BrasileirasPeloMundo.com
França Maternidade Pelo Mundo

Gravidez e parto na França

Agora que você já leu a parte 1 sobre como o sistema de saúde funciona com relação à gravidez e parto na França e já escolheu o profissional que irá te acompanhar, vamos a todo o resto que te espera durante uma gestação por aqui.

Inscrição na maternidade

Assim que descobrir que está esperando um bebê você precisa se inscrever em uma maternidade. Na França existem três tipos de maternidade: nível 1 – para partos sem nenhuma complicação; nível 2 – equipadas com UTI neonatal; e nível 3 – equipadas com UTI neonatal e especializadas em partos com problemas, gêmeos, entre outros. Você pode se inscrever em uma maternidade nível 1 no começo da gravidez e, caso você tenha algum problema no decorrer, seu próprio médico irá te transferir para uma maternidade de nível superior.

Além disso, você pode escolher ter o parto em um hospital público, em uma maternidade privada ligada ao governo (assim o seu parto será gratuito), em uma casa de parto ou até mesmo em casa com tudo pago pelo governo.

Aqui em Toulouse muitos ginecologistas atendem no próprio hospital em que fazem o parto e não há dificuldades em conseguir vagas, mas você precisa pagar uma taxa de parto que pode custar em torno de 300 euros. Esse dinheiro não é reembolsado pelo governo e nem pela mutuelle, mas caso a sua mutuelle te dê um dinheiro quando o bebê nasce (falei sobre isso na parte 1), você pode usar esse dinheiro para pagar o ginecologista.

Já os hospitais públicos costumam ser bem cheios e para garantir uma vaga em algum hospital que você goste ou que seja perto da sua casa é preciso fazer a aplicação assim que você descobre a gravidez e esperar a resposta do hospital. Em geral, nos hospitais públicos quem faz o parto são as sages femmes e você só verá um ginecologista caso precise de uma cesárea. Eu fiz a minha inscrição no hospital da cidade e fui aceita. Junto com o aceite do hospital eu recebi três agendamentos de consultas, duas com uma sage femme e uma com o anestesista, todas para os dois meses finais da gravidez.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar na França

Ultrassons na gravidez

Na França você fará três ultrassons durante a gravidez, mais que isso só se você tiver problemas. É isso mesmo, nada daquela maravilha do Brasil do seu ginecologista ter um ultrassom no consultório e você poder ver o seu bebê todo mês. Aqui, é o governo que paga pelos seus exames e você só vai fazer o que é necessário e ponto.

O primeiro dos ultrassons a que você tem direito é o de 12 semanas, para verificar se a gravidez é múltipla e eventuais deficiências (translucência nucal). Esse ultrassom é acompanhado de um exame de sangue para completar o diagnóstico. Depois de alguns dias, você receberá uma probabilidade do seu bebê ter algum problema como 1 para 200 ou 1 para 5000. Caso a sua probabilidade seja alta, você pode fazer exames complementares como a amniocentese ou o NIPT. O NIPT não é coberto pela SS e você precisará pagar 400 euros caso opte por ele. Todos os outros exames são cobertos pela SS.

O segundo ultrassom é o morfológico, no segundo trimestre (entre 21 e 24 semanas) de gestação, para você descobrir o sexo e saber se está tudo bem com o seu bebê. Caso você não consiga descobrir o sexo nesse ultrassom, a sua próxima chance será no de 32 semanas. Na França, não existe pagar para fazer um exame de sangue para descobrir o sexo. Se tudo estiver bem com a sua gravidez, o ultrassom de 32 semanas será o seu último até você completar 40 semanas, quando começa um acompanhamento mais contínuo seu e do bebê.

Mais um detalhe sobre os ultrassons, é que alguns lugares cobram o ultrassom mais caro do que a tabela do governo, o que significa que o governo + mutuelle vão te reembolsar 100% do preço dessa tabela, o que passar disso é você que paga.

Informações importantes para brasileiras: uma é que o termo na França é contado com 41 semanas e não com 40, como no Brasil; a segunda é que eles esperam o bebê nascer até 41 semanas + 5 dias. Esse é o limite para indução do parto. Claro que tudo vai depender da vitalidade do bebê e das condutas do seu médico. A terceira é que aqui não se escolhe ter uma cesariana. Elas só acontecem se forem completamente necessárias ou de emergência.

Exames de sangue e urina na gravidez

Além dos três ultrassons, os exames de rotina são os de urina e os de sangue, para verificar toxoplasmose, presença de proteínas e de açúcar.

Declaração de gravidez

Depois que você confirmar a gravidez e descobrir que está tudo bem com o seu bebê, você vai fazer uma “déclaration de grossesse” com o profissional que estiver te acompanhando. Essa declaração será enviada para a CAF (caisse d’allocations familiales) e para MGEN ou CPAM. Depois de algumas semanas, você receberá um livreto explicativo com todos os seus direitos, licença-maternidade, auxílios. Além disso, a CAF irá te mandar nome e senha para se cadastrar e pedir auxílios do governo caso você esteja dentro dos possíveis beneficiários.

A declaração deve ser feita impreterivelmente até a 14a semana de gestação, mas imagino que devem ter exceções para quem vem de fora mais tarde que isso.

Curso pré-parto

Todos os futuros papais e mamães têm direito a aulas pagas pelo governo dadas por uma sage femme com o objetivo de tirar dúvidas, fazer um treino para o parto, aprender cuidados com o recém-nascido, dicas de aleitamento, entre outros. Se você estiver sendo acompanhada por uma sage femme, ela mesma pode te dar o curso. Se você estiver sendo acompanhada por um ginecologista, ele te encaminhará para a sage femme do hospital.

Vocabulário

Aqui vai um pouco de vocabulário que pode te ajudar nas consultas na França:

  • aborto: fausse chouche
  • bolsa d’água: poche des eaux
  • consulta: rendez-vous
  • corrimento: pertes vaginales
  • data do parto: date pévue d’accouchement
  • dor de cabeça: mal de tête
  • dor nas costas: mal de dos
  • estar grávida: être enceinte
  • exame de sangue: test sanguin
  • ginecologista: gynécologue
  • gravidez: grossesse
  • licença maternidade: congé maternité
  • líquido amniótico: liquide amniotique
  • médico generalista: médecin généraliste
  • parteira: sage femme
  • parto: accouchement
  • peso: poid
  • placenta: placenta
  • remédio: médicament
  • sangramento vaginal: saignement vaginale
  • síndrome de down: trissomie 21
  • teste de gravidez: test de grossesse
  • Útero: uterus
  • última menstruação: dernière règles
  • ultrassom: échographie

Espero que eu possa ter ajudado a esclarecer um pouco de como é estar grávida na França. A França é um país burocrático, mas que tem um bom sistema de saúde e que ampara muito as gestantes. Boa sorte e um bom parto a todas!

Related posts

Hábitos franceses

Marcella Delfraro

Transporte público em Paris

Rosana Alcântara

Minha admiração pelos franceses

Anna Mendonça

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação