BrasileirasPeloMundo.com
Suécia

É suficiente falar inglês para morar na Suécia?

De acordo com um estudo que mostra o índice de proficiência em inglês de 2016, a Suécia é o terceiro país do mundo que melhor fala a língua inglesa como não-nativos.

Quando me mudei para a Suécia, a mesma encabeçava esse ranking. Então, sempre me questionava: será que o inglês é suficiente para me manter na Suécia? Afinal, a língua do país é o sueco. Ao chegar na Suécia, deparei-me realmente com uma população que fala muito bem o inglês, e que não se importa (até certo ponto) em falar a língua. Fiquei muito feliz de poder, até mesmo, tirar dúvidas no mercado da esquina, apenas falando inglês. Contudo, hoje – após algum tempo morando aqui – minha resposta para a pergunta acima é: DEPENDE. E as variáveis são muitas.

Prefeitura de Estocolmo (Foto: Arquivo Pessoal)

1 – Turismo

Para uma viagem a turismo, eu diria que falar inglês é suficiente. Especialmente se o roteiro é focado em visitar os principais pontos turísticos e a capital Estocolmo.

Nos museus, as descrições das obras estão sempre em sueco e inglês, além disso, muitos possuem panfletos em diversas línguas, que explicam um pouco sobre o lugar (é o caso do Museu do Vasa, por exemplo) e também há visitas guiadas. Nestes locais, as sinalizações de banheiros, restaurantes e lojas de souvenirs também são encontradas na língua inglesa.

Há pontos de turismo em Estocolmo onde é possível encontrar/comprar passeios e tudo também está em inglês. Na estação central de trem de Estocolmo, há um balcão de informação para turistas. As placas de informações também estão em inglês (além do sueco, claro). Porém, as sinalizações para uso de transporte público não estão em inglês, mas usando o Google é possível verificar números, horários, plataformas. Boa parte dos funcionários falam inglês, como motoristas de ônibus e atendentes de bilheteria.

Leia também: empregos na Suécia

2 – Estudo

Por estarem bem posicionadas em rankings mundiais, as universidades da Suécia são bastante procuradas, seja para formação ou especialização. Neste caso, se a ideia é fazer um curso numa universidade, encontra-se facilmente cursos disponíveis em inglês. É necessário ficar atento, pois para poder fazer a inscrição é necessário comprovar a proficiência em inglês (no caso de brasileiros, é comum que seja necessário fazer testes de proficiência como TOEFL, Cambridge etc.).

A diversidade de cursos ministrados em língua inglesa não é tão grande quanto a de língua sueca, mas é possível encontrar bons cursos e matérias. Por isso, é importante ler bem sobre o curso e verificar se atende aos objetivos de cada carreira.

Para intercâmbio, tudo facilita. Pois, assim, estudará a língua sueca e já terá todo o suporte de moradia e afins. Nesses casos, não há grandes preocupações referentes à língua. Eu não indicaria intercâmbio na Suécia para quem quer praticar o inglês. Afinal, esta não é a língua-mãe do país.

3 – Trabalho

Nesta parte sobre trabalhar na Suécia, há alguns pontos que precisam ser considerados, como, por exemplo, o tipo de trabalho. Algumas tarefas, como babás, vir para a Suécia como au pair e algumas posições em multinacionais são possíveis de serem encontradas para quem fala somente a língua inglesa.

Entretanto, não podemos nos deixar iludir, pois uma hora virá a cobrança pelo sueco. Eu conheço muitas pessoas que vieram para a Suécia somente falando língua inglesa e que estão trabalhando em multinacionais e o que posso dizer é que, num primeiro momento, o inglês foi suficiente para a contratação, mas, num segundo momento, já não é suficiente para desempenho de determinadas tarefas e para o desenvolvimento de uma longa carreira dentro da empresa. Explicando: não é sempre que os colegas de trabalho querem falar inglês e também não é sempre que conseguem se expressar 100% em inglês. Em um ambiente de fábrica, por exemplo, é muito comum encontrar pessoas que falam somente o sueco. Na hora do almoço, é muito comum que as pessoas queiram conversar na sua língua.

Para trabalhar na área da Educação também é necessário um bom nível de língua sueca. Claro, há oportunidades (apesar de poucas) em que não há esta obrigatoriedade. No entanto, a Suécia é uma das referências na área de Educação, principalmente na Educação Infantil, então, preza-se muito a comunicação com os alunos, pais e entre os professores. Portanto, falar somente o inglês, nesta área, limita muito o trabalho.

Leia também: custo de vida na Suécia

4 – Morar na Suécia

Antes de me mudar para a Suécia, eu, que sou da área de línguas, já fazia ideia do que me esperava: o sueco.
Certamente, é possível resolver todos os tipos de problemas falando apenas inglês. No banco, os funcionários falam muito bem o inglês. Para ser atendida no hospital, eu tive uma boa experiência: a recepcionista não falava inglês, mas ela se encarregou de encontrar uma enfermeira que falasse para poder fazer meu primeiro atendimento e, além disso, também fui diretamente encaminhada para uma médica que falava inglês, ou seja, tudo resolvido tranquilamente.

Consegui comprar bicicletas, fazer meus registros de membro em lojas e supermercados, tudo em inglês. Os atendentes da farmácia também sempre foram muito solícitos.

Mas, e sempre há o “mas”, se a intenção é fazer parte da sociedade, integrar-se completamente, entender melhor os costumes, nada irá substituir a língua sueca.

A cidade de Södertälje, onde eu moro, possui uma grande quantidade de imigrantes (muitos são refugiados), principalmente vindos do Iraque, Síria e Turquia. Grande parte destes imigrantes chegam no país e logo aprendem o sueco para que possam se inserir no mercado de trabalho. Dessa forma, há muitos estabelecimentos por aqui em que não é possível se comunicar em inglês.

Por isso, é necessário ter em mente que a língua que se fala na Suécia é o sueco.

Related posts

Bairros para morar em Gotemburgo

Ana Laura Stål

O resultado da Lei de Jante na Suécia

Juliana Teles

SFI: falha do governo, experiência pessoal e dicas para iniciantes

Vânia Romão

2 comentários

Grace Hellen Novembro 12, 2019 at 4:35 pm

Ola, tenho interesse em sair correndo ainda ontem do Brasil kkkk, estou querendo ir para a Europa, mas infelizmente não tenho descendência nenhuma, porém tenho coragem e determinação para recomeçar a vida em um lugar novo, língua nova, e não tenho frescura em trabalhar com qualquer coisa apesar de ser pós graduada aqui. Saberia me ajudar tirando uma dúvida, se tem alguma chance de entrar na Suecia como turista e dar entrada para conseguir ficar regular no país? Posso trabalhar e dar entrada nos papeis necessários, só queria alguma orientação, por favor? Desde já agradeço. Fique com Deus.

Resposta
Liliane Oliveira Novembro 14, 2019 at 3:45 pm

Olá Grace Hellen,
A Priscilla Furlanetto parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação