BrasileirasPeloMundo.com
Austrália

7 motivos para não morar na Austrália

7 motivos para não morar na Austrália.

Há quem diga que a Austrália é o Brasil que deu certo. Há quem se encante pela beleza natural única do país, pela sua multiculturalidade, pelo estilo de vida livre, leve e solto dos australianos. Há quem ame a Austrália e nunca mais queira ir embora, mas há quem não goste e não veja razão alguma pra morar no país. O paraíso é subjetivo e relativo e fica ao gosto do freguês. Mas há alguns pontos de desvantagem que na minha opinião devem ser levados muito em consideração caso você pense em se mudar pra Austrália. E minha intenção ao discorrer sobre isso não é desanimá-lo ou fazê-lo desistir do seu plano de mudança, mas sim, te dar uma outra perspectiva.

Acho que ao planejar mudar de país, costumamos levar em conta apenas os aspectos positivos do que a vida no primeiro mundo vai nos oferecer: segurança, oportunidades de trabalho, dignidade. Estes, entre tantos outros aspectos, acabam de certa forma compensando o lado negativo. Porém, não podemos enxergar apenas o lado bom da mudança e temos que estar preparados pra saber enfrentar o lado negativo, que existe sempre em qualquer lugar do mundo.

1. Visto
Se você não tiver um visto de residência permanente, um visto de trabalho ou um visto que te autorize trabalhar 40 horas por semana, suas chances de ficar pra sempre na Austrália serão muito pequenas e o caminho a trilhar pra conquistar a permanência será sofrido, demorado e bem caro.
A porta de entrada no mundo dos vistos australianos é o visto de estudante, que permite ao aplicante principal uma carga horária de 20 horas semanais de trabalho legalizado, o que ja dá uma bela ajuda. Porém, nas outras 20 horas que sobram é preciso estudar e pagar escola e arcar com todos os demais custos que envolvem a vida por aqui.

2. Trabalho e carreira
A menos que você já saia do Brasil contratado por uma empresa na Austrália, as chances de você trabalhar sentadinho num escritório, no computador, de terno e gravata, são mínimas. Ainda mais se você estiver num visto de estudante. Esse tipo de visto, por conta da restrição na carga horária de trabalho, restringe muito a contratação por parte das empresas. A não ser que você seja um profissional altamente capacitado numa área de alta demanda aqui e tenha domínio do inglês.
Portanto, prepare-se pra deixar de lado todo e qualquer tipo de preconceito que você tenha com o que se convencionou chamar de “subemprego”no Brasil, pois na Austrália é exatamente esse tipo de trabalho que você vai ter que encarar a fim de se manter no país. A boa notícia é que aqui não existe nenhum tipo de discriminação em relação ao tipo de trabalho que você faz, pois todo o trabalho é visto como necessário e digno.
Essa mudança de país vai impactar diretamente na sua carreira, que ficará estagnada já que você possivelmente não vai trabalhar nela no mercado australiano. Então se você tem intenção de voltar pro Brasil logo depois, leve isso em consideração.

Leia também: custo de vida na Austrália

3. Mordomias e luxos
Por mais difícil que seja e esteja a situação econômica e política do Brasil, grande parte dos brasileiros pode pagar pela casa própria ou pelo menos morar sozinho e se dar ao luxo de algumas pequenas mordomias: diarista pra limpar a casa, porteiro no prédio, empacotador no supermercado, entre outros.
Esqueça absolutamente tudo isso se pensar em mudar pra Austrália. Especialmente em Sydney, o custo pra alugar um apartamento e morar sozinho (ou com o/a esposo/a) é impraticável. É muito comum dividir casa e até mesmo o quarto com pessoas estranhas que você nunca viu antes.
Ter faxineira ou diarista é mais fora do comum ainda, ja que a hora de trabalho de um profissional de limpeza custa bem caro e nem mesmo os australianos ricos tem empregados em casa. Aqui cada um faz a sua parte na limpeza e manutenção da casa e todo mundo pega no pesado.
Não há porteiros nos prédios, não há pessoas pra empacotar suas compras no supermercado, não há frentistas no posto de gasolina pra abastecer seu carro, não há cobrador no ônibus, não há cozinheira pra preparar sua comida, não há ninguém pra limpar seu banheiro, arrumar sua cama ou guardar suas roupas. Acostumar-se com isso é essencial pra sobreviver na Austrália.

4. Fauna
Se você tem fobia de aranhas, baratas, cobras e animais aquáticos, definitivamente a Austrália não é o seu lugar no mundo.
Já é sabido que no país encontram-se as espécies mais letais de aranhas e cobras, além de tubarões e águas vivas que infestam os oceanos.

5. Vida pacata, cidades desertas
A Austrália é um país que tem praticamente a mesma extensão territorial do Brasil e 200 milhões de habitantes a menos. Atualmente a população australiana é em torno de 25 milhões de pessoas, grande parte delas concentradas nas grandes cidades como Sydney (5 milhões), Melbourne (4 milhões), Brisbane (2 milhões), Perth (1 milhão) e Adelaide (1 milhão). A vida num modo geral é pacata e a vantagem de viver num país com baixa densidade populacional é que não precisamos enfrentar filas no supermercado, no ponto de ônibus, no banco, etc.
Porém, pra quem gosta de agitação a Austrália pode ser decepcionante, ja que tudo fecha cedo e a vida basicamente acontece à luz do dia. Os restaurantes fecham por volta das 21h, 22h. Shopping center funciona no máximo até às 19h. Não existe farmácia 24 horas.

6. É longe
Sim, a Austrália é longe de tudo, especialmente do Brasil. São pelo menos 20 horas viajando pelo caminho mais curto (via Chile ou Argentina) pra poder voltar pra casa a um custo bem alto. Isso quer dizer que qualquer coisa que aconteça com você aqui ou com alguém da sua família lá, o tempo de deslocamento será muito longo. E ainda há de se considerar a questão do visto para entrar na Austrália, caso seus familiares precisem vir pro país. Mesmo um visto de turista pode levar vários dias pra ser emitido.

7. Solidão
A Austrália é um país essencialmente feito de e por imigrantes e é bastante comum encontrar gente do mundo inteiro nas grandes cidades. Independente do visto que você tiver quando mudar pra cá, a solidão será um fantasma rondando sua vida até que você se estabeleça, até que os anos passem e você crie uma rede permanente de amigos e familiares em solo australiano.
Acho que quem vem no visto de estudante acaba sofrendo mais com esse aspecto, ja que é comum vir sozinho e criar alguns laços com os colegas de escola. Porém, é bem frequente também que esses mesmos amigos que você fez na sala de aula te deem adeus e voltem pros seus países de origem depois que o curso terminar. Aprender a se despedir é uma das disciplinas que nos ensinam na escola da vida na Austrália.
A diferença de fuso horário entre Brasil e Austrália é de mais ou menos 12 horas, ou seja, manter o contato diário com familiares e amigos que você deixou em solo nacional tende a se tornar um problema, especialmente depois que você entrar na rotina puxada no novo país.

Leia também: onde morar em Sydney

Como eu disse lá no começo, não existe paraíso na Terra e também não quero desanimar ninguém que esteja pensando em vir morar na Austrália. Eu não me arrependo de ter vindo pra cá há 3 anos, sinto muita saudades da minha família e dos meus amigos, não me adaptei 100% a algumas coisas aqui ainda, mas por enquanto, estou conseguindo sobreviver aos aspectos negativos dessa mudança. E estou em paz.

Related posts

Opções de visto na Austrália

Mariana Loureiro

O transporte público em Melbourne

Juliana Letra

Sobrevivendo ao verão australiano

Sheyne Tanaka

10 comentários

Samantha Godoy Março 26, 2018 at 1:08 am

Oi Luciana!

Adorei o seu texto! Eu e minha namorada estávamos pesquisando sobre intercâmbios e outros países e pesquisando sobre a Austrália nos deparamos com seu post. A maior coincidência é que também somos de Pelotas (RS) e estamos lidando com uma situação realmente muito difícil por aqui, pois a cidade está completamente violenta. Está insuportável mesmo.

Como é a área universitária por aí? Não sei se tem postagens suas sobre isso. Desde já agradeço!

Resposta
Juju Junho 7, 2018 at 1:44 am

que triste ;-;

Resposta
Monise Junho 25, 2018 at 5:12 pm

Olá. Eu tenho pensado muito em deixar o país. Meu marido tem um primo na Austrália que nós tem estimulado muito a ir embora. Estamos dispostos a abandonar nossa carreira e começar do zero. O primo disse que pro meu marido arrumar serviço é tranquilo.. um colega dele em duas semanas lá já conseguiu arrumar. Eu, sendo mulher, teria maior dificuldade em arrumar trabalho? Não tenho medo de trabalhar pesado.. só tenho medo de não trabalhar!

Resposta
Liliane Oliveira Junho 26, 2018 at 2:23 pm

Olá Monise,
A Luciana Rodrigues parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas na Austrália que talvez possam te ajudar.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Anonimous Agosto 16, 2018 at 8:24 pm

Olá, a questão da fauna, como é? Você já se deparou com um animal peçonhento numa cidade como Sydney?

Resposta
Liliane Oliveira Agosto 17, 2018 at 2:50 pm

Olá,
A Luciana Rodrigues parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas na Austrália que talvez possam te ajudar.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Rafael Agosto 31, 2018 at 1:06 am

Gostei do texto, mas se uma pessoa busca por mudanças e busca algo melhor do que o Brasil que, na minha opinião, é sem futuro em quase todas as áreas, ela tem que se “sujeitar” a fazer coisas que eventualmente no Brasil não faz. Acredito que esse texto se encaixe para os filhos de papai que são tudo dondocas de braços curtos. Conheço muita gente que foi e que estão na Austrália faz muitos anos. Dificuldades todos passam, seja aqui no Brasil ou em qualquer lugar do mundo. Dessas pessoas que conheço que foram para Austrália, somente um doncoca braço curto que peidou na linguíça e não conseguiu ficar 1 mês lá. E sabe porque? Porque é um baby jhonson, aqui não faz nada, não levanta do sofá pra pegar um copo d’água…o pai deu tudo, e ele mau sabe limpar a bunda sem ajuda da faxineira…pra esses, com toda certeza, não vá pra lá. De todos os outros que estão na Austrália, nenhum quer voltar. Inclusive uma amiga veio esta semana visitar a mãe e estive com ela. Conversamos muito. Você precisa ver o pavor que ela tem quando sai de carro…medo de tudo… liga a tv e é só tragédia 24hs por dia… corrupção… enfim…quando ela vem ela não vê a hora de voltar pra lá. Ela me disse que uma semana antes de vir para o Brasil ela achou a chave da porta da casa dela que ela tinha perdido a cerca de 3 anos…porque ela nunca tranca a casa então não fez falta… essas coisas não tem preço e recomendo a todos que tiverem a chance de ir que vão antes de levar uma bala na cara dentro do carro numa tentativa de assalto do seu celular!

Resposta
Bruno A Pereira Janeiro 26, 2019 at 11:44 pm

Concordo plenamente….dos 7 pontos elencados apenas o lance da distância vejo como algo mais complicado de lidar…para o restante cada ponto negativo na Austrália eu poderia elencar outros 10 para o Brasil no qie diz respeito à saúde , educação, mobilidade, segurança, corrupção e em qualidade de vida no geral, moro há 4 meses na Austrália e do pouco que moro aqui as diferenças são enormes.

Resposta
wadir Olivetti Junior Outubro 8, 2018 at 4:07 pm

Oi , obrigado, pelas informações , sou casado e tenho dois filhos terminando engenharia civil, gostaria de investir na compra de uma casa perto d e uma media cidade na Australia e ond e eles poderiam trabalhar no ramo d e engenharia ,tenho passaport Italiano ajudaria?

Resposta
Liliane Oliveira Outubro 9, 2018 at 7:37 pm

Olá Wadir,
A Luciana Rodrigues parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas na Austrália que talvez possam te ajudar.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação