Relacionamento e casamento na Turquia – Parte I

1
1223
Advertisement

Relacionamento e casamento na Turquia.

Após pouco mais de dois anos que nos conhecemos, eu que jamais imaginei me casar ou até mesmo queria casar, aqui estou, escrevendo sobre o assunto a partir da minha experiência pessoal.

Tinha medo do compromisso e do “até que a morte nos separe”. Como assim, escolher uma pessoa para os resto da sua vida? Mas nada que a maturidade não tenha me ajudado. Com o tempo pude ressignificar várias das minhas crenças sobre casamento e aquela sensação de que casar era “me amarrar pra toda vida”, passou.

Partilhamos valores e visão da vida, temos em comum muitos desejos e sonhos. E quem diria que um match no Tinder (pois é!), que acabou com beijo no rosto, iria me trazer para a terra dos sultões.

Como a vida é real, não teve nada de “amor  primeira vista”. Nos conhecemos na Nova Zelândia, onde ele estava morando a trabalho e eu, viajando e trabalhando pelo país durante meu ano sabático.

Levamos meses para realmente engatar num relacionamento. E agora, há poucas semanas do dia marcado para o casamento aqui na Turquia, trago algumas das inúmeras diferenças culturais nas cerimônias e festividades envolvidas nesta data que é considerada, tanto no Brasil quanto na Turquia, um dos dias mais importantes da vida de uma pessoa.

Etapas do casamento Turco

O casamento turco completo e tradicional é composto por várias fases. De maneira bem resumida, a primeira delas chama-se “a promessa”, que é quando o homem comunica sua família que encontrou a mulher da sua vida e deseja se casar. Então sua família entrará em contato com a família da noiva para conversarem e planejarem os próximos passos. A futura esposa normalmente recebe um anel solitário como símbolo do compromisso.

A segunda parte é o que eles chamam de noivado. É como uma formalização da união perante os amigos e familiares. Pode haver uma grande festa, muito parecida com a de um casamento brasileiro, com comida, musica e presentes ou algo mais simples, só para pessoas mais próximas. Os noivos trocam alianças novamente, mas não entre si! Quem coloca a aliança no dedo da noiva é o pai do noivo, e no dedo do noivo, o pai da noiva. Achei bem forte esse simbolismo da união de duas famílias, e de que, os noivos são recebidos como filhos dentro da nova família.

Ocorre então o casamento religioso. Este pode ser feito em casa, somente com a presença dos pais e irmãos dos noivos ou então em uma mesquita com mais convidados. É uma bênção feita pelo Imam (equivalente ao padre ou pastor no Cristianismo). Não há uma regra de como funciona, cada brasileira com quem conversei aqui na Turquia teve uma experiência e entendimento diferente. Depende muito da linha religiosa seguida pela família turca e do Imam escolhido (se moderno ou conservador). Basicamente ele perguntará três vezes para cada um dos noivos se desejam realmente se casar e fará uma bênção da união.

O noivado e o casamento religioso podem ser realizados na mesma ocasião. Nesta fase há também a questão do dote, onde eu conto mais sobre como funciona em outro post, pois é uma questão polêmica, rodeada de mitos.

Depois vem a noite de hena, que simboliza a despedida da noiva de sua família. Acontece normalmente uma noite antes do casamento e além de mais festa e dança com roupas coloridas tradicionais, há o ritual onde as mulheres usam a hena nas mãos.

E por fim o casamento civil e a festa, que não precisam acontecer no mesmo dia. A união civil pode ser realizada direto no cartório, ou então o juiz de paz vai até o local onde será feita a festa de casamento. Não há longo discurso, conselhos ou lindas palavras. É super prático e rápido, em cinco minutos eles dizem os nomes, perguntam aos noivos se querem se casar e então assinam-se os papéis e pronto.

Detalhes Culturais

A família turca dos noivos pode não aprovar o casamento, pois a escolha do noivo ou noiva, é também uma união de duas famílias (no Brasil também, mas é levado muito mais a sério por aqui) e os pais de ambos precisam estar de acordo. Conheço casos de pessoas em que os pais não aprovaram o casamento mas o casal decidiu seguir em frente com a união. Nessas situações, a família que não concorda, corta relações com o filho/filha. Sim, casamentos acontecem sem a presença dos pais de um dos noivos e eles não se falam mais. Isso faz parte da maneira  dramática turca de se viver.

Os turcos, de forma, geral casam cedo. A sociedade turca é conservadora e nada de vida sexual ativa antes de se casar, então, moças e rapazes precisam (ao menos) se portar como tal.  Aqui você não sai na balada turca e vê pessoas se beijando loucamente ou sai na noite com a intenção de “ficar com alguém por uma noite e nada mais”. Esquece!

Esse é sem dúvidas um dos motivos porque na cultura muçulmana as pessoas tendem a se casarem mais cedo, pois casar significa também ter uma vida sexual ativa. Interessante notar que a regra vale para ambos os sexos, e espera-se que o homem também “se comporte”.

Grande parte do jovens turcos, não são independentes financeiramente em torno dos 25 anos de idade. Eles começam a trabalhar após a universidade, ou seja, na grande maioria dos casos, é papai e mamãe do casal quem pagam pela festa, casa, mobilia, enxoval e tudo mais.

Além disso, a família aqui tem um papel muito mais forte e ativo quando comparamos com os brasileiros. A família dos noivos participam ativamente de tudo, opinam e decidem. Os papéis de quem deve fazer o quê são muito bem definidos em cada fase, pois eles já conversaram lá na primeira etapa, chamada a promessa. Normalmente a família da noiva providencia o enxoval e a festa de noivado, a família do noivo, cuida da casa e dos móveis, assim como das alianças.

De maneira geral esse é o funcionamento de um casamento turco, mas cada casal e família são únicos, fazendo os ajustes que bem desejam em cada etapa. Como eu não sou turca, nem muçulmana e muito menos conservadora, estamos adaptando e pulando algumas dessas etapas.

Nosso noivado foi totalmente privado e eu fiquei imensamente surpreendida no dia em que fui pedida em casamento. Não esperava e por isso foi super legal o momento em que abri a porta e ele estava na famosa posição, de joelhos, com a caixinha da aliança (que tinha uma luz interna) aberta, no ambiente a luz de vela, todo decorado. Foi um momento muito particular. Ou seja, não teve nada de familiares envolvidos.

Na minha opinião, a festa de casamento turca e brasileira possuem propósitos diferentes. No Brasil, a festa de casamento é um dia para ser celebrado com amigos e parentes. Os noivos querem que essa data especial seja inesquecível. Os noivos se desdobram para realizar um ótima recepção aos convidados e pensam em cada mínimo detalhe. É, em muitos casos, um verdadeiro evento social.

Aqui na Turquia, depois de todos aqueles passos e rituais de casamento que contei acima, a festa final, na minha visão, tem mais a ver, ainda como nos velhos tempos, com o suporte financeiro que os convidados oferecem ao casal.

Chamo de suporte financeiro o presente dos convidados aos noivos. Nada de máquina de lavar, torradeira ou liquidificador. Aqui na Turquia o presente é ouro ou dinheiro entregue direto aos noivos. Moedinhas de ouro são penduradas em uma fita que o casal tem envolta do pescoço ou joias são entregues a noiva.

Da mesma maneira que os pais dos noivos já foram a dezenas de casamentos em suas vidas levando ouro, chegou a vez da sua família de usufruir desta tradição. A Aline, uma antiga colunista do BPM, escreveu sobre A cultura do ouro na Turquia e você poderá entender ainda melhor como funciona esse costume.

Esse dinheiro é para o casal começar a vida, já que via de regra, são os pais que pagaram pelas festas e o casal ainda não é independente. Por isso é mais simples e não tem tanta pompa como os casamentos no Brasil, e nem faria sentido, já que todos sabem que o casal esta só começando a vida e dívidas de festa para os recém-casados não seriam bem-vindas.

Casamento na Turquia é um assunto bastante extenso e por isso terá mais posts. No próximo, falarei mais sobre a festa de casamento em si, como esta sendo a minha organização e diversas outras diferenças nas festividades.

Se você tiver alguma curiosidade ou dúvida, escreva abaixo que respondo no próximo artigo!

Neste post, a colunista Ariane conta como foi seu noivado Turco no Brasil.

Fotos: ozerpaylanmardinobjektif

1 COMMENT

  1. Incrível, que bom poder ler isso. Eu simplesmente me apaixonei por um turco, ele falou de casamento e essas coisas. Eu me sinto tão insegura quanto a isso resolvi me afastar dele, agora estou sofrendo pois sinto muito a falta dele. Droga

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.