BrasileirasPeloMundo.com
Natal Pelo Mundo Turismo Pelo Mundo

Viajar é seu melhor presente de Natal

Viajar é seu melhor presente de Natal!

Você já deve ter ouvido falar que viagem é a única coisa que você compra e deixa você mais rico.

Eu acredito, pratico e recomendo, principalmente; apesar de ser Natal.

Tudo começou com a perda do meu pai, muitos, muitos anos atrás quando fomos passar a noite de Natal no restaurante de um hotel na minha cidade natal. Acho que passar é, mesmo, a palavra certa, pois o nosso objetivo era esquecer que não teríamos mais a mesma celebração que ele tanto gostava. Sobrevivemos, apesar de tudo.

Anos depois, com a perda da minha mãe, o vazio ficou ainda maior e considerei que o aeroporto seria a melhor saída.

Embarquei para a Costa Rica dia 24 de dezembro às 23h30 para, literalmente, estar nas nuvens durante o Natal.

Mas, para minha surpresa, outras milhares de pessoas fizeram o mesmo. Não me recordo de ver o Aeroporto Internacional de São Paulo tão cheio em nenhuma outra data.

Naquele momento, foi bom esquecer que era Natal e apreciar a natureza que me trouxe muita calma e pude absorver um pouco do modo de viver do local, o estilo pura vida de viver.

Pura vida pode ser um cumprimento local, um gesto de gratidão, um aceno…quase uma religião, um espírito de vida.

Foto: acervo pessoal

Acredita-se que fora introduzido no país por um filme mexicano da década de 50, num tom de comédia, e logo transformada em linguagem habitual para representar alegria, satisfação, bem-estar, fé pela vida, prazer…e utilizada com frequência entre nativos e turistas, como eu.

O fato é que ganhei esse aprendizado pura vida de viver nesse Natal e tenho procurado utilizá-lo desde então. Um maravilhoso presente de Natal!

AFINAL, VIAJAR É UM PRESENTE?

Alguns poderão sugerir que se algo bom acontecer, faça uma viagem para celebrar; ou se algo ruim ocorreu, faça uma viagem para esquecer. Porém, se nada acontecer, faça uma viagem.

Mas viagem com liberdade, com sugestões de passeios e paradas e não viagem com obrigações, com horários preestabelecidos e imposições, tipo pacotinhos de agências que, ao final da viagem, você sente que precisa fazer outra para descansar ..

Viajar!

Viajar para celebrar, viajar para esquecer, para acontecer, para descansar, para procurar, para se perder…para viver…

A escritora Martha Medeiros, no livro  Um lugar na janela 2,  disse que viajar não está associado apenas ao que iremos encontrar lá adiante, mas também ao que deixamos para trás. Para trás, diz ela, fica o que a gente sempre foi, fica o mesmo trajeto, os mesmos restaurantes, as mesmas discussões políticas. E conclui, dizendo que a cidade onde vivemos nos reduz a um único personagem: aquele que foi formatado pela rotina até o dia em que embarcamos em um avião e abrimos os horizontes respirando novos ares, diminuindo velhos preconceitos e aprendendo novas línguas e novos sabores.

“Viajar é apenas o tubo de oxigênio que nos permite mergulhar mais fundo na nossa estranheza e insegurança, que nos obriga a lidar com a dificuldade de se expressar e nos faz encontrar outros meios para nos traduzirmos, que prepara nosso olhar para novas combinações.”  –  Martha Medeiros.

Em 2016, o portal booking.com fez uma pesquisa entrevistando 17 mil pessoas em 17 diferentes países  que mostrou que três quartos das pessoas reservam uma viagem quando tem necessidade de ganhar uma dose de felicidade extra; e que sete em cada dez dizem que os melhores momentos de uma viagem são aqueles que fazem com que se sintam em casa, no hotel ou na casa alugada. A pesquisa mostrou também que 70% das pessoas se consideram mais felizes viajando do que comprando bens materiais (Fonte: Folha De S.Paulo 01/12/2016).

Enfim, viajar pode ser libertador, transformador e isso nenhum shopping center, nenhuma blusinha, bolsa ou sapato pode substituir.

Viajar nos permite acertar e errar, dar a volta por cima e continuar.

Viajar previne doenças, como Alzheimer, por exemplo, por ser um ótimo exercício mental. Nos obriga a ler sobre o lugar, tentar entender e falar outra língua, apreciar outros sabores, além de ser ótimo exercício físico com caminhadas, escaladas, etc.

A ansiedade de qualquer viagem rejuvenesce pois, como disse Ophah Winfrey, no maravilhoso livro O que eu sei de verdade:

“O que você descobrirá ao longo do caminho será fantástico, pois estará descobrindo a si mesmo.”

Uma descoberta, um presente que nenhum cartão de crédito pagará e irá nos acompanhar até o final da estrada da vida.

Foto: acervo pessoal

Feliz viagem. Feliz Natal. Você merece. Nós merecemos!

Related posts

Harbin, a Cidade do Gelo na China

Christine Marote

A bela cidade Gent na Bélgica

Ana Elisa Miranda

Hamburgo: Canais e Red Light District

Marcela Vieira

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação