BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Lituânia

Os desafios do novo idioma

Os desafios do novo idioma.

Talvez um dos maiores desafios de mudar para a Lituânia tenha sido o idioma, o lituano. Com todas aquelas letras, sinais diferentes e sons que nunca havíamos ouvido antes.

Tudo ia bem com algumas palavras que eram muito parecidas com o português e até que era possível entender do que se tratava, como: technologijų (tecnologia), klinika (clínica), registracija (registro) e fabrikas (fábrica). Enquanto que para outras era simplesmente impossível ter uma ideia do significado, tais como: pienas (leite), prospektas (avenida), alus (cerveja) e sąskaita (nota fiscal).

Apesar de dificuldade, o lituano tem a sua beleza e guarda, sim, a histórica de vida de um povo que faz questão de mandar o seu idioma vivo. Pensando nisso, decidi contar um pouco mais da história do lituano e da sua importância para o país.

Leia também: Bem-vindos à Lituânia

Um pouco de história

A língua lituana é um idioma Indo-Europeu considerada uma das mais antigas do mundo, tão antiga quanto o sânscrito. O primeiro registro de um texto escrito no idioma data de 1545. Atualmente, é falado por pouco mais de 3 milhões de pessoas.

Desde o século 19 historiadores afirmam que o lituano se manteve praticamente inalterado, apesar das influências de línguas externas. E olha que estas influências não foram poucas!  A Lituânia manteve alianças com a Polônia, durante o império da Prússia, passou por um período de domínio alemão durante a II Guerra Mundial, seguida por cerca de 50 anos de domínio pela antiga União Soviética.

Devido ao longo período sob o comando da União Soviética, praticamente todas as pessoas com 40 anos ou mais falam russo também. Já entre os nascidos a partir dos anos 90, quase ninguém fala russo. Na atualidade ,as pessoas usam palavras russas basicamente para os “palavrões”.

O alfabeto e a gramática

Como mencionei anteriormente, o alfabeto é diferente do português, incluindo algumas letras (Ą, Č, Ę, Ė, Į, Š, Ų, Ū, Ž). Enquanto que outras letras foram excluídas como é o caso do W, Q e X.

A língua lituana é dita sintética, ou seja, a mesma palavra assume diferentes formas quando utilizadas em diferentes contextos. O português também é um idioma sintético. Veja este exemplo comparando o português, inglês e o lituano:

  • Português: Eu irei / Eu fui
  • Inglês: I will come / I did come
  • Lituâno: Ateisiu / Atėjau

Outra característica é que a mesma palavra pode ter diferentes versões, dependendo da circunstância em que é utilizada. Por exemplo, o nome João, em lituano, é Jonas (é pronunciado “ionas”); para dizer “de João” em lituano ficaria Jono, e para dizer “para João” o nome ficaria Jonui. Complicadinho, não?

Devido a esta caraterística de mudar o final das palavras, a adaptação de palavras estrangeiras é muito comum, inclusive em nomes próprios. Alguns exemplos: Neymar vira Neymaras, Donald Trump fica Donaldas Trumpas, Fernando Alonso se torna Fernandas Alonsas.

Talvez o mais curioso, e que pode gerar um pouco de confusão no início, é que a terminação “as”, na língua lituana, é para designar palavras masculinas.

Leia também: Aprendendo o idioma birmanês

Catedral de Vilnius à noite. Foto: Luiz Roberto Malta (@lrmr_r_m_r).

Curiosidades sobre a língua lituana

Assim como em outras língua, com o lituano também há algumas curiosidades. Separei algumas para vocês.

Mudança de sobrenome para mulheres casadas

Quando uma mulher é solteira, o sobrenome dela geralmente irá terminar em -ytė ou -aitė, outras terminações também são possíveis, como Kazlauskas. Assim, quando a mulher se casa, o sobrenome passará a terminar com -ienė, passando para Kazlauskienė.

Entretanto, este costume tem diminuído ao longo dos anos. Atualmente, muitas mulheres optam por escrever o sobrenome terminando com -ė. Sendo assim impossível dizer qual é o seu estado civil.

Palavra mais longa

Na língua lituana, a palavra mais longa tem 37 letras e eu diria ser impronunciável. Para quem quiser se arriscar, aí vai: Nebeprisikiškiakopūsteliaujantiesiems.

Contudo, nos dias de hoje, a palavra quase nunca é utilizada. Ela serve para descrever as pessoas que dão algo a quem não pode mais coletar um tipo específico de plantas na floresta.

Nomes ligados à natureza

Os nomes mais comuns na Lituânia estão ligados à natureza. A saber: Rūta (arruda), Eglė (uma espécie de pinheiro), Aušra (alvorecer), Gintaras (âmbar) e Rasa (orvalho).

Contrabandistas de livros

Entre 1863 e 1904, a Lituânia fazia parte do Império Russo, nesta época todos os caracteres em Latin foram banidos do seu território (o alfabeto russo é o cirílico). Diante disto, muitas pessoas arriscaram as suas vidas contrabandeando livros escritos em lituano. Hoje em dia, estes contrabandistas são considerados heróis nacionais, por ajudarem a manter vivo o idioma.

Os desafios do idioma

Como falei para vocês, a vida em um país com um idioma bem diferente e que você não fala pode ser bem desafiadora. E foi exatamente o aconteceu comigo, o que no final das contas sempre rende algumas histórias.

O maior desafio talvez tenha sido na hora de comprar coisas no mercado. Algumas vezes compramos uma coisa pensando que era outra. Nem sempre conseguimos ler especificações das embalagens, porque geralmente estão escritas em: lituano, letão, polonês, russo e húngaro.

Mesmo assim, depois de um ano e meio no país, a gente já sabe como as coisas funcionam, conhecemos algumas palavras e tudo vai ficando mais fácil.

Eu até procurei por cursos, mas o custo era alto e eles não possuem cursos gratuitos para estrangeiros com permissão de residência. Eu adoraria ter começado o curso logo que mudamos, mas infelizmente não foi possível.

O bom é que os lituanos aprendem dois idiomas estrangeiros na escola, então, os jovens geralmente falam inglês. E mesmo que não seja fluente, dá para se comunicar tranquilamente. Por isso, sempre procuramos rostos jovens para nos ajudar nesta empreitada!

Ah, e as lindas fotos deste artigo credito ao meu marido, Luiz Roberto (@lrmr_r_m_r)!!

Related posts

Haiti – Mitos sobre o Vodu

Ana Maria Pereira

Grasse – A Cidade do Perfume

Stephanie Caires

Diferença entre morar e estar de férias em Buenos Aires

Fabi Lima

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação