BrasileirasPeloMundo.com
Canadá

Mudança de hábitos no Canadá

Mudança de hábitos no Canadá.

Na minha humilde opinião, uma das coisas mais bacanas ao mudar de país é conhecer uma nova cultura e adquirir novos hábitos. Alguns, incorporamos logo de cara; outros, resistimos um pouco mais. Alguns hábitos de origem são tão enraizados em nós que não os perderemos jamais; estes, levaremos conosco para qualquer lugar ao redor do globo.

Mudar de país é estar aberto ao novo. Quem sabe você não se surpreenda com uma nova maneira de fazer o que você nunca tinha antes pensado? É uma mistura saudável, com o antigo e o novo andando de mãos dadas.

Assim que chegamos no Canadá, desenvolvemos novos hábitos tipicamente canadenses e outros, nem tão canadenses assim, mas era a chance de colocar em prática o que a vida corrida – ou a preguiça – não tinha deixado antes. Então, vamos lá:

Do it yourself

No Canadá, a prestação de serviços pode ser muito cara, portanto a expressão do it yourself , ou faça você mesmo, é uma realidade. Nós tomamos um susto a primeira vez que fomos à Ikea (grande loja de móveis) comprar nossos móveis. Passamos horas andando pela loja, escolhemos todos os móveis e quando chegamos no final da loja, nos deparamos com um depósito enorme onde você mesmo pega as caixas nas prateleiras de acordo com o código, coloca no seu carro e vai para casa montar. Você e mais ninguém. No posto de gasolina, você coloca a sua própria gasolina. Nos supermercados e lojas de departamentos há caixas específicos para passar as compras e pagar sozinho. Simples assim! A lista é infinita e serve para vários tipos de prestação de serviço. Nós, brasileiros, não estamos acostumados com isso, mas tenho gostado muito dessa independência, nada mais justo. Portanto, faça você mesmo!

Não atravessar a rua fora do sinal

Brasileiro atravessa a rua a qualquer momento, esteja o sinal verde ou vermelho, na faixa ou no meio da avenida em horário de rush, pois adoramos essa falta de regra. Aqui é completamente diferente.  Atravesso somente quando o sinal está verde para pedestres e na faixa. Algumas vezes quase caio na tentação de atravessar fora do sinal, quando não está passando absolutamente carro nenhum, mas seguro meus instintos e sigo firme junto com o resto da população.

Deixar o sapato do lado de fora de casa

É um hábito muito canadense, muito comum e presente em todas as casas por aqui, inclusive entre os novos imigrantes. Chegar em casa, tirar os sapatos e entrar descalça virou uma rotina, evitando assim trazer sujeira da rua para dentro. Como mãe de uma menina de 3 anos que adora rolar e rastejar pela casa, adotamos esse hábito logo no primeiro dia e assim seguiremos.

Optimized-shoes-1353023_960_720
Foto: Pixabay

Arrumar a  própria casa 

No Brasil é muito comum termos uma pessoa trabalhando em nossa casa e fazendo todos os afazeres domésticos: arrumar, faxinar, cozinhar e passar as roupas. Sou ré confessa, não fazia praticamente nada. De vez em quando fazia uma comida no final de semana ou então trocava uma roupa de cama e só. Pois aqui, estamos sozinhos nessa missão e todos entram no jogo. Somos responsáveis pela nossa casa – e por que não? Os brasileiros tendem a sofrer com esse quesito, pois culturalmente não estamos acostumados a fazer este trabalho. Aqui em casa fazemos um rodízio e todo mundo ajuda. Minha filha já entendeu e aprendeu que deve manter a ordem na casa. Pode fazer a bagunça que quiser, mas no final da brincadeira leva tudo para o seu quarto e organiza. Tira seu prato da mesa após a refeição, ajuda colocando a roupa para lavar e secar; sua atividade preferida é varrer.

Falar alto

Estou trabalhando intensamente neste quesito. Nós adoramos falar alto, gritar, até. Somos animados por natureza e aqui as pessoas são mais comedidas, não demonstram tanto afeto e são mais discretas. Trabalhar isso em mim e me policiar está sendo fácil, mas na Catarina, minha filha, tem sido uma árdua tarefa. Ela tem uma excitação única que não a permite falar baixo. Ama cantar música a plenos pulmões ou debater algum assunto interessante sobre o mundo das princesas enquanto o ônibus cheio paira em silêncio. Mas devagar e aos poucos chegamos lá.

Incentivar a independência das crianças

Esse hábito não é tipicamente canadense, porém é adotado fortemente por aqui. Na creche (daycare), por exemplo, as professoras orientam e incentivam as crianças a experimentarem e fazerem as coisas sozinhos. Cada um carrega sua mochila, veste o seu casaco, chapéu ou botas para brincar do lado de fora, se servem no almoço e quando acabam, jogam os restos de comida fora e colocam os pratos na pia. É comum ver nos parquinhos crianças bem pequenas se virando sozinhas no escorregador grande ou então naquele brinquedo enorme. E o mais bacana é que as crianças se ajudam entre elas, formando um senso de colaboração muito forte. Eu achava que era uma mãe relaxada e tranquila, porém, observando as crianças aqui, percebi que muitas das atividades a Catarina já poderia estar fazendo sozinha, mas eu continuava ajudando. Comecei a recuar e ela respondeu maravilhosamente bem, e hoje já faz várias coisas que há dois meses atrás não fazia.

Optimized-IMG_4066
Foto: acervo pessoal

Estamos morando em Vancouver há apenas alguns meses e ainda temos muito o que explorar. Muita coisa ainda é nova, mas sem dúvida aprender como uma outra cultura se comporta é incrível. É preciso abrir o coração e abaixar a guarda e deixar os novos hábitos entrarem na sua rotina faz parte do processo de mudança, que pode ser fascinante!

Related posts

Multiculturalismo em Toronto

Grasiela Martins Vicentini

Como abrir conta bancária no Québec

Renata Melo

Vida de imigrante no Canadá

Ana Luíza Aranha

4 comentários

adriana silva Agosto 3, 2016 at 10:25 pm

Parabens! Voce esta vendo como vivem as pessoas, nao so no Canada, mas na maior parte dos paises desenvolvidos, onde o trabalho de todos eh valorizado e, por isto, na ha um monte de gente para fazer trabalhos domesticos a preco de banana. Mesma coisa nos EUA; meu marido, que eh americano, detesta gente “estranha” em casa e confesso que tambem nao gosto da ideia. Aqui, desde pequenininho, todo mundo, meninos e meninas, aprendem a fazer tudo em casa. Meu filho ja se vestia sozinho antes de 3 anos, aprendeu na creche, mesmo que a roupa estivesse do avesso, eh a independencia! Arruma a cama e, desde os 10 anos (hoje tem 13), lava a propria roupa e coloca na maquina de secar, quase toda semana. Cozinha tambem.
Para mim, a mensagem mais importante que se aprende morando m pais desenvolvido, eh que todos tem que dividir as tarefas em casa e nenhum trabalho eh melhor que o outro.
Aproveite!

Resposta
Isabel Arruda Agosto 4, 2016 at 4:44 pm

Olá Adriana,
Adorei o seu comentário!
Para mim o mais bacana desses novos hábitos é no que diz respeito a criação da minha filha. Essa independência que eles tanto valorizam e incentivam é fundamental na educação dos pequenos. Muito bacana o seu filho fazer tudo isso. Catarina também me ajuda muito, gosta de varrer, passar aspirador e AMA lavar banheiro! rsrsrs E ela nunca tinha feito nada disso na vidinha dela, porque nunca teve o exemplo dentro de casa.
Beijos!

Resposta
Carlos Eduardo Agosto 4, 2016 at 4:08 pm

Que experiência maravilhosa, mudança de hábito não é fácil, pois o hábito habitua o hábito.
Tornamos dependentes em tudo, essa é a nossa cultura de sermos administradores e gestores das nossas atividades e de nossas vidas.
Precisar fazer e aprender a fazer é uma necessidade e conquista para vocês. É por uma boa causa. Sua cria, Catarina, já vai crescendo e aprendendo da forma “Do it yourself”.
Salve os novos hábitos.

Resposta
Isabel Arruda Agosto 4, 2016 at 4:40 pm

Salve os novos hábitos!!! 🙂

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação