BrasileirasPeloMundo.com
Portugal Turismo Pelo Mundo

Roteiro turístico em torno de Braga em Portugal

“Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver do universo…Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer”. Concordo com os versos de Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa: essa é uma terra gigante, repleta de história e belas paisagens. Impossível não se render aos seus encantos.

Foi ao constatar isso que resolvi destacar alguns lugares surpreendentes que o Minho esconde e quase ninguém conhece. Partindo de Braga, vamos conhecer a infraestrutura de Vila Nova de Famalicão. Em seguida, passear pelos milhares anos de história de Póvoa de Lanhoso, conhecer Vieira do Minho, Terras de Bouro e terminar a aventura em Amares, uma vila discreta, mas que merece entrar nesta listagem especial.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar em Portugal

Bom, já enrolamos demais. Vamos ao nosso passeio!

1) Famalicão:

Situada entre Braga e Porto, é a terra do escritor português Camilo Castelo Branco e uma das mais importantes cidades industriais do país, abrigando diversos tipos de empresas.  É um belo lugar em que se conjuga tudo o que precisa para viver bem: natureza, paz, tranquilidade e conforto.

O ar melancólico de cidade pequena mistura-se ao cenário moderno e à boa infraestrutura que a cidade apresenta. Intitula-se a cidade do conhecimento e da cultura por abrigar a Casa-museu de Camilo, o Centro de Estudos do Surrealismo, o Museu de Bernardino Machado e o da Indústria Têxtil, uma de suas mais belas referências.

Como toda a região do Minho, a carinhosa e bem cuidada Vila Nova de Famalicão também reserva ao visitante raros e belos exemplares de arte românica, das quais as igrejas de Santa Eulália do Mosteiro de Arnoso, a igreja do Mosteiro de Landim e a igreja de São Tiago de Antas são os expoentes.

Como em todo o Minho, na Vila de Familicão também é possível se perder nas feiras de artesanatos, nas festas tradicionais e nas romarias que acontecem durante todo o ano. O carnaval é um dos mais agitados festejos da cidade, bem como a Festa Antonina, em honra ao santo casamenteiro. As marchas populares são o ponto alto dessa romaria, que mobiliza todo o concelho. É lindo de se ver e pedir, claro. 

2) Póvoa de Lanhoso 

Entretanto, se o que procura é história antiga, seu lugar é Póvoa de Lanhoso. O concelho foi criado em 1292 por D. Dinis, mas sabe-se que sua ocupação data de muitos e muitos séculos antes de Cristo. A vila guarda sítios arqueológicos de culturas megalíticas, de calcolítico, da idade do bronze e do povoado da idade do ferro. Além disso, resguarda inúmeros vestígios de presença romana.

Uma visita obrigatória é o Castelo de Lanhoso, um admirável exemplar da arquitetura militar medieval construído sobre um maciço rochoso e pertencente a um dos períodos mais conturbados da história de Portugal: a reconquista Cristã. O monumento evoca a memória de D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques, primeiro Rei de Portugal. 

Em meio à muralha que corta a pequena aldeia, o visitante encontra charmosas moradias construídas em pedra, restaurantes típicos de tirar o fôlego e muita, muita, natureza. Sugiro almoçar no ABBA (isso mesmo. O nome foi dado em homenagem ao grupo sueco), que fica a caminho de Póvoa. Os pratos portugueses são de comer rezando e acompanhe com um Alvarinho caseiro. 

Depois,  entregue-se ao turismo rural, o mais recomendado. Eu duvido que vá querer voltar à realidade!

3) Vieira do Minho

Essa é uma terra perfeita para quem curte a natureza. Seja no verão, para aproveitar seus rios, vales e trilhas nas montanhas; seja no inverno para brincar na neve. Por causa de sua posição geográfica privilegiada, a vila destacou-se pela importância militar no passado, sofrendo influência de Suevos e Romanos, bem como dos exércitos Napoleônicos no século XIX.

Como em toda a região do Minho, Vieira do Minho  também preserva vestígios de antigos povos e da ocupação romana, principalmente a Serra da Cabreira, Salamonde e Ruivães. O turista terá contato com mamoas, menires, gravuras rupestres, fojos medievais, necrópoles neolíticas, castos, utensílios de barro, ferro e outros metais. Do período romano, encontra-se ainda fragmentos da via XVII do itinerário Antonino, que ligava Braga, Chaves e Astorga.

As paisagens são de deixar qualquer um de queixo caído. Uma boa pedida para quem gosta de ciclismo, campismo e esportes aquáticos. E, claro, para quem não dispensa uma boa cavalgada. E, por favor, ponha-se a conversar com os moradores locais. Não vai se arrepender. Vieira do Minho é um daqueles pequenos cantos do mundo que passa despercebido, mas quando entramos não queremos deixar de jeito nenhum. 

4) Amares

Situado há poucos quilômetros de Braga, Amares é daqueles lugares próprios para quem busca paz e sossego. Com apenas 82 km², o município é cercado pelos rios Lima e Cavado e muito verde. O pequeno lugarejo destaca-se pelas belas quintas, vinícolas, restaurantes e spas. Seu patrimônio de Igrejas antigas e monumentos seculares, bem como os vestígios da ocupação romana, dão um charme especial à vila.

A dica é: aproveite os dias em contato com a paz e pratique canoagem, trilhas e passeios de bicicleta pelas trilhas locais. Estenda uma boa toalha às margens da Ponte do Porto, antiga ponte construída em granito com onze arcos desiguais e tabuleiros estreitos, que servia na idade média como o único meio de passagem pelo rio, abra um vinho e viva a experiência de ouvir o canto dos pássaros e o som da água do rio em contato com as pedras. Tenha um livro como companhia e, sem dúvida, sairá renovado.

Amares também oferece festas e romarias tradicionais, feiras e muito artesanato. Vale a pena conferir o Festival das Papas de Sarrabulho, conhecer os sítios históricos que rodeiam a cidade, como a Aldeia de Urjal, a Igreja do Caires, Igreja Paroquial de São Pedro da Portela, a capela de Santa Luiza, Castro de Outeiro, o miradouro Cruzeiro das Lajes e as quintas, parques e sítios arqueológicos de achados pré-históricos. 

5) Terras de Bouro

Seguindo caminho, encontramos Terras de Bouro. À primeira vista, pode parecer estranho, mas com certeza já ouviste falar do Gerês. Pois a vila fica mesmo dentro do Parque Nacional da Peneda-Gerês, tendo seu traçado moldado pelas bacias do Cávado e Homem. 

Para visitar Terras de Bouro, anote: vá ao santuário de São Bento da Porta Aberta, ao Museu Etnográfico de Vilarinho das Furnas, às termas locais, passeie pelo Parque Nacional, conheça as Albufeiras da Caniçada e de Vilarinho das Furnas; vá à fronteira da Portela do Homem, ao o Centro Náutico de Rio Caldo e à Água do Fastio.

Não perca os miradouros, as cascatas do Gerês e deixe-se encantar pelo Centro de Artesanato de Covide e de Brufe. Por fim, aproveite tudo o que o turismo rural desta região tem a oferecer: belas quintas, cavalgadas, passeios em trilhas, bons vinhos caseiros e, claro, a comida tradicional. 

Essas são algumas dicas para quem deseja conhecer Portugal, mas não quer investir no roteiro que todo mundo faz. Sair do lugar comum é muito melhor. Garanto que depois de visitar esses pequenos tesouros da natureza, irá repensar a volta à realidade, e o Minho terá conquistado de vez um lugar em sua bagagem. Até breve e boa viagem!

Related posts

Sete curiosidades portuguesas que você provavelmente desconhece

Ana Tavela

10 castelos na Polônia para você conhecer

Gizelli Gliwic

Passeios imperdíveis em Shanghai

Ana Carolina Turci

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação