BrasileirasPeloMundo.com
Sistemas de Saúde Pelo Mundo

Nossas Pérolas

Já que eu comecei a falar sobre a saúde bucal no último post, vamos continuar a falar sobre este tema.

Como eu disse, algumas pessoas ainda só se lembram que tem boca e dentes quando tem algum problema dental ou oral. Mas, cuidar da sua saúde bucal deve ser rotina, um hábito desenvolvido desde a mais tenra idade.

Então vamos lá, para quem não sabe, os nossos dentes começam a se formar entre a sexta e sétima semana de gestação. Algumas mulheres ainda nem sabem que estão grávidas e já estão em formação aquelas “perolazinhas” que serão os dentes de leite ou, os dentes que comporão a nossa dentição decídua, 20 dentes. É assim que vejo os nossos dentes, como pérolas que devem ser muito bem cuidadas. Na décima semana de gestação começa a formação dos dentes permanentes que serão ao todo, 32.

Resumidamente, os dentes vão se formando e se calcificando, no sentido da coroa para a raiz, durante todo o processo de crescimento e desenvolvimento do feto e posteriormente até o nascimento/erupção do último dente, o terceiro molar permanente, ou seja, por volta dos 18 anos de idade (ou mais). Para se ter uma ideia, a formação completa do primeiro molar permanente, que aparece na boca por volta dos seis anos da criança, só termina aos 9 anos de idade. Vale a pena cuidar de algo que demora tanto tempo para estar pronto, não vale?

O nosso paladar também é formado ainda na gestação por volta da décima quarta semana. Dessa forma, embora o bebê em formação não se alimente de líquido amniótico, o que a mãe come, influenciará no sabor desse líquido e o bebê será “estimulado” para os diversos sabores e desenvolverá preferências. Quanto mais variada a alimentação da mãe, mais fácil será posteriormente, que a criança coma os mais variados alimentos.

Pensando novamente nas nossas joias, nas nossas pérolas, a promoção da saúde bucal deve ser pensada e realizada desde as idades mais precoces. A mulher grávida deve estar atenta à sua condição de grávida e deverá ir ao dentista, pensando na sua própria saúde bucal mas também na do seu filho que vai nascer.

As alterações hormonais da gravidez poderão fragilizar a saúde bucal da mãe. Não, não é verdade que os dentes ficam mais fracos mas, os hormônios podem alterar as respostas fisiológicas e a gengiva pode ficar “mais sensível”. E também estão comprovadas cientificamente, as relações entre as inflamações nas gengivas (os problemas periodontais) da gestante e os nascimentos prematuros. Portanto, é sempre bom fazer uma visitinha ao dentista nessa fase da vida. O dentista saberá que procedimentos poderá/deverá ou não realizar durante a gestação.

Para o bebê que aí vem, a mãe deve começar a pensar e aprender como deverá cuidar da saúde bucal da criança. Este tema fica para uma próxima conversa.

 

Related posts

Saúde da mulher na Bélgica

Regina Barbosa

O sistema de saúde no Chile

Renata D'onofrio

O sistema público de saúde finlandês – Parte 1

Maila-Kaarina Rantanen

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação