BrasileirasPeloMundo.com
Portugal Reciclagem e Meio Ambiente

Reciclagem em Portugal é coisa séria

Reciclagem em Portugal é coisa séria!

Do dia 30 de novembro até o dia 12 de dezembro do ano passado vários governantes e 147 chefes de Estado estiveram reunidos em Paris para a Conferência da Organização das Nações Unidas sobre o clima. Eles assinaram um acordo para diminuir a emissão de gases de efeito estufa e, consequentemente, o aquecimento global.

Hoje em dia sempre ouvimos falar sobre o meio ambiente, reciclagem e separação do lixo. Ninguém gosta de viver num lugar sujo e cheio de lixo, não é mesmo? Mas nós, os habitantes da terra, produzimos toneladas e toneladas de lixo todos os dias. A boa notícia é que muitos dos resíduos produzidos podem ser reciclados, reutilizados ou reaproveitados.

Cada país e cada região tem o seu próprio sistema, criado ao longo da sua história, pelas pessoas que vivem no lugar. Por exemplo, é assim que tratam do lixo lá na Suíça. A Lorrane nos contou como reciclam árvores de natal lá nos Estados Unidos.

Em quase todos os lugares por onde andei existe algum sistema de separação do lixo, uns melhores, mais eficientes e outros menos bons mas, quase sempre há uma cor específica para cada tipo de produto a ser reciclado. No Brasil as cores usadas para os objetos mais comuns são: azul para os papéis e papelão (aqui chamado de “Cartão”), amarelo para metais, verde para vidros, vermelho para plásticos e marrom (que aqui é castanho) para o lixo orgânico.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar em Portugal

Contentores para separação de lixo no estado de São Paulo

Hoje vou contar para vocês como funciona o sistema de separação de lixo e resíduos recicláveis em Portugal.

Não tem muitos anos que Portugal começou a “investir” na separação de resíduos de diversas naturezas. As empresas que cuidam deste serviço sempre investem em campanhas educativas e as pessoas têm se conscientizado ao longo do tempo, o que é muito importante.

Leia também: como tirar o visto D7 para morar em Portugal

Por aqui são os municípios que disponibilizam diversos contentores (caçambas) para a recolha seletiva:

1 – A caçamba (contentor) azul é para os papéis. Nele você pode colocar caixas de papelão, sacos de papel, papel de escrita, revistas, jornais, caixas de ovos, caixas de cereais, tudo que seja somente papel. Lembre-se que as embalagens tetrapak (de leite e sucos) não vão para o contentor azul porque contém plástico e/ou metal;

2 –A caçamba (contentor) amarelo é para os plásticos e metais: Nele você pode colocar sacos plásticos diversos, embalagens de shampoo, de detergente, de óleo, de iogurte, de leite (aqui é que vão as caixas de leite), garrafas de água e suco, isopor (esferovite), latas de bebidas e de conservas, formas de alumínio e frascos de desodorante (aerossóis).

3 –A caçamba (contentor) verde é para o vidro. Nele você pode colocar garrafas de bebidas, de azeite, frascos de vidro diversos como os de geleia e de conservas, frascos de perfume e de cosméticos que sejam de vidro. Não pode pôr as lâmpadas queimadas.

Também existe uma caçamba (contentor) marrom (castanho) onde são colocados os restos de preparação de alimentos como, por exemplo, cascas de frutas/legumes e restos de comida de restaurantes. Mas se uma pessoa morar em um lugar com quintal ou mesmo em uma região mais rural poderá ter uma caixa de compostagem e assim fazer “composto” para adubar as suas plantas.

Geralmente junto a esses contentores tem também uma pequena caixa vermelha onde colocamos as pilhas e baterias usadas. Além destes três também existe o “Eletrão” que é uma caçamba (contentor) específica para colocar pequenos eletrodomésticos que já não funcionam. Geralmente estão localizados perto de supermercados. Sabe aquela torradeira que está queimada, o secador de cabelos que já não funciona e não tem conserto? Vão todos pro “Eletrão”!

Muitos supermercados também disponibilizam caçamba (contentor) para colocar o óleo usado de frituras para ser posteriormente reciclado e usado como combustível. Também há locais para colocar pilhas e baterias usadas, rolhas e cápsulas de café.

Há uns 10 anos as pessoas costumavam colocar roupas que já não usavam mais junto das caçambas (contentor) de lixo. Hoje em dia já existem vários espaços espalhados pela região de Lisboa onde é possível depositar a roupa que já não se usa para que sejam doadas para outras pessoas.

Mas, como eu falei lá no começo, para que as pessoas separem é preciso que exista o espaço para os resíduos serem colocados. Ahhh… mas claro que não basta só eu ou você sermos educados. As pessoas da minha rua, do meu bairro, da minha cidade, etc, todos temos que ser. E também há uma grande parcela da questão que é obrigação do poder público.

Leia também: como abrir conta bancária em Portugal

Pois é, uma pescadinha de rabo na boca. Se não há espaços para a separação do lixo e a reciclagem (função do poder público) como é que as pessoas poderão ser educadas para isso?

Agora vai uma dica para você que leu até aqui:

Que tal começar por separar os resíduos na sua casa? Não tem uma caçamba (contentor) específico para isso? Não é desculpa. Guarde os resíduos separados em sacos específicos para tal: vidros, papéis, metais, cada um de acordo com o que é feito na sua cidade.

Se você mora num prédio, comece por mobilizar as pessoas que moram no edifício. Criem caçambas (contentor) separados para os diversos resíduos. De tempos em tempos, doem ou vendam os resíduos. Se doarem para uma cooperativa estarão ajudando a cooperativa. Se venderem, podem arrecadar fundos para reformas no prédio. Não acham uma boa ideia?

Para saber mais sobre as regras de separação dos resíduos no município de Lisboa clique aqui.

Agora conta para a gente como é que funciona o sistema de reciclagem na sua cidade!

E você? O que você faz no seu dia-a-dia a esse respeito?

Related posts

Autoconhecimento: a lição mais importante ao morar fora do país

Ana Paula Torquato

Licença maternidade pelo mundo

Ann Moeller

Reciclagem na Austrália

Aline Arruda

9 comentários

Aline Arruda Janeiro 16, 2016 at 10:14 am

Lyria, muito legal seu post. Existe coleta seletiva nas casas ou as pessoas tem que levar até os pontos de coleta?
Curiosidade :-). Trabalho com sustentabilidade e adoro saber como funciona em outros países.
Obrigada,
Beijos

Resposta
Lyria Reis Janeiro 17, 2016 at 12:07 am

Oi Aline,
Muito obrigada por ler e comentar! 🙂
O sistema por aqui não é muito antigo e ainda temos que melhorar bastante. Embora já tenhamos esse sistema nem todo mundo faz a separação do lixo.
São as pessoas que tem que levar para os contentores e depois os caminhões específicos fazem a recolha.
Obrigada!

Resposta
Eliana Junho 13, 2016 at 6:04 pm

Aqui na minha cidade o lixo reciclável é separado por cada pessoa, mas não é necessário separar por tipo de reciclagem. Colocamos tudo em um saco colorido e a prefeitura se encarrega de levar em dia pré determinado, depois eles separam e reciclam…pena que o número de cidades que fazem isto ainda é muito pequeno.

Resposta
Lyria Agosto 10, 2016 at 11:24 am

Olá Eliana,
Obrigada por ler o texto e por comentar!
Que bom que aí na sua cidade já fazem, não é mesmo?
Obrigada!

Resposta
Alipio Camargo Abril 1, 2017 at 8:38 pm

Olá Lyria!

Gostei muito de seu post inclusive das recomendações!
Implantei um sistema em meu prédio e tenho encontrado muita resistência, mas continuamos na luta.
Gostaria de saber como é em Portugal a coleta de lixo dos apartamentos. Há algum funcionário do condomínio que retira o lixo nos apartamentos ou em alguma lixeira em cada andar, ou o morador precisa levar até algum ponto de coleta dentro do condomínio? Ou é ainda de outra maneira?

Resposta
Paulo Fevereiro 9, 2019 at 6:00 pm

Moro em Lisboa e atualmente na nossa cidade funciona assim:

O prédio tem um local onde se guardam os contentores de lixo comum para o aterro, os contentores de embalagens e os de papel.
A câmera municipal de Lisboa recolhe um dia lixo comum, no outro plastico, no outro lixo comum e no outro papel.

À volta do bairro, existem contentores de roupa, pilhão e vidro que são recolhidos pela câmara de Lisboa regularmente.

Um abraço

Resposta
Daniel Santos Menezes Março 1, 2019 at 11:54 pm

Excelente artigo mas sei reciclar não é a forma mais eficaz pois no processo consome muita água e energia além dos impostos serem mais elevado do que para o produto primário. A solução é produzir embalagens que poção ser reaproveitadas diretamente sem ter que midifica-las ou reciclaras .um projeto que destine a reaproveitar todos os tipos de embalagens plásticas diretamente para reuso sem ter que midifica-las sem o uso de ferramenta ou cola assim é uma solução que vai realmente dar o uso consciente e comercialmente lucrativo. Eu tenho a solução um encaixe multifuncional é a solução. O futuro é tornar o plástico um produto que seja usado não só como embalagens mas como produto para a contratação civil para agricultura na indústria náutica na proteção contra intempéries climáticas. Sonho não, já é realidade eu sei como .vou deixar meu contato se quiser saber mais . E-mail [email protected]

Resposta
Fernanda Carolina Agosto 14, 2019 at 12:55 pm

Estou lendo o artigo 3 anos após escrito. O que mudou?
Também gostaria de saber sobre cursos na área de saúde/alimentos, pois sou nutricionista e eu e meu namorado pensamos em mudar pra Portugal..a área dele é de TI. Dizem ter mais vagas.

Resposta
Liliane Oliveira Agosto 14, 2019 at 1:19 pm

Olá Fernanda,
A Lyria Reis parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas em Portugal que talvez possam te ajudar.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação