BrasileirasPeloMundo.com
Dinamarca Transporte Público Pelo Mundo

Transporte público na Dinamarca

Transporte público na Dinamarca.

Transporte público é, sem dúvida, um dos temas importantes a se pensar quando nos mudamos para outro país.

Na Dinamarca existe uma cultura muito forte voltada para a sustentabilidade e um dos pontos marcantes é o uso das bicicletas no dia a dia, parecidíssimo com o que se vê na Holanda, como comentado pela Helena neste texto. Mas, além das bicicletas, o transporte coletivo também é bastante utilizado, sobretudo por quem mora em cidades grandes como Copenhague, Aarhus e Aalborg.

O sistema daqui é composto por ônibus e trens na maioria das cidades, e em Copenhague existe o S-tog que é uma versão local do metrô, porém não necessariamente subterrâneo.

Esse sistema é subdividido em transporte controlado pelo Estado (planejamento e controle de vias públicas), regional (ônibus regionais e vias privadas) e comunal (ônibus municipais e outros transportes dentro dos limites de uma comuna). Por “via” entenda-se rodovias e ferrovias. Com todos esses controles gerou-se um sistema de zonas que determina os limites de controle de cada tipo de transporte e que também determina o valor das passagens de acordo com o número de zonas percorridas.

Ônibus intermunicipal, por aqui chamado de regional (Foto: Midttrafik/Divulgação)
Ônibus intermunicipal, por aqui chamado de regional (Foto: Midttrafik/Divulgação)

Não é lá muito fácil entender esse sistema e pra não cansar vocês, leitores, decidi focar em itinerários, compra de passagens, sistema de interligação entre as linhas e demais aspectos práticos. Dessa forma, penso que ficará fácil pra quem lê conseguir se virar na hora de precisar usar o sistema daqui.

Itinerários

Para saber qual ônibus ou trem você precisa pegar, há um site super popular, o Rejseplanen. Nele você pode checar itinerários, ver a localização das paradas, interligações, preços das passagens e, em alguns casos, dá para comprar o bilhete online também. Pode-se consultar as informações em inglês ou dinamarquês.

Outra forma de consultar itinerários e comprar bilhetes é pelo site da DSB ou Danske Statsbaner, que é a empresa estatal que detém a malha ferroviária do país e também é dona de 100% do Ministério dos Transportes dinamarquês. A DSB oferece, igualmente, um aplicativo para smartphones e em seu site é possível visualizar as diferentes zonas de tráfego da capital dinamarquesa, Copenhague. Aqui também há a opção dos dois idiomas do Rejseplanen.

A vantagem do Rejseplanen em relação ao site da DSB é que no primeiro se pode consultar e comprar bilhetes para viagens dentro do país inteiro e até para países de fronteira como Suécia e Alemanha, enquanto que pela DSB normalmente se pode comprar apenas para a capital e zona metropolitana. Comprando seu bilhete online você nem precisa imprimi-lo: basta mostrá-lo ao fiscal no seu smartphone, mesmo, no controle de passagem, porém é bom observar que o fiscal pode pedir um documento de identidade junto e, por isso, é importante que o bilhete esteja em seu nome. Se o bilhete que você apresentar estiver em nome de outra pessoa você pode ser multado.

Compra de passagens

Para os ônibus é possível pagar a passagem em dinheiro na hora do embarque ou comprar o bilhete na loja de conveniência da estação ou terminal. Se optar por pagar direto no ônibus, você paga para o motorista – não há cobrador – e seu bilhete é impresso na hora, com o itinerário e o valor pago. Aconselho guardar o bilhete consigo até o ponto final da sua viagem, pelo menos. Se você comprar um bilhete de ônibus e precisar continuar a viagem de trem, poderá apresentá-lo na compra de um bilhete de trem e obter desconto no valor da tarifa.

Caso o transporte seja via trem ou metrô é preciso comprar a passagem antes do embarque em um dos terminais de autoatendimento disponíveis nas plataformas de embarque. Nesses terminais você pode pagar com o seu cartão de crédito ou débito e imprimir a passagem e o recibo do pagamento. Nem sempre aparece um controle de bihetes nos vagões mas é importante saber que caso você seja pego circulando nos metrôs e trens sem passagem, você receberá uma multa no valor de 750 coroas, independentemente do trecho percorrido; portanto, bancar o ‘esperto’ pode sair bem caro.

Sistema de interligação entre as linhas

O sistema público de transporte é dividido em zonas, e os bilhetes de trem e metrô podem ser usados como integração dentro da mesma zona. É complicado calcular as zonas. Copenhague, por exemplo, possui 97 zonas e falta clareza na hora de determinar onde começa e termina uma zona, principalmente porque nos trens e metrô não se avisa quantas zonas serão percorridas. Já com os ônibus é mais fácil entender o sistema, pois há indicação das zonas percorridas nas paradas.

E como calcular o número de zonas para comprar o bilhete correto? É simples. Nas máquinas de autoatendimento normalmente o cálculo de zonas percorridas é feito automaticamente pelo sistema ao se informar a origem e destino da viagem, e você paga o valor referido. Sempre se paga pela distância maior e nem sempre o preço da ida é o mesmo da volta em se tratando de Copenhague. É importante ter o bilhete para o número de zonas correto, evitando assim multas. O site Moviatrafik ajuda na hora de calcular as zonas. Esse sistema é mais importante na capital que no resto da Dinamarca. Eu recomendo o uso frequente do Rejseplanen para calcular o valor das viagens e consultar os itinerários porque nem os dinamarqueses que inventaram esse sistema conseguem entendê-lo!

Todas as linhas de trem possuem interligação com ônibus a partir da estação, portanto você pode começar uma viagem de trem e dar continuidade a ela de ônibus ou vice-versa – mas lembre-se de que será necessário pagar pela passagem complementar para prosseguir viagem, se não estiver usando um Rejsekort. Os trens da DSB também estão conectados com a malha ferroviária europeia, possibilitando viagens para vários destinos europeus.

Neste link é possível ver todas as zonas do transporte público dinamarquês.

Tipos de bilhetes/passagens

Pendlerkort – Uma pessoa que usa transporte coletivo mais de 3 vezes na semana, fazendo sempre as mesmas rotas definidas, é chamada por aqui de pendler, e tal tipo de cartão visa atender a esse usuário frequente. O pendlerkort é mais usado por trabalhadores e estudantes, sejam adultos ou crianças – cada faixa etária tem um pendlerkort correspondente.

Cartão Rejsekort – O mais popular da Dinamarca, permite ao usuário frequente uma economia considerável. Pode ser recarregado mensalmente ou quando os créditos acabarem e é válido tanto para trens quanto para ônibus dentro do país, em qualquer região. É preciso ficar atento para o check in e check out, pois se você esquecer de fazer check out quando terminar a viagem, os créditos continuarão correndo.

Veja um vídeo explicando como usar o Rejsekort:

Bilhete enkelt e periodekort – O bilhete enkelt é o que se compra para apenas um trecho de uma viagem e precisa ser comprado pouco antes do embarque, pois tem validade restrita para o período de viagem do trecho percorrido. Periodekort é o cartão que é válido para um mês em uma determinada região, desde que o usuário percorra no mínimo duas zonas por trecho viajado. Assim como o rejsekort o periodekort possibilita economia para usuários frequentes, pois a tarifa unitária acaba sendo mais baixa.

DSB 1′ e DSB Orange – Estes são bilhetes de trem; no DSB 1′ o viajante vai num vagão que funciona como um escritório e tem direito a Wi-Fi grátis, café da manhã, jornais, água, snacks e cafezinhos durante a sua viagem, tudo incluso no valor da tarifa.  O DSB Orange vale para viagens entre Copenhague e o resto do país. É a tarifa mais econômica e a mais concorrida, também.

Bus & tog-årskort – Cartão válido para ônibus e trens, anual, para quem viaja muito mas não tem rotas definidas. A pessoa paga um valor fixo que pode ser usado ao longo do ano.

Klippekort – Antes do rejsekort esse era o queridinho dos passageiros frequentes. Ele saiu de circulação na capital mas continua sendo usado no resto da Dinamarca. Pode-se comprar no máximo 10 trechos por cartão e ele é carimbado a cada trecho percorrido; cada carimbo corresponde a uma zona.

Leia sobre motivos para não morar na Dinamarca

Tarifas diferenciadas para usuários específicos – estudantes, idosos e portadores de necessidades especiais – Idosos a partir dos 65 anos têm direito a tarifas mais baixas nos transportes públicos. Estudantes entre 16 e 25 anos podem adquirir o Ungdomskort, que dá direito a pagar menos nas tarifas de transporte. Portadores de necessidades especiais recebem desconto na tarifa ao apresentarem cartões comprovando a sua condição, emitidos pelas seguintes instituições dinamarquesas: Ledsagekort Danmark, DSB Legitimationskort – Ledsageordning, cartão de membro do Dansk Blindesamfund ou Synscenter Refsnæs (ambas associações de apoio a deficientes visuais).

Dica: o sistema de transporte público conta com Wi-Fi grátis para usuários dos ônibus intermunicipais X-Bus e também para os trens que fazem o percurso entre Copenhague e demais áreas da Dinamarca. Para acessar basta buscar a rede disponível e fazer um cadastro com seu e-mail (no caso dos ônibus) ou com seu número de bilhete e assento (no caso dos trens). Todos os ônibus intermunicipais e trens regionais contam com pontos de recarga de energia para eletrônicos. O risco de roubos de eletrônicos como celulares e computadores nos transportes públicos dinamarqueses é próximo de zero.

Informações sobre trens na Dinamarca podem ser obtidas em inglês no site da DSB.

Related posts

Transporte em Barcelona: para viver e passear

Lisa Marie Afonso

Do carrinho de cachorro quente a um dos melhores restaurantes do mundo

Camila Vicenci Witt

Como ser Au Pair na Dinamarca

Tatiane Nogueira

16 comentários

Vladen Vieira (SP) Março 4, 2016 at 12:41 am

Cristiane
Estou indo para uma competição de remo em Copenhague (8 a 11 setembro) e gostaria de saber em qual zona está localizado o LAKE BAGSVAERD, pois estarei hospedado no centro.
Um abraço
Vladen

Resposta
Cristiane Leme Março 4, 2016 at 8:15 am

Oi Vladen. O Bagsværd sø fica na região 41, se não me engano (Lyngby) e saindo da zona 1 (centro de CPH) você irá percorrer 4 zonas no mínimo. Uma opção pra você pode ser o city pass, que custa 80 coroas e dá direito ao transporte em até 4 zonas por 24 horas. Para responder mais definitivamente as suas dúvidas sobre transporte, sugiro consultar a organização do evento.
Abraços e continue nos acompanhando! 🙂

Resposta
Vladen Julho 19, 2016 at 1:09 am

Cristiane
Obrigado pela atenção.
Um abraço

Resposta
Adine Laís Julho 21, 2016 at 12:12 am

Hej Cristiane!
Muito obrigada por essas informações! São muito úteis!
Vou daqui a 2 semanas fazer intercâmbio na Dinamarca durante 1 ano e estava um pouco com medo de me perder nos trens, ônibus e etc hahaha

Tak,
Adine.

Resposta
Cristiane Leme Julho 21, 2016 at 9:03 am

Que bom que foi útil, Adine!
Continue nos acompanhando para saber mais sobre a Dinamarca. Esse mês vai sair um texto bem bacana sobre como e onde procurar produtos na Dinamarca.
Abraços e boa sorte no seu intercâmbio, espero que seja bem proveitoso!

Resposta
RAPHAEL M A R CRUZ Setembro 23, 2016 at 2:53 pm

Fui a passeio pra Copenhagen e fiz maior confusão com os tickets do metrô… Acabei recebendo uma multa (acredito que injustamente).
Você sabe me dizer o que acontece se eu não pagar?

Resposta
Cristiane Leme Setembro 26, 2016 at 9:53 pm

Raphael, é muito raro que alguém receba multa injustamente na Dinamarca. Eu pessoalmente desconheço casos dessa natureza.
O que acontece se não pagar depende muito de se você mora ou não na Dinamarca. Em geral não existe um controle ferrenho do turista que não paga esse tipo de multa; já se morar na Dinamarca, a coisa complica, pois é dívida pública e isso pode acarretar na perda do visto.

Resposta
Sara Gurgel Março 10, 2017 at 4:39 pm

Cristiane, vamos a Copenhague no final de Abril!!! Como deveremos fazer, quando chegarmos no aeroporto???? Li, que um táxi é muito caro! Qual seria outra opção ! Somos dois casais, todos com mais de 60 anos!!!!

Resposta
Cristiane Leme Março 14, 2017 at 4:50 pm

Oi Sara. Saindo do aeroporto de Kastrup tem o trem que leva à estação central de Copenhague. Dependendo de onde vocês estarão hospedados, pode ser a opção mais barata e tão confortável quanto o táxi. Da estação central é possível tomar o S-tog até seu destino final. Há diversas opções de cartões para o transporte público local. O City Pass, válido por 72 horas e para as zonas de 1 a 4, que incluem do aeroporto até o centro de Copenhague custa de 80 a 200 coroas dinamarquesas e pode ser comprado online. Talvez no caso de vocês a opção mais barata seja o Copenhagen Card, que dá acesso ilimitado a trens, ônibus e metrô e ainda garante entrada grátis para 79 atrações, além de descontos em restaurantes. Para esse, os preços variam de acordo com o número de dias/horas a serem utilizados. O link para a compra é esse: http://www.copenhagencard.com/prices-and-conditions . Se for comprar online e quiser que enviem pra vocês, é preciso comprar com um mês de antecedência devido aos correios e é cobrada uma taxa alta de envio. Por experiência própria acho mais seguro e econômico comprar num dos postos de venda do aeroporto.

Boa viagem e aproveitem a estadia, e consultem o texto da Camila sobre dicas de turismo em Copenhague 🙂
Abril é um mês ótimo para visitar a cidade, mas tragam pelo menos um casaco mais grossinho pois pode esfriar de repente.

Resposta
CINTIA MEDEIROS Abril 21, 2017 at 11:21 am

Cristiane, parabéns pelo blog!
Três colegas e eu estamos indo para Copenhagen de 5 a 10 de julho para participarmos de um evento na CBS e eu estou em dúvida para escolher a região de hospedagem. Eu tenho encontrado locais com preços acessível em Norrebro, no centro, Vanlose e Vesterbro. Você poderia me ajudar me dando dicas considerando: facilidade de transporte e caracteristicas da vizinhança, segurança, etc? Agradeço de antemão.

Resposta
Cristiane Leme Abril 21, 2017 at 8:49 pm

Cintia, obrigada por ler e comentar.
Eu moro no interior e vou pouco a Copenhague, portanto me faltam conhecimentos para descrever a fundo os bairros e suas características. Sei que Nørrebro tem S-tog, metrô e ônibus e que é fácil transitar. Quanto aos outros dois bairros, vou ficar devendo, mas você pode perguntar num dos grupos de brasileiros na Dinamarca nas redes sociais ou para a Camila, colunista aqui do BPM que mora em CPH. Ela tem um texto publicado sobre como encontrar um lugar pra morar, dê uma olhada.
Boa sorte e continue nos acompanhando!

Resposta
Mariana Pereira Junho 21, 2017 at 5:53 am

Olá. Boa noite. Amei suas dicas e comentários.
Bem tenho interesse em montar uma delicatessem na Dinamarca,preferencialmente em uma cidade menor mas com um bom fluxo de pessoas no comercio e com uma universidade para minha filha, dando certo vou primeiro e vejo no que dá depois de mais oumenos 2 anos dando certo quero levar comigo meu marido e nossa filha,gostaria se possivel saber informaçoes de como proceder legalmente para este fim,se solber de algum site ou informaçoes, fico grata é que pesquisei e somente encontro sobre franquias e não é o que quero. Obrigada e boa noite.

Resposta
Cristiane Leme Junho 28, 2017 at 6:39 pm

Olá.
Para um estrangeiro poder conseguir o visto para morar e montar um negócio na Dinamarca é preciso que o plano de negócio seja aprovado pelas autoridades daqui. Acho pouco provável que a sua ideia seja viável sem ter previamente o visto para morar aqui, já que esse tipo de prestação de serviços existe e muito, e por isso não há incentivo para que estrangeiros venham fazer aqui o que pessoas que já moram aqui fazem.

O site que tem tudo sobre como abrir uma empresa na Dinamarca se chama http://www.virk.dk; esse site está em dinamarquês. Para mais info, consulte: http://www.doingbusiness.org/data/exploreeconomies/denmark#starting-a-business ; https://www.workindenmark.dk/Working-in-DK/Start-your-own-business ; https://danishbusinessauthority.dk/.

Boa sorte com seus planos e continue nos acompanhando 🙂

Resposta
Luciana Melo Outubro 22, 2017 at 8:55 pm

Oi Cristiane,
Gostei muito das dicas q vc deu neste posto. mas uma coisa não entendi é a validação do Copenhage Card. Tenho que validá-lo na entrada e na saída do trasnporte? Ou só passá-lo uma vez na validador de entrada?
Obrigada mais uma vez

Resposta
Cristiane Leme Outubro 24, 2017 at 7:06 pm

Oi Luciana. Com o Copenhagen Card, basta apresentá-lo ao motorista ao embarcar no ônibus, e mostrar ao controlador de passagens nos trens. O que precisa fazer check-in e check-out é o Rejsekort, que vale a pena pra quem mora na Dinamarca e usa transporte público regularmente. Dê uma olhada no link com as informações: http://www.copenhagencard.com/free-transport
Agradeço a leitura e continue nos acompanhando pra saber mais sobre a Dinamarca 🙂

Resposta
Antonio Carlos Junho 23, 2018 at 3:27 am

Olá,
Gostei de seu blog, moro no Japão e vou passar por Copenhagen em setembro, apenas um dia. Você poderia se possível recomendar um guia que fale português ou espanhol
Obrigado

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação