BrasileirasPeloMundo.com
Brasil COVID-19 Divagações EUA Los Angeles

Vacina: nossa responsabilidade como cidadãos

Vacina: nossa responsabilidade como cidadãos.

Desde que os Estados Unidos mudou de presidente a rua ficou mais agitada, com um plano de vacinar todos até o final de maio o país viu as ruas quase desertas foram enchendo até que, no presente momento, já temos de volta o famigerado trânsito de Los Angeles.

Vale ressaltar que a Califórnia foi um dos últimos estados a iniciar a vacinação para todas as idades. Tanto que familiares e amigos no Brasil me perguntavam se eu já havia tomado, pois viram outros brasileiros na Flórida, por exemplo, sendo vacinados.

Tive calma, eu sabia que minha vez chegaria e chegou! Tomei minha primeira dose no final de abril e a segunda já está agendada para dia 14 de maio. O processo de agendamento foi tranquilo, havia horários disponíveis o dia todo e pude escolher o local de vacinação também. Realmente não tenho críticas, tudo até agora foi muito eficiente.

No dia que tomei a primeira dose e cheguei ao centro de vacinação, percebi que era um tipo de ginásio e fica localizado em uma praça aqui de LA. Então, depois que estacionamos (eu e meu marido), caminhamos até a entrada e senti a mesma emoção que sinto em um dia de eleição.

Sempre foi assim pra mim, votar é minha contribuição para a sociedade. E tomar a vacina foi do mesmo jeito! 

É o significado de fazer algo não apenas por mim, é um pequeno gesto em respeito a tantas dores e dificuldades desse momento. 

Então, no caminho para o ginásio eu sentia alívio e expectativa.

Já na fila, super rápida por sinal, um dos guardas puxou assunto. Ele quis saber de onde eu era já que meu cabelo é muito escuro! (nas palavras dele). Ele, indiano, com sotaque, conversamos um pouco. 

Uma vez, dento do ginásio, mas ainda na fila, o homem atrás de nós, mexicano, puxou assunto também, já que ouvira nossa conversa e queria nos contar que já esteve no Brasil e trabalha à distância com brasileiros!

Gente, esse país é assim… essa mistura! 

Todos querem se conectar, conversar, contar de onde são, pra onde vão, o que estão fazendo. E não é exatamente assim em dia de eleições? Reencontramos amigos que não vemos há anos, uma grande chance de conexão!

Bom, tomamos a vacina, senti um pouco de dor. E sentamos para os 15 minutos em observação. Acabamos de sentar e um rapaz caiu desmaiado no chão, não vou mentir, me assustou um pouco, tiraram a gente dali, levaram ele para outro lugar, logo ele estava de volta. Deve ter sido alguma reação alérgica.

Passados os 15 minutos, voltamos para casa e não sentimos nada. Apenas um pouco de dor no braço no dia seguinte e ficamos bem.

Mas, sabe, tomar a vacina não me deu alívio, porque eu sei que estou protegida. Tomar a vacina representa um gesto de respeito ao todo, às pessoas ao meu redor, ao bairro onde moro, às pessoas com quem convivo e, principalmente, à sociedade. Tomar a vacina é cumprir com o meu papel de cidadã.

O dia que escrevo esse artigo é dia primeiro de maio e já ouço um barulho diferente vindo da janela. É aquele barulho do trabalho, da vida acontecendo, das pessoas retornando às atividades corriqueiras.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar nos EUA

Sempre falei que não via a hora de ter de volta os problemas antigos—trânsito, fila, barulho—agora aos pouquinhos estou revivendo tudo isso.

Estamos ainda longe de ver tudo voltar a ser como sempre foi, até porque isso não será possível. Mas, o movimento lá fora, o barulho que vem da janela é importante e traz esperança.

Agora o que mais se discute é o retorno, o desconfinamento, como será? Como vamos nos sentir tendo contato com o mundo todo lá fora, com as pessoas voltando a se aglomerar em espaços abertos.

São muitas as perguntas e incertezas ainda.

Só posso falar sobre como está sendo por aqui. Empresas que conseguiram manter os funcionários trabalhando em home office pretendem continuar flexíveis até que todos sintam-se à vontade para retornar ao escritório. O comércio está praticamente todo aberto, inclusive os restaurantes já recebem clientes na parte fechada.

Dá uma sensação boa ver o movimento, principalmente, quando, tantos pequenos negócios fecharam e há tantas placas de aluguel espalhados pela cidade.

Em resumo, a experiência em 2021 tem sido mais leve, sem sombra de dúvidas, por causa da vacina. Por isso, faça sua parte, tome a vacina quando chegar sua vez, é preciso cumprir nosso papel nesse mundo, agir em prol do coletivo e exercer nosso dever de cidadãs.

 

Quer saber mais sobre o BPM? Siga-nos também no Instagram e no Facebook

Related posts

Profissões Pelo Mundo – Consultora de imagem e moda em Nova Iorque

Ann Moeller

Diferenças entre Estados Unidos e Holanda

Paula Dalcin Martins

EUA – Personalidade feminina deverá estampar a próxima nota de dez dólares

Márcia Lima Gomes

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação