BrasileirasPeloMundo.com
Espanha

Idioma valenciano

Você sabia que a Espanha, além do idioma oficial do país, possui outros idiomas oficiais? Dentre esses idiomas encontramos o catalão, falado na Catalunha e nas Ilhas Baleares, o galego, na região da Galícia e o euskera, falado na região do País Basco.

Na cidade onde moro, Valência, além do espanhol, as pessoas falam o valenciano (valencià). Lembro de quando cheguei aqui e fui ao supermercado pela primeira vez e todas as placas estavam escritas em valenciano e espanhol. Não tenho nem ideia de como se fala valenciano, mas a leitura é um pouco intuitiva e é possível entender o que os sinais indicam – isso, claro, quando forem frases curtas e objetivas.

Mas o que seria esse idioma?

O valenciano é o idioma falado na Comunidade Valenciana, que é composta por Castellón, Valência e Alicante. Em alguns lugares podemos encontrar sua definição como sendo uma variedade do catalão. Por experiência própria, NUNCA diga a um valenciano que a língua dele é o catalão ou que o valenciano é o mesmo que o catalão; eles não gostam muito de ouvir isso. Esse debate sobre o valenciano ser uma variação do catalão ou ser uma língua distinta desta é chamado de “conflito linguístico valenciano”. Embora possa parecer besteira para nós, brasileiros, esse conflito leva a debates políticos e sociais, demonstrando a importância desta língua como uma identidade cultural de toda a população. A questão da identidade cultural das pessoas é muito importante aqui na Espanha, ainda mais em determinadas regiões como a Catalunha, onde muitos não se identificam como espanhóis e buscam a separação e independência.

Muito embora os valencianos não gostem da denominação de seu idioma como sendo catalão ou variação deste, em 2005 a Academia Valenciana de Línguas aprovou um acordo em que afirmam que o valenciano é também a língua falada na Catalunha e Ilhas Baleares, sendo que nesses últimos locais recebe a denominaçao de catalão, sem perder, no entanto, sua distinção e dignidade como língua.

As pessoas aprendem valenciano na escola, junto com o espanhol, e é muito comum encontrar pessoas conversando nesse idioma em qualquer lugar que você vá, tanto os jovens quanto os mais velhos. Quando estão apenas entre pessoas da comunidade, geralmente eles falam apenas em valenciano.

Como mencionei acima, nos supermercados encontramos as indicações em ambas as línguas, assim como no metrô. No entanto, em alguns lugares não encontramos as indicações em espanhol, apenas em valenciano e aí fica um pouco mais difícil de entender, ainda mais quando são frases completas e grandes parágrafos. Na Catalunha é comum você encontrar os canais de televisão tanto em espanhol como em catalão. Aqui em Valência não posso dizer se há canais apenas em valenciano, já que na minha casa temos apenas os canais comuns.

Há poucos meses me inscrevi em um Master na Universidade de Valência e apesar da página da universidade ter tradução para o espanhol e inglês, os e-mails recebidos eram todos em valenciano. Se você pensa em se inscrever em algum curso aqui na região, verifique na descrição do curso o idioma em que ele é ministrado; no meu caso seria apenas espanhol; em alguns outros, além do espanhol, ele pode ser ministrado em valenciano também.

Placa de aviso no supermercado

Quanto à fala, eu sei quando uma pessoa está falando valenciano porque não entendo nada. Enquanto a leitura de frases curtas acaba sendo intuitiva, entender o que uma pessoa está falando em valenciano não é uma tarefa muito fácil, ainda mais porque os espanhóis falam muito rápido e cada região tem sua maneira de falar, o que acaba dificultando um pouco o entendimento. Mas se você fala espanhol, não se preocupe, você conseguirá se comunicar. Como comentei, eles conversam em valenciano apenas entre as pessoas da região.

Espero que este post tenha despertado ainda mais a curiosidade de vocês em conhecer a Comunidade Valenciana e a Espanha, e para os que tiverem curiosidade sobre o valenciano, basta buscar um dicionário online para brincar e conhecer as diferenças entre as palavras em espanhol e valenciano. Por enquanto eu só sei falar “bem-vindo” e “saída”, de tanto ir ao supermercado. Aos curiosos de plantão, em valenciano se diz “benvingut” e “eixida”, respectivamente.

 

Related posts

Como se locomover em Barcelona

Carolina Lauzen

Onde morar na Espanha: cidade ou “pueblo”?

Melissa Dobrezanski

Croqueta: a melhor tapa espanhola

Carolina Lauzen

25 comentários

welton Outubro 20, 2015 at 10:40 pm

soc brasiler viu AKI a huit any JEJEJE m’a agradat molt el teu text parle espanyol i valencia
be vinguda al mon del valencià

sou brasileiro vivo aki a oito anos hehehe gostei muito do seu texto falo espanhol e valenciano seja bem vinda ao mundo do valenciano

Resposta
Thais Maciel Gomes Outubro 21, 2015 at 9:08 pm

Que bom que gostou do texto Welton, passe sempre por aqui que tem muitos textos interessantes não só sobre a Espanha, mas também de outros países. Espero em 8 anos já estar craque como você no valenciano, por enquanto só sei o básico: benvingut e caloret (graças a Rita Barberá).

Resposta
Jéssica Martins Outubro 21, 2015 at 9:58 am

Oi Thais! Nossa quando eu cheguei em 2013 pra ser au pair França eu conheci primeiro uma menina de Valencia ai ela falou um pouco sobre as diferenças… depois conheci uma dos lados galego e uma amiga brasileira esta morando no País Basco e aprendendo o euskera. Eu ja nem tento mais deduzir nada, ja logo chego perguntando fala espanhol e mais o que? assim não dou furo ne? haha um beijo!

Resposta
Thais Maciel Gomes Outubro 21, 2015 at 9:06 pm

Oi Jéssica, acho mesmo que o melhor é perguntar se falam espanhol. O galego acho mais fácil de entender pela proximidade com o português, conheço algumas pessoas no país basco e acho o euskera a mais difícil de entender. Já o catalão, como disse no texto, é como o valenciano, estive em Girona no final de semana e ali sim todos só falam catalão e se você chega em algum lugar, eles irão te atender em catalão, e você deve mencionar que não compreende. Acho muito interessante toda essa diversidade. Abraços !!

Resposta
lorena Outubro 21, 2015 at 2:22 pm

Oi thais! Estou pensando em fazer direito tbm, mas tenho duvidas sobre o curso e a vida de advogada. Vc poderia me ajudar? Bjs

Resposta
Thais Maciel Gomes Outubro 21, 2015 at 9:02 pm

Olá Lorena, posso tentar te ajudar. Quais suas dúvidas quanto ao curso e carreira de advogada?

Resposta
lorena Outubro 23, 2015 at 1:18 pm

Vc tem algum email para contato? Acho mais facil! Bj

Resposta
Thais Maciel Gomes Outubro 23, 2015 at 2:47 pm

Lorena, pode escrever para [email protected]. Abraços.

Resposta
angela Outubro 22, 2015 at 11:42 am

Acho muito interessante essa variação de linguagem em um único país….bjos e saudades

Resposta
Thais Maciel Gomes Outubro 22, 2015 at 12:35 pm

É muito diferente do Brasil, não ? Acho muito interessante, só não gosto quando vou para um lugar e aí não tem nada em espanhol e você tem que esperar alguém traduzir. Beijos !!

Resposta
Vera Baixeras Outubro 22, 2015 at 8:50 pm

Oi, Thais Maciel Gomes! Sou casada com brasileiro filho de Valencianos, vivemos há 17 em Seattle, me desperta sempre a curiosidade qdo leio sobre Valencia! Tenho a impressão de ser um lugar especial, fale mais sobre o “viver em Valencia” se vc puder! Obrigada!

Resposta
Thais Maciel Gomes Outubro 22, 2015 at 10:02 pm

Olá Vera, que interessante. Seu marido ou sogros falam Valenciano ? Venha conhecer Valência, é uma cidade encantadora, cada dia me apaixono mais por ela. Enquanto os outros posts sobre Valencia não saem, deixo aqui meu primeiro post apresentando a cidade (http://www.brasileiraspelomundo.com/espanha-a-bela-valencia-461016836) e te convido a ler os outros posts do blog. Abraços!

Resposta
Bree Outubro 28, 2015 at 3:07 am

Conheci Valencia esse ano e me apaixonei! A cidade é rica em cultura. Moro em Ibiza e aqui se fala o Ibicenco (pois é, não é Catalão, porém parecido rsrs) e ainda acho interessante sempre que vejo placas em Ibicenco ou pessoas conversando nas ruas. Os espanhois certamente possuem uma identidade cultural bem diversa! Abraços!

Resposta
Thais Maciel Gomes Outubro 28, 2015 at 9:57 am

Que legal, tenho vontade de conhecer Ibiza, embora seja perto de Valência, ainda não tive a oportunidade de ir. Não sabia que eles tinham uma língua própria na região, imagino que deva ser como o Valenciano e Catalão, parecidos mas com diferenças pontuais. Muito curioso. Adoro a Espanha por toda essa diversidade, desperta nossa curiosidade em conhecer cada canto do país. Abraços !!

Resposta
Bree Dezembro 1, 2015 at 10:19 pm

Venha conhecer sim! Sempre tem promoções ótimas na Ryanair de Valencia pra cá, as praias e as paisagens são maravilhosas, vale a pena! Porém recomendo alugar um carro quando estiver aqui porque é tudo longe e não tem transporte pra chegar nos lugares mais bonitos :/ fica a dica 😉 haha. Abraços!

Resposta
Thais Maciel Gomes Dezembro 3, 2015 at 10:40 am

Obrigada pela dica !! Com o frio que tem feito por aqui, acho que esperarei o verão voltar para programar a visita. Abraços !

Resposta
Raquel Setembro 20, 2016 at 2:50 pm

Thais, bom dia. Que bom “esbarrar” com seu blog. Somos um casal com vida estável no interior de SP que pensa em mudar os ares (mais uma vez) e temos Valência em mente. Uma das minhas maiores duvidas tem haver com o saber se há algum acordo acerca de aposentadoria nos dois países. Não queríamos “perder” os anos trabalhados aqui. Temos cidadania italiana e trabalhar não seria problema. Você tem algum conhecimento sobre este assunto? Abraço!

Resposta
Thais Maciel Gomes Setembro 20, 2016 at 3:32 pm

Olá Raquel, obrigada por acompanhar o blog e meu texto!! O Brasil tem um acordo bilateral com a Espanha quanto ao tema previdenciário (http://www.previdencia.gov.br/arquivos/office/3_081013-161949-240.pdf), ou seja, o tempo trabalhado na Espanha poderá contar junto à previdência brasileira. Há a possibilidade de continuar contribuindo com o INSS e com o sistema previdenciário espanhol, isso deverá partir de uma avaliação de vocês e dos planos para o futuro, se pretendem voltar ao Brasil. Como não tenho muita experiência ou atuação nessa área, aconselho que busque a informação junto ao INSS ou algum advogado desta área. De qualquer forma, espero tê-la ajudado.

Resposta
Raquel Setembro 21, 2016 at 12:43 pm

Obrigada pela atenção! Gostaria de saber se posso lhe escrever e-mail com outras questões. Grata!

Resposta
Thais Maciel Gomes Setembro 21, 2016 at 1:35 pm

Raquel, pode escrever para o seguinte e-mail: [email protected]
Abraços

Resposta
Carla Setembro 26, 2016 at 11:02 pm

Ola Thais, parabéns pelo blog, Trabalho na área de marketing e vivo numa cidade no interior de São Paulo. Estou pensando em mudar com a família – marido e 2 filhas de 14 e 15 anos – para Valencia no próximo ano. Qual bairro vc indicaria? E vc sabe dizer como é a escola para esta idade (ensino médio)? Obrigada, Abraço,

Resposta
Thais Maciel Gomes Setembro 30, 2016 at 5:32 pm

Olá Carla, tudo bem? Obrigada por acompanhar o blog. Eu gosto muito de morar perto da região do centro, acho que é muito bem localizado e atende todas as necessidades, gosto dos bairros de Arracapins, Campanar, EXtramurs. Aconselho você a abrir o mapa da cidade no google e dar uma olhada nessa região em volta do centro. Quanto ao colégio, infelizmente não conheço o sistema aqui pois ainda não tenho filhos ou colegas que tenham filhos aqui na cidade. Espero tê-la ajudado ao menos com a questão dos bairros.

Abraços.

Resposta
Juliana Janeiro 8, 2018 at 1:39 am

Ola Thais, li alguns textos seus aqui no blog. Parabens! Eu me muderei em set/18 com marido para Valencia. Iremos passar uma temporada viajando, teremos o visto de residencia nao lucrativa. Quero aproveitar pra estudar espanhol. Indicaria algum lugar que nao seja “pega-intercambista”? Algo mais “local”? Queremos passear bastante e aproveitar muito esse tempo aí. Sobre os bairros, ja que nao teremos carro, nao temos filhos, nao iremos trabalhar. Teria algum em mente com custo de vida mais baixo, mais afastado do burburinho mas ainda assim cheio de opcoes pra se fazer a pe, seguro, bonito? Kkk é possivel ser barato e ser tudo isso ainda?! Hehe. Obrigada e parabens pelos textos! Feliz 2018!

Resposta
Fábio NIN Abril 19, 2020 at 4:57 am

Olá, legal o seu depoimento. Eu tenho um sobrenome catalão, e descobri que minha tataravó veio de Barcelona, haha, muito tempo atrás. Acontece que isso me deixou curioso sobre esse assunto, que não e falado fora da Espanha. Quase ninguém no Brasil sabe que existe uma língua e cultura diferentes nessa parte leste da península. De tanto ficar curioso, eu acabei aprendendo o catalão, que nao é muito difícil, se você prestar atenção em duas dicas: primeiro, essa língua tem muitas conexões com o francês, e isso ajuda muito se vc conhece a língua, como é o meu caso. A outra coisa é que para aprender – e principalmente falar – é bom prestar atenção no português! sim, existem várias semelhanças entre essas duas línguas faladas nas duas pontas da península ibérica, e que são as que ficaram menos tempo sob o domínio dos mouros (com exceção de Asturias, é claro). Mas o mais interessante, é que no meu caso, o “estalo” pra falar o “català“ foi o português… de Portugal! Vejam, a pronúncia é muito parecida. Espero ter contribuído. Em tempo: mesmo que os valencianos digam o contrário, valenciano é catalão, não tem jeito. É a mesmíssima língua, com menos diferença do que entre os sotaques do Pará e do Paraná. Só razões históricas é que explicam essa diferença de nome…

Resposta
Fábio NIN Abril 19, 2020 at 4:59 am

Uma pena que eu já fui três vezes à Espanha, mas nunca a Valencia, terra de um bom amigo. Um dia irei. Parabéns pelo blog!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação