BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Dinamarca

Hábitos dinamarqueses

Hábitos dinamarqueses.

Quando eu me mudei pra Dinamarca, não sabia muita coisa sobre o país e, como todo mundo que muda de um país para outro, tive que me adaptar e me acostumar ao modo dinamarquês de fazer algumas coisas. Pensando nisso, resolvi compilar uma lista das coisas que são feitas de forma diferente de como conhecemos no Brasil e, quem sabe, dar uma forcinha pra quem está na fase da aculturação, pra você passar menos perrengue no choque cultural.

1- Lavando a louça

Os gastos com contas de consumo podem ser bem altos. Se na casa ou apartamento onde você for morar não tiver máquina de lavar louça, saiba que na Dinamarca a louça se lava assim: primeiro você joga fora os restos de comida e enxágua tudo só com água quente e escova; depois, enche uma bacia com água e detergente e aí, sim, lava sua louça, feliz da vida, colocando-a para secar normalmente sem enxaguar do sabão. Esse método de lavar na bacia é o aconselhado na cartilha da integração fornecida pelo governo, que diz o seguinte: “lave (a sua louça) usando uma bacia própria para esse fim em vez de água corrente.”

Algumas dicas que a cartilha da imigração dá para os recém-chegados à Dinamarca. Foto: arquivo pessoal
Algumas dicas que a cartilha da imigração dá para os recém-chegados à Dinamarca. Foto: arquivo pessoal

2- Limpando a casa

Na Europa em geral ninguém lava o chão da forma como fazemos no Brasil, com mangueira ou com baldes e baldes d’água. Isso é desperdício, principalmente de água e como já vimos no caso da louça, água é artigo precioso na Dinamarca. Assim sendo, a limpeza é feita com aspirador de pó e a lavagem, com o bom e velho esfregão ou bucha, bem útil se você (como eu) morar numa casa cujo chão da cozinha é de madeira; a pessoa que bolou essa casa certamente comia fora o tempo todo, pois só quem cozinha sabe o drama que é ter assoalho de madeira justamente onde se faz a comida. Isso pra mim é surpreendente, já que os dinamarqueses costumam ser bastante práticos. Lavar esse chão de madeira é uma tarefa árdua e nada prática!

Mas tudo bem se o seu chão não estiver lá aquele primor de brilho. O dinamarquês é muitíssimo mais relaxado em relação à limpeza da casa que nós, brasileiros, e ninguém costuma reparar no pó sobre os móveis ou em algum mofo perdido no rejunte do azulejo (ou se repara, não fala – tudo em nome do hygge, lembra dele?), então nem precisa ser um neurótico por limpeza. Se fizer o básico já acharão que você é mais dedicado que a média!

Leia também: visto para morar na Dinamarca

A água da Dinamarca é pesada e contém muito calcário, o que leva à calcificação de metais e eletrodomésticos na cozinha e no banheiro. Há produtos específicos para descalcificar eletrodomésticos, metais como torneiras e fechos e também azulejos. Esse é um item que deve fazer parte da sua lista de compras, sempre.

Alguns dos produtos úteis para ter em casa:

Rodalon – Remove odores e desinfeta. É ótimo para lavar tábuas de cortar alimentos e seguro para lavar a geladeira.

Klor – É cloro; deve ser diluído em água para fazer água sanitária.

Brunsæbe – Esse sabão é o mais utilizado para lavar assoalhos de madeira. Há versões mais sofisticadas, como o Faxe e o Probat, que prometem uma limpeza mais eficaz.

Afkalk – Removedor de calcário, muito útil para limpar metais do banheiro e cozinha como torneiras, chuveiros etc.

3- Fazendo o almoço

Vamos encarar a realidade: dinamarqueses não comem comida no almoço como a gente faz no Brasil. O almoço tem de ser algo leve e, dependendo do caso, prático. Na maioria das empresas existe refeitório que oferece comida (kantine) mas, mesmo lá, a comida oferecida é um lanche se comparada com o que se vê no Brasil. Os restaurantes que servem almoço seguem a mesma linha. Por aqui você vai comer uma panqueca, frikadeller, stjerneskud, smørrebrød, saladas ou algo parecido na hora de almoçar. As comidas pesadas não combinam com trabalho pois dão sono e nada mais desagradável do que trabalhar sonolento e com o estômago pesado, certo? Então sossegue: mesmo em casa, comida quente é só na janta. Quem quiser ler mais sobre comida dinamarquesa, clique aqui.

4- Comprando alimentos 

Os alimentos na Dinamarca segundo as estações do ano. Fonte: Økologi.dk
Os alimentos na Dinamarca segundo as estações do ano. Fonte: Økologi.dk

No Brasil, principalmente por causa dos vários anos de inflação alta, adquirimos o hábito de fazer grandes compras ‘do mês’ e estocarmos comida. Na Dinamarca, entretanto, o costume é comprar aquilo que precisamos para a semana, ou mesmo ir ao supermercado várias vezes na semana. Muitas famílias usam um madplan que é um cardápio ou planejamento das refeições da semana; a partir dele, faz-se as compras. Esse sistema é bem útil e ajuda a ter uma alimentação variada. Os supermercados todos trabalham com promoções semanais. Alguns produtos orgânicos custam o mesmo que os de agricultura regular.

Ferramentas úteis para ajudar no planejamento das compras e refeições:

Sæson – Oferece sugestões de cardápios com frutas, legumes e verduras da estação para a família.

Minetilbud, daglivarer – Nesse site (ou no aplicativo que pode ser baixado nele) você encontra as ofertas da semana dos supermercados e lojas e pode fazer comparações de preços para escolher onde comprar o quê.

Tilbudsugen – Aqui se oferece a comparação dos preços, feita eletronicamente, e o site sugere os melhores preços.

5 – Descartando o lixo

Acostumado a jogar tudo no mesmo lixo? Na Dinamarca você terá que rever seus conceitos, já que o lixo é separado. Vidros, alumínio e papel reciclável são coletados em contentores específicos para esse fim. Todos os vidros são descartados limpos e vazios e há contentores para descartar separadamente o papelão e papéis como folhetos, jornais e revistas. Folhas e restos orgânicos do jardim devem ser coletados em contentor próprio e quando não são coletados na sua casa, devem ser entregues nas estações de reciclagem e triagem (genbrugspladsen) presentes em todas as cidades. Pilhas e baterias usadas são descartadas em locais determinados, bem como lâmpadas, que também devem ser entregues nos genbrugspladsen, assim como móveis e objetos de decoração; estes podem, ainda, ser deixados em espaços específicos nos locais de descarte em condomínios. Objetos em bom estado são separados e encaminhados para lojas de segunda mão, os famosos brechós, ou obras de caridade.

Leia também: cinco motivos para não morar na Dinamarca

6 – Tenha seguro de tudo!

Na Dinamarca muitos seguros são obrigatórios e todo mundo tem seguro de tudo: pessoal; de seus bens: carro, casa, eletrônicos, etc.; de seus colaboradores, se for dono de empresa; e por aí vai. Se você vier morar no país lembre-se de procurar uma seguradora ou o seu banco na Dinamarca para fazer o plano de acordo com suas necessidades. Seguros como o de automóveis e residencial (mesmo que você more de aluguel), por exemplo, são obrigatórios.

7 – Compre uma bicicleta

Os dinamarqueses usam as bicicletas como meio de comuta e pedalam pra todos os lados. É prático, ajuda a manter a boa forma, ocupa pouco espaço na hora de estacionar e é sustentável. Uma bicicleta nova é cara mas dá pra comprar usadas em ótimo estado de particulares online, ou em leilões da polícia. As lojas de bicicleta costumam ter promoções no fundo da loja.

Espero que essas dicas ajudem você a viver como um legítimo pæredansk!

Related posts

Como funciona a gorjeta nos Estados Unidos

Natália Baldochi

Visto para morar na Dinamarca

Cristiane Leme

Pagamento apenas com dinheiro trocado no Peru

Viviane Naves de Alencar

24 comentários

Celia Regina. A. Lousada Agosto 29, 2016 at 11:20 am

Essa da louça é incrivel.! Meu marido ia ficar louco pq ele tira a louça da máquina e lava de novo. Vê se pode..

Resposta
Cristiane Leme Agosto 29, 2016 at 6:39 pm

Cada um com seu jeito de fazer as coisas, o importante é respeitarmos a diversidade!
Obrigada por comentar e continue nos acompanhando 🙂

Resposta
Brenda Reis Agosto 29, 2016 at 1:04 pm

Na crise econômica atual brasileira, eu diria que a compra do mês está sendo como as do dinamarqueses. Vai no mercado toda semana, ou sempre que precisa repor alguma coisa. Já se foi o tempo e fazer uma grande compra do mês. Ótimo texto aliás 🙂

Resposta
Cristiane Leme Agosto 29, 2016 at 6:38 pm

Eu morei em São Paulo entre 2006 e 2012 e sempre fiz compras semanalmente, acho que é bem mais vantajoso do que estocar comida como meus pais faziam.
Obrigada por ler e comentar e continue nos acompanhando! 🙂

Resposta
MARIA MARCIANO da silva Agosto 29, 2016 at 2:31 pm

muito obrigado foi muito hutil os seus comentarios beijo sigo leendo os teus artigos

Resposta
Cristiane Leme Agosto 29, 2016 at 6:37 pm

Obrigada por nos acompanhar! 🙂

Resposta
MARIA MARCIANO da silva Agosto 29, 2016 at 2:38 pm

para nos lavar a louça na bacia e coisa do passado ,e en geral somos muito aceados alguns maniaticos com a linpesa mas tudo e valido ate mesmo voltar ao passado,,beijo cris

Resposta
Cristiane Leme Agosto 29, 2016 at 6:36 pm

No Brasil não existe essa consciência de que a água custa caro. Eu vejo não necessariamente como uma questão de asseio e sim, cultural, afinal tudo é relativo, não é, mesmo?
Obrigada por ler e comentar 🙂

Resposta
Dannielle Agosto 29, 2016 at 8:44 pm

Adorei o artigo. Bem direto.

Resposta
Cristiane Leme Agosto 29, 2016 at 9:21 pm

Obrigada por ler e comentar, continue nos acompanhando para saber mais sobre a Dinamarca 🙂

Resposta
Maria França Agosto 29, 2016 at 11:14 pm

Eu limpo as louças antes de ensaboar e depois retiro o sabão,porque aprendi no curso Técnico em Alimentos que se misturarmos ,alimentos com produtos químicos, ocorre a contaminação cruzada, e aqui no Brasil existem lugares onde há falta d água , então as pessoas se viram como podem, não possuem água para as necessidades básicas muito menos para desperdiçar.

Resposta
Cristiane Leme Agosto 31, 2016 at 10:26 pm

Maria França, obrigada por ler e comentar.
A comparação entre dois países tão distintos entre si é meramente inconcebível.
Gostaria muito que o pessoal que faz a cartilha da imigração tivesse aulas sobre contaminação de alimentos, talvez a percepção deles mudasse 🙂

Continue lendo e nos acompanhando! Abraços

Resposta
Gladys Agosto 30, 2016 at 3:56 am

Amei o artigo ,imformativo e super Bem escrito 🙂
Moro aqui Na Dinamarca a 23 anos e mesmo assim seu artigo teve dicas ótimas para mim –
Muito obrigado
Amei 🙂

Resposta
Cristiane Leme Agosto 31, 2016 at 10:23 pm

Que bom saber que as dicas foram úteis! Se tiver sugestões sobre assuntos a respeito dos quais deseja ler sobre a vida na Dinamarca, mande pra mim que eu analiso e desenvolvo!
Obrigada por ler e comentar e continue nos acompanhando! 🙂

Resposta
Cintia Agosto 30, 2016 at 11:05 am

Oi Cris ,

Muito bacana…Aqui na Holanda é exatamente assim !

Bjs

Resposta
Cristiane Leme Agosto 31, 2016 at 10:21 pm

Obrigada por ler e comentar! Bjo

Resposta
Ana Outubro 4, 2016 at 8:23 am

sou estudante de intercâmbio na Dinamarca e seus textos me ajudaram muito. Isso da louça me dá agonia, os dias que fico sem minha værtsfamilie em casa, pego todos os talheres e lavo do nosso jeito porque não dá.

Obrigada por toda a ajuda, beijos!

Resposta
Cristiane Leme Outubro 4, 2016 at 10:54 am

Que bom saber que o que escrevo pode ser útil!
Obrigada por ler e acompanhar a minha coluna, espero que continue por aqui! 🙂
Abraços

Resposta
vera Maio 8, 2017 at 2:28 pm

na Inglaterra os mais velhos tambem lacvam as loucas assim. Nunca consegui me acostumar. Enchia a bacia comcagua pura depois para enxaguar o sabao.

Resposta
Cristiane Leme Maio 12, 2017 at 12:14 am

Cada um com seus costumes, o importante é respeitar a diversidade! 😀
Obrigada por ler e comentar, continue nos acompanhando!

Resposta
Sueli Maio 8, 2017 at 7:20 pm

No Brasil e no exterior (em qualquer país que eu more), se lavo louça na mão, faço um preparado de água quente e detergente numa bacia ou tijela e lavo toda a louça. Enxaguo tudo com água corrente porque me incomoda terrivelmente ver bolinhas de sabão em pratos, talheres, panelas e na pia.

Me dá dor de estômago ver brasileiros e brasileiras lavando louça e enchendo a esponja de detergente a cada peça e deixar a torneira aberta enquanto limpa a pia.

Resposta
Cristiane Leme Maio 10, 2017 at 3:22 pm

Oi Sueli, obrigada por ler e comentar.
Eu me lembro da minha avó lavando louça na bacia. A gente no Brasil só faz isso se acabou a água, mas devíamos mesmo pensar a respeito da economia de água que o método representa.
Abraços e continue nos acompanhando!

Resposta
Felipe Maio 8, 2017 at 8:21 pm

Ótimo artigo, parabéns! A louça eu lavo do jeito brasileiro ou uso a máquina… Onde moro o roommate nunca separou lixo e venho de uma cidade no Brasil com essa consciência e faço, mas estou já no segundo pote de maionese com óleo usado por que nã faço idéia de onde levar, você saberia me dizer? Abraços Felipe

Resposta
Cristiane Leme Maio 10, 2017 at 3:20 pm

Oi Felipe! Obrigada por ler e comentar.
Em geral se pode entregar os vidros de óleo usado nas genbrugstationer/genbrugspladsen. Pergunte a respeito na genbrugstation mais próxima da sua casa.
Abraços e continue nos acompanhando!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação