BrasileirasPeloMundo.com
Alemanha

Os bairros de Berlim

Neste artigo, continuo com informações úteis aos interessados em viver em Berlim. Porém, antes de falar sobre os bairros mais populares e requisitados da cidade, começarei com um pequeno resumo sobre como Berlim é dividida.

A divisão de Berlim

  • Der Bezirk: o distrito

Após a reunificação da Alemanha em 1990, Berlim contava com 23 distritos bastante heterogêneos. Em 2001, por meio de uma reforma administrativa, esse número foi reduzido para 12 distritos, que hoje se assemelham mais em extensão e número de habitantes.

  • Der Ortsteil: a localidade

Espalhadas pelos 12 distritos estão 96 localidades, ou bairros, diferentes. Uma lista com todos os distritos e bairros de Berlim pode ser encontrada aqui.

  • Der Kiez: o “quarteirão”

Enquanto as divisões da cidade em distritos e bairros são oficiais, o Kiez não é formal. Originalmente baseado nos assentamentos da Idade Média, o termo Kiez designa hoje uma área residencial delimitada. Mas nem todo quarteirão de Berlim é um Kiez, para isso, ele precisa ter um caráter único.

Ficou complicado? Então, veja o meu exemplo: moro no distrito de Friedrichshain-Kreuzberg, no bairro Friedrichshain e meu Kiez é o Nordkiez.

Os bairros mais populares

Antes de passar para os bairros mais conhecidos e disputados da cidade, ressalto que cada bairro de Berlim – ao menos, os maiores – tem seu próprio centro. Assim, apesar de Mitte ser o centro histórico da cidade, Berlim é uma cidade bastante descentralizada.

As regiões citadas abaixo são bem servidas de transporte público e opções de compras, assim como muitas outras. Por isso, se você estiver atrás de um apartamento aqui não se preocupe, pois há mais do que apenas nove bons bairros. Use essas descrições como um guia e considere também os bairros vizinhos.

No leste – antiga Berlim Oriental

  • Prenzlauer Berg. Predominantemente residencial e familiar, Prenzlauer Berg é o território natural de jovens famílias, universitários e boêmios. Entre jardins de infância e parquinhos, estão livrarias especializadas em design, cafés modernos e restaurantes disputados. Virou um dos bairros mais caros e concorridos nos últimos anos, graças a um processo de gentrificação que atinge as regiões centrais da cidade. Lá fica o Mauerpark, famoso pela feira de antiguidades e pelo karaokê que hospeda aos domingos. Seguro, agradável e tranquilo, Prenzlauer Berg é uma boa opção para quem procura qualidade de vida.
  • Mitte. Histórico, turístico, sofisticado e artístico, Mitte não se define com poucos adjetivos. Literalmente, o “centro” de Berlim é onde estão os museus, memoriais e prédios mais famosos da cidade. Além disso, hotéis cinco estrelas, restaurantes Michelin e as marcas mais caras do mundo fazem parte do cenário. Ótimo para quem curte um ambiente cosmopolita e cheio de estilo e não se importa em pagar bem por ele.
  • Friedrichshain. Entre Prenzlauer Berg e Kreuzberg, Friedrichshain é uma espécie de meio-termo: reconcilia o clima burguês do primeiro com a rebeldia do segundo. Famílias, jovens profissionais, punks e aposentados da Berlim Oriental circulam pelas ruas despretensiosas e coloridas do bairro. Aqui se encontram a legendária Berghain e outras casas noturnas conhecidas que atraem milhares de turistas em busca de festa todos os anos. Aos menos baladeiros, porém, F-hain oferece cinemas pequenos charmosos, bons restaurantes e muito verde no Volkspark.
  • Lichtenberg. Perdendo a má reputação, Lichtenberg com frequência aparece na mídia como o próximo bairro cool de Berlim. O Dong Xuan Center, um mercado asiático gigantesco, é um dos raros pontos internacionais: aqui ainda é possível sentir o clima da Berlim Oriental. Não há muitas opções de lazer, mas a proximidade de Friedrichshain, as boas conexões de transporte e os aluguéis ainda baratos explicam sua recente popularidade.

F-hain

No oeste – antiga Berlim Ocidental

  • Kreuzberg. O bairro ganhou fama pela inusitada mistura de imigrantes turcos, punks, ativistas de esquerda, artistas de vanguarda e famílias trabalhadoras nos anos 80. Antes uma das regiões com os aluguéis mais acessíveis, Kreuzberg viu sua popularidade e seus preços explodirem nos últimos anos. Hoje, jovens internacionais trabalhando em startups, bares especializados em ginger ales e estúdios de yoga fazem parte do cenário. Ainda assim, o bairro mantém seu espírito não conformista e é o preferido de muitos berlinenses.
  • Neukölln. De bairro da classe trabalhadora imigrante à cena hip de artistas, estudantes e empreendedores, Neukölln transformou-se muito nos últimos anos, mas ainda oferece aluguéis mais em conta do que seu vizinho Kreuzberg. Inglês, espanhol, turco e árabe fazem parte do som da ruas. Alguns dos melhores bares da cidade estão aqui, ao lado de numerosos espaços para projetos de arte e restaurantes da moda.
  • Charlottenburg. Considerado um bairro tradicional da alta classe média, Charlottenburg é uma das regiões mais chiques e bem preservadas da cidade, com lindas construções do século XIX. O Palácio de Charlottenburg personifica a sofisticação do bairro e a área de Savignyplatz é destino de celebridades e restaurantes de alta gastronomia. Já foi o bairro mais caro de Berlim, mas atualmente compete por esse posto com Prenzlauer Berg e Kreuzberg.
  • Wedding. Escolhido como o melhor bairro de Berlim pela revista Zitty em 2015, Wedding está mudando, porém ainda mantém o caráter da sua classe trabalhadora original. Próximo a Mitte e bem servido de transporte público, tornou-se uma alternativa aos aluguéis altos de Kreuzberg e Prenzlauer Berg.
  • Schöneberg. Endereço de David Bowie por quase três anos nos anos 70, Schöneberg é conhecido como um bairro boêmio e gay friendly. Tem tanto opções para um noite agitada como áreas residenciais tranquilas. Em geral, possui um população mais velha, mas hoje cada vez mais universitários escolhem o bairro, graças à proximidade de Dahlem, onde estão muitas faculdades.

Related posts

10 diferenças entre Alemanha e Portugal

Nathalia Vitola

10 motivos para não morar na Alemanha

Karina Finke

Ter cidadania alemã facilita a vida na Alemanha?

Karina Finke

4 comentários

karina Agosto 11, 2016 at 9:44 pm

Olá Catia, sou casada e tenho dois filhos pequenos, e pets.Como neta de alemães, tenho um nível avançado da língua. Pretendo mudar-me com toda a família para a Alemanha em breve e gostaria muito de saber as melhores cidades para se viver com a família, e também como funciona o ensino Waldorf na Alemanha, se existe na rede pública, sei que em berlin existem, mas e outras cidades menores, menos cosmopolitas?

Obrigada

Resposta
Catia Pietro Agosto 11, 2016 at 10:33 pm

Oi, Karina

Bem, as cidades alemãs, em geral, têm uma boa qualidade de vida. O importante é levar em conta as coisas que diretamente influenciam seu cotidiano: custo de vida, mercado de trabalho etc. Além disso, considere também que a Alemanha é um país bastante diversificado, Berlim é diferente de Munique que é diferente de Colônia e por aí vai. Se possível, visite algumas cidades antes de se decidir por uma. Pessoalmente, eu só posso palpitar de Berlim e Leipzig, cidades onde vivi, e as duas têm bairros muito bons para famílias.

Sobre o ensino Waldorf, só posso te indicar este site: http://www.waldorfschule.de/ Lá, você encontra um mapa da Alemanha com as escolas Waldorf por região/cidade. Sinto muito por não poder te dizer mais, mas espero que essas informações a ajudem com sua pesquisa.

Boa sorte!

Resposta
Fernanda Machado Fevereiro 2, 2017 at 12:13 am

Cátia, tudo bem?!
Pretendo morar 6 meses em Berlim e levar meus 2 cachorros… Vou estudar alemão na GLS, dentro de uma faculdade, ainda tenho poucas informações a respeito… Você sabe onde fica esse curso? Depois disso, pode indicar um bairro legal é que tenha transporte fácil para esse curso? Como posso falar com você?!

Resposta
Adriana Fevereiro 14, 2017 at 2:36 am

Ajudou a esclarecer as dúvidas! Muito obrigada!!! Ótimo site tenho adorado !!!
Um bj p todas q publicam no site!!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação