BrasileirasPeloMundo.com
Austrália Culinária Pelo Mundo

Gastronomia australiana

Tive muito pouca dificuldade pra me adaptar à vida na Austrália, talvez por ja ter vindo para cá como turista anteriormente e já conhecer Sydney, a cidade que escolhi pra morar. Meu único problema de adaptação foi em relação à alimentação, pois demorei muito até conseguir achar um equilíbrio.

A gastronomia australiana é bem diferente da brasileira, assim como os hábitos alimentares. Comecemos pegando como exemplo o café da manhã. No Brasil, é comum pularmos essa refeição ou comer algo leve: frutas, iogurte, café com ou sem leite e um pãozinho é o que temos de mais tradicional. Não temos o hábito de nos empanturrarmos tão logo saímos da cama e preferimos fazer uma refeição com mais sustância no horário do almoço.

Pois na Austrália é exatamente o oposto. O café da manhã é praticamente uma refeição completa com ovos, bacon, abacate, pão tostado, espinafre, cogumelos, tomate. Regue tudo isso com um flat white (café com leite estilo brasileiro) ou com um latte (café com leite mais espumoso) e você estará facilmente alimentado até o comecinho da tarde.

Para mim esse não foi o maior problema no quesito alimentação, já que sempre tive o hábito de tomar um café da manhã reforçado. Meu drama era o horário do almoço.

No Brasil estamos acostumados a almoçar de verdade, sentar à mesa e fazer uma refeição completa que normalmente inclui arroz, feijão, uma carne e algum acompanhamento. Sempre tive o hábito de me alimentar bem na hora do almoço e sofri quando cheguei na Austrália, ja que aqui só fazemos um pequeno lanchinho ao meio-dia. É muito comum ver pessoas comendo sanduíches, saladas ou hambúrgueres nos 30 minutos de intervalo que têm. Encontrar um restaurante que sirva um prato-feito ou um buffet de balança na Austrália é uma missão quase impossível.

O jantar é a principal refeição da família australiana e é quando pai, mãe e filhos fazem juntos uma refeição reforçada e completa, normalmente por volta das 18h ou 19h. É na hora da janta que os australianos comem com vontade muita carne, massa, vegetais e legumes. Justamente quando eu prefiro uma refeição mais leve e frugal, ja que logo em seguida irei dormir.

Fora os hábitos alimentares, a comida aqui também é bem diferente do que temos no Brasil, onde nossa culinária é muito rica e particular. Cada região do país tem seu prato típico, seu ingrediente nativo, sua receita exclusiva. No sul temos churrasco e arroz de carreteiro, enquanto que no norte do país temos pirarucu e a caldeirada, passando por tantas variações nas demais regiões do país.

A Austrália, por sua vez, não tem um prato típico e sua culinária não varia quase nada de região para região. Por ser um país relativamente jovem e essencialmente formado por imigrantes de diferentes nacionalidades, a gastronomia é bem internacional e diversificada. É uma mistura de tudo: cozinha tailandesa, chinesa, japonesa, italiana, vietnamita, libanesa, indiana, mexicana. Há quem diga que o prato típico australiano é o fish and chips (peixe frito com batata frita), mas pessoalmente discordo disso.

A comida de pub é muito forte na Austrália também e pratos típicos como chicken schnitzel (filé de frango empanado e frito), costela de porco com molho barbecue, asinha de frango e frutos do mar são opções sempre presentes nos cardápios dos bares em qualquer canto do país, com pouquíssima variação.

Porém, existem alguns produtos alimentícios bem típicos e característicos da Austrália que valem a degustação porque dificilmente serão encontrados em outro lugar do mundo. São eles:

  •  Carne de canguru: sim, a carne do animalzinho australiano tão fofo, também é bem
    consumida no país normalmente cozida ou frita. Bem fácil de encontrar nos açougues e
    supermercados.
  •  Vegemite: é um produto muito controverso. Há os que amem e os que odeiem. Vegemite é uma pasta de vegetais de coloração marrom escuro, o que faz com que muita gente pense que é Nutella. Vegemite é salgado e é tradicionalmente consumido no pão tostado com manteiga no café da manhã do australiano.
  •  Tim Tam: é uma espécie de biscoito coberto por chocolate, ao mesmo tempo em que se assemelha ao Bis que existe no Brasil. É uma iguaria muito tradicional aqui na Austrália e tem variações de sabor: chocolate ao leite, meio amargo, chocolate branco, recheado.
  •  Anzac Biscuits: são biscoitos doces feitos com aveia e tradicionalmente se prepara ou se come esses biscoitos no dia 25 de abril, quando é celebrado o Anzac Day, o dia em que as tropas australianas e neozelandesas venceram a batalha em Galipoli. Leva esse nome porque os soldados comiam esses biscoitos para substituir o pão durante a I Guerra Mundial.
  • Weet-Bix: é uma espécie de biscoito feito de cereais e muito rico em fibras. Normalmente consumido no café da manhã misturado com leite, bananas e/ou outra fruta.
  •  Lamingtons: é considerado o bolo nacional na Austrália e, por isso, muito tradicional. Feito com uma massa bem levinha, semelhante a do pão-de-ló, pode ser recheado com creme ou geléia e é coberto com chocolate e coco ralado.
  • Pavlova: trata-se de uma torta doce feita com merengue inventada para homenagear a
    bailarina russa Anna Pavlova quando ela visitou a Austrália e a Nova Zelândia na década de 20. É coberta com chantilly e frutas.
  •  Meat pie: está para a Austrália assim como a empadinha de massa folhada está para o Brasil e a semelhança entre as iguarias é grande. A meat pie australiana (foto no topo do texto) tradicional é recheada com carne e purê de batatas e coberta com molho de carne.

Leia sobre os tipos de visto para morar na Austrália!

Related posts

Hábitos Alimentares na Áustria

Mariana Gonçalves

O que beber na Austrália

Juliana Letra

Aplicativos australianos mais importantes para o dia a dia

Juliana Letra

4 comentários

Camila Picolli Outubro 9, 2017 at 2:48 am

Lú, te achei aqui (que mundo pequeno, hahaha) e adorei o texto. Olha a coincidência, esse mês escrevi sobre a minha adaptação de alimentação na mudança para Seattle aqui para o Brasileiras pelo Mundo! Beijos pra ti.

Resposta
Luciana Rodrigues Novembro 5, 2017 at 11:23 pm

Camila!! Que mundo bem pequeno esse. Vou ler teu texto. Que bom te reencontrar mesmo que seja nesse mundo online. Beijão pra ti

Resposta
Fernanda Borba Janeiro 28, 2018 at 5:51 pm

Vou precisar de ajuda dos conterrâneos, chego em Abril à Sidney. Vou estudar e trabalhar. Me chamo Fernanda Borba.

Resposta
Luciana Rodrigues Janeiro 28, 2018 at 11:32 pm

Oi, Camila!
Estou à disposição pra ajudar se precisar, é só me mandar um email quando chegar aqui.

Abraço

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação