BrasileirasPeloMundo.com
Arábia Saudita

Realização profissional na Arábia Saudita

Honestamente, são poucas pessoas que eu conheço que trabalham com o que realmente curtem, quando o dinheiro se torna um adicional, se comparado ao prazer de fazer o que se ama. Quando você não faz o que ama, a vida desanda, você fica desanimado, tem preguiça de viver. Essa conversa clichê me consumia de uma forma intensa, até que aconteceu comigo e hoje vou falar sobre a minha realização profissional na Arábia Saudita!

Já estive no topo da minha fase profissional, quando fui campeã mundial de jiu-jitsu. Viajava o mundo fazendo o que eu amava e, aparentemente, era um trabalho perfeito. Porém, eu não era 100% feliz. Achava que me esforçava demais e queria poder fazer coisas que ‘pessoas normais’ faziam. Chegou um tempo em que o treino, que eu tanto amava, era chato. Para ter uma noção, até viajar eu não queria mais. Achava chato arrumar mala, me despedir, fazer amigos e depois me despedir de novo. Porém, o que eu faria da minha vida se eu largasse o jiu-jitsu? Foi isso o que eu fiz a vida toda.

Me mudei para o Bahrain com a nova proposta de ser professora – e não deu muito certo! Foi uma fase complicada de 2 anos. Eu fui com uma proposta e, chegando lá, muitas coisas mudaram, inclusive a academia em que eu trabalhava, e daí comecei a ficar mais na parte fitness. Não que eu não goste, mas o jiu-jitsu tem um peso especial para mim, né?! Vivendo aquela vida financeiramente “ok”, porém não realizada, passei para a academia UFC Gym, onde eu seria, finalmente, Bjj coach. Mais uma bola fora. A empresa de gigante só tem o nome e não dá uma condição legal para as pessoas progredirem.

Eu fiquei uns 6 meses triste e sem saber o que fazer. O trabalho dos sonhos com uma péssima administração, vira um trabalho péssimo. Graças a Deus que eu tinha uma aluna particular que segurava minha barra e me ajudava em muita coisa. E foi aí, nesse meio complicado – de verdade, entre brigas , problemas, depressão – que recebi a proposta de vir para Saudi.

Confesso que pensei aquela frase péssima: “Pior não fica! Pelo menos lá eu vou ganhar mais.”

E esse lugar que todo mundo tem pavor e que eu nuca tive a mínima vontade de conhecer, me deu uma nova oportunidade.

E, hoje, vivo a melhor fase profissional da minha vida. Foi uma mudança da água para o vinho, e que me fez ainda voltar a treinar e querer competir novamente. Tirando o fato de que sou a primeira e única mulher faixa preta em Saudi. Olha que honra inserir tantas mulheres e crianças em um novo mundo, um mundo que amo e acredito, o mundo do jiu-jitsu.

Sabe aquela satisfação de ir para o trabalho? Pois é. A empresa aqui também não é perfeita, mas, a minha turma! Elas são lindas, pequenas e com tanto amor. Já é tanto carinho envolvido que eu nem sei explicar. O país, o salário, se tornaram apenas um detalhe. Passar algumas horas com elas que precisam e doam tanto amor, me recarrega para o dia seguinte, e me sinto muito feliz por, finalmente, poder falar de boca cheia tudo isso.

Todos temos problemas, inclusive eu. Aqui não é perfeito, mas eu estou aprendendo a conseguir enxergar o lado bom. Eu estou em Saudi, sem bebidas, sem boates, sem poder usar uma roupa normal na rua, em um calor infernal, com alguns caras abusados que nunca viram mulher na vida. Mas eu faço o que eu amo, tenho uma turma maravilhosa que me traz até cartinha de amor; tenho poucos e bons amigos – e uma melhor amiga que parece que conheci em outras vidas; ganho super bem para fazer o que amo e tenho minha casa.

Claro que, às vezes, bate um desespero e uma insatisfação, mas a questão é o que é mais importante para você e, nesse fase que estou vivendo, eu tenho, praticamente, tudo o que é importante para mim. Sinto falta da família e de alguns amigos, claro, mas, colocando na balança, eu estou bem feliz!

Moral da história: com certeza absoluta, a Larissa de 6 meses atrás, não tinha noção de que tudo isso poderia estar acontecendo agora. Claro que ela acreditava e, no fundo, queria muito, mas não tinha a mínima ideia de que estava tudo tão perto. A Larissa de 6 meses atrás, pensou mil vezes em largar tudo, ir para qualquer lugar com uma mão na frente e outra atrás. A Larissa de 6 meses atrás precisava de férias de, no mínimo 1 ano, para se recuperar de tantas coisas que aconteciam naquele momento. A Larissa de 6 meses atrás queria voltar ao início e aceitar a vida como ela é, sem expectativas, sem planos, projetos.

A Larissa que te escreve hoje, é uma outra Larissa. Ela ama o que faz, ama a vida que vive e consegue enxergar o lado positivo até do negativo. Ela acorda e põe na cabeça que ela está  de bom humor, que o dia será ótimo e que a dieta será muito bem sucedida. Ela é mais paciente e mais consciente. Ela se aceita, se ama e ama muito as pessoas que estão ao redor dela, sem medo de despedida ou de se machucar. Tudo bem que ela conta com umas crianças que curam tudo, com muito amor, então facilita.

Ela curte mais, vive mais, sorri mais, viaja mais, quer treinar mais, quer abraçar e amar mais. A mente se expandiu e a positividade que antes nem existia, hoje é passada para amigos e conhecidos. Quero muito que essa Larissa permaneça, mas essa menina é impulsiva – por isso que esse texto está agora guardadinho. Qualquer sentimento ruim, fase ruim, é só voltar aqui e lembrar como tudo passa e que Deus guia tudo isso.

A lei da atração está funcionando por aqui. Por que você não tenta? Toda fase ruim vai passar. Já pode começar a escreve seus planos, tudo aquilo que você deseja, acordando com o maior sorriso do mundo. Muita coisa já começa a mudar por aí! Acordar bem e sem reclamar, faz toda a diferença – mesmo sabendo que acordar muito cedo é ruim!

Inclusive, indico aqui um grande livro chamado O SEGREDO. Me ajudou – e ajuda –  muito, especialmente nos momentos em que pensei: “O que eu estou fazendo com a minha vida?”.

De verdade, vale a pena! Se você prefere filmes, tem o filme O SEGREDO no youtube também. Depois dessa 1 hora, você se sentirá melhor e irá perceber que toda bela flor tem espinhos. Que tudo vem de dentro de você. Que o que você pensa, você atrai e realmente realiza. Enfim, espero muito que vocês sigam essa dica – e quem seguir, me conta o que achou por aqui, tá?!

Até a próxima. Muita positividade e felicidade para todos vocês!

Related posts

Uma nova Arábia Saudita

Gabriela Lirio Delfino

Dá pra fazer turismo na Arábia Saudita?

Carla Ferreira

Quais são as melhores áreas para se trabalhar no Oriente Médio?

Carla Ferreira

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação