BrasileirasPeloMundo.com
França Turismo Pelo Mundo

Viagem pela costa sudoeste da França

Quem me acompanha aqui no blog já percebeu que eu gosto de compartilhar a realidade de quem decide morar fora, com todas as dificuldades e prazeres que essa experiência nos traz. Gosto principalmente de trazer conteúdos para lembrar que morar fora não é 100% do tempo lindo e maravilhoso, que a França não é só Paris e principalmente poder levar informação e ajudar quem pretende ou já está morando na terra dos queijos e vinhos. Por isso, hoje, o assunto é viagem pela costa sudoeste da França!

Apesar dos trancos e barrancos, nem só de procurar apartamento, emprego, e renovação de visto, vive um intercambista, existem também momentos maravilhosos, sonhos realizados e experiências inenarráveis. Pra mim, a melhor parte é poder viajar, com uma certa facilidade e acessibilidade. Confira meu texto sobre um fim de semana em Lille, aqui no blog.

Verão na Europa apesar de muito calor é sinônimo de muita alegria, terraços, todo mundo na rua, e principalmente férias!

E nesse verão eu pude realizar um sonho não apenas de visitar a costa sudoeste francesa, mas fazer uma roadtrip de KOMBI!

Sim! Talvez isso não seja um sonho para todo mundo, sei que boa parte prioriza o conforto, não se imagina dormindo dentro de uma kombi sem a certeza de um banho quente, roupa lavada e comida. Mas de uns tempos pra cá com todo esse movimento de “largar” tudo, cada vez mais com perfis de instagram/blogs e notícias de casais que viajam pelo mundo de carro ou numa Kombi, até este verão meu sonho ficava pelas milhares fotos de instagram que eu curtia e meu feed repleto de vans e campings.(risos) Até que a força do pensamento e a organização me levaram a minha própria experiência!

Enquanto não dá pra “largar” tudo, tampouco ter minha própria Kombi, descobri que haviam agências que alugavam alguns modelos por uma semana. E aí que começou toda a programação, nos organizamos (eu e meu namorado) com uma certa antecedência para garantir a disponibilidade na data desejada e esperamos ansiosamente.

Dica: Consulte bem as condições para o aluguel, no meu caso era preciso pelo menos 5 anos de carta e a minha CNH brasileira foi suficiente. Em seguida tivemos que pagar um sinal, e a Kombi estava reservada. A agência ficava em Bordeaux, de onde começaríamos nossa viagem.

Saímos de Lyon de avião em direção ao aeroporto de Mérignac Bordeaux, onde buscamos nosso Jean Paul Bleu (nome dado a nossa Kombi azul pela agência) e demos início a nossa aventura.

Acervo pessoal

Mas dirigir uma Kombi, é difícil?

Digamos que o câmbio automático deu uma facilitada, o volante era bem grande e um pouco duro obviamente, mas nada impossível pra quem já passou por aulas de auto escola. Os retrovisores abaixavam com o vento e isso não foi um ponto positivo para nossa segurança, mas deu tudo certo! A agência aconselha não passar de 80 km/h e você também vai decidir respeitá-la pois acima disso, fica muito instável.

Por ser uma Kombi T2 original datada de 1973 importada dos EUA e reformada, existiam alguns contratempos, como por exemplo o medidor de combustível que não funcionava e precisávamos ficar atento a quilometragem para saber a hora de abastecer. E o frigobar que deveria funcionar enquanto estivéssemos andando na estrada, porém não funcionava… Além disso tínhamos uma boca de forno e uma torneira. Mas como o frigobar não funcionava, e estava muito quente, não tinha como armazenar comida e cozinhar. Por isso, nos organizamos dia-a-dia com a alimentação, comprando em grandes redes de mercados. E no almoço normalmente comíamos na rua.

Se você quer conforto e que tudo funcione, certamente te aconselho a alugar um carro automático com direção hidráulica, chave automática e reservar uma pousada. Mas essa uma semana foi a melhor viagem da minha vida até agora! É realmente um estilo de vida, cada vez que precisávamos estacionar, virava um ritual, procura vaga, pára, fecha todas as portas com a chave, fecha a cortininha para esconder nossas coisas, coloca o protetor de vidro dianteiro e vai! Fazia parte da experiência.

O legal é poder fazer o seu roteiro, fomos um pouco no feeling, sabíamos por onde queríamos passar mas também não ficamos com uma coisa engessada. Se gostávamos de algum lugar ficávamos mais, se não, partíamos. Essa é a vantagem de ter um camping car, na minha opinião.

Quanto a estrutura, fiquei impressionada. Tem bastante área para estacionar, algumas com ponto de energia e água, outras só um estacionamento mesmo. Algumas pagas (normalmente as que tem ponto de energia e água), outras não. Para achar onde estacionar, existem algumas placas também pelas cidades que indicam parking plages sud, por exemplo, ou se não, no nosso caso utilizamos um aplicativo que chama Park4Night. Super recomendo! Nele dá pra ver se tem camping do lado ou não, e também deixar ou ver comentários de quem já foi e testou.

Vamos ao roteiro, algumas dicas úteis pra quem quiser viajar por essa região com ou sem Kombi e umas fotos para inspirar !!! C’est parti!

Roteiro

foto retirada do google.com.br/maps
Google maps                                                                                                     

Lyon – Bordeaux

De Bordeaux dirigimos para Lacanau Océan onde passamos o dia na praia, almoçamos Moules frites (que são mexilhões com fritas) no centrinho e encontramos uma área de estacionamento para camping car com um camping ao lado, onde podíamos tomar banho e utilizar os toilettes.

-Saindo de Lacanau dirigimos em direção a Lège-Cap Ferret;

-De cap Ferret partimos em direção Arcachon, onde subimos a maior duna da Europa. (vale a pena o passeio!)

-de Cap Ferret fomos à Biscarosse, onde vimos o pôr-do-sol na Plage du Petit Nice! Parada obrigatória se você estiver passando por lá. No primeiro camping que paramos, nos aconselharam ir nessa praia, porque tem uma estacionamento quase de frente para o oceano.

Pôr-do-sol na Plage du Petit Nice (foto: acervo pessoal)

-Soorts-Hossegor, é uma cidadezinha reputada pelo surf. Assim como Biarritz, nosso destino quase final.

-Biarritz, é super badala, com centrinho agitado, reputada pelo surf também e praias bem bonitas. Subimos o farol de Biarritz (Phare de Biarritz), onde se tem uma vista do alto da cidade, 360o. Recomendo o passeio também.

Foto da vista do farol de Biarritz. (Acervo pessoal)

-O ponto mais longe do trajeto foi Saint Jean de Luz, já quase na divisa com a Espanha. Era comum falarem francês e espanhol nos restaurantes e nas ruas.

E depois voltamos por Labenne, Capbreton e Mimizan.

E de Mimizan subimos até Saint Jean d’Illiac para devolver a Kombi. Dormimos em Bordeaux e voltamos para Lyon no dia seguinte de avião.

Outro ponto positivo é a distância e o fluxo do trânsito. Mesmo sendo férias não pegamos trânsito, a não ser um trajeto na volta, pois um carro tinha pego fogo no meio da estrada. Mas os trajetos mais longos demoravam no máximo 1h. Então no período de 1 semana conseguimos tranquilamente ir parando e visitando as cidades da costa sudoeste francesa. Não todas, obviamente, mas as principais 😉 Meu próxima destino desejo é fazer isso pela Provence e os campos de lavanda!!

E você? Tem vontade de viajar assim? Compartilhe nos comentários qual sua viagem dos sonhos pela França.

Related posts

La Garrotxa

Thais Maciel Gomes

Passo a passo de como alugar um apartamento em Paris

Amy-Carole Diene

Os 10 melhores museus de Varsóvia

Gizelli Gliwic

1 comentário

Julia Outubro 24, 2017 at 8:32 am

É muito bom mesmo! Eu já fiz essa região com a minha autocaravana e foi muito bom! Viajar nesse estilo não é para todo mundo, mas para quem gosta é bem viciante =)

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação