BrasileirasPeloMundo.com
Bélgica Turismo Pelo Mundo

Porque tudo é belga – Dinant

Capítulo 2- Dinant: segredo Belga incrustado nas pedras.

O que fazer naquele feriado que cai numa quarta-feira? Sempre me questionei esses feriados, aquela sensação de domingo sem sábado, chato né? Nada disso garota. Bora conhecer esse mundo. A Bélgica é pequena, mas cheia de surpresas. Eu e minhas duas companheiras de aventuras (uma carioca e uma gaúcha) fomos conhecer uma cidadezinha ao sul da Bélgica: Dinant (fazendo som nasal sem pronunciar o “T”). Fica apenas 1 hora de carro de Bruxelas,  mas ir de trem não é um problema. Dinant se encontra na província de Namur e é conhecida como “filha do Meuse”, nome do rio que corta a vila, aliás, muito lindo.

Gente, que cidadezinha fofa! O Outono, como você que acompanha o blog já sabe, no hemisfério norte é de uma beleza sem igual. Então antes de chegar na cidade passamos por um bosque com folhas de vários tons de marrom e verde, que parecia cena de filme. Na entrada da vila, avistamos primeiro o rio Meuse lindo e verdinho. A estrada passava pelo meio de uma fenda de pedra espetacular. A carioca ainda soltou um: que “feiiiinnnda” linda!!! Rsrs.

Fomos direto conferir o centrinho, são cerca de 15.000.00 habitantes, então dá para imaginar o porque estou me referindo como vila. A nossa primeira parada foi na Catedral Notre Dame. Em estilo gótico, de 1227. Tem um vitral maravilhoso e enorme dentro. Que igreja linda, a entrada é grátis e vale a pena conhecer e apreciar. Aproveita e agradece (não importa sua religião, se você tiver uma, claro) porque a vida sempre vale a pena, não é mesmo?

Nossa segunda visita foi o ponto principal da vila que é a fortaleza, conhecida como “Citadelle”. Uma construção, que fica num penhasco, a 100 metros de altura, com vista panorâmica de toda a Cidade. Lugar muso! Para subir vocês podem usar os 408 degraus (partiu galera fitness), numa escada de pedra ou como fizemos: pegar um bondinho (nome científico teleférico). Saudadinha do Rio.. Enfim!

Agora senta que lá vem a história: Esta fortificação, teve o início de sua construção no século XI, em 1051, mas grande parte foi destruída e reconstruída, a Europa TODA é assim, né? Dinant sofreu devastação novamente no início da Primeira Guerra Mundial. Em 15 agosto de 1914, as tropas francesas e alemãs lutaram pela cidade na chamada “Batalha de Dinant (1914)”, entre os feridos estava o famoso, ilustríssimo, salve-salve tenente Charles de Gaulle (nome do aeroporto de Paris, gente, é agora vocês sabem quem foi o camarada).

Agora vem a parte triste, aqui foi o cenário do maior massacre cometido pelos alemães em 1914. Dentro de um mês, cerca de cinco mil civis belgas e franceses foram mortos pelos alemães. Por isso, hoje, a Citadelle é um museu que recria essa história tão triste. O mais bacana do museu (8€ incluindo o bondinho) é que foi construído buscando mexer com todos nossos sentidos. Muitos efeitos de luzes e sons.  Várias coisas pra fazer com seus filhotes, parquinhos, jogos, etc. O museu é totalmente criança friendly. image6
A terceira etapa foi a Abbaye Notre-Dame de Leffe (monastério), mulherada apaixonada por cerveja pira nesse lugar. Leffe é uma marca de cerveja tradicionalíssima da Bélgica, e a minha preferida! A Blond pra mim está no ponto certo (quero ver como vou lidar com isso quando voltar para o nosso querido “Brasa”).

Aí você encontra o Museu Leffe que está em um Hotel (Hotel La Marveilleuse) que antes era o monastério. O autêntico Monastério da Abadia de Leffe só abre quartas, sábados e domingos e só podem ser visitados a biblioteca e o pátio interno. E outra coisa, para os mais desavisados, não se fabricam mais cervejas aí, atualmente a cerveja é fabricada em Leuven (cidade meia hora em trem de Bruxelas), na mesma fábrica que se elabora a Stella Artois.

A entrada do Museu Leffe (7 € por pessoa) inclui algumas atividades bacanas. O lugar já é muito legal, mas além disso, conta toda a história da abadia de Leffe e também a elaboração da sua cerveja através de telas táteis, vídeos, sons e cheiros e em uma ambientação muito interessante. A entrada inclui a possibilidade de experimentar (de novo! rsrs) uma cerveja Leffe da sua escolha e de presente uma taça de cerveja com o logotipo da marca (coleção só aumentando, quero ver colocar na mala depois: _ Mãe!).  Aliás, caminhar até lá já é motivo suficiente, que cidade linda.

Agora vocês devem estar se perguntando, porque você falou que tudo é belga? Então em Dinant nasceu Adolphe Sax (Antoine Joseph Sax)! Quem? Como assim você não sabe? O inventor do saxofone! O pior que tadinho, o Sr. Sax, como muitos gênios, morreu na absoluta pobreza em Paris. Agora gente, tudo em Dinant tem saxofone. A ponte da cidade tem saxofones gigantes! No mínimo curioso. image3
Também me contaram que na primavera e no verão, muita gente vem para Dinant à procura de esportes radicais. Têm muita escalada, canoa ou caiaque. Voltarei com certeza.

Por último, uma dica: as fábricas de biscoitos, chamados “Couques de Dinant”, uma especialidade da cidade. Coisa mais linda. Eles usam formas de madeira em vários desenhos e formatos. São parecidos com os cookies americanos, mas tem um gostinho especial de mel e outras especiarias locais! Chic, como a Bélgica.

Que tal finalizar o passeio com um cappuccino no Café Leffe em frente ao rio Meuce comendo essa delícia? Experiência incrível!

Eita Bélgica sua linda.

Related posts

Dicas de turismo na Grécia

Carla Werder

Feira Internacional em Bruxelas

Janaina Povoa

Moda belga e seus belgicismos

Ana Laura Visentini

1 comentário

Rita de Cássia Vitarelli Batidta Dezembro 20, 2015 at 8:27 pm

Cada vez mais amando a Bélgica através de seu olhar curioso, inteligente, carinhoso e super bem humorado! Volto rápido!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação