BrasileirasPeloMundo.com
Culinária Pelo Mundo Espanha

Onde comer em Madri

Hoje vou falar sobre onde comer em Madri.

A refeição termina, mas ninguém se levanta da mesa. Todos continuam conversando, esperando seus cafés, sejam eles como forem: puro, com muito ou pouco leite e até com gelo. O café termina e a conversa continua. Agora, acompanhada de um licor digestivo. Outra garrafa de vinho é aberta e o tempo passa. O que era para ser um almoço e durar à tarde inteira, foi até a noite.

Parece que estou descrevendo um almoço de domingo da minha família, mas essa é a sobremesa dos espanhóis. Aqui, a sobremesa não é o doce após a refeição – ele é chamado de postre –, mas sim o tempo que se passa à mesa após a refeição ter acabado. A Juliana Bezerra já comentou em seu texto sobre a comida espanhola e a sua variedade, mas como bem descreveu o restaurante americano, Sobremesa, para um espanhol, é tão importante quanto o que se come.

Embora a hora da siesta não seja praticada nas companhias ou escritórios de grandes cidades como Madri, ela ainda existe em algumas regiões e comércios menores. Não é incomum, por exemplo, estar caminhando pelas ruas da periferia de Toledo no horário de almoço – que, na Espanha, é após as 14 h – de um dia de semana, por exemplo, e dar de cara com lojas fechadas com o cartaz “reabriremos após XX horas”. Talvez isso ocorra por tradição ou talvez por causa do clima, afinal, em algumas regiões da Espanha, durante o verão, as temperaturas podem facilmente atingir os 40 graus Celsius.

Os hábitos mudam de acordo com as refeições. O café da manhã tradicional é o café – segundo a preferência de cada um – ou leite com chocolate (que, aqui, é o ColaCao), geralmente acompanhado de uma barra de pão tostado com manteiga e geleia ou com o delicioso tomate com azeite. Conhecido também como pa amb tomàquet, suas origens são incertas, mas se conta que nos anos 20 os trabalhadores das regiões de Extremadura, Múrcia e Andaluzia plantavam tomates ao lado dos trilhos de trem em construção para untar o pão seco, mas há relatos ainda mais antigos que este. Apesar de parecer estranho, é bastante viciante, como já comentou a Jú.

 

O almoço, por sua vez, é composto de dois pratos: o primeiro, que seria algum tipo de pasta, sopa, salada ou arroz e o segundo, que é alguma carne ou peixe. Muitos restaurantes oferece durante a semana menus diários compostos do primeiro e segundo pratos, da bebida e, algumas vezes, também da sobremesa – agora o doce – e/ou o café. Não pensem, no entanto, que isso é exclusividade dos restaurantes: nas casas, as mamás espanholas, embora não levem a fama, também cuidam para que suas crias preparem essa quantidade monstruosa de comida. E, caso não se coma tudo, prepare-se para ouvir comentários do tipo “ah, mas você não gostou?”, acompanhados de caras tristes e olhares que se parecem ao do gato de botas de Shrek.

O jantar, em geral, é um pouco mais leve e pode até mesmo ser feito de tapas. Tapas são as porções de bares e podem ser encontradas em quaisquer bares ou restaurantes no país. Em Madri e Andaluzia, por exemplo, algum tipo de tapa é geralmente servido no momento que se pede a bebida: reza a lenda que o rei Alfonso X ficou doente e seu médico recomendou que ele tomasse vinho, acompanhado de pequenas porções de comida. Ele miraculosamente se curou e, atribuindo a cura e esse “tratamento”, decidiu que todos em Castilla deveriam se beneficiar de tal “remédio”. Por isso, promulgou a lei que obrigava as tavernas a servirem as tapas, o que beneficiou os campesinos em uma época que mal se tinha dinheiro para colocar o vinho sobre a mesa. E, graças a essa lei, hoje em dia, em muitos lugares, é possível jantar ao se tomar quatro cervejas!

Quero experimentar. Onde ir?

Caso esteja por Madri, recomendo ir à Latina aos domingos. Durante toda a tarde, vão de bar em bar tomando cervejas, sangrias, tintos de verano (mistura de vinho tinto com Fanta limão ou casera, uma Sprite mais suave) ou vermuts (o Martini vermelho) e comendo tapas. O Juana La Loca, que fica na Plaza Puerta de Moros, serve uma das melhores tortillas de patatas que já comi. Alerta aos navegantes, essa tortilla é muito suculenta e não é seca. Portanto, para aqueles que preferem seu ovo bem frito, essa não é uma boa opção.

La Descubierta e Malaspina, ambos localizados próximos à Puerta del Sol, são duas opções no centro de Madri que combinam preço e qualidade. As porções são enormes e os huevos rotos (batatas fritas servidas com ovos fritos e jamón) são altamente recomendáveis. As tostas (fatias de pão torrado com alguma cobertura) e os pimientos del padrón (pimentas verdes fritas) também merecem ser provadas.

Huevos Rotos: esses ovos fritos vêm sobre uma camada de jamón e muita batata frita!
Huevos Rotos: esses ovos fritos vêm sobre uma camada de jamón e muita batata frita!

E como deixar de fora as que são, em minha opinião, as melhores croquetas de Madri? Croquetas são como os croquetes brasileiros, mas preparados à base de creme bechamel. Estão entre as minhas comidas favoritas. O bar Melos, localizado na Calle Ave Maria, em Lavapiés,  prepara essas croquetas com perfeição: crocantes por fora e quase líquidas por dentro. E, se a fome persistir, prove uma zapatilla. Não pergunte o que é, mas confie que com fome, não sairá de lá.

Melos: melhores croquetas de Madri
Melos: melhores croquetas de Madri

Y que aprovechéis!

Related posts

Diferenças entre as escolas espanholas

Melissa Dobrezanski

Idioma Galego

Juliane Prado

Culinária moçambicana

Marcela Figueiredo

14 comentários

Juliana Brandão Abril 3, 2016 at 6:46 pm

Lembrei-me de uma história…
Chegamos em Granada umas 22h e famintos da estrada. Paramos em um bar (taverna, whatever) para ir ao banheiro e pedimos uma cerveja para não ser indelicado e só usar o banheiro. E voilá, recebemos hamburgueres com fritas de tapas! Foi um belo jantar por 4 euros hahaha

Beijo <3

Resposta
Erika Martins Carneiro Abril 4, 2016 at 10:09 pm

Ju, linda, obrigada por ler!
É bem assim, mesmo, que venham todos ver como é que é o dia a dia por essas bandas…
Beijos

Resposta
Susana Sawa toledo Abril 3, 2016 at 9:59 pm

Tati muito bom o seu comentario. Explica muito bem os costumes daqui que ninguem acredita quando se conta. Na verdade na Espanha a comida é muito boa e tem que saber entender os espanhóis, são pessoas muito boas e mais reservadas que os brasileiros. Na verdade quando ganha a confiança dessa gente são os melhores amigos que se pode ter!!!

Resposta
Tati Sato Abril 5, 2016 at 8:30 pm

Oi Su! Obrigada pelo comentário. Adoro como as refeições são valorizadas e passamos horas seguidas conversando sobre tudo.
Muita gente me comentava que os espanhóis são grossos. Eu acho que eles são diretos e, muitas vezes, cabeças-quentes… Mas são pessoas ótimas e concordo com você: muitos são amigos para toda a vida!
Beijos!

Resposta
Joy Matta Abril 4, 2016 at 9:22 pm

Nhain, que delícia!!! Quero tudo isso!! Quero siesta depois de uma longa sobremesa…. Lindo e delicioso texto!

Resposta
Tati Sato Abril 6, 2016 at 10:13 pm

Eu também quero siesta, Joy! Hahaha! Obrigada pelo comentário… A verdade é que ainda que haja esse estilo de vida, se trabalha bastante por aqui também. Mas isso é tema para outro post… Um beijo!

Resposta
Erika Martins Carneiro Abril 4, 2016 at 10:20 pm

Fiquei morrendo de fome, ai que vontade dessas tapas!!!! Vou aí, quero tudo! Adorei!

Resposta
Tati Sato Maio 31, 2016 at 6:49 am

Kikka, acabei de ver seu comentário! #VemKikka! Vamos fazer um Erika Komenta e no roteiro da gordinha! Hahaha! ????

Resposta
Denise Abril 5, 2016 at 8:31 am

Oi, Tati!
Eu vivo em Madri também e adorei a matéria! É bem isso mesmo, apesar de conhecer muita gente que tira sim o horário da siesta. O que eu acho mais sensacional de Madri é que as pessoas aqui vivem. Sim, vivem. Principalmente agora, a partir da primavera, que os dias são mais longos, você vê muita gente nas ruas no final da tarde e à noite, justamente “sobremesando” rsrs, seja após um jantar ou após umas tapas. É uma cidade maravilhosa! Estou aguardando ansiosamente mais artigos seus sobre a querida Madri!!!! Beijos

Resposta
Tati Sato Abril 8, 2016 at 7:18 pm

Oi Denise! Obrigada pelo comentário! A verdade é que não conheço muitas pessoas que fazem a siesta, mas a sobremesa é constante. Em especial nos fins de semana que se alargam! Haha! Adoro! Já respondo o seu próximo comentário!

Resposta
Denise Abril 5, 2016 at 8:34 am

Ahh, Tati, e uma outra versão que eu ouvi pra servirem as tapas é a de que na época feudal, como o costume sempre foi de beber muito na Espanha, o rei decretou que deveriam servir porções pequenas de comida para que os trabalhadores não ficassem embriagados, e o costume se mantém até hoje!!! Seja qual for a história, é tradição (e uma bem boa, por sinal rsrsrs). Bjs!

Resposta
Tati Sato Abril 8, 2016 at 7:22 pm

Então, sobre as tapas eu também tinha ouvido essa história – o rei era Alfonso X, se não me engano. Mas depois eu li que essa lei para que o povo não ficasse embriagado veio pelo “milagre” que aconteceu com a saúde do rei.
Independente de suas origens, agradeço a quantidade e variedade de comida que é posta à minha frente quando peço cañas! Adoro!
Obrigada pela leitura! E sim, continue nos acompanhando!
Um beijo!

Resposta
Aline Arruda Abril 6, 2016 at 5:08 am

Tati, ainda bem que li seu post almoçando hehe.
A Espanha é bem parecida com a Itália, nesse sentido.
Almoço com vários pratos, sobremesa, café, digestivo (limoncello ou grapa). Isso com muita conversa.
Beijos

Resposta
Tati Sato Abril 8, 2016 at 8:36 pm

Aline, linda! O estilo de vida Mediterrâneo é muito parecido! Eu adoro! Meu corpo não parece que está de adaptando – ou talvez esteja se adaptando bem demais! Haha!
Beijos

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação