BrasileirasPeloMundo.com
Empregos Pelo Mundo EUA

Guia para procurar emprego em Nova Iorque

Imagem sem direito aut

Guia para procurar emprego em Nova Iorque

Nova Iorque é uma cidade de grandes sonhos, como canta Alicia Keys: “if you can make it here, you can make it everywhere”- Empire State of Mind, Pt. II – ou, em bom português, se você consegue se realizar aqui, você consegue em qualquer lugar. Ainda não comprovei, mas deve ser verdade.

Fato é que Nova Iorque é uma cidade de grandes sonhos e muitas oportunidades. Muitas mesmo. Em caminhadas de poucos metros você passa por cafés e lojas com placas de “contratando” na vitrine e no Linkedin existem pelo menos 100 vagas parecidas com o cargo que você está procurando. Pode fazer o teste.

Essa abundância toda está ligada aos direitos (ou falta dos mesmos) trabalhistas americanos. O vínculo empregatício aqui é muito menos rígido do que no Brasil, principalmente para serviços. E por falar em serviços, a participação dos clientes é essencial nos ganhos de garçons, bartenders, manicures e qualquer empregado que trabalhe com o público. O salário mínimo é de 15,00 dólares a hora e eles realmente dependem de gorjetas para complementar a renda.

Os sonhos são grandes e os custos também. Aluguel, contas, comida e transporte são itens básicos bem caros (já escrevi aqui sobre o mercado imobiliário em NY), sem falar nas Universidades famosas que são difíceis de entrar (apenas um link sobre os escândalos de suborno) e podem custar um total de 300 mil dólares (ou mais!) em 4 anos. É uma loucura!  

O salário médio para uma pessoa com diploma universitário é de 4.000,00 dólares, menos 40% (em média) de imposto, que é composto pela taxa federal somada à estadual e municipal. A lista de funções que precisam ser desempenhadas no cargo almejado, claro, é interminável. Todos esses fatores fazem Nova Iorque ser um pouco menos animadora para quem está procurando um emprego, principalmente sendo recém-chegada.

Leia também: Tudo o que você precisa saber para morar nos EUA

O que eu conseguia bancar no Brasil, provavelmente não vou conseguir aqui. Como se isso já não fosse desanimador o suficiente, ainda preciso percorrer um caminho longo e espinhoso para conseguir um emprego.

Vou listar alguns passos dessa busca desgastante com a intenção de preparar quem estiver pensando em vir trabalhar na sua área. E calma!  Até o fim do texto tem dicas para aliviar essa angústia.

A primeira aptidão que você vai precisar demonstrar é paciência, muita paciência para preencher formulários intermináveis, se declarar latina, não veterana, mulher e falar sobre suas deficiências em todos os cargos que se candidatar. O processo é chato, detalhista e invasivo. Confesso que me deixou um pouco acuada no começo.

A segunda habilidade que você precisa demonstrar é resiliência. Então, segue o baile porque tem mais!

Para começar a buscar uma oportunidade você precisa do visto com permissão de trabalho. Parece óbvio, mas existem milhões de tipos vistos e quase todos são caros. A empresa que vai te contratar não quer bancar essa despesa e sua autorização de trabalho é questionada no primeiro formulário que você for preencher e em todos os outros.

Pegue o caderninho dos sonhos (que vão virar realidade) e anota a dica número um: deixe bem claro que você nunca vai pedir auxílio financeiro da empresa para bancar seu visto. Essa é uma responsabilidade sua.

O perfil do Linkedin aqui tem papel fundamental e isso pode ser um pouco diferente das contratações no Brasil. A rede social é usada incansavelmente e tem várias funções. Você pode começar sua busca por emprego nela, por exemplo.

Milhares de vagas são publicadas no Linkedin diariamente, o que nos leva a mais um ponto: normalmente ele só abriga a descrição da vaga e te redireciona para outro site onde, aí sim, você pode se candidatar. Existem milhões deles.  Algumas empresas têm seu próprio site de recrutamento e você pode preencher seus dados e se candidatar em quantas vagas quiser, outras empresas fazem você preencher o cadastro cada vez que quiser se candidatar para uma vaga.

Existem inúmeros sites de cadastro que são usados pelas empresas para puxar suas informações, em alguns deles você pode linkar com o seu perfil do Linkedin, o que torna o processo mais rápido, mas não se iluda: não são todos e, além do que já está disponível no Linkedin, você ainda vai precisar preencher algumas informações ou detalhar mais suas funções nos cargos anteriores.

Foto: Shopfy

Eu provavelmente já repeti a palavra “site” muito mais do que deveria e isso quer dizer que basicamente seus dados ficam por aí, rodando o mundo, na ilha de NYC.

A carta de apresentação é uma exigência em quase todas as oportunidades de emprego e é bem chata de fazer porque você precisa ser bem específica sobre a empresa que você está se candidatando (mostrar interesse mesmo, provar que fez o dever de casa e sabe o que precisa sobre a empresa em questão), e ser bem específica sobre as suas funções no cargo que você quer conquistar, correlacionando suas habilidades à vaga. Isso diminui muito a quantidade de inscrições que a empresa recebe e a quantidade de cargos que você consegue se candidatar em um dia.

Leia também: É possível se realizar profissionalmente em outro país?

Cartas de recomendações também são importantes, então essa é a hora de mandar email para todos os chefes antigos pedindo recomendações no Linkedin.

Existe uma maneira bem particular de preencher seu Linkedin, fazer a carta de apresentação e falar sobre o seu visto sem assustar o recém-contratado profissional de RH que vai te encaminhar para o próximo passo num processo seletivo. Por isso que agora eu trago uma notícia boa: a biblioteca pública de Nova Iorque oferece um serviço gratuito de aconselhamento de carreira.

Os profissionais doam um pouco do tempo deles para ajudar pessoas que estão tentando mudar de área, têm dúvidas sobre o currículo, querem melhorar suas performances em entrevistas, enfim… eles tão lá pela gente! E é incrível!

Você pode marcar um horário aqui com um orientador específico ou com alguém que esteja disponível na melhor hora para você. Marquei o horário, sem preferência de orientador, e fiquei uma hora, frente a frente, com uma profissional de RH que tem 25 anos de mercado. Ela me orientou em todos os aspectos que nossos sessenta minutos permitiram.

Procurar trabalho formal em Nova Iorque é um trabalho em tempo integral, mas se o seu sonho for tão grande quanto a vontade de vencer essas burocracias, boa sorte! Existe um caminho, aliás, muito mais de um caminho, e esse é o brilho (que quase cega) de Nova Iorque.

Todas essas dicas valem para quem está procurando um emprego em escritório, basicamente. Não interessa muito se você está se candidatando para ser chefe ou secretário, a maior parte das exigências são as mesmas.

Related posts

Mercado de trabalho para estrangeiros na Holanda

Cintia Beatrice

EUA – A geração da tecnologia e praticidade

Lorrane Sengheiser

Sobreviva em ambientes de trabalho predominantemente masculinos

Letícia Cavalcante

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação