BrasileirasPeloMundo.com
Dicas para aprender idiomas Turquia

Idioma Turco: dicas de aprendizagem e confusões

Idioma Turco: dicas de aprendizagem e confusões.

Quem vem à Turquia para turismo se pergunta: da para visitar o país sem falar a língua local? Com certeza! Em cidades turísticas como Istambul e Capadocia você não encontrará nenhuma dificuldade em se comunicar em inglês. Não fala inglês? Sem problemas, você só precisa ser um pouco desinibido, mímica e tradutores sempre funcionam muito bem.

E morar na Turquia sem falar turco, é possível? Nesse caso você se tornará sempre dependente da ajuda de alguém em várias situações. O ideal é mesmo aprender o idioma.

Interagir com pessoas locais em qualquer situação ajuda muito no processo de sentir-se mais à vontade e confiante quando se mora em outro país. Então vamos falar sobre o aprendizado da língua turca, começando pelas dificuldades.

É muito difícil?

Naturalmente, a proximidade de um idioma com nossa língua materna é o primeiro fator que facilita ou não a aprendizagem de uma língua estrangeira. Por exemplo, para nós brasileiros normalmente é mais fácil aprender espanhol do que outros idiomas. Já os japoneses terão mais facilidade para aprender mandarim do que nós brasileiros.

A primeira vista o idioma turco é sim bastante desafiador. A estrutura da língua é muito diferente da nossa. Ela é aglutinativa, ou seja, utiliza muitos sufixos. Por exemplo: “Evimde” significa “na minha casa”. Há palavras que se tornam enormes por conta dos sufixos.

Leia também: dez curiosidades sobre a Turquia

Memorizar vocabulário é outro desafio. As palavras em turco são totalmente estranhas, devido à origem do idioma ser diferente do nosso e fica difícil fazer associações para gravar o que aprendemos. Raras são as palavras similares como encontramos entre português versus inglês ou espanhol.

Mas se você quer aprender, não desanime! Há vários brasileiros que dominam o turco muito bem. Veja agora várias facilidades no aprendizado.

Facilidades

Ler é a parte mais fácil e uma vez que você aprende o alfabeto, poderá ler exatamente como se escreve pois não há diferença de pronúncia. O alfabeto turco possui poucas letras novas ou com pronúncia muito diferente do nosso.

O idioma turco possui harmonia vocálica. Depois que se aprende como ela funciona fica mais fácil dominar a língua, já que é uma única regra para todo o idioma.

A língua turca não tem gênero gramatical. Nada de se preocupar em fazer concordâncias entre um/uma, deles/delas ou tantos outros existentes no português.

O verbo irá sempre ao final da frase. Então não há dúvidas quando estiver formando suas sentenças.

Algumas dicas se você quer aprender Turco

  • Comece os estudos o quanto antes, não espere chegar aqui. Há muitos aplicativos de celular, canais no youtube e websites que podem ser usados como apoio para o aprendizado.
  • Tenha em mente que não é um idioma fácil, que será aprendido rapidamente.
  • Praticar, praticar e praticar, principalmente nas formas ativas de aprendizado que são a fala e a escrita. O aprendizado passivo, que são ouvir e ler não ajuda muito na conversação, para que você se torne fluente.
  • Assim que possível, vá para uma escola ou tenha aulas com um profissional. São muitas regras para o uso dos sufixos e nada melhor que um professor experiente para lhe explicar isso de forma didática.

Quanto tempo leva para aprender o turco

Depende da sua motivação e consistência nos estudos.

Para termos uma ideia melhor, através do quadro europeu de referência para línguas abaixo, que inicia no nível elementar A1 até o domínio pleno C2, podemos mensurar o tempo necessário de estudo.

Para quem quer usar o idioma no dia a dia, o nível B2 é suficiente. Para finalizar o B2 é necessário oito meses de aula, considerando uma frequência de 12 horas/aula por semana.

Para quem quiser estudar a nível universitário é preciso ter certificação de nível C2, considerado de nível acadêmico. Normalmente estuda-se por um ano antes de iniciar um curso onde as aulas são em turco.

Para finalizar, vou contar alguns micos e apuros que já passei na Turquia por não saber o idioma.

Confusões 

Apesar do inglês me ajudar a interagir, principalmente com outros estrangeiros que moram por aqui, não resolve nada na maioria das demais situações, onde preciso falar com pessoas locais.

O mico mais recente foi minha ida num restaurante para jantar. Eu estava sozinha. Comi o prato principal e ainda pedi sobremesa. Na hora de pagar… cadê o dinheiro ou o cartão? Não sabia se tinha deixado a carteira no carro, em casa ou se tinha perdido.

Após poucos minutos tentando decidir o que fazer, liguei para uma amiga e expliquei a situação. Pedi para que o marido dela, que é turco, explicasse ao garçom a minha embaraçosa situação.

Leia também: como é morar na Turquia

Meu documento de identificação turco ficou como garantia e eu fui procurar a carteira. Encontrei no carro, no estacionamento mesmo. Quando voltei ao restaurante aquele garçom que sabia do ocorrido já não estava mais.

Novamente foi o maior sufoco me fazer entender. Eu só queria pagar a conta e pegar meu documento de volta. Tinham cinco garçons em volta de mim, todos fazendo mímicas e abrindo tradutor no celular para tentar adivinhar o que eu queria. Minutos depois descobri que meu documento havia ficado com a moça do caixa e logo tudo foi resolvido.

Outro dia fui ao shopping tomar um café com uma amiga e mesmo o estacionamento de shoppings sendo gratuito, eu estacionei na rua, pra não ter que fazer um retorno que na hora considerei longe. Passado duas horas, resolvemos ir embora e ao chegar à rua onde havia parado, cadê o carro? Não encontrei. Andei pra cima e pra baixo na rua e nada.

Então vi um carro de guincho e me dei conta do que tinha acontecido. Eu havia parado em local proibido e o carro foi guinchado. O motorista do guincho veio falar comigo, pois eles estavam levando outro carro no mesmo local que eu havia estacionado, mas eu não entendi nada, é claro. Resumo da história: fui embora a pé, andando por 45 minutos e precisei de ajuda para resolver a situação de retirar o carro do pátio mais tarde.

Tem situações pequenas também, do dia a dia, como por exemplo, o transporte. Aqui as vans de transporte público não tem ponto de parada fixo e você precisa avisar o motorista (entenda-se gritar) quando quiser descer.

Cansei de descer antes ou depois do local que eu gostaria, aproveitando que alguém desembarcava, só para não ter que abrir a boca e todo mundo me olhar, da forma tão curiosa como só os turcos conseguem ser. Se minha aparência talvez passe despercebida, o sotaque não engana de jeito nenhum.

Também levei meses pra ir num salão de beleza pela primeira vez. Decorei algumas palavras e fui com a cara e a coragem.  O importante é que sai de lá com serviço feito. Passado desconforto da primeira vez e agora que a profissional do salão já me conhece, fica muito mais fácil.

E você, gostaria de aprender turco ou já passou sufoco por não falar o idioma local? Me conta nos comentários!

Fotos: Reprodução aprender linguas e gettyimages

Related posts

O turismo religioso cristão na Turquia

Rubiana Ozturk

Aprendendo o idioma birmanês

Natalie Lima

Como alugar apartamento em Istambul

Juliana Lima

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação