BrasileirasPeloMundo.com
China

China – O Famoso Negócio da China

Às vezes fico pensando que cresci não sabendo quase nada sobre a China. De repente me vi mais envolvida com esse país do que poderia sequer imaginar, mesmo em sonhos ou surtos, você escolhe (rs). Mas vira e mexe, me pego repetindo expressões tão banais que utilizamos a vida toda na cultura brasileira e que são profundamente relacionadas à China. Como a do meu primeiro texto aqui no ‘Brasileiras Pelo Mundo’ – Vou te mandar para a China… Ou esse que escolhi hoje, para ser o titulo: Negócio da China.

Bom, vou procurar saber mais da origem desses ‘chavões’ até porque eu mesma estou curiosa… rs

Mas, e aí? Existe mesmo esse ‘Negócio da China’?

Hoje posso dizer para vocês que sim e não! Mas como assim?

Para nós, estrangeiros, definitivamente não existe. Quem faz um negócio com chineses e leva muita vantagem, antes de sair por ai espalhando que fez um ‘negócio da China’, deve primeiro se certificar que: a mercadoria vai ser entregue, o produto tem a qualidade prometida, o material do que vai ser entregue seja o mesmo da ‘amostra’ que o vendedor chinês te mostrou ou, principalmente, se o produto existe de verdade!

Resumindo: regra básica – se fazem muitos bons negócios na China, mas nem sempre são ‘negócios da China’ como representa esse nosso dito popular.

Agora o chinês sim! Ele sempre faz verdadeiros ‘negócios da China’. Principalmente quando se depara com algum laowai (estrangeiro) desavisado e que acha que chegar aqui e comprar um container de qualquer produto, é a mesma coisa que ir para os EUA ou a Europa, onde todos falamos quase a mesma língua e temos quase os mesmos códigos culturais. Mas a coisa não funciona assim nas terras de Mao.

Já ouvi centenas de histórias de pessoas que vieram aqui, visitaram uma fábrica maravilhosa, com prédio imponente (eles são craques nisso), foi levado para jantar em restaurantes chineses super caros, com direito a muitos ‘gambei’ (brinde) regados a ‘baijiu’ (bebida tradicional chinesa), apertaram a mão do chinês e acharam que estava tudo certo. Tinham feito o tal negócio da China. Passa um tempo, a mercadoria não chega, o tal acordo que o estrangeiro achou que estava resolvido no aperto de mão ficou pendente, porque não é assim que a coisa se resolve aqui, o que foi entregue é centenas de vezes inferior ao produto apresentado na amostra ou, o pior, a fabrica era fake! Sim, os caras alugam uma empresa qualquer e fazem um teatro. E até hoje tem gente que cai.

Mas aí, com a quantidade de profissionais estrangeiros trabalhando na China com experiência de como lidar com o chinês e seus métodos, com seu próprio ‘guanxi’ (rede de relacionamentos), tem sempre o laowai esperto que acha que contratar um consultor, uma trade ou mesmo fazer um curso para entender os meandros da cultura chinesa para bussiness é besteira e vem se aventurar por aqui. Ai te falo: vai ajudar o chinês a fazer um excelente negócio da China, literalmente!

image002

Uma ressalva: esse fato que citei acontece com uma frequência bastante alta, apesar de estar diminuindo a cada ano. Existem milhões de empresas e comerciantes chineses mais do que respeitados, corretos e cumpridores dos seus compromissos. Mas num país com bilhões de pessoas, apresentando um índice de crescimento estratosférico, também existem os que adoram levar uma vantagem. Aí quando percebem que o estrangeiro não tem nem ideia de onde está pisando… Um abraço!

O exemplo mais banal disso, que resume bem o perfil de negócio do chinês, são os mercados ‘fakes’ ou de turistas. Nesses locais eles chegam a te pedir 1000 remembies por um artigo que custa 100 remembies. Mas o estrangeiro, com toda sua ‘esperteza’ divide o valor pela sua moeda (no caso de real/3, euro/8 e dólar/6, de maneira arredondada) e pensa: tá barato. E compra. Claro que depois que ele vai embora o chinês fecha a loja e vai descansar por três dias.

Na realidade o chinês gosta de barganhar. Não existe negócio sem a barganha, então os preços estão sempre acima do que eles esperam vender, para que o comprador ofereça seu preço.

Aí há aquele teatro, do tipo ‘você vai me matar, assim vou à falência’, para depois te oferecer um valor no meio do inicial e do que você ofereceu. Ele disse 1000, o turista oferece 500 (caramba estou oferecendo 50% do valor), discutem, barganham e chega-se em 700. O turista pensa: negócio da China comprei por 70% do valor (ai ele divide de novo e o que achou barato fica mais barato).

Resumindo: turista sai feliz da vida achando que fez o tal negócio da China; chinês sai mais feliz ainda porque realmente fez o negócio da China, já que vendeu o produto com lucro de 700%, (lembrem que o preço correto é 100 remembies, e ele já estaria ganhando). =O

Ou seja, hoje em dia passo longe desses mercados. Não suporto nem pensar nessa desgastante prática de barganhar. Porque no final a gente sempre sai com a impressão de que foi feito de bobo…rs

E aí? Estão animados para vir fazer um negócio da China?

Até a próxima!

 

 

Related posts

Ainda matam meninas na China?

Ludmila Lima

Moda – Modismos e tendências curiosas da China

Evelyn Pinheiro

Como você sabe que está adaptado morando na China?

Christine Marote

12 comentários

Tati Sato Abril 25, 2013 at 11:54 am

Eu ODEIO barganhar, Cris… E, na Ásia, tudo é uma questão de barganhar… Pérolas no mercado aqui em Manila… Embora eu saiba que eles ganhem muito dinheiro em cima de mim, eu pago, algumas vezes, porque eles me vencem pelo cansaso. Nunca o valor total. Isso, jamais. Lembro-me que comprei um colar de pérolas lindo por PHP 120 pesos (algo em torno de R$ 6,00). Na semana seguinte, queriam me cobrar PHP 300. Eu ri da cara deles…

Acho que essa prática negociante é uma coisa de asiático. Acontece… Sobre os “negócios da China”, acho que nós, ocidentais, temos a tendência em acreditar no que nos dizem, ou por cultura ou porque nos achamos mais espertos que os outros (no caso do brasileiro). E, por isso, sempre caímos na cilada… 😉

Um beijo e parabéns!!!

PS: Vou para Xiamen em junho!!!

Resposta
Christine Marote Abril 26, 2013 at 10:29 am

Tati, mas no começo até que foi divertido, vai? hehehe.. fazer uma coisa diferente, que nunca fizemos. O problema é que isso nunca acaba. =(
Agora, aqui em Shanghai ainda é melhor que Beijing. Lá além de nos colocar loucas elas ficam puxando a gente, pegam seu braço a alça da bolsa, o casaco… ai, nem com o melhor do bom humor da para levar na boa. hehe
Beijo

Resposta
Ann Abril 25, 2013 at 12:15 pm

Eu sou como a Tati, tambem odeio barganhar, nao tenho paciencia e nem vejo graca rs…portanto lugares como esse, para mim seriam um “no no” rsr… Como a Tati tambem mencionou, aqui no Ocidente nao temos tanto disso. O preco e o preco e se quiser levar e com voce.
Mas que o chines e bom nisso eh verdade, vai ter paciencia para barganhar assim la na China kkkk
Otimo texto! 🙂

Bjs

Resposta
Christine Marote Abril 26, 2013 at 10:32 am

Sim Ann, eu adoro ir ao Ikea, carrefour ou qualquer outro lugar onde posso comprar pelo preço justo, que nada tem haver com meus olhos redondos…rs
Mas fazer oq? Como sair na chuva e não se molhar??? hehehe

Resposta
Inès Martínez Abril 25, 2013 at 1:47 pm

Christine , valeu o que vc. nos contou sobre a China!! Apesar de que até agora nunca fiz negócios com a China. É sempre bom saber para um futuro próximo!!
Bjs

Resposta
Christine Marote Abril 26, 2013 at 10:36 am

É isso mesmo Inês. Nas palestras que faço no BRasil, as pessoas me olham meio desconfiadas quando falo as coisas, pq tem muitas coisas que precisam se levar em conta na negociação com o chines. Mas só acreditam mesmo quando passam pela situação. Ai me ligam: ‘ e não é que vc tinha razão??’ hehehe

Resposta
Carol Abril 25, 2013 at 9:07 pm

Muito legal saber desses detalhes. Acho que eu seria feita de boba direto na China, pois não sei mesmo barganhar… ahahha
É como na Hungria(o contrário) que em todo lugar vc tem que dar gorjeta e se dá pouco, fica feio. puxa, me pede o preço certo e eu pago! Mais fácil que esse adivinha! ahahahaha Mas fazer o que né? A gente dança conforme a música… 🙂
Parabéns pelo texto.
Beijinhos!

Resposta
Christine Marote Abril 26, 2013 at 10:36 am

O povo ficar bravo por causa da gorgeta acho que deve ser prior ainda…rs Vivendo e aprendendo! Obrigada pelo elogio! =]

Resposta
Mércia Granja Abril 26, 2013 at 4:46 am

Chris realmente tem que estar animado para encarar um dia de compras nos mercados fakes. Quando cheguei aqui em Shanghai ha 2 anos atrás também tinha esse pensamento de que não sabia barganhar, e que não tinha paciência para isso…Hoje, quando as chinesas me perguntam quanto eu quero pagar e eu dou o meu preço elas logo dizem que eu sou louca, e depois de muita discussão umas acabam aceitando, outras não. Aí voce ouve o não e vai embora e elas vão correndo atrás de você. So funny!!!

Resposta
Christine Marote Abril 26, 2013 at 10:38 am

Ah, Mercia…
Por isso que agora sou uma compradora compulsiva do TAOBAO. E vc sabe que consegui baixar o preço das lembrancas da minha mãe em 9 remembies? uhuuuu… to ficando craque até na barganha on line! rs
Beijo e obrigada pela visita.

Resposta
Iride Junho 26, 2013 at 10:43 pm

Como sempre aquilo que escreve é claro e interessante, então espero que continue fazendo seus negócios da China, suas amigas agradecem !bjs

Resposta
Shopping de Noivas – Suzhou | Agosto 27, 2014 at 3:49 pm

[…] texto novo meu no blog ‘Brasileiras pelo mundo’, vão lá conferir! […]

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação