BrasileirasPeloMundo.com
França Turismo Pelo Mundo

Passeando pelas regiões de Dordogne e Lot

Passeando pelas regiões de Dordogne e Lot

A primavera está chegando e com ela a França fica mais bonita, mais florida e com um tempo ótimo para colocar o pé na estrada. Se você é uma dessas pessoas que, como eu, adora cidadezinhas pequenas e fofas, viajar para as regiões de Dordogne e Lot pode ser uma grata surpresa. Essa região é famosa por ter várias cidades classificadas como as mais belas da França –  “Les plus beaux villages de France” e o título é merecido, pois é difícil escolher a cidade mais bonita.

A única má notícia é que essa é uma região para se visitar de carro, pois na maioria dessas cidades o trem não chega e também porque dirigir pelas estradas dessa região é um passeio em si. Eu não tenho carro em Toulouse e costumo alugar para fazer essas viagens. O que eu percebi é que se eu alugo com um mês de antecedência fica mais barato do que alugar mais em cima da hora. Em geral, o gasto maior de transporte é com o aluguel do carro mesmo, porque essas estradas pequenas não têm pedágio.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar na França

A região de Dordogne é famosa pelo foie gras e pelas trufas, então, encontrar pratos que levem esses ingredientes, e também com patos, é muito comum. Eu não como foie gras, mas amo pato e trufa, então, comi muito bem por lá. Os restaurantes não são muito caros por serem cidades turísticas, achei os preços comparáveis com os que eu encontro em Toulouse.
Eu fiz esse roteiro que vou descrever aqui duas vezes, uma na primavera (abril) e outra no verão (agosto). A principal diferença foi a quantidade de pessoas e o calor no verão, mas nada que eu senti que atrapalhasse a viagem. Uma vantagem do verão é que em algumas cidades as pessoas usam as margens do rio Dordogne como praia, o que pode ser bem divertido e refrescante.

Leia também: Turismo em Zagreb

Saint-Cirq- Lapopie

Nas duas vezes em que fui para essa região, eu saí de Toulouse, então, nossa primeira parada foi em Saint-Cirq-Lapopie, que é uma verdadeira joia escondida nas montanhas. Passar por lá é mais conveniente para quem dirige a partir do Sul, mas, mesmo para quem vem de outras regiões, vale a pena dar uma passada nessa cidade. Como a cidade é bem pequena, umas 3 horas são suficientes para ver tudo, acrescente um pouco mais de tempo caso você queira fazer uma refeição por lá. Vale a pena subir na pedra que fica no meio da cidade para ver a vista do rio Dordogne e da cidade de lá de cima.

Arquivo pessoal. Cidade de Saint-Cirq-lapopie na região do Lot, França. Foto tirada na primavera de 2016.

Rocamadour

A estrada entre Saint-Cirq-Lapopie e Rocadamour é uma das mais bonitas que já vi, pois ela corta o Parc naturel regional des Causses du Quercy. Rocamadour é uma cidade belíssima colada na pedra da montanha. Na minha opinião, mais bonita de ver da estrada do que por dentro, porque me incomoda um pouco a quantidade de lojas turísticas pelas ruas da cidade antiga. Vale a pena subir a escadaria que leva até o santuário. De lá você pode subir até o Château a pé, fazendo a via crucis ou descer e dar a volta por cima com o carro. É uma subidinha e tanto.

Sarlat-la-Canéda

Essa é uma das maiores cidades da região e uma das mais bonitas. Tem mais opções de hotéis e restaurantes, então, sempre uso ela de base para dormir. No verão ela fica realmente muito cheia, portanto, vale a pena reservar o hotel com antecedência.
Mesmo sendo maior que as outras cidades a dica é a mesma, se perder pelas ruas medievais da cidade. A igreja Sainte Marie foi transformada em um mercado que abre de manhã e vale a pena a visita. Para quem gosta de mercado, a cidade também tem um mercado de rua enorme aos sábados de manhã. Nele você pode encontrar de roupas e artesanatos à frutas, verduras e comidas.

Arquivo pessoal. Cidade de Sarlat-la-Canéda, na região de Dordogne, França. Foto tirada no verão de 2016.

Caverna de Lascaux II

Para quem gosta de história, ou melhor de pré-história, essa região é recheada de cavernas com pinturas belíssimas. A mais famosa delas é Lascaux, que fica a 30 minutos de Sarlat. A caverna possui mais de 6 mil desenhos e eles são datados de 17 mil anos atrás. A gruta é tombada pelo patrimônio histórico da humanidade e foi descoberta por acaso em 1940. Ela foi aberta ao público em 1948, mas foi fechada em 1963 pois a grande quantidade de dióxido de carbono produzida pela respiração dos visitantes estava deteriorando a pintura. Uma cópia exata da caverna foi feita ao lado e é essa cópia que pode ser visitada. Eu achei o passeio incrível, mas falta um pouco a sensação de estar em uma caverna de verdade.

Domme, La Roque-Gageac, Beynac-et-Cazenac e Castelnaud-la-Chapelle

Eu agrupei essas cidades porque elas são pequenas, ficam todas ao longo do rio Dordogne e, portanto, são bem próximas, algo como 10 a 15 minutos de carro uma da outra. Claro que o tempo de visitação depende do ritmo de cada um, mas duas horas para cada cidade é suficiente.

Saindo de Sarlat, a primeira cidade é Domme, que fica no alto da montanha e tem uma vista linda para o rio e também podemos ver La Roque-Gageac de lá. A cidade também possui um passeio para uma gruta, que eu não fiz, mas parece muito legal. Os ingressos para o passeio são vendidos na praça central da cidade.

Seguindo pelo rio Dordogne a próxima cidade depois de Domme é La Roque-Gageac. Uma cidade minúscula de apenas 412 habitantes que fica espremida entre a pedra da montanha e o rio. Dela saem passeios de barco para as outras cidades que beiram o rio e também existe um serviço de aluguel de caiaque para passear pelo rio. Quando eu fui no verão vi que famílias inteiras passeavam juntas de caiaque. Essa também foi a cidade em que mais vi pessoas usando o rio como praia no verão.

Arquivo pessoal. Cidade de Beynac na região de Dordogne, França.

Depois de La Roque-Gageac a próxima cidade é Beynac-et-Cazenac que, na minha opinião, é uma das mais bonitas. É preciso ter boas pernas para passear por lá, pois a cidade começa em baixo perto do rio e passear pela cidade significa subir pelas ruas lindas até o Château. Eu não cheguei a entrar, mas parecia bem interessante. Para mim o charme da cidade está em passear pelas ruas e aproveitar a vista linda do rio durante a subida.

A última cidade da minha lista é Castelnaud-la-Chapelle. Eu passei rapidinho por essa cidade, então, não posso falar muito, mas sei que o castelo que fica lá é o mais visitado da região e tem apresentações durante o verão, então, pode ser uma boa dica para quem gosta de castelos ou está viajando com crianças.

Espero que as dicas tenham ajudado a compreender melhor a região e que vocês tenham se animado para conhecer essa parte linda da França. Se precisarem de mais dicas ou tiverem alguma dúvida sobre os passeios sugeridos, me escreva! Bon voyage!

Related posts

Passeando e conhecendo o mundo: do Recife para a França

Rosana Alcântara

O preço da ilegalidade na França

Carolina van Heesewijk

Gravidez na França

Fernanda Libardi

4 comentários

Marcella Delfraro Maio 28, 2018 at 4:06 pm

Ola Fernanda,
Fui recentemente visitar a cidade Saint-Cirq- Lapopie e simplesmente ADOREI !!
Vale a pena a visita pois a cidade é encantadore !

Resposta
Fernanda Libardi Maio 30, 2018 at 3:30 pm

Marcella, é gostoso demais, né? Eu já fui duas vezes e vivo querendo voltar.

Resposta
Maria Luisa Abril 16, 2019 at 6:04 pm

Boa tarde, Fernanda. Sou de SP e vou para França em setembro. Gostaria de saber se é fácil dirigir nessas estradas . Vamos de trem até Rocamandour e pensei em alugar um carro. Visitaremos Padirac, Lascaux e Bergerac. Depois iremos de trem para Tours.

Resposta
Liliane Oliveira Abril 17, 2019 at 1:52 pm

Olá Maria Luisa,
A Fernanda Libardi, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação