BrasileirasPeloMundo.com
Cuba Transporte Público Pelo Mundo

Transporte público em Cuba: os “almendrones”

Almendrón

Transporte público em Cuba: os “almendrones”.

Almendrones são carros americanos antigos, jurássicos, de 1959, que se parecem com uma amêndoa. Daí vem o seu apelido! Ainda estão vivos e funcionam devido aos muitos jeitinhos dos mecânicos cubanos que remodelam os motores com peças das mais diversas origens, fazendo adaptações que até Deus duvida.

Os mais lindos, conservados e valiosos, objeto de desejo de turistas ávidos por fotos, estão por Havana, nos pontos turísticos e carregados de estrangeiros. Mas o que irei contar para vocês é sobre outro tipo de almendrón. Os almendrones são uma solução criativa ao transporte público cubano.

Almedrón é o coletivo, o Uber pool, o transporte público mais popular. O almendrón está na vida cotidiana de Havana e de toda Cuba. Esses almendrones são um conjunto de carros antigos que não são os mais bonitos pra desfilar com turistas por toda a orla e pontos turísticos. Mas, também têm o seu charme e fazem a diferença quando é preciso se deslocar pela cidade, por um preço mais baixo do que os outros táxis.

Em Cuba, táxi é caro e o almendrón funciona como um ônibus de transporte público que vai parando e pegando passageiros por toda cidade. Eles possuem sua própia rota a seguir. Então se você para em uma esquina para pegar um almendrón terá outras pessoas que, dependendo da rota, vão estar junto com você, descendo ou subindo pelo caminho e passando o braço, sacola, criança tudo em cima de você. E isso aqui é o mais normal do mundo. E se conseguir ficar na janela, faça um post em suas redes sociais com a palavra “gratidão”. (risos)

Leia mais: Transporte público em Jacarta

Esses carros fazem parte da magia e da alma da cidade. São tão comuns que existe todo um conjunto de gestos importantes para comunicação do usuário e o motorista do carro. De longe, ao avistar um passageiro que faz um sinal, que é universal, para mostrar que tem interesse em pegá-lo, o motorista gesticula com as mãos mostrando que está cheio ou que sua rota segue em direção à praia ou pela terceira avenida, determinando o lugar de destino. São coisas que se aprende pela convivência e o uso ou, sei lá, por osmose, que vem com a prática do cotidiano.

Fonte:https://clandestina.co/blogs/clandestina-is-something-else/five-things-that-only-happen-in-a-cuban-almendron?lang=es
Fonte:https://clandestina.co/blogs/clandestina-is-something-else/five-things-that-only-happen-in-a-cuban-almendron?lang=es

Esses carros tem uma rotina de lugares para passar. Não são como táxis, seguem a rotina parecida à de um ônibus coletivo. Para exemplificar melhor, eles levam os passageiros a pontos já estabelecidos pelo Estado, que regula o seu funcionamento, e já têm preços pré-estabelecidos. Por exemplo, quando saio de Miramar, o bairro onde vivo, e vou até o Vedado, outro bairro próximo, pago pelo serviço 10 CUP (pesos cubanos) ou 0,4 CUC (pesos conversíveis), o equivalente a 0,4 centavos de dólar. Se vou até Havana Velha, a parte turística, os valores dobrarão, por causa da distância.

Sempre que possível, é melhor pagar em moeda nacional porque quando eles fazem a conversão em outra moeda, você sempre irá perder alguns centavos cobrados a mais no meio do caminho. Porque essa vida de viver fazendo contas de conversão e contar com mais de uma moeda no dia a dia, para os cubanos, já virou mamão com açúcar, mas, para a gente que não esta acostumada, custa trabalho e até rapidez de raciocínio. Acho que isso deve ajudar futuramente a evitar Alzheimer por estar constantemente exercitando o cérebro!

Um ponto importante é o cheiro. Sim, o cheiro. Não importa se vá na frente, junto ao motorista, ou atrás: sairá com cheiro de diesel, gasolina, fumaça… tudo misturado! E outro ponto, a porta de trás, na parte esquerda, está sempre bloqueada para abrir, forçando todo mundo a descer pela direita, para que você, sentado à esquerda, possa descer também. E nem sempre é fácil de abrir a porta direita, já passei por uma situação que o motorista me deu uma chave inglesa para abrir a porta. (risos)

E ao usar este tipo de transporte, você vai escutando tudo o que é de mais novo em reggaetón, salsa ou talvez clássicos da música cubana, como também, vai entendendo e conhecendo melhor como é o cotidiano dos cubanos, as últimas notícias, as gírias, enfim, como viver por aqui, com todo tipo de pessoas que fazem uso diariamente do serviço.

É um meio de transporte que funciona muito bem, mas que não é acessível a todos os cubanos. A Guagua, como são chamados os ônibus de transporte público, é o mais popular porque é mais barato e atinge a grande maioria da população, apesar de demorar muito e estar sempre cheio. Aí, por exemplo, os cubanos podem pagar 5 CUP na cidade ou até 27 CUP, se vao para Varadero (130 km ao leste de La Habana).

E como tudo vira música neste país, com o almendrón não seria diferente. Virou tema para uma canção de dois compositores: Arnaldo Rodríguez e Rubén Estévez, e ficou três semanas consecutivas no top 100 das mais tocadas.

Além de ser um meio de transporte, também é um meio para garantir o trabalho e o sustento de muita gente que se desenrola da maneira que pode para conseguir um dinheirinho. E como diz a música: “Meu almendrón esta velho, mas se move / Está velho, mas com ele eu resolvo /Meu almendrón de 59, se move, se move…”.

E uma observação para lembrar aos desavisados: esqueçam aplicativos. Em Cuba, funciona da seguinte maneira: vá até a rua e busque o seu táxi, o seu almendrón nos pontos por onde passa ou guarde algum cartão de visitas de algum motorista que já tenha conhecido, pra que possa ligar diretamente a ele e requisitar o serviço. Sim, aqui funciona o velho método de discar do seu telefone, porque a internet você terá acesso em alguns pontos apenas. Então você irá voltar a usar seu telefone pra fazer ligação normal, sem ser ligação de WhatsApp. Contarei como funciona a internet neste país em um próximo texto. Sim, existe internet em Cuba. E os cubanos também tem acesso. Para não sair falando coisa errada sobre Cuba, leia os meus textos. Até mais!

Related posts

Sistema de transporte na Índia

Kate Yamaguti

Transportes públicos na China

Christine Marote

Transporte público em Londres

Simone Pereira

3 comentários

Blanca Junho 30, 2018 at 3:06 pm

To amando seus posts! Vc escreve muito bem!
Ansiosa pra saber como funciona a internet em Cuba, escreve logo!!!

Resposta
Viviane Naves de Alencar Julho 13, 2018 at 4:44 am

Olá Blanca, muito obrigada pelo carinho.
Já escrevi sobre internet em Cuba e deve sair logo, logo.
Bjs

Resposta
Patricia Setembro 14, 2018 at 1:51 am

Olá Viviane
Post interessante! Viajo para Cuba no próximo mês, provavelmente sozinha? É seguro?
Tem mais posts com dicas em seu blog?

Obrigada.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação