BrasileirasPeloMundo.com
Nova Zelândia

O que aprendi morando na Nova Zelândia

O que aprendi morando na Nova Zelândia.

Quando passamos um tempo em outro país, acabamos adotando alguns costumes, hábitos, opiniões e jeitos de pensar. Acontece de forma natural, sem você perceber. Logo seus amigos e familiares começam a perceber mudanças no seu comportamento, as quais são difíceis de “desaprender” já que agora elas fazem parte de quem você é.

Este é um dos efeitos colaterais de estar imerso em uma nova cultura. Já vi acontecer com muitos amigos meus, de vários países. Depois de quase dois anos de estadia na Nova Zelândia, aprendi muitas lições e “emprestei” alguns hábitos dos neozelandeses. Se você está pensando em passar um tempo aqui ou até mesmo imigrar, provavelmente irá perceber as mesmas coisas.

Tomar muito chá

Como aqui é frio, os neozelandeses têm o costume de tomar chá e existe uma variedade imensa nas prateleiras. Eles geralmente tomam chá no meio da manhã, no lanche da tarde e da noite, antes de dormir. Eu não tinha esse costume já que nasci em uma cidade absurdamente quente, mas acabei comprando uma xícara especialmente para tomar chá e experimentei vários tipos diferentes. Agora, não vivo sem.

Não ligar muito para a aparência

Eu só reparei o quanto o Brasil é um país vaidoso quando me mudei para a NZ. Aqui todo mundo se veste da maneira que bem entender e ninguém julga se você não está tão arrumado assim. Os neozelandeses valorizam muito mais a pessoa que você é do que as roupas que você usa. A visão de moda deles é bem diferente da nossa e o conforto vem acima de tudo. Até a quantidade de peças que eu tenho no armário reduziu ao longo desses anos. Descobri que posso sim viver com apenas o necessário e não ligar para o que os outros pensam.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar Nova Zelândia

Sem estresse

A falta de interesse da maioria dos neozelandeses por estudo e ter sucesso na carreira pode parecer ser estranha a nós, brasileiras, que crescemos com a ideia de que ter um diploma é tudo. Claro, não dá para comparar um país com 200 milhões de pessoas com um de apenas cinco milhões. O mercado de trabalho brasileiro é bem mais competitivo e todo estudo e especialização é um diferencial. Muita gente cresce com a ambição de chegar ao topo da carreira ou, pelo menos, ter um estilo de vida mais confortável.

Os neozelandeses não se importam tanto com isso. Para eles, o importante é aproveitar a vida, não tornar o trabalho uma prioridade. Consequentemente, as pessoas são menos estressadas e não fazem tantos planos a longo prazo. Os neozelandeses aproveitam o momento e, com eles, aprendi a pensar mais no presente também.

É sempre bom fazer planos para não ser pega de surpresa, mas se estressar com algo que ainda nem aconteceu é horrível para a nossa saúde emocional e mental. Os neozelandeses entendem isso.

Amar a natureza

É impossível não se apaixonar pelas belezas deste país maravilhoso. Eu nunca visitava pracinhas e parques no Brasil. Primeiro, não tinha nenhum lugar muito legal para ir. Segundo, pernilongos te atacam toda hora. Terceiro, tinha medo de ficar muito tempo de bobeira e atrair a atenção de alguém. Raramente usava meu celular em público ou tirava fotos.

Na NZ, me encanto com todos os lagos, as montanhas, as praias e campos abertos. Tiro milhares de fotos e passo longo minutos — se não horas — apenas observando a natureza. Não aguento ficar muito tempo em casa e uso qualquer desculpa para dar uma volta nos dias ensolarados. Aprendi que ficar em silêncio nestas belas paisagens pode te ajudar — e muito! — a ser uma pessoa mais serena.

Cada um tem seu estilo de vida

Sempre ouvia coisas como “concurso público é o caminho mais seguro” quando mencionava meus planos de carreira. Ou recebia um conselho sobre como deveria me vestir ou viver a minha vida. Às vezes vinha de alguém sem nenhuma intimidade para falar algo assim. Sinto que ainda há certa pressão, vinda de todos os cantos, para seguirmos um determinado padrão de vida e não arriscarmos coisas novas.

Aqui as pessoas raramente dão opinião sobre sua vida se você não pedir. Elas entendem que cada um tem seus próprios sonhos e interesses. E, acima de tudo, cada um sabe o que é bom para si e todas as maneiras de viver são aceitas.

Fonte: pixabay.com

Essas são apenas algumas coisas que aprendi e agora levo comigo. Espero poder levá-las por um bom tempo, mesmo quando visitar o Brasil. Dito isso, não estou querendo dizer que o Brasil ou os brasileiros são inferiores aos neozelandeses por agirem diferente. Cada país tem sua cultura e suas partes boas e ruins. 

Leia também: custo de vida na Nova Zelândia

O povo brasileiro também tem ótimas qualidades, as quais não consigo viver sem. Somos calorosos, otimistas, temos senso de humor. Porém, é sempre bom estar aberto para aprender novas lições com as pessoas e situações a nossa volta. Tudo pode ser meio estranho no começo, mas não se deixe levar por primeiras impressões.

Quando se mora fora, há duas opções: a) ficar na zona de conforto ou b) se abrir para as novidades. Meu conselho é ter a mente aberta. Caso veja algo que você goste, use-o para se tornar uma pessoa melhor e o ignore o restante. Foi exatamente isso o que eu fiz e não me arrependo. A Nova Zelândia, bem como tantos outros países espalhados por aí, tem muito a nos ensinar. 

Related posts

Como matar a saudades do Brasil sem sair da Nova Zelândia

Gabriela Nunes

Oportunidades na Nova Zelândia

Rosana Melo

Como é morar em Auckland, na Nova Zelândia

Gabriela Nunes

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação