BrasileirasPeloMundo.com
Chile

Eclipse solar total no Chile

Minha experiência para ver o eclipse solar total no Chile.

No dia 02 de Julho de 2019 exatamente às 16h39min – horario local do Chile (GMT – 4), muitos olhares estavam apontados para o céu, na região de Coquimbo, ao norte de Santiago.

A região se dividiu para o eclipse da seguinte maneira:

  • Comuna de Higuera
  • Comuna de Vicuña
  • Comuna de Paihuano
  • Comuna de La Serena
  • Comuna de Coquimbo
  • Comuna de Río Hurtado (vista parcial do eclipse)

Os horários exatos do fenômeno foram:

  • 15:23 – inicio do eclipse
  • 16:39 – fase de totalidade
  • 16:40 – máximo eclipse
  • 16:41 – fim da fase total
  • 17:47 – fim do eclipse

O eclipse termina quando a Lua sai do círculo do Sol.

O espetáculo era do nosso astro rei, que por dois minutos e 24 segundos foi coberto totalmente pela Lua.

O eclipse total do Sol acontece quando a sombra da Lua alcança a Terra. A região central do sol fica totalmente coberta, escurecendo como se fosse de noite. A cobertura total do sol proporciona a oportunidade única de observar a coroa solar ao redor da Lua.

Podemos nos considerar sortudos, pois a média de um eclipse total do Sol no mesmo ponto da Terra acontece uma vez a cada 200 – 300 anos.

Leia também: As quatro estações do ano no Chile 

Foi o evento mais esperado do ano e os sortudos fizeram jus à sorte para garantir o seu lugar, pois muitos hotéis da região já estavam com 100% dos apartamentos reservados desde o ano passado.

Entre esses sortudos se encontravam muitos famosos no meio da multidão, houve até uma promoção para ver o eclipse de um voo. Os olhares surgiram de muitos pontos da Terra e do ar.

Minha aventura foi um pouco inesperada, já que eu não tinha planos para ver o eclipse até o dia sete de junho de 2019, data em que decidi comprar uma passagem de ônibus de Santiago a La Serena, saindo na segunda-feira às 23h – último horário do ônibus – dia primeiro de julho e voltando a Santiago 24 horas depois.

Várias empresas de ônibus fazem a rota Santiago / La Serena – com uma duração de aproximadamente seis horas de viagem.

Pela decisão tomada em menos de um mês, tivemos sorte porque conseguimos uma passagem a um preço razoável. Fomos com a empresa Pullman Bus, o valor da ida em assentos semi-cama (a poltrona reclina a quase 45º) foi de CLP 12.000. Em dias “normais”, o mínimo que podemos encontrar para a mesma rota é de CLP 8.000.

O retorno na mesma empresa com o mesmo tipo de poltrona foi de CLP 10.000. Pesquisamos em outras empresas e a Pullman Bus foi a mais econômica e uma das poucas que ainda tinha lugar para as datas do eclipse.

O embarque foi no Terminal Borjas, que tem acesso pela Estación Central do metro da linha 1.

A ida foi super tranquila, não havia muitas pessoas no terminal, o ônibus saiu no horário, não havia muito trânsito e chegamos no horário previsto – às cinco da manhã.

Ao desembarcar, nos deparamos com o cenário esperado: havia uma multidão de gente na rodoviária, por todos os lados, deitadas, sentadas, em pé.

Leia também: No Chile se fala chileno

Não tínhamos reservas de hospedagem e naquelas alturas não íamos encontrar nada econômico e fácil. Então decidimos ficar na rodoviária por longas duas horas esperando o dia amanhecer para decidir o que fazer. Por ser o mês de julho, vocês podem imaginar o frio que fazia.

Passada as duas eternas horas, fomos procurar um lugar para tomar um café da manhã decente e logo turistar por La Serena.

Durante o dia, tivemos sorte porque o sol além de aparecer, esquentou um pouco a terra. Obviamente, não era um dia de praia, mas conseguimos ficar um tempo apreciando o mar e fazendo uma fotossíntese gostosa.

A cidade se movimentava ao redor do eclipse, muitos vendedores ambulantes aproveitaram a oportunidade para ganhar um dinheiro extra, vendendo camisetas, óculos, ímãs de geladeira, chaveiros e tudo o mais que a imaginação humana possa vender.

Muitas pessoas foram ver o fenômeno na praia, mas houve eventos em diversas partes da cidade. Optamos por ir ver o eclipse no estádio, já que antes fizeram uma apresentação e uma palestra sobre o sistema solar, explicando sobre os eclipses, planetas, Lua e Sol.

Depois da palestra, as bocas silenciaram e os olhares ficaram atentos para o espetáculo tão esperado por todos. Os dois minutos mais esperados passaram muito, mas muito rápido, mas valeu cada segundo admirado, pois o show foi lindo!

Depois do show no céu, teve um show na Terra, com bailarinos fazendo uma homenagem aos países da América do Sul.

Saímos do estádio e fomos para a rodoviária com a esperança de poder trocar o horário do ônibus para mais cedo – e obviamente “quebramos a cara” porque todos os horários estavam completamente cheios.

Por sorte, além do eclipse, teve o jogo do Brasil contra a Argentina, então, aproveitamos o horário vago para ver outro show – que dessa vez foi em território brasileiro.

Nosso ônibus estava previsto para sair as 23h30. Fomos para a rodoviária às 23h00 e não se podia andar tranquilamente devido à multidão que estava deixando a cidade. O que não esperávamos era o longo atraso que gerou em vários ônibus e o trânsito caótico.

O ônibus saiu às duas da manhã da quarta-feira e conseguimos chegar em Santiago somente às 11h00 da manhã (um atraso de 5 horas….quase nada).

Mas valeu a pena? Sim!! E muito!! Pensar que fomos privilegiados de ver um fenômeno tão belo como esse, vale qualquer esforço.

Related posts

Coisas que aprendi no trabalho em Santiago

Isabela Vargas

Mudanças climáticas no Chile

Joy Matta

Os encantos do Valle del Elqui no norte do Chile

Kátia Ribeiro

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação