BrasileirasPeloMundo.com
EUA

Super Bowl

Como todos sabem, o futebol americano, conhecido nos EUA apenas como “Football”, é a grande paixão nacional por aqui. E o Super Bowl é o principal jogo do campeonato anual da Liga Nacional de Futebol Americano (NFL), representando o nível mais alto do esporte profissional dos Estados Unidos – culminando em uma temporada que começa no ano anterior.

Pixabay

O evento, que usa algarismos romanos para identificar cada jogo, e sempre acontece no primeiro domingo de fevereiro, foi criado como parte de um acordo de fusão entre a NFL e, a então rival, American Football League (AFL). Foi decidido que as equipes campeãs das duas ligas disputariam o Campeonato Mundial AFL-NFL. Isso aconteceria até a fusão oficial em 1970. Após isso, cada liga foi resignada como uma “conferência” e, em seguida, o jogo foi disputado entre os campeões de cada conferência. Atualmente, a National Football Conference (NFC) lidera a série com 25 vitórias contra 22 vitórias da American Football Conference (AFC).

O Super Bowl  tem o mesmo valor para os americanos que a Copa tem para o resto do mundo. Todos os fãs param tudo que estão fazendo para assistir a partida, assim como durante a Copa no Brasil. Esse grande evento é considerado por muitos como um grande feriado nacional e é chamado de “Superbowl Sunday”. O país para, literalmente, para assistir ao jogo. É uma ótima oportunidade para reunir amigos e família. A tradição é tão forte que o consumo de alimentos só fica atrás do Dia de Ação de Graças – que é o mais comemorado pelos americanos. Além disso, o Super Bowl tem sido frequentemente o programa de televisão mais visto do ano.

Tudo começou em 1920, ano de criação da NFL, mas foi somente após quadro décadas que a liga conseguiu defender as rivais. Entretanto, em 1960, encontrou seu maior concorrente, o AFL (American Football League).  No meio da década a tensão da competição conduziu às conversas sérias da fusão entre as duas ligas. Antes da temporada de 1966, a NFL e AFL chegaram a um acordo de uniao que entraria em vigor na temporada de 1970. Como parte do acordo, os campeões das duas ligas concordaram em reunir-se em um jogo do campeonato mundial de futebol americano profissional, até que a fusão fosse efetuada. E assim surgiu o Super Bowl, a grande final dos dois melhores times de cada liga.

O nome Super Bowl, foi sugerido pelo então presidente na AFL, Lamar Hunt, que disse na época que sua inspiração teria surgido de um brinquedo de seus filhos chamado Super Ball, e também porque o nome fazia referência ao “Bowl Game”, que era o nome dado aos jogos universitários pós-temporada.

Voltando um pouquinho no tempo, já o futebol americano surgiu de uma série de três jogos entre a Universidade de Harvard e McGill, de Montreal, em 1867. Os jogadores de McGill jogavam segundo as regras do rugby, e os de Harvard seguiam as regras do jogo de Boston, mais próximo do futebol europeu. Naquela época, não existiam muitas regras universais, então, para que o jogo fosse justo, alternavam-se as regras para que os dois times tivessem chances de vencer. Após isso, outras universidade se adaptaram às regras do rugby e com o tempo o Futebol Americano foi ganhando suas próprias regras até chegar nas oficiais de hoje.

O Super Bowl é um dos mais esperados eventos do ano. Nos Estados Unidos, o esporte, que é o preferido no pais, atrai milhares de fãs todos os anos para acompanhar a grande final. Mas não só de bola vive o Super Bowl. Durante o intervalo, sempre tem um super show com algum astro da música internacional. Essa oportunidade de tocar no Super Bowl é muito disputada pelas estrelas. A briga pelo horário não para na contratação do show. Todo ano existe uma “luta” também pelo ibope. Até o momento, o recorde é da Madonna, com 114 milhões de televisores ligados – três milhões a mais que o jogo em si. Madonna se apresentou em 2012 em um super espetáculo que a colocou de volta na mídia americana e provou que a rainha do pop continua firme e forte em seu reinado.

Este ano, a cantora Lady Gaga fez um empolgadíssimo show e usou e abusou da tecnologia e efeitos especiais de deixar James Cameron de cabelo em pé. O show serviu como uma grande volta para a artista que ficou um tempo afastada, por conta de sua doença. Dois anos atrás, Lady Gaga anunciou que estava lutando contra o lúpus e decidiu se afastar para dedicar-se à sua saúde. Outros grandes nomes da música internacional como Prince, Madonna, Beyonce, Katy Perry, Michael Jackson e Paul McCartney também já se apresentaram durante o grande evento do esporte americano. Apesar de grandes produções, os shows geralmente são curtos, as apresentações do intervalo do Super Bowl duram cerca de 12 minutos, e os artistas fazer um pout-pourri com seus maiores sucessos. Eu, particularmente, assisto mais pelo intervalo e pelos comercias do que pelo futebol.

Todo ano, as maiores empresas de consumo do mundo fazem comerciais especiais para os intervalos do jogo. Vale a pena conferir os melhores comerciais do Super Bowl. Você pode encontrar todos eles no YouTube, e alguns dos shows também.

Related posts

Direitos das empregadas domésticas em caso de acidente de trabalho em Nova Iorque

Camila Medici

O que fazer caso ficar viúva nos EUA

Cecília Bailey

A terrível ideia de confinar mulheres amamentando

Michelle Marinho

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação