BrasileirasPeloMundo.com
Dinamarca

Trinta sinais de que estou há muito tempo na Dinamarca

Volta e meia eu vejo listinhas circulando pelos sites de entretenimento da vida onde se fala sobre os sinais que mostram que alguém está há muito tempo num país. Essas listas geralmente sugerem que você já está tão acostumado a certas coisas do país que já age quase que como um nativo. Quais sinais mostram que estou há muito tempo na Dinamarca?

OK, eu sei que eu já disse antes que a gente como estrangeiro jamais chegará a ser pæredansk, mas só pra fazer uma graça eu fiz a minha listinha também. Se você mora na Dinamarca, aproveite para refletir e, quem sabe, dar risadas.

Esses são alguns sinais de que você está há muito tempo na Dinamarca:

Comida e bebida

1 – Você sabe o que é brændede kærlighed, biksemad e gemüse. E não há nada de errado com leverpostej, nem com karrysild. Kromad é hyggelig.

2 – Você sabe a ordem de consumo dos pães no julefrokost e o que se come com rugbrød e com franskbrød e nunca erra as combinações de coberturas.

3 – Você é um grande entusiasta das refeições práticas e frias para o almoço. Nisso, incluem-se saladas, em especial pastasalat, sanduíches e smørrebrød.

4 – Feijão com arroz não faz a menor falta, mas deusolivre faltar rugbrød e pålæg na sua casa.

5 – Você sabe que Faxe Kondi é melhor que Sprite. E que Harboe é uma cerveja de festa. E que cerveja barata pode ser boa mas cerveja muito boa é cara. E que se a intenção é ficar bêbado, vale qualquer coisa. E que o Små Blå poderia ser um primo distante do bombeirinho e da maria mole.

6 – Você também sabe que a diferença entre a Tuborg Grønne e a Carlsberg é a embalagem.

7 – Você é capaz de explicar com detalhes a diferença fundamental entre pølsehorn, fransk hotdog e hotdog.

8 – Além de saber pronunciar, você também já provou – ou já fez – rødgrød med fløde.

9 – Torta, pão doce, bolo, qual a diferença? É tudo kage, mesmo. Importante de verdade é saber que os morangos só são realmente bons de junho a agosto, mas como ninguém é de ferro, dá pra tapear com uns morangos estrangeiros já em abril. Maçapão só se come no Natal ou na Páscoa – OK, num dos bolos da Lagkagehuset também, a qualquer época do ano.

10 – Krebinetter podem ser karbonader mas nenhum dos dois é sinônimo para kødboller e você sabe o porquê.

Hábitos

11 – Festas têm hora pra começar e hora pra terminar, porém ir para um bar depois da festa, ainda que seja mais de duas da manhã e que todo mundo já esteja muito bêbado e cansado é algo normal e esperado.

12 – Bicicleta é seu meio de transporte para ir trabalhar, estudar, passear, namorar e até beber.

13- Guarda-chuva? HAHAHAHA.

14 – Seus melhores amigos na primavera e no outono: galochas, poncho e roupa de chuva. No inverno: sua parka ou casaco, bota de neve, luvas, cachecol e protetor de orelha ou touca. Seus melhores amigos no verão: Momondo, TripAdvisor, Riis Rejse, Spies, AirBnb e Trivago.

15 – Parte da sua rotina inclui sentar no domingo pra fazer o madplanen da semana seguinte.

16 – Seus compromissos são marcados por semanas que vão de 1 a 52, assim como suas férias, folgas e atividades das crianças na escola/creche.

17 – Tocou a campainha sem você ter combinado com alguém de vir te visitar? Já sabe, só pode ser Testemunha de Jeová. Ou o correio. Ou aqueles grupos de coleta de ajuda para a Cruz Vermelha, Red Barnet ou algo do tipo.

18 – Espaços públicos como ônibus não são lugares para puxar papo com estranhos. Aliás, nenhum lugar público é lugar de puxar papo com estranhos, né? O único lugar para conversas com desconhecidos é onde houver consumo de álcool.

19 – Reclamar do tempo e de como de repente todo mundo ficou doente pode, a qualquer hora do dia. Falar de desgraça – sobretudo alheia – na pausa do almoço, não.

20 – A paleta de cores do seu guarda-roupa inclui quase que exclusivamente peças em preto, cinza e azul escuro em diversas tonalidades e nuances.

Leia também: regras para morar na Dinamarca

Diversos

21 – Você cumprimenta dando um tchauzinho de longe ou, no máximo, um aperto de mão para desconhecidos, e um abraço para amigos. Só isso. Mais que isso é assédio e invasão de espaço individual. E às vezes, propositalmente, você ignora e passa por conhecidos na rua sem os cumprimentar.

22 – 12 graus e sol? Você corre pra botar as canelas e braços pra fora! Dá-lhe vitamina D! Aliás, todo dia com sol é dia de desentocar e botar o carão e as pernas e braços, se possível, descobertos, na rua.

23 – Sua vida é regida por um calendário pendurado na parede da cozinha.

24 – Pão é uma refeição. Fim de discussão.

25 – Você prefere dedicar tempo aos amigos que já tem a ter que se aventurar a fazer novos amigos.

26 – Faça sol, chuva, neve ou tudo junto, você sai pra se exercitar, ainda que seja só uma volta de bike de casa até a padaria da esquina.

27 – Lakrids é vida! Praticamente tudo tem um gosto melhor com lakrids. As lakrids bolcher são companheiras fiéis de viagem. Só de pensar no pozinho de salmiak você já está salivando…

Leia também: como conseguir a cidadania dinamarquesa

28 – Você acha normal nunca abrir as portas e janelas para arejar a casa, ainda mais no inverno.

29 – A primeira reação que você tem ao bater o pé numa quina é gritar: “for satan!” ou “for helvede!”. E você intercala papos em português com “nå” infinitamente, em suas diversas nuances que, aliás, você domina.

30 – Você viaja para o Brasil porque está com saudade e quando está no Brasil, quer voltar correndo pra Dinamarca.

Leia outras listas com essa temática (em inglês) aqui e aqui.

Related posts

Uma casa dinamarquesa e os perigos da onda hygge

Selma Vital

Turismo em Aarhus

Laila Hansen

Feminismo na Dinamarca

Cristiane Leme

11 comentários

Marcella Maio 23, 2017 at 3:43 am

Adorei o texto!!!! Nunca fui a Dinamarca mas a cada nome estranho que eu li no texto, coloquei no Google pra traduzir e descobrir o significado!!!! Fui ficando com uma vontade de conhecer esse país!
Essa tal de Lakrids me deixou curiosa já que vc disse que tudo fica melhor com ela!!! Rs…
Parabens! 😉

Resposta
Cristiane Leme Maio 23, 2017 at 6:51 pm

Olá. Obrigada por ler e comentar.
Lakrids é uma planta conhecida em português como alcaçuz, e a raiz é usada para fazer um pó e xaropes usados em confeitaria. Também se usa fazer chá das raízes. O gosto é parecido com anis, um pouco mais adocicado. Brasileiros em geral detestam e dificilmente se acostumam com o sabor do alcaçuz, então coloquei a observação para também ser irônica, pois somente morando há muitos, mas muitos anos na Dinamarca pra conseguir aprender a gostar de lakrids. Os dinamarqueses amam loucamente! 😀

Resposta
Touché Guimarães Maio 23, 2017 at 6:55 pm

oi Cris,

parece que você já dinamarcou mesmo! quanto tempo já?
abraços,

Resposta
Cristiane Leme Maio 23, 2017 at 6:58 pm

Ahahaha, 5 anos bem vividos, parece que já faz 30 😀
Na verdade o texto é resultado de um bate-papo num dos grupos de brasileiros na Dinamarca nas redes sociais. Peguei comentários aqui e ali, bordei uns pedaços à mão e fui tecendo essa colcha de retalhos. O pessoal que mora aqui tem dado um retorno positivo sobre o texto 🙂

Resposta
Monica Junho 30, 2017 at 3:03 pm

Oi cris casei com um dinamarques em 13 de junho estou passando 1 mes em lua de mel na Dinamarca seus comentarios tem me ajudado muito

Resposta
Cristiane Leme Junho 30, 2017 at 6:20 pm

Obrigada, Monica, que bom saber!
Espero que continue lendo os demais textos para descobrir mais sobre esse país fascinante 🙂

Resposta
Luciana Julho 9, 2017 at 11:13 pm

Amei o texto? Parabéns
Me inditifiquei muito, kkk. Há 14 anos moro em Færøerne- Ilhas Faroes, e muitas vezes minha filha de 7 me corrije, dizendo q eu falei “nåå” ou “ok” ao invés de sim….kk
E muitas outras ocasiões?
Obrigada pelos textos marvilhosos q tu escreve???

Resposta
Cristiane Leme Julho 10, 2017 at 6:58 pm

Obrigada por ler e comentar! E se tiver sugestões de temas sobre os quais deseja ler, fique à vontade para dizer!
Continue nos acompanhando 🙂
Abraços

Resposta
Rosenilda cunha Julho 29, 2017 at 6:17 pm

Adoro viajar. Gostei muito de ler. Comidas e cervejas, adoro. Certamente vou correr dos pães e cervejas, acredito que engordam:)

Resposta
Valdete Andrade Dezembro 2, 2018 at 7:51 pm

Hahahahaha.. consegui dar 2 mordidas no rugbrød mas a salmiak não descem nem com reza 😁

Resposta
Cristiane Leme Dezembro 16, 2018 at 9:40 pm

Ahahaha, eu amo esse alcaçuz salgado! Também gosto de pão de centeio, como todos os dias no café da manhã pra manter o nível no consumo de fibras. Pão preto, aliás, é uma coisa da qual aprendi a gostar na Alemanha, mas o da Dinamarca tem mais grãos e é mais gostoso 🙂

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação