BrasileirasPeloMundo.com
Culinária Pelo Mundo EUA Reciclagem e Meio Ambiente

O que se come nos Estados Unidos?

Sempre que converso com algumas pessoas desde que me mudei para os Estados Unidos, é normal me perguntarem a respeito dos hábitos alimentares praticados na terra do Tio Sam e sequencialmente, emendarem as seguintes perguntas: É verdade que se come muito hambúrguer por aí? O hambúrguer é bom? Os americanos realmente fazem churrascos de hambúrguer? De certa forma, acho natural existir esse tipo de curiosidade porque se pensarmos bem, é muito comum assistirmos filmes – dos mais antigos até propagandas de redes de fast-foods nos mostrando o sanduíche.

Em épocas de food-trucks – aqueles pequenos caminhões que vendem comida na rua, Masterchefs e gourmetizações, o hambúrguer está aí sendo preparado com diversos tipos de carnes, molhos, recheios, pães e tamanhos, mas na medida do possível, sempre respeitando o seu formato original com uma quantidade de carne normalmente bovina (atualmente há diversas opções), acompanhamentos e o pão em formato arredondado.

Outro ponto que acredito ser um dos motivos de muitas pessoas imaginarem que por aqui “só se come hambúrguer”, refere-se a presença do McDonald’s em quase todo o mundo.

Respondendo às perguntas iniciais, gosto é muito pessoal e mesmo não sendo louca pela iguaria, não vou negar que já experimentei alguns hambúrgueres sensacionais por aqui. É verdade também que muitos americanos o preparam em churrascos, no entanto, não é verdadeira a afirmação de que só se come hambúrguer por estas bandas, muito pelo contrário.

Restaurantes

Geograficamente, os EUA são um pouco maiores que nosso país tropical abençoado por Deus e por aí, já se pode imaginar o quão diverso esse país também é. Quando falamos sobre alimentação, posso dizer o seguinte: É claro que se come hambúrguer em todo o país, mas posso garantir que alimentação aqui vai muito além disso.

Quer um exemplo? Tive a oportunidade de experimentar pratos típicos na região sul do país que são mais difíceis de encontrar em cardápios de restaurantes da região em que vivo. É mais ou menos pensar se seria fácil encontrar um prato típico da região nordeste na região sul do Brasil ou vice-versa. A história de cada local, os temperos, o clima, influências imigratórias sem sombra de dúvida motivam tudo isso.

Na região em que moro, é possível encontrar restaurantes de diversas nacionalidades: espanhol, etíope, francês, grego, japonês, mexicano, peruano, dentre outros nos presenteando com suas opções gastronômicas.

Arrisco dizer que a presença de restaurantes mexicanos é a maior pelo menos na minha região – de fast-foods a restaurantes decorados que nos remete aos personagens e ícones daquele país. A presença maciça de mexicanos, também nos possibilita conhecer uma culinária típica e diferente do que eu pelo menos conhecia em São Paulo. Aqui, é possível comer arroz e feijão com tempero mais suave como acompanhamento de um prato mexicano que normalmente são mais apimentados. Achei delicioso e ao mesmo tempo, me levou a pensar que não faz sentido nenhum um restaurante mexicano em São Paulo oferecer arroz e feijão sendo que esse é o prato mais consumido no Brasil de acordo com a pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), realizada pelo IBGE entre 2008 e 2009.

Fonte: Arquivo pessoal – No prato à esquerda, Tacos e no prato à direita: Burrito.

Aqui, além de comida, também há bebidas que vão além dos refrigerantes. A quantidade de pubs, nos faz lembrar a presença de imigrantes irlandeses especialmente neste canto do país, temos vinhos produzidos na Califórnia com uvas inexistentes na América do Sul bem como algumas cervejas locais. Com isso, posso garantir que bebe-se e come-se muito bem neste lugar.

Supermercados

Você pode estar pensando: Mas não vou a um restaurante todos os dias e como são os supermercados aí? Fisicamente, os supermercados são semelhantes ao que existe no Brasil em termos de layout e organização das gôndolas. No entanto, a diferença para mim relaciona-se a variedade de produtos, tamanho das embalagens e, se comparado ao Brasil, a pouca diferença de preços entre produtos considerados “normais” com integrais, orgânicos, vegetarianos e veganos.

Percebo que a diferença de preços entre um produto “normal” para um integral, que no Brasil chega a custar o dobro, aqui não chega nem perto disso. Não sou vegetariana nem vegana, mas noto a variedade de produtos dedicados para estes públicos assim como os orgânicos. Nestes casos, os preços são mais elevados, mas acredito que não sejam tão discrepantes como em terras brasileiras. É possível sim ter uma alimentação saudável e aqueles que aderiram ao estilo vegano/vegetariano, também conseguirão ter acesso com mais facilidade a um verdadeiro paraíso vegano/vegetariano.

Embora seja possível encontrar frutas e verduras com facilidade, sinto que a diversidade brasileira neste quesito é incomparável, contudo, vou aproveitando para conhecer e experimentar novos sabores de acordo com cada safra do que temos por aqui. Algo que também considero muito interessante, é o crescimento das Fazendas Urbanas nos EUA por saber que há muitos americanos em busca de uma alimentação saudável e, mesmo quando não se tem muito espaço físico disponível, encontram alternativas para cultivar alimentos de forma sustentável.

Embalagens

Com toda a variedade de produtos encontrados nos supermercados, admito que ainda estou me adaptando ao tamanho das embalagens de maneira geral. Acho tudo muito grande apesar de também haver produtos em tamanho individual. Sou contra qualquer tipo de desperdício e evito ao máximo jogar comida no lixo, mas cozinhar somente para mim e meu marido, ainda tem sido um aprendizado exatamente por conta da quantidade de alimentos presentes em algumas embalagens.

Fico pensando no motivo das embalagens em geral serem tão maiores ao que estava acostumada e realmente não consigo entender. No entanto, quando comparo “essas grandiosidades”, noto que aqui os preços de maneira geral se mantêm estáveis, enquanto percebo que a inflação brasileira impacta de alguma forma, na diminuição da quantidade dos produtos que compramos para tentar segurar os preços.

Um aspecto que tem me incomodado profundamente no dia a dia, é a quantidade de sacolas plásticas entregues nos supermercados. Já estava totalmente habituada a levar minha sacola retornável no Brasil e, na medida do possível, tenho utilizado aqui também. Contudo, a quantidade desenfreada de sacolas plásticas entregues aos consumidores além do tamanho das embalagens já comentado, me leva a pensar que não há uma grande preocupação com reciclagem, sustentabilidade e volume de lixo produzido, mas isso é assunto para um outro post.

E aí, viu só como também é possível ter uma alimentação saudável e diversificada nos EUA? Você imaginava isso? Costumo dizer que quem não tem medo de experimentar novos sabores, pode comer bem em qualquer lugar do mundo, inclusive aqui.

Até o próximo post!

Leia sobre as opções para os veganos nos EUA!

Related posts

Ilegal, Imoral ou Engorda

Cleo Vassiliou

Como fazer amigos numa cidade nova

Larissa Rinaldi

O que vestir durante o inverno?

Cecília Bailey

6 comentários

Marcella Novembro 3, 2017 at 6:14 am

Adorei!!!!! To doida p visitar a terra do tio Sam!!
Fiquei impressionada com a história das sacolas nos supermercados… aqui na França já é proibido o uso de sacolas plásticas. O que os americanos acham disso?

Resposta
Liliane Oliveira Novembro 3, 2017 at 1:22 pm

Marcella,
Obrigada pela leitura e comentário.
Então, ainda não sei como funciona o esquema de reciclagem por aqui e nunca conversei com americanos sobre isso, mas quero pesquisar sobre o assunto.
Beijinhos,
Lili

Resposta
Andrea Janeiro 10, 2018 at 4:16 pm

Bom dia. Concordo com sua afirmação Liliane, o uso de sacolas aqui è algo que como Paulisyana também já estava desacostumada. Não vejo ao menos aqui na minha região uma grande preocupação com reciclagem, contudo já vi em algumas lojas do Walmart umas caixas onde è possível depositar essas sacolas plásticas para reciclagem. Abraço.

Resposta
Liliane Oliveira Janeiro 10, 2018 at 7:25 pm

Olá Andrea,
Antes de mais nada, gostaria de agradecê-la pela leitura e comentário.
Lendo sua mensagem, pude ter certeza que minha percepção quanto ao tema falta de reciclagem parece ser presente em outras regiões do país, infelizmente.
Interessante saber também que mesmo sendo de uma forma tímida, o Walmart já tem colocado em prática a possibilidade de se fazer algum tipo de reciclagem. Fiquei contente em saber.
Um abraço,
Liliane

Resposta
Helena Mello Janeiro 10, 2018 at 4:22 pm

Fico doente com a quantidade de sacola plástica que usam nos mercados e farmácias aqui em NJ! É absurdo! Sempre vamos ao mercado com 3 ou mais sacolas retornáveis e seeempree temos q ficar de olho pq o pessoal já taca uma sacola plástica. É um hábito muito entranhado por aqui 🙁

Resposta
Liliane Oliveira Janeiro 10, 2018 at 7:32 pm

Olá Helena,
Compartilho contigo a opinião de achar absurdo o descontrole quanto ao uso excessivo de sacolas plásticas aqui nos EUA.
Felizmente, pudemos ter experiências interessantes utilizando sacolas retornáveis que no nosso caso, acabaram virando hábito.
É difícil de entender, mas pelo menos estamos fazendo nossa parte, certo?
Um abraço,
Liliane

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação