BrasileirasPeloMundo.com
Dinamarca

Como fazer amigos na Dinamarca

Vou falar a verdade: fazer amigos na Dinamarca é difícil.

Devido à cultura individualista do cada-um-por-si, os dinamarqueses são mais reservados que os brasileiros quando o assunto é se enturmar e fazer amizades. Apesar de o inglês ser falado por muitos dinamarqueses (quase todos), se você não fala dinamarquês com certa desenvoltura, as suas chances de fazer amigos dinamarqueses imediatamente na Dinamarca serão reduzidas. Porém, uma coisa é boa: uma vez que algum dinamarquês chama alguém de amigo, é amizade de verdade, pro que der e vier.

Antes de eu vir morar aqui, vim a passeio no verão. Eu e meu marido (na época, namorado) estávamos numa discoteca na cidade onde hoje moramos. Uma colega do trabalho dele também estava lá, e quando ela nos viu, veio falar com ele. Ele me apresentou e ela perguntou em dinamarquês se eu falava a lingua. Quando respondi que não, ela simplesmente me ignorou e continuou falando com ele em dinamarquês. Eu achei uma falta de respeito e consideração, e só agora entendo o peso que tem a cultura e o idioma local para os dinamarqueses.

Sendo um país pequeno, é natural que se queira preservar as tradições e cultura locais, incluindo o idioma. Em cidades maiores como Copenhague, Aarhus e Aalborg há uma concentração maior de estrangeiros, portanto falar inglês nessas cidades é mais aceito que em cidades pequenas, como Holstebro (onde moro).  Mas então, como fazer para ter amigos sendo um recém-chegado, e/ou morando em cidades pequenas?

Antes de vir para a Dinamarca eu tinha uma preocupação muito grande em como resolver essa questão. Sendo eu uma pessoa ativa e independente, acostumada com a loucura de São Paulo e principalmente com a vida cultural e noturna da Pauliceia, comecei a procurar na internet grupos internacionais em Holstebro. Eu não queria ficar dependendo do meu marido para fazer amigos, e também queria ter os meus próprios amigos. Li tudo o que consegui ler sobre a cidade, sobre o país, sobre a cultura local. Para minha sorte encontrei no Facebook um grupo chamado Holstebro International, e que chamou minha atenção.  O grupo na época estava um pouco ‘parado’, por assim dizer, e na verdade somente se tornou um grupo oficial (associação, reconhecida pelo governo) em fevereiro desse ano.

Fazer parte do HI me ajudou a fazer amigos e a me sentir menos sozinha – porque aqui, quando o inverno chega, o frio é intenso e a solidão pode bater bem forte…

Minhas dicas para quem acabou de chegar pra morar na Dinamarca:

• Aprenda a língua o mais rápido possível. Eu me matriculei num curso de dinamarquês na primeira semana que cheguei, e comecei a estudar logo na segunda semana. Muita gente que solicita o visto por casamento com uma pessoa dinamarquesa resolve esperar pelo visto de residência temporária, para não ter que pagar pelas aulas. A menos que você absolutamente não possa dispor do valor por mês (as aulas noturnas são mais baratas), eu desaconselho esse procedimento. Estudar dinamarquês vai fazer você se sentir mais independente e mais confiante para as tarefas do dia-a-dia como, por exemplo, ir ao banco, fazer compras ou mesmo falar com o seu vizinho. Normalmente, as pessoas costumam frequentar a Sprogskole quando chegam aqui – assim que sai o visto, o governo paga pelos estudos por até 3 anos.

Cada municipalidade tem o seu próprio Sprogcenter. Há também sites gratuitos e que podem ser usados assim que você souber que virá pra Dinamarca.

Leia sobre motivos para não morar na Dinamarca

• Filie-se a algum grupo social (foreningen), preferencialmente composto por internacionais e dinamarqueses. Existem diversos grupos sociais desenvolvendo vários tipos de atividades. É a forma mais comum de integrar-se à sociedade e fazer novos amigos.

• Mantenha o pensamento positivo face às adversidades. Mudar de país é algo desafiador e requer esforço e paciência para as adaptações, portanto foque nas coisas boas que te levaram para a Dinamarca e esqueça tudo que possa se tornar um bloqueio. A língua é difícil? Encontre palavras que você ache engraçadas; procure semelhanças com o português. Em dinamarquês, grátis é gratis (sem acento, mesma pronúncia – olha que legal!). O clima é frio? Faça uma comida gostosa, veja um filme que você goste. Ou melhor: em vez de deixar o frio te intimidar, saia! Veja o que está acontecendo na sua cidade; busque atividades culturais, passeios turísticos, ou simplesmente sente num bar e observe o ambiente – ou quem sabe, tente puxar conversa com um estranho. Os dinamarqueses costumam ser sociáveis em ambientes onde se consome álcool, portanto aproveite! Procure ver o lado bom de tudo, facilita bastante!

Related posts

O segredo da felicidade dinamarquesa: Parte I

Camila Vicenci Witt

Visto para morar na Dinamarca

Cristiane Leme

Validação de diploma de Enfermagem na Dinamarca

Laila Hansen

42 comentários

Christine Marote Setembro 20, 2013 at 2:20 am

Muito bom seu texto Cris. E realmente a lingua é a primeira barreira que precisamos superar para interagir com a cultura local. Beijo.

Resposta
Cristiane Leme Setembro 22, 2013 at 9:57 am

Oi Chris, obrigada pelo comentário. Realmente, é muito estranho não poder se comunicar direito com as pessoas. O aprendizado da língua abre portas sociais, culturais e mesmo econômicas! E aproveitando, uma perguntinha: foi muito difícil pra vc aprender chinês? Eu tentei quando estava no Brasil, mas desanimei porque estava sempre cansada por causa do trabalho. Eu gostaria muito de aprender uma língua asiática (por prazer pessoal, mesmo). Me dá umas dicas? Beijos

Resposta
Apolinário Cunha Setembro 24, 2015 at 1:00 am

Boa noite, Cristiane Leme, achei bem oportunas suas observações sobre a Dinamarca, estou aprendendo a me fascinar pelo país, apesar de suas colocações (rsrsrs). Porém, é por causa do filósofo Soren Kierkegaard, minha monografia de conclusão do curso de filosofia foi sobre o mesmo. No futuro, tomara que não seja muito demorado, gostaria de conhecer a filosofia dinamarquesa. Diga-me agora as coisas boas do pais.

Att,
Apolinário Cunha

Resposta
Cristiane Leme Setembro 24, 2015 at 10:35 am

Apolinário, obrigada por comentar. Eu escrevo sobre diversos aspectos da Dinamarca. Sugiro que leia mais textos meus para tirar essa má impressão que aparentemente ficou. Procuro dar um panorama completo da Dinamarca e falo obviamente do que incomoda, mas também falo do que é bom e bacana no país. Acredito ser importante a gente conhecer o lado mais bonito e o lado menos bonito, vamos dizer assim, porque todo país tem seus predicados e suas falhas e é muito importante enxergarmos com olhos holísticos em vez de dourar tudo com açúcar para fazer uma ilusão doce, como é costumeiro do ser humano.
Na verdade, acho bem chato quando a pessoa lê apenas um texto de um determinado autor e acaba julgando toda a obra por aquele texto, então quero lhe propor ampliar seus conhecimentos lendo mais textos meus. Leia, por exemplo, meu texto sobre hygge: http://www.brasileiraspelomundo.com/hygge-um-estilo-de-vida-53131479
Há também esse texto onde falo sobre 10 razões para morar na Dinamarca: http://www.brasileiraspelomundo.com/especial-dez-razoes-para-morar-na-dinamarca-12118101
Recomendo igualmente a leitura do meu texto sobre dinamarqueses e o amor: http://www.brasileiraspelomundo.com/dinamarca-dinamarqueses-e-o-amor-23114158
Após ler esses textos – e quem sabe, outros textos meus no BPM – talvez você se dê conta de quão ampla é a abordagem que faço sobre o país.
Tenha um lindo dia!

Resposta
Ju Setembro 24, 2013 at 4:48 pm

Cris muito interessante o seu texto. Tenho um amigo dinamarques que se enquandra exatamente dentro da sua descrição, porém com mora fora do pais há muito tempo, acabou se acostumando com o ingles, mas ele escolhe a dedo os seus amigos. Acho muito importante esta preservação da cultura, idioma e tudo mais.. acho que no fim esta é a beleza de se morar longe do seu pais de origem, essta necessidade de se adaptar a uma cultura tão diferente… Parabéns……

Resposta
Cristiane Leme Setembro 28, 2013 at 4:39 pm

Eu acho o máximo a questão da amizade aqui na Dinamarca, Ju. Chamar alguém de ‘amigo’ demora, mas é de verdade – os amigos aqui são para a gente contar com eles nos tempos bons e ruins, a qualquer hora, sem frescura e sem mimimi. Ninguém chama alguém de amigo se não puder ser amigo daquela pessoa no sentido amplo que a amizade requer. No Brasil a minha experiência é que tem muita gente que vai chamando os outros de ‘amigos’ já na primeira vez que conhece a pessoa, e isso dá uma conotação de frivolidade a um laço tão importante, que é a amizade. Nesse sentido, acredito que os dinamarqueses dão o devido valor ao significado da palavra amigo.
Obrigada pelo comentário! Beijos

Resposta
Christine Marote Setembro 25, 2013 at 12:37 pm

Vou escrever um post sobre isso Cris. Mas ainda não falo o mandarim como deveria. Me comunico, mas não sou capaz de conversar. Entendo mais do que falo. Realmente precisa de muita dedicação e aqui em Shanghai… bem aqui é um caso à parte…rs
Beijo

Resposta
Ann Setembro 26, 2013 at 1:04 pm

Falar a lingua e uma necessidade de extrema prioridade para que a pessoa possa se sentir “em casa” e mais a vontade onde estiver morando. Poder se comunicar com as pessoas e entender um noticiario por exemplo, sao situacoes de uma satisfacao pessoal inigualavel, quando adquirido. 🙂 xx

Resposta
Tati Sato Setembro 27, 2013 at 3:51 am

Cris,

Achei ótimo o seu texto! É muito importante conhecer pessoas nos locais onde vamos para não nos sentirmos sós, como você mesmo diz. Toda mudança é complicada e a falta de estrutura social torna as coisas bem mais difíceis no começo.

Acho que todas as dicas que você deu são muito importantes e podem ser aplicadas na maioria dos países nos quais somos expatriados. Existe um grupo na internet, similar ao Facebook, chamado Inter Nations no qual se conhece expatriados que moram em vários países do mundo. Acredito que ele se foque nas maiores cidades, mas talvez você possa se surpreender e encontrar um Inter Nations perto de você! Hehe!

Um beijo!

Resposta
Cristiane Leme Setembro 28, 2013 at 4:42 pm

Tati, obrigada pela dica! Se minha memória está boa, existe um Inter Nations em Copenhague e talvez um em Aarhus, que é mais perto de mim. Vou dar uma olhada! Eu faço parte de um grupo Meetup numa cidade vizinha, Viborg, além do meu trabalho com o HI mas nunca é demais conhecer pessoas e fazer networking…
Beijos

Resposta
Mary Sousa Outubro 13, 2013 at 5:04 pm

OLá Cristiane, tudo bem?

Vi que mora numa cidade vizinha a Viborg, estou morando aqui há 3 semanas. Vou iniciar o curso da língua dinamarquesa no dia 21 outubro, vocês estudo por quanto tempo?

Resposta
Cristiane Leme Outubro 18, 2013 at 6:13 pm

Oi Mary, ainda estou estudando!
Podemos combinar qualquer hora de nos encontrarmos em Viborg – acho a cidade um charme – ou aqui em Holstebro. O que me diz?

Resposta
Dinamarca – Racismo- Eu fui Vítima! Outubro 22, 2013 at 11:05 am

[…] Mais sobre a Dinamarca! […]

Resposta
Cassia Abril 29, 2014 at 1:00 pm

Ola Cristiane, muito bom seus posts leio todos e adoro, vivo aquí mais ao norte de Dinamarca em Saeby, adoro conhecer as brasilieiras que estao por aquí, quem sabe um dia tomaremos um café juntas.
Um Abraco

Resposta
Cristiane Leme Abril 29, 2014 at 3:55 pm

Oi Cassia, obrigada pelo carinho! Agora no verão estarei em Skagen, aí na Nordjylland. Sei que não é muito perto de você mas quem sabe a gente consegue marcar um vinhozinho ou um refresco na praia? Abraços e continue acompanhando o BPM!

Resposta
Cassia Abril 30, 2014 at 5:20 pm

Cristiane, tambem quero ir a Skagen para o festival de música, quem sabe nos encontramos e batemos um papo. bjs

Resposta
márcia maria da silva Janeiro 22, 2014 at 5:48 pm

Um dia conhecerei a Dinamarca.

Resposta
Cristiane Leme Abril 6, 2014 at 7:03 pm

Oi Uiara! Você já se mudou pra Viborg? Quando se mudar, avise, vai ser um prazer te encontrar! Obrigada pelos elogios, é bom saber que os textos são úteis!
Beijos pra você!

Resposta
Cristiane Leme Abril 8, 2014 at 7:38 am

Uiara, venha tranquila, que o maior desafio é tomar a decisão de vir. No mais, nós seres humanos somos adaptáveis, a gente vai se adaptando aos pouquinhos. Sobre a mala, pela lei do Brasil é permitido embarcar daí pra cá com até 2 malas de 32 kg cada, então se conseguir outra mala, fica mais tranquilo e tudo dentro da lei pra você trazer tudo. Eu vim com 3 malas grandes e duas de bordo… hahaha! Não mande nada pelo correio que o valor é absurdo e pode demorar a chegar – de 12 dias a um mês! Melhor mesmo é conseguir outra mala e colocar o vestido, se ele for pesado. Sobre seus medos, eu entendo perfeitamente, mas posso te adiantar que em Viborg tem uma comunidade internacional bem ativa, que se reúne toda semana pra fazer atividades como ioga, ou mesmo tomar um cafezinho e bater papo. Inclusive há brasileiras que moram no entorno e estamos nos organizando pra fazer um grande evento brazuca no verão, então se anima! Viborg é uma cidade pequena e se você vem de cidade grande como eu, demora um pouco pra pegar o ritmo, mas venha confiante que vai dar tudo certo! Quando você começar na escola de dinamarquês também encontrará muitas pessoas na mesma situação que você, então é também outra forma bacana de fazer amigos. Eu te desejo uma ótima viagem. Traga todos os documentos originais, certificados de conclusão de curso, documentos para o casamento, o passaporte (válido, com validade de pelo menos um ano da data que você irá viajar, no mínimo) e muita positividade! Beijos

Resposta
Vitoria leal Maio 17, 2014 at 3:15 pm

Oooi, estou indo morar na dinamarca, vou fazer intercâmbio de um ano
Gostaria de saber quanto tempo vc demorou para aprender dinamarquês ?

Resposta
Cristiane Leme Maio 26, 2014 at 5:12 pm

Oi Vitoria! Eu ainda estou aprendendo. Normalmente uma pessoa demora até 3 anos para aprender um idioma, mas isso também depende de outros fatores como idade da pessoa e dedicação ao aprendizado, por exemplo. Dinamarquês é uma língua muito difícil e qualquer idioma, seja ele fácil ou difícil, leva tempo para ser aprendido e aperfeiçoado. Uma boa dica é visitar os links que eu indico no texto para aprender dinamarquês online. A pronúncia é um pouco diferente do que estamos acostumados, mas se você falar inglês, neerlandês ou alemão, isso certamente ajuda a compreender o dinamarquês. Desejo sorte no seu intercâmbio!

Resposta
Gerald Maio 24, 2014 at 8:01 pm

ola cris Leme…fazendo uma busca acabei por encontrar esta pag…obrigado pelas dicas. Sou casado e temos 1 filha de 10 anos, estamos escolhendo um país para morar, pq como ja sabemos infelismente no brasil a gente sobrevive dia a dia com tanta violencia e acabamos por nao conseguir-mos viver na integra. daí gostei mto do que li sobre a Dinamarca, mas nunca saimos do brasil e estou bem perdido em até por onde começar…rs. Ví que existem algumas pessoas que ate hospedam estrangeiros por alguns dias, mas nao vi nada na integra, por acaso poderia me dar alguma dica…? pretendo ir sozinho…alugar alguma casa mais barata que encontrar…rs…e trazer minha familia. pretendo ultilizar os 90 dias no país para tentar conseguir um visto provisorio e se tudo der certo, pensaremos em melhorar as coisas, mas enfim… vc tem mto mais experiencia em que pode ser feito do que eu…poderia me ajudar com informaçoes ou algo que julgue ser necessario para fazer-mos este translado…? se desejar pode ultilizar meu e.mail para uma resposta. fico mto grato se puder dispor um tempo para responder…desejo saude, paz e sorte a vc e respeitosamente a sua familia…!!! Agradeço tb as outras possiveis ajudas das pessoas que estao neste lindo país dinamarques…!!! [email protected]

Resposta
Cristiane Leme Maio 26, 2014 at 5:23 pm

Geraldo, uma coisa que eu preciso deixar bem clara, sem arruinar com seus planos: não existe visto ‘provisório’ pra Dinamarca. A Escandinávia é uma das regiões mais difíceis para estrangeiros, sobretudo os que vêm de países tropicais como o Brasil, a começar pelas adaptações que a pessoa vai ter que passar com clima, as diferenças culturais e de comportamento, enfim… mudança de país requer muita reflexão e preparo e é preciso se programar com muita antecedência e analisar todas as possibilidades. Pesquisar a respeito do país é fundamental, mas mais fundamental ainda é ver se o país que você escolheu é um país onde você se adaptaria. É preciso ser realista e pensar na realidade, quando se trata de um sonho dessa magnitude. Apesar de o Brasil estar complicado, eu desaconselho uma mudança para a Europa sem um motivo que a justifique de fato, como por exemplo, uma transferência de trabalho para outro país, uma pós-graduação ou algo do tipo. Na Dinamarca as coisas são extremamente caras e os empregos andam escassos. Existe por aqui um sistema de greencard, porém além de ser caro, esse sistema tem se mostrado ineficaz. Os empregos estão cada vez mais escassos, mesmo em profissões menos valorizadas. Aqui na Dinamarca, até pra ser faxineiro é preciso falar um básico de dinamarquês e como eu disse antes, aprender a língua é um desafio em si. Ninguém contrata pessoas ilegais, pois as pessoas evitam problemas com a lei. Alugar casa não é fácil e nem barato. Bem… eu não quero te desanimar no seu sonho, só quero te dar um panorama real de como estão as coisas por aqui. Penso que o melhor é mesmo se preparar com bastante cautela antes de tomar qualquer decisão, deixar o ‘jeitinho brasileiro’ (que não existe na Europa) de lado e avaliar com critério todas as possibilidades, antes de se decidir. Abraços e boa sorte pra você.

Resposta
Gerald Maio 26, 2014 at 9:33 pm

Cris Leme…agradeço a sua atençao em responder e ate em se preoculpar…e te desejo tudo de otimo em todos os sentidos possiveis…!!! procuro mesmo um país onde tudo seje diferente…senao nem adiantaria sair daqui…pelo menos no quisito segurança parece que nem se preoculpam com isso por aí…pois nao deve sequer ter indices de assaltos e outros…e sem segurança infelismente nao se tem mais nada, nao é mesmo…? qto a emprego nao estou indo para trabalho…so quero um lugar seguro, onde se possa pensar em outras coisas que nao seje apenas voltar vivo…e procuro tb pessoas que possam me ajudar com informaçoes de como conseguir uma casa para alugar…locais onde se é mais baratos q outros, pois sei que tudo aí é mto caro…mas acredito que existam valores diferentes pelo menos, rs…!!! procuro por informaçoes de pessoas que moram no país, como hoteis mais baratos…lugares onde eu conseguiria ficar por alguns dias para resolver coisas basicas…e sem gastar valores altos…pois nao vou a turismo, e de onde morar…pessoas que possam me dar informaçoes…por isso procuro brasileiros que morem aí…!!!
qto a lingua…claro…ninguem sai do brasil falando a lingua local da dinamarca…rs…acredito que falando o ingles ja da para pelo menos alugar uma casa…mas…ok.
agradeço mto a sua atençao e se vc ou alguem mais tiver informaçoes para me enviar…agradeço ja atencipadamente…!!! otima semana a todos…Gerald

Resposta
Charles Março 24, 2015 at 8:57 pm

Oi, Cristiane. Estou pesquisando sobre a Dinamarca e devo dizer que achei muito interessantes e esclarecedores os seus textos e, por isso, resolvi escrever pra você.
Minha esposa vai fazer parte do doutorado em Aalborg, período que deve durar uns 8 meses a partir do início de julho deste ano. Será, sem dúvida, uma excelente oportunidade de novas experiências, apesar de já termos morado em algumas cidades do Brasil. De toda forma, esperamos aproveitar ao máximo.
Me viro razoavelmente em inglês e alemão, mas não sei absolutamente nada de dinamarquês. Assim, já me matriculei no curso de dinamarquês (iniciante) oferecido pelo instituto cultural da Dinamarca aqui em Brasília e espero que feche turma. Como minha esposa estará praticamente em função dos estudos, minha intenção é continuar o curso de dinamarquês no Sprogcenter e conseguir um emprego (qualquer emprego – pra variar de análise de sistemas, computação, etc.). Aalborg, segundo o que li, é uma cidade industrial… O que você acha?
Você mencionou que os aluguéis são caros na Dinamarca; acho que para nós 4 (pois é, teremos que levar os nossos dois poodles porque não temos com quem deixar) uma quitinete seria o suficiente para o período. O orientador da minha esposa na Dinamarca falou que os aluguéis ficam em torno de mil euros por um apartamento de dois quartos – realmente não é barato. No facebook, grupo Aalborg Marked, outra pessoa me falou que é quase impossível alugar um imóvel “pet friendly” a não ser que façamos um seguro para danos causados por animais (?). E eu que pensava que a Dinamarca era tão amigável com os cães quanto a Alemanha.
Quanto aos cachorrinhos, já me informei de todas as leis da União Europeia quanto à imigração de animais, chipagem, sorologia para raiva, transporte, etc. Tudo encaminhado – trabalhão.
E o transporte público, é bom, caro? Estava pesquisando preços de carros por aí e achei muito mais em conta do que aqui.
Eu tenho passaporte alemão… acho que isso já facilitaria um tanto as minhas intenções por lá (ou não?).
Enfim, são muitas dúvidas, não é mesmo? Obrigado e um abraço para você.

Resposta
Cristiane Leme Março 24, 2015 at 10:21 pm

Oi Charles, e obrigada por seu comentário. Bom, vamos por partes…
Aluguel é, sim, caro, e é difícil de encontrar casa ou apartamento disponível. Existe um serviço chamado Boligportal.dk onde você pode fazer buscas e anunciar que está à procura de apartamento. Esse é um dos serviços confiáveis daqui, mas é bom atentar para o fato de que ainda existem scammers no setor imobiliário e sobretudo em relação a estrangeiros. O ideal seria pedir ajuda para a universidade onde a sua esposa vai estudar e pesquisar no Boligportal também. Desconfie de anúncios muito maravilhosos que esses normalmente são cilada.

Sobre estudar o idioma, veja que eu escrevi também um texto a esse respeito. Você pode inclusive optar por estudar em casa, por conta própria, e mais tarde procurar um Sprogcenter somente para fazer a prova de competência/proficiência em dinamarquês. Há vários links disponíveis no site do Ministério da Educação daqui, está tudo no meu texto. Na matéria, que se chama “Taler du dansk? – Falando dinamarquês” eu dou dicas de sites e sobre as escolas.

Em relação a emprego, também escrevi duas matérias relacionadas a esse tema, dê uma procurada aqui no blog. O ideal é já começar procurando daí do Brasil e buscando fazer contato com pessoas da sua área de atuação que já trabalham na Dinamarca. Com networking fica bem mais fácil conseguir um emprego, e ter o passaporte alemão é uma ajuda e tanto. Empregos na área de Tecnologia da Informação estão bastante em alta por aqui e fazem parte da Lista Positiva de empregos. Porém, não está fácil conseguir empregos no país e já tem sido assim por algum tempo.

Sobre os cachorros, realmente é difícil encontrar apartamentos ‘pet-friendly’ – o mais normal é encontrar casas. Sobre o seguro, confesso que não sei a respeito, pois não tenho pets – no apartamento onde moramos é proibido.

E por último, em relação a transporte público. Os ônibus e trens são meio carinhos, sim, e funcionam bem e com regularidade em Aalborg, mas se quer viver a experiência de viver como um dinamarquês, compre uma bike. A bicicleta é o meio de locomoção mais utilizado por todos os dinamarqueses e estrangeiros que vivem no país. É prático, não polui o meio ambiente e ainda por cima te deixa em forma… risos! Carros são muito caros por aqui e mesmo os modelos baratos são caros. Se vocês conseguirem morar perto da universidade ou na região central da cidade, tudo fica fácil e não vão precisar se preocupar com transporte. Há também a opção de pegar um táxi – apesar de caro, pode valer a pena em algumas ocasiões.

Desejo tudo de bom pra vocês e espero que logo consigam aparar as arestas dos pormenores para a grande mudança, e que sejam muito felizes aqui na Dinamarca.
Abraços e continue nos acompanhando! 🙂

Resposta
Charles Março 25, 2015 at 1:00 am

Muito obrigado pela resposta (não esperava que viesse tão rápida). Vou ler as suas outras matérias, sim.Talvez eu volte a lhe escrever. []s.

Resposta
Dinamarca – Cinco razões para não morar na Dinamarca Junho 20, 2015 at 10:24 pm

[…] As relações sociais e interpessoais na Dinamarca são diferentes das que conhecemos no Brasil. Em geral não há espontaneidade, e todos os compromissos – incluindo visitar amigos e familiares – são agendados com antecedência. Aparecer de surpresa na casa de alguém é inconcebível! Nas festas, onde é normal as pessoas passarem a noite toda sentadas em volta de uma mesa bebendo e conversando, é comum cumprimentar a todos na chegada: não espere que o anfitrião faça as vezes de cicerone e te apresente pra todos porque isso não vai acontecer. Em grupos no trabalho ou em locais públicos, é comum os estrangeiros serem excluídos quando não falam o dinamarquês. Fundamental também é a linguagem corporal: tocar alguém enquanto conversa é inapropriado, assim como cumprimentar com beijos no rosto. Estranhos são cumprimentados com um firme aperto de mão e amigos e familiares, com um abraço. Falar sobre problemas pessoais também é visto como uhyggeligt, sobretudo em reuniões sociais e na presença de desconhecidos. Se você ainda não sabe o que é hygge, leia mais a respeito aqui. Uma observação válida: dinamarqueses se tornam sociais especialmente em ambientes onde há consumo de álcool. Todos bebem muito por aqui. Alguns acabam bebendo demais e se tornando inconvenientes. É mais fácil fazer amizades com estrangeiros que com dinamarqueses. Leia a respeito no artigo que escrevi sobre fazer amigos na Dinamarca. […]

Resposta
Edno Verissimo Julho 16, 2015 at 12:48 pm

Um bom dia, Cristiane.
Gostaria muito de conhecer este país,implantar meus trabalhos de massoterapia estética na Dinamarca,como eu faço.

Atenciosamente Edno.

Resposta
Cristiane Leme Julho 16, 2015 at 2:41 pm

Olá, Edno. A primeira coisa que você deve fazer é procurar clínicas na Dinamarca para fazer contatos e saber como está o mercado. É importante determinar onde exatamente você deseja se instalar, mas fazer contatos pode ser um excelente termômetro. Para isso, visite as páginas fazendo uma busca no Google e escreva diretamente para as clínicas, pode ser em inglês, mesmo. Outro canal bastante utilizado por aqui é o LinkedIn. Visitar o país como turista para pesquisar e ‘sentir’ o país também me parece uma boa ideia, já que a adaptação varia de pessoa pra pessoa. O que tenho notado é um aumento de oferta desse tipo de massagem terapêutica e estética, inclusive em cidades pequenas como Holstebro, onde moro. Por aqui há pelo menos 4-5 clínicas especializadas.
Boa sorte pra você e continue nos acompanhando pelo blog! Abraços

Resposta
carla caroline Janeiro 30, 2016 at 12:40 am

eu amo a Dinamarca estou indo pela 3 vez , muito lindo

Resposta
Valquiria Setembro 18, 2016 at 12:34 pm

Gostei muito dos comentários, vivo na Dinamarca e concordo com tudo que li.

Resposta
Cristiane Leme Setembro 19, 2016 at 9:28 pm

Obrigada! 🙂

Resposta
Jose Elija Dezembro 24, 2016 at 11:13 am

li todos os cementatórios e achei mais oportuna a mensagem com o titulo sobre as 5 razoes pra não ficar na Dinamarca, deixo o meu endereço para quem poder trocar informações sobre a Dinamarca . eu sou moçambicano.

Resposta
Cristiane Leme Dezembro 26, 2016 at 5:56 pm

As informações sobre a Dinamarca estão nos diversos textos sobre o país no blogue. Fica o convite para que você os leia todos e, tendo dúvidas, pergunte.

Obrigada por seu comentário.

Resposta
Roberta Chiquetto Novembro 18, 2017 at 1:09 am

Gente! Estou assistindo o Globo Repórter e fiquei apaixonada pelas bicicletas usadas para carregar crianças. .. nossa… como gostaria de ter uma para levar meus Pitocos a escola!

Resposta
Cristiane Leme Novembro 19, 2017 at 4:58 pm

Talvez você consiga encontrar as bicicletas de carga em lojas especializadas no Brasil. Já vi no Mercado Livre, mas tente buscar por ‘bicicletas de carga’ no Google para melhores resultados.

Resposta
Gisele Borges Abril 19, 2018 at 11:11 pm

Boa noite. Ando lendo todas essas matérias sobre as coisas boas e não tão boas. Estou amadurecendo a ideia de me mudar para outro país. Sempre gostei da Dinamarca, estudo a língua faz seis meses sozinha e realmente não é fácil a entonação. Gostaria de saber se tem como obter seu contato para conversarmos melhor? Sou casada e tenho dois filhos, uma de 14 e um de 9. Grata.

Resposta
Cristiane Leme Abril 23, 2018 at 11:22 am

Oi Gisele. Obrigada por ler e comentar.
Temos muitas matérias sobre diversos aspectos da vida na Dinamarca aqui mesmo no site.
Normalmente eu prefiro responder às dúvidas diretamente nos comentários, assim mais gente se aproveita do conhecimento, mas se quiser me procure nas redes sociais.
Abraços e boa sorte com seus planos!

Resposta
Ocilene Almeida Julho 1, 2018 at 6:14 pm

Olá… Estou a procura de uma amiga q foi morar na Dinamarca há 33 anos atrás…. Era minha melhor amiga, mas as circunstâncias nos afastaram. Gostaria muito de ter notícias dela! Ela a Simone é brasileira, e a mãe dela se chama Teresinha…. Obrigada 😘

Resposta
Cristiane Leme Julho 1, 2018 at 7:31 pm

Ocilene, tente procurar a sua amiga dando o nome e sobrenome dela nalgum grupo de brasileiros na Dinamarca nas redes sociais como Facebook, por exemplo.
A Dinamarca é grande e pode ser até que sua amiga nem more mais aqui, mas desejo boa sorte na sua busca.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação