BrasileirasPeloMundo.com
Portugal Turismo Pelo Mundo

Piódão: um passeio encantador no inverno português

Piódão: um passeio encantador no inverno português.

O inverno em Portugal tem muito vento e chuva, o que deixa a maioria das brasileiras sem coragem para sair de casa e passear. No entanto, também há uma beleza diferenciada nesta época do ano que, com muitos casacos, pode ser explorada.

Por isso, compartilho com vocês a minha experiência em Piódão, uma aldeia histórica cheia de graça, autenticamente portuguesa.

Imagem de Arquivo Pessoal

Uma observação importante: aqui em Portugal, aldeia não tem haver com os índios. É apenas um sinônimo de povoado.

Há muitos séculos a aldeia foi formada por pastores que criavam seus animais nas serras em volta. Eles se adaptaram ao modo de sobreviver neste local afastado, cultivando a agricultura local e aproveitando o rio à volta da melhor maneira possível.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar em Portugal

O charme…

Como tudo em Portugal, a aldeia de Piódão também é cheia de charme para dar e vender. As habitações são construídas com xisto e possuem as janelas e portas azuis tradicionalmente. Além disso, a natureza no entorno é um grande atrativo para os olhos.

Imagem de Arquivo Pessoal

Como chegar?

Partimos do Porto, sem muita pressa para chegar. Aproveitamos a paisagem e tiramos fotografias dos lugares que achamos mais interessantes. Entretanto, a estrada tem muitas curvas. É preciso ter atenção a enjoos e ao mal-estar. Mas a paisagem é linda demais e vale a pena ir com calma e cautela.

Entramos na A1 e saímos em direção a Coimbra Norte para depois seguir pelo IP3 rumo a Viseu. No IP3, deve-se sair para o IC6 em direção a Arganil/Covilhã/Oliveira do Hospital e, depois, seguir pela N17. Aqui, você pode optar por uma das seguintes alternativas: ir até Arganil, ou até Coja para depois seguir para Piódão. A viagem demora cerca de duas horas e meia. Anote as coordenadas no GPS: 40.2295652, -7.8273785 para chegar lá tranquilamente. O acesso é bem sinalizado, o que facilita ainda mais a viagem.

Onde dormir?

Nós não dormimos por lá, mas sei que há muitos alojamentos locais à disposição. No próprio site da Aldeia, é possível ter acesso à lista de locais para pernoitar. O preço pode variar um pouco, mas para um casal fica entre 40 a 90 euros. Tudo depende, é claro, do hotel em si e daquilo que você procura de acordo com a sua preferência.

Imagem de Arquivo Pessoal

O que comer?

A região oferece especiarias magnificas, principalmente, queijos e presuntos! Então, se você é fã de queijo, prepare-se para vibrar com essa experiência. Eu também adoro e, por isso, esqueci de tirar fotos dessa parte na empolgação!

A aldeia conta com alguns restaurantes que servem outras comidas típicas. Não tive a oportunidade de experimentá-las, no entanto, pareciam muito boas pelo cheiro que senti!

Leia também: 10 Características que adoro em Portugal

Ah, o frio…

Uma das fontes interessantes para consultar a meteorologia é o IPMA. É realmente importante verificar a previsão do tempo antes de ir para Piodão, tanto para dirigir com segurança, quanto para separar as roupas para levar. Até porque a região é mesmo muito fria e a temperatura média no inverno fica entre 6 a 12 graus centígrados, o que para nós é um absurdo!

Vale a pena investir numa blusa térmica, botas e num ótimo casaco para aquecer o corpo enquanto você passeia pelas ruas históricas de Piodão.

Sugestão de Roteiro

Há outras aldeias vizinhas que são uma graça e valem a pena conhecer: Foz D’Égua, Cabeça, Loriga, Seia e Linhares da Beira. Sugiro também um fim de semana para traçar essa rota.

Todas elas são LINDAS, encantadoras e trazem uma grande elegância ao inverno.

Imagem de Arquivo Pessoal

Aconselho fortemente a visita a Piodão, pela graça, história e energia do lugar. Pode ser uma oportunidade para se fazer turismo barato se você quiser passear apenas com uma mochila, alguns lanches, bebidas, e aproveitar o local.

Sei que o inverno nos deixa com aquela preguiça de sair de casa, mas a beleza de Piodão faz valer a pena esse esforço. Com alguns casacos a mais, cachecóis, luvas e toucas você consegue aproveitar cada momento nesse lugar mágico.

Related posts

Por que Pokhara merece destaque na viagem ao Nepal?

Marina Mazzoni

Joshua Tree National Park na Califórnia

Natália Baldochi

Dez atrações turísticas em Victoria no Canadá

Priscila Carda

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação