BrasileirasPeloMundo.com
Hungria Sistemas de Saúde Pelo Mundo

Sistema de saúde na Hungria

Falar da Europa nos lembra qualidade de vida e para muitos, ótimo sistema público de saúde. No entanto, cada país tem uma realidade bem diferente. É inviável comparar a Bulgária com a Noruega por exemplo. Fatores como o número de habitantes e investimentos nessa área influenciam a qualidade do serviço prestado.

Para utilizar o serviço público de saúde da Hungria, o TAJ (Társadalomizosítási Azonosító Jet) é obrigatório. Em geral, ele é acessível para quem faz o pagamento de impostos no país.

Se você é estudante, procure o setor internacional da Universidade. ELTE, CEU e Corvinus fornecem informações no próprio site.

Caso seja o seu primeiro visto de trabalho, a empresa te entregará o cartão. Apesar do número sair logo, a via física pode levar algumas semanas. Quando troquei de empresa o meu número foi mantido, durante essa transição não era permitido utilizá-lo, já que o imposto é descontado em folha.

O valor descontado do salário é em torno de 7 % e o sistema público é financiado pelo HIF (Health Insurance Fund).

Leia também: Dez motivos para morar em Budapeste

Médico de família

Para se cadastrar no seu médico de família, primeiramente você precisa do Address Card e saber o seu distrito. Essa informação vem discriminada no seu cartão de endereço (Lakcim Kartya em húngaro), o CEP é formado por 4 números, e os dois números do meio indicam o seu distrito. Por exemplo: o meu endereço possui o CEP 1067 (então 06 / VI é o meu distrito).

Ao pesquisar no Google “Háziorvosi rendeló” + seu distrito, você encontrará o endereço do seu médico de família. Você pode ir pessoalmente dentro dos horários de atendimento estabelecidos com o seu TAJ Card, passaporte e Address Card.

Parece simples, mas não é tanto. Os médicos tem um limite de pacientes e muitas vezes eles já estão lotados, principalmente os mais recomendados ou que falam inglês. Então você precisa encontrar um que aceite o seu cadastro.

Qualidade do sistema de saúde

Coletei muitas opiniões antes de escrever esse texto, posso afirmar que as opiniões são divididas quanto ao “SUS” húngaro.

Não vejo grandes motivos para preocupações se você é jovem e saudável. Para enfermidades em geral ou diagnósticos simples, costuma ser eficaz em uma parcela considerável dos casos. Grande parte dos médicos já são idosos e seguem exercendo a profissão, acredito que o valor de aposentadoria não os permita parar completamente.

O grande problema do país é que a mão de obra especializada acaba migrando para países da zona do Euro que pagam melhor e quem fica, opta pela iniciativa privada.

Pagar o médico “por fora” é uma prática muito comum por aqui, mesmo que o acesso seja gratuito, esse costume vem dos tempos do Comunismo. É tão cultural que já é esperado, principalmente em cirurgias ou parto.

Fui atendida em uma clínica particular chamada First Med e foi incrível. Todos falavam inglês e identificaram que os médicos anteriores me prescreveram medicamentos totalmente ultrapassados, sou muito grata pela qualidade. No entanto, um exame simples e a consulta (realizada durante o feriado), totalizou pouco mais de R$ 1.000,00.

Durante o primeiro ano na Hungria, eu indico um seguro de saúde privado. Meus amigos utilizaram a Assist Card e gostaram, inclusive foram nessa mesma clínica citada acima e não pagaram nada. Se o seu visto é de trabalho, consulte as opções com o RH da empresa. A minha possui convênio com o Medicover e os funcionários frequentam os médicos gratuitamente.

Leia também: 5 motivos para não morar na Hungria

Apesar de algumas experiências negativas ao meu redor, em geral não ouvi nenhuma experiência grave.

Sobre as experiências positivas, muitos ficaram surpresos quando precisaram de um médico especialista e classificaram o atendimento como satisfatório.

Infelizmente não posso afirmar que é excelente, mas sinto que apesar de algumas melhorias que precisam ser feitas, é suficiente.

Se você necessita de algum cuidado especial ou tratamento específico, recomendo que venha preparado com o máximo de medicamentos e orientações que puder.

Telefones úteis

  • Emergências – 112
  • Ambulância (se tiver alguém que fale húngaro por perto) – 104
  • Polícia – 107
  • Polícia (para turistas) – 06-1-438-8080 24 horas por dia
  • Bombeiros – 105
  • Assistência médica em inglês 24 horas por dia (Falck SOS Hungary) – 06-1-2400-47

Hospitais especializados

Transplantes e cirurgias
Semmelweis University Clinic – +36-1-267-6000
Baross utca 23-25, 1082 Budapest

Traumatologia
Peterfy Hospital – +36-1-299-7700
Fiumei út 17, 1081 Budapest (entrada pela Gazlang utca)

Atendimento clínico (não é 24 horas)
City of St. Joseph Health Center Kozma – +36-790-4720
Auróra utca 22-28, 1084 Budapest

Related posts

Saúde pública em Roma

Marina Sacco

Sistema de saúde na Romênia

Cristina Hélcias

Sistema de Saúde no México

Patrícia Velazquez

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação