BrasileirasPeloMundo.com
Dinamarca Empregos Pelo Mundo

Emprego na Dinamarca – Parte 1

Nas redes sociais tem crescido o número de pessoas que buscam informações sobre emprego na Dinamarca. Com a crise econômica que atingiu a Europa, muitos trabalhadores, sobretudo da Espanha, Portugal e Leste Europeu têm buscado oportunidades nos países escandinavos. As pessoas que se mudam para o país como acompanhantes – estrangeiros casados com dinamarqueses – e trabalhadores qualificados de outras nacionalidades, como Índia e Paquistão também vêm buscando informações a respeito. E como é trabalhar na Dinamarca, como se consegue um emprego, aqui?

Com a crise europeia também afetando a nação nórdica, encontrar um emprego na Dinamarca requer muito preparo e alguns requisitos fundamentais. Conhecimento em relação à cultura no mercado de trabalho, ter uma rede de contatos e saber dinamarquês são diferenciais na hora de encontrar um emprego nas terras da Rainha Margrethe II.

Conversei com a simpática Dagmar Fink, romena radicada na Alemanha, engenheira de softwares que desde 2006 vive em Copenhague e contou suas experiências como expatriada no mercado dinamarquês de trabalho em dois livros, “The Worktrotter’s Guide to Denmark” e “Business-Dances With Danes – decoding the Danish workplace culture”, ambos ainda sem edição no Brasil. Dagmar é referência na Dinamarca quando se trata de informação para os expatriados recolocados no mercado de trabalho dinamarquês e também para os que estão na batalha por um emprego, e seu trabalho é reconhecido pelos órgãos oficiais dinamarqueses como sendo de grande ajuda aos estrangeiros em fase de integração. Dagmar também é a fundadora e CEO do Worktrotter, um site interativo onde estrangeiros podem ler informações em inglês a respeito das diversas particularidades da vida na Dinamarca, além de proporcionar uma forma de networking.

BPM – Quais são as maiores dificuldades ou problemas que um estrangeiro pode encontrar ou deve esperar ao procurar um emprego na Dinamarca?

DF – São várias coisas, sendo que ter expectativas irreais é uma delas. Muitos estrangeiros não se preparam adequadamente e esperam que a busca por emprego na Dinamarca funcione da mesma forma como era em seu país de origem. Por outro lado, muitos obtêm a informação de que profissionais altamente qualificados são procurados na Dinamarca, porém essa informação não é suficientemente detalhada. Se a informação é de que médicos são procurados, isso não quer dizer necessariamente que otorrinolaringologistas são tão procurados quanto cirurgiões. Aqueles que deixarem de pesquisar suficientemente essas informações vão acabar se frustrando completamente se não conseguirem encontrar trabalho. Além disso, espalhou-se por aí que é facilmente possível trabalhar na Dinamarca sem falar dinamarquês. Pode ser possível, sim, mas com certas limitações. Também é necessário observar que os empregadores dinamarqueses buscam colaboradores com certas características específicas. Considerando-se que a Dinamarca é muito homogênea, é mais difícil para os dinamarqueses enxergarem essas características nos estrangeiros que, em muitas situações, reagem de forma diferente da esperada pelos dinamarqueses. Por esse motivo é muito importante estudar a cultura do mercado de trabalho dinamarquês.

BPM – É fácil para um estrangeiro conseguir emprego, aqui?

DF – Depende muito da área em que se procura. Em algumas áreas, pode ser fácil, mas em outras, é extremamente difícil. Em termos gerais, não está fácil no momento. A economia dinamarquesa ainda está sentindo os efeitos da crise financeira europeia. Há muitos dinamarqueses desempregados e os estrangeiros terão sempre que competir com eles em termos de conhecimento do idioma e aspectos culturais. Os dinamarqueses têm uma rede de contatos e conhecem melhor o mercado de trabalho local. Sendo assim, é muito importante para os estrangeiros procurar trabalho de uma forma bem focada. Eles devem fortemente considerar o que os torna especiais para um determinado trabalho. Isso pode ser ou o domínio de sua língua natal ou conhecimentos sobre a cultura de seu país de origem. Esses podem ser diferenciais que geralmente bem poucos dinamarqueses terão no mesmo nível que você, portanto pode ser uma boa abordagem, pesquisar empresas que trabalhem com os países de onde você vem. É aí que você terá realmente uma vantagem acima das qualificações dos trabalhadores dinamarqueses.

BPM – O que as empresas dinamarquesas geralmente buscam num candidato?

DF – É claro que as empresas dinamarquesas buscam profissionais com boas qualificações e muita experiência, porém os aspectos culturais são muito importantes. Entender a cultura de trabalho dinamarquesa é de extrema importância para conseguir um emprego na Dinamarca e obter sucesso no local de trabalho. Um aspecto importante da cultura no meio de trabalho dinamarquês é que os empregados precisam trabalhar independentemente e ao mesmo tempo, devem ser excelentes trabalhadores em equipe. Trabalhar independentemente significa tomar posse da tarefa pela qual você for responsável, encontrar o passo a passo para o que precisa ser resolvido e seguir seu passo a passo para a concretização da tarefa, sendo responsável pela execução da tarefa do início ao fim. Entretanto, ao mesmo tempo em que você deve ser independente, você deve também ser um bom trabalhador em equipe, fazendo muitas coisas com o grupo e para o grupo. Manter esse equilíbrio pode se tornar um grande desafio para os estrangeiros.

Leia sobre motivos para não morar na Dinamarca

BPM – Você escreveu dois livros sobre trabalho na Dinamarca. Pode nos contar um pouco sobre eles?

DF – The Wortrotter’s Guide to Denmark fala dos aspectos práticos da mudança para a Dinamarca. Ele fala sobre todos os aspectos importantes na nova vida na Dinamarca: questões administrativas, trabalho, encontrar moradia, sistema de saúde, escola, como construir uma rede social, entre outros. Esse livro alerta para como as coisas funcionam na Dinamarca, quais os deadlines para serem observados, o que fazer e o que não fazer. É uma preparação para fazer as coisas do jeito certo, desde o início de sua mudança, ou até mesmo antes de se mudar. Business-Dances with Danes – decoding the Danish workplace culture foca na cultura do trabalho e dá uma introdução em detalhes sobre o panorama econômico na Dinamarca. O livro mergulha nos aspectos culturais do ambiente de trabalho dinamarquês, em como o comportamento dos estrangeiros pode ser mal interpretado e ajuda a decodificar o comportamento dos dinamarqueses. Depois de ler esse livro você vai estar apto a procurar emprego com mais foco, sabendo o que é importante na interação com os seus colegas dinamarqueses quando encontrar um emprego e saberá o que fazer para que suas competências e experiência sejam reconhecidas como devem ser. Para ambos os livros eu coletei informações de quando eu me mudei para a Dinamarca, informações obtidas na comunidade internacional e também informações dos próprios dinamarqueses. Você não vai precisar ficar na ‘tentativa e erro’ como fizeram muitos estrangeiros, pois vai saber como fazer do jeito certo.

BPM – Qual seria seu conselho para as pessoas que estão na Dinamarca procurando emprego e ainda não encontraram?

DF – É de suma importância construir uma rede de contatos (networking). Vá a eventos onde pessoas da sua área de atuação vão participar. Conheça pessoas no seu ramo de trabalho e faça coisas que os ajudem a conhecer você e que aumentem a confiança deles em você. Aprenda o idioma. Isso vai lhe ajudar a se comunicar com os outros e conhecê-los melhor do que falando só inglês. Em paralelo, aprenda quais são os aspectos culturais, sociais e de ambiente de trabalho na Dinamarca. Os dinamarqueses sentirão certa familiaridade com você, o que do meu ponto de vista é a chave para o sucesso. “Pisar no calo dos outros” num ponto de vista cultural pode ser algo difícil de remediar. O que você puder fazer para evitar isso será de grande valor.

Related posts

Dez tradições de Natal na Dinamarca

Cristiane Leme

Emprego na Inglaterra: 10 diferenças culturais no escritório

Nathália Braga Bannister

Os desafios para entrar no mercado de trabalho na Bélgica

Tábata Senna

38 comentários

Ana Carina Março 19, 2014 at 9:53 am

Adorei o texto Cris!!
A entrevista com a Dagmar, nos faz ter o pé no chão , em uma realidade totalmente válida pra outros países também, nós expatriados temos que compreender e nos adaptar a uma nova realidade e não ao inverso. E a busca por informações é o primeiro passo e o mais importante!
Beejos

Resposta
Cristiane Leme Março 20, 2014 at 2:25 pm

É verdade, Ana, e muito importante buscar informações a respeito para não cair na cilada de falsas expectativas.
Obrigada pelo comentário e continue seguindo o blog!
Beijos

Resposta
kátia Novembro 19, 2017 at 10:45 pm

Na área da saúde com diploma de outro país é válido? Se não, o que seria necessário além do diploma e bom idioma dinamarquês?

Resposta
Cristiane Leme Novembro 21, 2017 at 8:14 pm

Olá Kátia. Para trabalhar nessa área é preciso homologar o seu diploma na Dinamarca. Normalmente é preciso ter inglês fluente e dinamarquês pelo menos básico. As informações para revalidação de diploma você encontra pesquisando em inglês no Google.
Boa sorte e obrigada por ler e comentar! Abraços e continue nos acompanhando!

Resposta
Ana Cristina Kolb Março 22, 2014 at 11:19 am

Cris adorei o texto, e a entrevista, acho muito importante as pessoas se prepararem antes de tentarem a aventura de emigrar, integracao profissional é com certeza o ponto mais importante e quanto mais rico e desenvolvido um pais, maiores são as exigências. Parabens pelo texto, muitos dos pontos acima acho que são validos pra qualquer estrangeiro tentando trabalhar em outro pais, como networking, se informar sobre o mercado de trabalho em detalhes, APRENDER A LINGUA E A CULTURA LOCAL, a dica de procurar empresas que trabalham com o seu pais natal, como diferencial a seu favor, fantástica dica!. ADOREI!!!! Bjus linda 🙂

Resposta
Dinamarca – Páscoa / Påske Abril 10, 2014 at 8:16 am

[…] Leia mais sobre a Dinamarca! […]

Resposta
Dinamarca -Trabalhando-Parte 2 Julho 1, 2014 at 11:51 am

[…] Em breve falarei mais sobre vistos de trabalho, situação atual do mercado de trabalho dinamarquês, carga horária semanal de trabalho no país, salários e benefícios, taxa de desemprego no país e relação colaboradores-empresa. E se você ainda não leu a primeira parte dessa série sobre trabalho, leia aqui. […]

Resposta
Felipe Bernardis Novembro 22, 2014 at 11:26 am

Ola Cristiane!
Gostaria de saber como faço para estudar e trabalhar na dinamarca!
teria como fazer um intercambio?
Daria pra me estruturar em cursos superiores?
Tem essa possibilidade?

li seu texto e ficou realemnte muito explicativo em muitos aspectos!
Como e tão importante a comunicação networking!
Obrigado pela entrevista nos serviu muito!

Resposta
Cristiane Leme Novembro 24, 2014 at 4:16 pm

Oi Felipe. Obrigada por ler o blog e por seu comentário.
Sim, é possível estudar na Dinamarca: há vários programas de intercâmbio, sendo o mais popular o Erasmus – http://www.esn.org. Há alguns pré-requisitos para vir estudar aqui. Você quer vir como estudante secundarista ou estudante de nível superior? Há muita informação disponível nos sites oficiais da Dinamarca, mas tudo em inglês. Estou preparando um texto sobre esse tema para sair em breve. Caso tenha interesse, entre em contato comigo pelo Facebook que passo mais informações sobre grupos na Dinamarca que podem lhe oferecer mais informação sobre intercâmbio. Um abraço e continue nos acompanhando!

Resposta
Adriana Frota Fevereiro 14, 2015 at 10:57 pm

Boa noite, Cristhiane! Tudo bem? Gostaria de saber se estas “obras”, da autora desta matéria, já estão em português, senão, por favor me avise. Grande abraço.

Resposta
Cristiane Leme Fevereiro 15, 2015 at 8:55 am

Oi Adriana. Eu acredito que não, mas vou perguntar a ela. Caso tenha interesse em adquirir as obras em inglês, por favor entre em contato comigo pelo Facebook que te coloco em contato direto com a Dagmar. Abraços e obrigada pela visita e pelo comentário 🙂

Resposta
Andrea Feitosa Julho 10, 2015 at 10:19 am

Muito legal e informativo. Parabéns.

Resposta
Cristiane Leme Julho 10, 2015 at 4:17 pm

Obrigada! 🙂

Resposta
Dinamarca – Que tipo de visto eu preciso ter? Agosto 20, 2015 at 11:31 am

[…] Se você está procurando trabalho na Dinamarca, leia algumas dicas nos meus textos sobre trabalho, aqui e aqui. A permissão de residência e trabalho na Dinamarca também pode ser concedida a pessoas […]

Resposta
Fernanda Janeiro 29, 2016 at 10:36 pm

Oie querida, boa noite!
Tenho uns parentes distantes que moram na dinamarca e tenho pensado em ir passar uma temporada aí e procurar emprego.
Sou formada em administraçao, mas pelo fato de nao falar dinamarques nem ingles entendo que encontrar emprego em minha ,area será bem complicado… E ainda assim nao encaro isso como problema pois iria disposta a trabalhar como “qualquer coisa”, no bom sentido, claro. Ai tem facilidade para emprego de baba? Diarista? Garconete? Gostaria de ouvir uma opniao, o que você acha ?!

Resposta
Cristiane Leme Janeiro 30, 2016 at 11:36 am

Fernanda, para ser bem honesta eu acho difícil, senão impossível, conseguir emprego na Dinamarca sem falar pelo menos inglês. O desemprego está alto no país e mesmo profissionais estrangeiros altamente qualificados, que possuem mestrado ou doutorado e falam diversos idiomas têm dificuldade em encontrar emprego atualmente. Até mesmo para empregos considerados secundários pelos brasileiros como serviços de limpeza e babás ou de “qualquer coisa”, como você diz, é imprescindível poder se comunicar de alguma forma e a preferência é dada a quem fala dinamarquês ou pelo menos inglês. E mesmo os empregos que os brasileiros consideram inferiores aqui possuem sua devida relevância e reconhecimento, tanto que para ser faxineira é preciso ter curso, por exemplo. Não aconselho ninguém a vir para a Dinamarca sem ter um motivo muito forte para isso. O país pode ser bastante hostil para quem quer fazer um pé de meia, e as coisas estão se estreitando ainda mais para os estrangeiros com as novas políticas de imigração, cada vez mais segregacionistas. Leia as demais matérias que escrevi sobre custo de vida, sobre como fazer amigos e sobre os motivos para não morar na Dinamarca e a segunda parte dessa matéria sobre trabalho. Por favor entenda que minha intenção ao escrever tudo isso está longe de servir como desencorajamento, pelo contrário. Meu intuito é de mostrar que se depois de conhecer o lado ruim do país você ainda tiver vontade de vir pra cá, significa que você está preparada para lidar com as adversidades que podem aparecer.

Há um programa de au pair no país mas para participar é preciso que você fale pelo menos inglês. Penso que seria uma boa ideia se dedicar a aprender inglês, pois além de ser uma mão na roda para você que está pensando em sair do país, o aprendizado de um novo idioma ajuda o cérebro a ficar mais ‘esperto’ e também vai representar um tremendo estímulo, alavancando sua vida profissional aí mesmo no Brasil, pra começar.
Sugiro vir conhecer o país como turista e tirar suas próprias conclusões, lembrando que turistas estão proibidos de procurar emprego, sob pena de deportação.

Boa sorte, obrigada por ler a minha coluna e continue nos acompanhando!

Resposta
Fabiula Setembro 6, 2016 at 12:36 am

Olá, venho procurando por informações sobre a Dinamarca. Tenho amigos que moram aí é falam bem.
Eu venho querendo estudar fora, fazer meu mestrado, mas sei que preciso melhorar meu inglês.
Como sou filha de português, tenho dupla cidadania. O que penso que pode me dar algumas facilidades.
E tenho um filho e iria com o meu marido.
Como não tenho condições de estudar sem trabalhar, teria que fazer os dois.
Já entrei no site da Universidade de Copenhagen e já sei qual o curso. Aqui no Brasil sou formada em História e Professora.
Qual a dica que você me dá para este quadro?

Desde já obrigada!

Resposta
Cristiane Leme Setembro 7, 2016 at 7:56 pm

Fabiula, obrigada por ler e comentar.
Primeiramente eu aconselho ler as regras para estudantes na Dinamarca e também as regras para cidadãos da CE poderem viver no país.
Se você for estudante na Dinamarca terá uma carga horária de trabalho reduzida e não poderá trabalhar além do permitido. Os empregos destinados a estudantes são normalmente na área de restauração e serviços e os salários estão entre os mais baixos do país. Não sei se daria pra você sustentar o seu marido e seu filho somente com salário de estudante e SU, por exemplo, pois o custo de vida aqui é alto – leia o meu artigo que fala a respeito.
Ter um inglês afiadíssimo é um dos requisitos principais para conseguir uma vaga de mestrado numa universidade daqui. Se o seu inglês é capenga, considere estudar e se aprimorar no Brasil antes de se aventurar por essas bandas. Veja aqui os requisitos necessários para se postular uma vaga de estudante no país: http://studyindenmark.dk/study-options/admission-requirements

A Dinamarca tem se tornado um dos países mais fechados para estrangeiros na atualidade. Desde que o governo conservador assumiu, em junho de 2015, as leis de imigração se tornaram ainda mais rigorosas e volta e meia decisões têm sido revogadas e leis, modificadas. Digo isso porque podem começar a surgir restrições para estudantes trazerem familiares para o país e para que você fique atenta.

Desculpe pelo tom pessimista e desanimador, mas tem sido bastante desafiador viver na Dinamarca no momento.

Leia tudo o que puder no http://www.nyidanmark.dk/en-us e no http://www.studyindenmark.dk, prepare-se bem e muito boa sorte com seus planos!

Resposta
Fabio Dezembro 3, 2016 at 7:53 pm

Olá Cristiane Leme.

Fico muito feliz por ter uma pessoa tão influente e com conhecimento ímpar deste assunto como você.

Obrigado pelas valiosas informações!

Sou desenvolvedor web Senior, e aqui no Brasil sempre tenho excelentes oportunidades de emprego e com excelentes ganhos (graças a Deus essa profissão é muito gratificante aqui em São Paulo). Minha idéia é fazer o mestrado em engenharia de software nos próximos anos.

Contudo me apaixonei por Copenhage só de ler a respeito da cidade e ver as imagens (ainda mais apaixonante) e adoraria poder me mudar para esta cidade.

Eu teria que arrumar um emprego de desenvolvedor em Copenhage, e aí que está a dúvida: será que tenho chances de arrumar um emprego nesta área facilmente?

E será que consigo fazer o mestrado em Copenhage ? (pesquisei e existem excelentes universidades neste ramo).

Sou casado e não tenho filhos.

Qual sua opinião a respeito?

Um abraço!

Resposta
Cristiane Leme Dezembro 4, 2016 at 4:52 pm

Fabio, francamente, minha opinião a respeito é que as pessoas, em primeiro lugar, precisam mudar a abordagem. Eu confesso que me incomoda quando as pessoas usam o advérbio ‘fácil’ toda vez que me perguntam sobre algo: “consigo facilmente isso, facilmente aquilo?”. Nada na vida é fácil, começando pelo nosso nascimento, então em vez de perguntar usando o termo ‘fácil’, que tal usar um termo mais apropriado, como ‘rapidamente’, que acredito ser a sua dúvida de fato?
Em geral, na Dinamarca os empregos são dados a quem já tem o visto para residir no país. Recentemente o esquema de Green Card, que tinha vários problemas, foi cancelado no país, e para trabalhar aqui você precisa que alguma empresa realmente deseje arcar com os custos de seu visto, o que é raríssimo, mas pode acontecer. Para aumentar as suas chances, tenha em mente que seu inglês deve ser impecável, você deve ter conexões no país – use o LinkedIn a seu favor – e aprenda dinamarquês, que será um enorme diferencial no seu caso, sendo estrangeiro.

Enfim, para me ater à sua pergunta: há muitas possibilidades para profissionais de TI na Dinamarca, desde que eles sejam fluentes em inglês e bons profissionais, com carreiras consolidadas. Antes de pensar em se mudar de mala e cuia pra Copenhague, pesquise mais sobre a cidade, visite-a como turista. Ela está entre as cidades dinamarquesas onde encontrar moradia é um desafio, onde o custo de vida é mais elevado e onde há maior incidência de crimes. Para instruções sobre como ingressar no mestrado em uma universidade dinamarquesa, consulte http://www.studyindenmark.dk – lá você encontrará todas as informações a esse respeito. Aproveite e leia outros textos do blogue, principalmente sobre custo de vida e moradia – sobre esse último tema, a Camila, minha colega de Copenhague, escreveu recentemente a respeito e pode lhe dar um panorama mais real da situação.

Tenha sempre em mente que mudar para outro país representa um desafio para o qual devemos nos preparar adequadamente, se queremos obter sucesso. Prepare-se com afinco e boa sorte nos seus planos 🙂

Resposta
Fabio Dezembro 5, 2016 at 12:12 am

rsrsrs é verdade, usei o termo “facilmente” de forma errada, mas a idéia é justamente essa mesmo.

Pretendo ir para os EUA (uma idéia inicial formada) até porque a empresa que trabalho proporciona facilidades pra isso, e tenho um proposta para avaliar amanhã, para trabalhar em Lisboa.

É um fato que eu mude de país dentro dos próximos 2 anos, mas quando vi a respeito de Copenhage e da DInamarca, confesso que fiquei tentado.

Seu conselho seria não morar em Copenhage então? quer dizer que existem opções mais “tranquilas” do que morar em Copenhage coreto?

Eu estava pensando justamente nisso, de fazer um tour para Copenhage, quem sabe no ano que vem!

Obrigado por responder e todo conselho seu é bem vindo!

Um abraço!

Resposta
Cristiane Leme Dezembro 5, 2016 at 7:34 pm

A capital da Dinamarca se chama Copenhague ou Copenhaga, em português 🙂
Talvez você tenha me entendido mal. O que eu quis dizer é que a Dinamarca tem muito mais a oferecer que somente Copenhague. As pessoas desconhecem porque na grande mídia só se mostra a capital, que é a maior cidade do país, porém para profissionais de TI a grande sacada é mesmo a região onde eu moro, no interior – a Apple vai inaugurar uma planta gigante de inteligência em Viburgo (Viborg) e as contratações já começaram desde o ano passado. Outras empresas como a Pixelz e Bang & Olufsen também solicitam profissionais de TI gabaritados. A ideia que eu quis lhe dar é que além de ser mais em conta morar no interior, a possibilidade de conseguir emprego na sua área é maior.

Recomendo fortemente uma visita ao país (não somente a Copenhague, mas a outras cidades) para sentir um pouco o clima local, testar sua capacidade de se comunicar e de se locomover. Apesar de a situação para os estrangeiros ser uma constante corda bamba no país, eu gosto de morar aqui, porém confesso que não é para todo mundo. Leia os meus textos que falam sobre os motivos para morar e não morar na Dinamarca, faça a sua visita por aqui e tire suas conclusões.

Abraços e boa sorte nos seus planos!

Resposta
Taimon Marques Dias Maio 1, 2017 at 2:36 am

Ola cristiane sera q consigo um servico de pedreiro na dinamarca tenho experiencia

Resposta
Cristiane Leme Maio 1, 2017 at 8:05 pm

Taimon, primeiro você precisa ver se consegue o visto pra morar aqui.
A Dinamarca é o país menos corrupto do mundo e tudo tem que ser feito dentro dos conformes e da lei, por aqui. Isso inclui ter o visto e permissão de trabalho antes de vir tentar a sorte – aliás, aqui não é um bom lugar para tentar a sorte, não. Ou vem com um plano, ou melhor nem vir. Desculpe a franqueza.
A concorrência aqui é brava. Para uma pessoa ser pedreiro na Dinamarca ela tem de estudar por 3 anos – é preciso ter o curso técnico de pedreiro para poder atuar na área, ou no caso de ter experiência em vez do diploma, falar dinamarquês é fundamental para se comunicar no canteiro de obras e com o cliente.
Veja o meu texto que fala sobre vistos para planejar as suas possibilidades.
Abraços e obrigada por ler e comentar 🙂

Resposta
Fahren Julho 25, 2017 at 11:04 pm

E a situação para sub-empregos, tb é valida?

Resposta
Cristiane Leme Novembro 26, 2017 at 8:00 pm

Detesto esse termo ‘subempregos’. Todo emprego na Dinamarca tem valor.
Empregos considerados inferiores pelos brasileiros aqui só podem ser exercidos se a pessoa tiver um curso ou muitos anos de experiência na área. Empregos na área de restauração e serviços são geralmente ocupados por estudantes.

Resposta
Maria das Dores da Silva Novembro 18, 2017 at 1:22 am

Olá Cristiane, que tipo de trabalho uma pessoa como eu aos 47 anos com pouco estudo sem nenhuma foramação academica, poderia encontrar em Copenhague?????

Resposta
Cristiane Leme Novembro 18, 2017 at 2:07 pm

Maria das Dores, desculpe pela franqueza mas acho quase impossível conseguir emprego sem pelo menos falar inglês e ter experiência relevante na área em que está buscando. Até para empregos desprezados no Brasil como na área de serviços e hotelaria é preciso falar um básico de dinamarquês e excelente inglês. Além disso, antes de conseguir o emprego é preciso ter permissão de moradia e trabalho para o país, e essa é a parte mais complicada. Leia meu artigo sobre planejamento para mudar para a Dinamarca, quem sabe as ideias clareiam?

Abraços e obrigada por comentar, continue nos acompanhando!

Resposta
Fabricio Amorim Novembro 18, 2017 at 1:51 am

Cristiane,
Olá tudo bem?
Tenho visto em muitos comentários que a Dinamarca não possui um serviço de entrega de comida.
Você acha que com um Inglês fluente e uma moto consigo abrir uma empresa especializada nesse segmento ou pelo menos arrumar um empregol por lá?
Grato

Resposta
Cristiane Leme Novembro 18, 2017 at 2:11 pm

Fabricio, não que não exista, mas é menos utilizado aqui se compararmos ao que existe em cidades como São Paulo, de onde venho, por exemplo. Acho que um serviço de entrega precisa ter um diferencial muito bom pra funcionar, mas no inverno poderia ser uma boa pedida. Porém para isso é preciso poder trabalhar por aqui. Leia por favor meus textos falando sobre vistos, regras para morar na Dinamarca, planejamento para a mudança e sobre como abrir empresa, acredito que vai dar uma ideia mais precisa.

Obrigada por comentar e continue nos acompanhando!

Resposta
Fabricio Amorim Novembro 18, 2017 at 2:19 pm

Cristiane,
Muito obrigado pelas dicas e parabéns pelo seu site.

Resposta
Cristiane Leme Novembro 19, 2017 at 1:21 pm

Obrigada por ler e comentar! Continue nos acompanhando 🙂

Resposta
Fabricio Amorim Novembro 18, 2017 at 1:59 am

Eu vi no Globo Repórter a matéria sobre a Dinamarca e fiquei espantado como pode um País ser tão sério e honesto com o seu povo, nossos queridos governantes deveriam assistir essa matéria e sentirem se envergonhados por tanta falta de caracter e transparencia e acima de tudo honestidade, nosso Brasil está entrando em calamidade, eu adoraria que um País como a Dinamarca infincasse uma bandeira em nosso País e dissesse deixa comigo que esse territorio agora é meu.
E cadeia a todos esses corruptos, mal caracters numa solitária a pão e água.
Desculpe o desabafo.

Resposta
Cristiane Leme Novembro 19, 2017 at 4:52 pm

Sabe, Fabricio, quem faz o país é o povo. Na Dinamarca teve muita luta pra que as coisas chegassem a esse nível que estão agora.
Entendo a sua frustração pois eu vivi na pele o que é ser um peixe fora d’água no Brasil. De tanto fazer as coisas diferente da maioria eu era uma pária. Um dos meus ex-empregadores, um tipo meio famosinho que se autointitulava O Homem do Vinho – assim, tudo em maiúsculas – uma vez me disse que não via razão em eu querer estudar ou, nas palavras dele, querer ser tão culta, pois o que importava era ter dinheiro. A experiência lá foi válida, sim, mas hoje em dia eu prefiro saber mais sobre uma empresa e suas práticas antes de me candidatar a uma vaga, pois presenciei práticas horríveis no Brasil em algumas empresas.
Claro que é mais fácil falar do que fazer, ainda mais sabendo que a injustiça social existe propositalmente para colocar o povo num lugar de inferioridade, com autoestima baixa e sem ânimo de lutar contra. Mas nós podemos! Basta começar. A revolução começa dentro de nós.

Infelizmente a educação é desprezada no Brasil. Na Dinamarca a educação é muito importante e voltada para a vida prática em vez das decorebas que eu lembro ter tido na ponta da caneta na minha época de estudante no Brasil. Aqui, crianças pequenas não têm seu desempenho medido por notas, por exemplo, pois o que importa é que aprendam, cada um da sua forma.

Acho que falta ao nosso povo um pouco mais de ousadia pra desafiar a ordem das coisas. O que falta aos brasileiros é enxergar que há poder dentro de cada um, que não dependemos de nenhum deus, de nenhum herói: dependemos de nós e nossa vida é o reflexo daquilo que queremos deixar como legado para as gerações futuras.

Resposta
Luanny Cortes Novembro 20, 2017 at 12:54 am

Oi Cristiane, Meu nome é Luanny e gostaria de tirar umas duvidas com vc…..
Voce sabe me informa como seria o processo de homologação de título…Sou formada em medicina e tenho interesse em morar e me especializar fora do Brasil, andei me interessando e pesquisando sobre a Dinamarca! Você sabe me informar qual seria o melhor visto para eu entrar no país? Pois pensei em entrar com visto de idioma, mas vi em um de seus textos, que a Dinamarca não oferece visto para idiomas… Sendo que eu tenho tenho fluência em espanhol e francês, porém sou uma negação em inglês rsrs
Desde já agradeço, abraços!

Resposta
Cristiane Leme Novembro 21, 2017 at 8:12 pm

Luanny, se você é médica e deseja clinicar na Dinamarca, saiba que sua profissão está na chamada Lista Positiva – leia os meus textos sobre vistos e regras para morar na Dinamarca para saber mais. Porém, sem ter pelo menos inglês fluente, acho bem pequenas, senão inexistentes, as suas possibilidades, mesmo com fluência em outros dois idiomas. Estou sendo bem franca com você. A Dinamarca tem coisas ótimas, mas também é, na atualidade, um dos países mais fechados para a imigração, e as contratações são baseadas na necessidade de mercado. A área de saúde tem muitas vagas, porém tem que preencher todas as exigências. Se o seu interesse realmente é morar aqui, aconselho a aprender dinamarquês no Brasil, e depois de uns dois anos e meio de curso, tentar homologar o seu registro de médica por aqui, mas lembre-se de ler as regras atualizadas no Ny i Danmark, pois tudo pode mudar a partir das próximas eleições do parlamento em 2019.
Boa sorte e obrigada por comentar. Continue nos acompanhando!

Resposta
Rodrigo Santos Novembro 26, 2017 at 4:43 am

Olá parabéns pelas informações, hoje sou proprietário de restaurante no Rio de Janeiro, e além da administração do restaurante sou o chef que desenvolve o cardápio, baseado no orgânico e artesanal, passando por petiscos até pratos mais sofisticados. Como você vê este mercado na Dinamarca? Qual possibilidade , na sua opinião, de ingressar neste setor como colaborador ou como proprietário ?

Resposta
Cristiane Leme Novembro 26, 2017 at 8:05 pm

Rodrigo, tenho a impressão de já ter respondido essa pergunta em outro texto meu.
Há muitas oportunidades na área de restauração. Sugiro procurar cidades grandes e cosmopolitas como Aarhus, Copenhague e Aalborg, ou cidades turísticas como Skagen. Sobre vistos, se tiver cidadania europeia ajuda, caso contrário terá que conseguir que uma empresa patrocine a sua vinda.

Boa sorte com seus planos!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação