BrasileirasPeloMundo.com
África do Sul Curiosidades Pelo Mundo

Dirigindo na África do Sul

Lembro do meu primeiro dia na Africa do Sul como se fosse ontem. Meu marido me buscou no aeroporto, tirou as malas do carro e disse: agora você entra no seu carro e vamos dar uma volta! Eu já tinha visitado este país algumas vezes antes de decidir mudar pra cá e o trânsito era um dos itens que mais me preocupava.

Seguem algumas diferenças e dificuldades encontradas no início, ao enfrentar as ruas de Joanesburgo e as estradas.

Māo inglesa:

Para quem está acostumado a dirigir do lado esquerdo, como fazemos no Brasil, trocar de “māo” nāo é uma tarefa fácil. Tudo você tem que trocar de lado e obviamente redobrar a atenção, como se estivesse aprendendo a dirigir novamente. A pista mais rápida nāo é mais a da esquerda e sim, a da direita. Com o tempo você se acostuma.

Roundabouts ou Traffic circles

Os roundabouts – mais conhecidos no Brasil como rotatória, balāo, rotunda – possuem uma regra diferente: a preferencia nāo é de quem está dentro da rotatória e sim, do primeiro que chega no sinal de pare. Parece meio confuso, nāo é? Mas funciona. Para quem tiver mais curiosidade sobre o assunto, segue o link que explica um pouco melhor a regra.

Os “robots”:

Os semáforos sāo chamados de ‘robots’ e o maior problema sāo os “broken robots”: os semáforos quebrados. Isso acontece com bastante regularidade. Muitas vezes os semáforos dos cruzamentos mais importantes da cidade deixam de funcionar. A boa notícia é que o trânsito continua fluindo, pois a mesma regra do roundabout prevalece: quem chega primeiro no cruzamento tem a preferência de passagem e as pessoas respeitam isso. O trânsito fica lento até surgirem os controladores que auxiliam nessas situações.

Broken robot em um dos principais cruzamentos. (Foto: M. Braga)
Broken robot em um dos principais cruzamentos. (Foto: M. Braga)

Fiscalizaçāo:

Há policiamento do trânsito em quase todos os lugares e é comum você ser parado por uma blitz. Eu já fui parada por blitze várias vezes. Manter o licenciamento do carro em dia e os seus documentos em māos é fundamental para evitar problemas com os policiais. Beber e dirigir – aqui ou em qualquer outro lugar, aliás – nem pensar!
Outro item importante sāo os radares móveis. O limite de velocidade muda constantemente nas estradas municipais e estaduais pois existem pequenas comunidades entre as cidades. Uma estrada com limite de 120 km/h pode passar para 80 km/h e até 40 km/h em menos de 5 minutos. Quando você menos espera tem um radar móvel logo atras da placa de 40 km/h e um policial esperando por você.

Taxis:

Taxi é como se chama por aqui o transporte coletivo privado utilizado pela maioria da população sul-africana. Este modelo é bem parecido com a lotação em Sāo Paulo e diferente do táxi que estamos acostumados.
Para os motoristas destas vans praticamente nāo há regras de trânsito: eles ultrapassam o sinal vermelho, cruzam na sua frente sem avisar e param o trânsito (para pegar os passageiros) onde bem quiserem. Uma dica: muita paciência!

Taxi circulando por Joanesburgo (Foto: M. Braga)
Taxi circulando por Joanesburgo (Foto: M. Braga)

Os vendedores:

Está precisando de carregador de celular, adaptador? Quer um chapéu, um óculos? Está com sede? Nāo se preocupe, você pode comprar tudo isso no próximo robot! A quantidade de vendedores nos semáforos é grande e a variedade de itens disponíveis também. A simpatia dessas pessoas é marca registrada. Contudo, todo cuidado é pouco. Nunca se sabe quem está realmente vendendo seus produtos ou quem está de olho nos seus pertences.

vendedor Joanesburgo
Robert vendendo chapéus, camisetas e outros itens. (Foto: M. Braga)

Smash and grab:

Outra dica importante: nunca deixe nada à vista no banco do passageiro ou no banco de trás. Infelizmente você corre o risco de ter o seu vidro quebrado enquanto está parado no semáforo. Até hoje nāo tive esse problema, mas tomo todo o cuidado e guardo tudo que carrego no porta-malas.

A paisagem:

Trânsito é trânsito e ninguém gosta de ficar preso nele, mas convenhamos que ter uma bela paisagem para admirar no meio do caminho ajuda bastante a aliviar o estresse.

Bouganvilles ao lado do cruzamento William Nicol e N1. (Foto: M. Braga)
Bouganvilles ao lado do cruzamento William Nicol e N1. (Foto: M. Braga)

Este é um país que carece de transporte público. Tudo aqui é um pouco longe e é difícil ir ao supermercado e outras lojas a pé. Portanto, se você pretende morar aqui e nāo quer ficar parado em casa é importante que você saiba dirigir. Paciência e vontade de descobrir sāo itens chaves para aproveitar ao máximo os caminhos e lugares este país tem para oferecer.

Leia sobre turismo na Cidade do Cabo!

Related posts

Governo, idioma e moeda na Ilha de Man

Priscila Valverde

Como os estrangeiros são tratados na Coreia do Sul

Amanda Gomes

Portland, a cidade mais esquisita dos EUA

Lorena Nascimento

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação