

Alguns serviços são muito específicos e vale a pena contratar um profissional experiente para dar suporte e evitar qualquer imprevisto pois, sem dúvida, os imprevistos nesse caso custariam muito mais.

Depois dessa experiência eu não achei que a economia valesse a pena e no final, acabei gastando mais e correndo mais riscos do que se tivesse a contratado desde o início.

Recomendo que tente colocar a assessoria no custo da viagem e assim fará tudo com tranqüilidade, mas se realmente esse valor for alto para você, muita atenção, pesquise, tenha paciência e disciplina que é possível.

Eu não tenho nenhuma parceria ou ganhos financeiros para divulgar a Pet Export, mas recomendo fortemente pois eles fizeram um trabalho impecável e mesmo sendo contratados em cima da hora, garantiram o embarque do Tyrion e do Scott.

Related posts

Beleza e cuidados femininos em Toulouse

Rafaela Honorato

Coisas que nem todo turista sabe quando vem a Paris

Rosana Alcântara

Preparando minha mudança da França

Stephanie Caires

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação