BrasileirasPeloMundo.com
Dinamarca Vistos & Cidadanias Pelo Mundo

Visto para morar na Dinamarca

Aí um belo dia você acorda e decide: vou-me embora pra Pasárgada – ops, pra Dinamarca! E logo depois pensa: mas eu preciso de visto para morar na Dinamarca.

Seja porque você se encantou com o país, seja por causa de um amor, seja porque você recebeu uma oferta tentadora de emprego; seja porque planeja fazer um intercâmbio, um mestrado, um doutorado sanduíche ou pós-doutorado, agora é hora de pensar nesse pequeno país como seu novo lar – se não para sempre, pelo menos por um tempo. Mas a primeira preocupação que as pessoas devem ter antes de pensar em mudar de país por causa de um sonho é em como conseguir o visto, que é a parte mais difícil e mais importante para poder viver aqui.

Vamos começar por partes: o que você virá fazer na Dinamarca?

Definido isso, veremos o tipo de visto que você deverá ter.

Sendo a Dinamarca parte do espaço Schengen, turistas brasileiros não precisam de visto para visitar o país, podendo ficar por aqui por até 90 dias sem problemas – porém, dentro da lei. É proibido a turistas exercer trabalho remunerado de qualquer espécie enquanto estiverem no país como turistas, sob risco de deportação e banimento. Caso você venha para morar, trabalhar ou estudar, lembre-se: o visto é obrigatório!

No Brasil, os vistos para a Dinamarca são emitidos pelo consulado e embaixada da Noruega, devido a um acordo bilateral entre os países.

Vamos falar um pouco sobre os diversos tipos de vistos e as condições para obtê-los.

As categorias de visto são:

  • Visto de trabalho como funcionário de uma empresa;
  • Visto de au pair;
  • Green Card;
  • Reunião familiar (casamento ou união estável e filhos até 15 anos);
  • Estudante secundarista, intercambista ou de nível superior (faculdade/mestrado);
  • Visto de familiar acompanhante MF1;
  • Pedido de refúgio ou asilo político.

A permissão de residência e trabalho normalmente só é concedida se o mercado profissional ou de trabalho a justificar – por exemplo, se houver uma falta de mão de obra qualificada numa certa área. São considerados os critérios de qualificação e demanda; ou seja, é preciso que a empresa contratante prove que não há dinamarqueses qualificados para aquela determinada vaga naquela região e período. Entretanto há uma série de outros programas que facilitam a obtenção de visto de trabalho e residência na Dinamarca para os estrangeiros altamente qualificados: lista positiva, esquema de limite salarial, sistema corporativo, Green Card e etc.. Tudo isso pode ser conferido no Ny i Danmark (versões em inglês e dinamarquês), que é o site do serviço de imigração dinamarquês e manual  obrigatório de todo estrangeiro que vive ou pretende viver no país. Eu já escrevi a respeito do mercado de trabalho local. Se você está procurando trabalho na Dinamarca, leia algumas dicas nos meus textos sobre trabalho, aqui e aqui. A permissão de residência e trabalho na Dinamarca também pode ser concedida a pessoas que queiram trabalhar como au pair numa família hospedeira – as regras para trabalhar como au pair são diferentes das regras usuais para outros trabalhadores; confira tudo a respeito no site da embaixada da Noruega e no site da imigração da Dinamarca, mencionados no final desse texto.

A permissão de residência de seis meses, Green Card, era emitida a estrangeiros interessados em trabalhar na Dinamarca através de uma avaliação individual com o sistema de pontos. Para conseguir uma permissão de residência e trabalho usando esse sistema você deveria atingir um mínimo de 100 pontos. Os pontos eram distribuídos de acordo com o nível de escolaridade, competências linguísticas, experiência de trabalho, adaptabilidade e idade, sendo preciso cumprir exigências como, por exemplo, comprovar meios suficientes para se manter no país enquanto busca um trabalho. O visto do tipo Green Card era o mais caro dentre todos os tipos de vistos e possuía as exigências bastante altas, porém o programa foi encerrado em 2016.

A permissão de residência e trabalho na Dinamarca baseada em reunião familiar é concedida a familiares próximos como cônjuges, filhos etc.. Ao estrangeiro é permitida a obtenção de permissão de residência caso seja casado ou possua união estável registrada na Dinamarca. Diversas exigências deverão ser cumpridas por ambas as partes, inclusive por quem residir na Dinamarca. Ao estrangeiro, filho de residente fixo na Dinamarca, é permitida a obtenção de permissão de residência, caso certas exigências sejam cumpridas. Caso você seja do Brasil e esteja se casando ou pretende se casar na Dinamarca, recomendo a leitura do meu texto sobre casamento, aqui mesmo no blog. O pedido de visto ou permissão temporária de residência baseado em reunião familiar por casamento pode ser feito em território dinamarquês, e o cônjuge estrangeiro poderá aguardar pela resposta em território dinamarquês. Informações detalhadas a respeito de prazos, formulários e local para a solicitação podem ser encontradas no Ny i Danmark.

A permissão de residência e trabalho na Dinamarca para pesquisadores acadêmicos é concedida a estudantes dos seguintes programas educacionais: ensino superior, intercâmbio e “Folk High School”, e também é concedida a pesquisadores, estudantes de pós-doutorado e assistentes de pesquisadores. Esse tipo de visto também pode ser solicitado diretamente em território dinamarquês, porém é recomendado chegar ao país com o visto já em mãos, para evitar perda de prazos e problemas com a emissão de documentos essenciais para a vida na Dinamarca.

IMPORTANTE: a Dinamarca não concede visto para estudantes de idiomas residirem e estudarem no país. Pessoas que desejem estudar inglês na Dinamarca devem possuir outro tipo de visto válido para residir no país.

Para pessoas que desejam acompanhar familiares (estrangeiros) que estejam solicitando ou já tenham permissão de residência na Dinamarca, é possível solicitar o visto de familiar acompanhante MF1. A documentação varia dependendo do tipo de solicitação principal (trabalho, estudos, PhD), portanto preste bastante atenção na hora de preencher o formulário e separar os documentos para a solicitação. É importante ressaltar que esse tipo de visto não dá direito ao familiar acompanhante de trabalhar ou estudar gratuitamente no país, e só é possível solicitar esse tipo de visto para cônjuges, parceiros por união estável registrada ou não e filhos menores de 18 anos.

Lembre-se de que as regras para imigração na Europa, sobretudo nos países do norte europeu, têm se tornado cada vez mais rigorosas com o passar dos anos; portanto aconselho a todos que leiam o máximo que puderem sobre elas e que ajam sempre dentro da lei determinada pelo país. Esqueça o ‘jeitinho brasileiro’, aqui ele simplesmente não existe! E não tenha preguiça de procurar se informar – pesquise na Internet, leia muito, fale com pessoas que moram ou que já moraram no país para onde você pretende migrar. Aqui mesmo nesse canal você pode encontrar muita informação relevante sobre o país e seus diversos aspectos. Informação é tudo!

Um último conselho para o pessoal que pensa em migrar para a Dinamarca para ganhar dinheiro e fazer um “pé de meia”: o custo de vida por aqui é alto e essa possibilidade é praticamente remota, além de ter a questão de o visto ser difícil, sobretudo para mão de obra não qualificada. Se vir pra cá fazer um “pé de meia” for o seu único objetivo, sinceramente aconselho pensar em outra região do mundo para migrar. A crise ainda está afetando a Europa inteira e mesmo os países menos afetados estão sofrendo com ela, direta ou indiretamente.

Leia sobre motivos para não morar na Dinamarca

Devido ao Brasil ser uma nação democrática onde inexiste guerra ou conflito militar que justifique pedidos de visto de refúgio ou asilo político no momento, esse tipo de visto não é oferecido a cidadãos brasileiros.

Para informações mais específicas sobre os procedimentos para cada tipo de visto, consulte os links abaixo:

  • Site da embaixada da Noruega no Brasil – informações em português sobre cada um dos tipos de visto (exceto para refúgio e asilo político): como e onde solicitar, formulários, taxas e prazos.
  • Site do setor de imigração da Dinamarca (Ny i Danmark) – informações em inglês e dinamarquês sobre vistos, leis para os imigrantes no país, informações úteis e canal de serviços online para quem já reside no país.
  • Site da embaixada da Dinamarca no Brasil – informações diversas em português, inglês e dinamarquês para turistas, investidores em potencial e negócios com o país. Também há informações sobre assuntos culturais entre Brasil e Dinamarca, mostras e eventos de artistas dinamarqueses no Brasil, notícias, informações sobre ensino do idioma dinamarquês e entretenimento.

E se você acabou de chegar ao país, dê uma lida no guia preparado pela Universidade de Aarhus, onde de forma didática são dadas informações valiosas para seus primeiros passos no país. Clique aqui para ler e boa sorte!

Related posts

Quero morar em Luxemburgo – como faço?

Patrícia Souza

Opções para quem vai passar o Natal sozinho na Dinamarca

Cristiane Leme

Dez motivos para morar na Dinamarca

Cristiane Leme

60 comentários

Mariana Figueiredo Agosto 20, 2015 at 6:50 am

Olá, Cristiane. Sempre leio suas postagens e adoro. Minha pergunta é meio OFF TOPIC mas não achei nenhuma postagem que eu pudesse perguntar. Achei mais coerente perguntar aqui. Pois bem, termino minha graduação na UFRJ em 2016 e pretendo fazer o mestrado e doutorado. Eu tenho um namorado Dinamarquês(5 anos namorando) e pretendo me casar. Só que a minha dúvida é: quem é casada com Dinamarquês consegue bolsa de mestrado e doutorado? Ou vou ter que pagar o mestrado/doutorado mesmo sendo casada? Estou confusa quanto a cursar o mestrado/doutorado aqui ou lá. Se eu não puder terei que adiar a minha ida pra Dinamarca, quero fazer mestrado e doutorado. Não quero ir pra Dinamarca apenas com a graduação em Química e não estudar mais.
Muito obrigada

Resposta
Cristiane Leme Agosto 20, 2015 at 11:27 am

Oi Mariana, e obrigada pela pergunta. Em princípio a educação em nível superior para cônjuges estrangeiros é gratuita no país, inclusive com a possibilidade de se solicitar uma ajuda de custo paga pelo governo dinamarquês aos estudantes em nível superior, chamada Statens Uddannelsesstøtte ou SU e que pode ser bem útil no caso de a pessoa ainda estar buscando qualificação profissional, porém – segundo o meu conhecimento – o cônjuge estrangeiro só tem acesso ao sistema educacional gratuito a partir de 2 ou 3 anos de residência legal no país. Antes disso o governo dinamarquês espera que você concentre seus esforços no programa de integração, que é composto pelo aprendizado do idioma dinamarquês, cultura local e busca por um emprego. O programa de integração tem duração de 3 a 5 anos dependendo do seu status como residente; normalmente, para cônjuges estrangeiros regulares, o período é de 3 anos. Depois disso você poderá prosseguir com seus estudos em nível superior gratuitamente no país, desde que atenda os requerimentos para acesso ao estudo superior. Dê uma consultada nos sites do ministério da educação em nível superior daqui para ver os requisitos necessários para reconhecimento do seu diploma e requisitos para mestrado e doutorado: http://ufm.dk/en/education-and-institutions/recognition-and-transparency/recognition-guide
Sobre procurar emprego, sugiro ler meu texto que fala a respeito, aqui no blog: http://www.brasileiraspelomundo.com/dinamarca-trabalhando-parte-2-32114630
Espero ter respondido sua dúvida satisfatoriamente. Continue nos acompanhando para saber tudo sobre a Dinamarca aqui no blog! 🙂

Resposta
Rachel Fernandes Outubro 12, 2016 at 8:26 pm

Olá. Boa Noite pra Você! Aqui as agências de turismo estão equivocadas,eu vou tentar passar 13 dias na Dinamarca, visitar castelos e outras atividades turísticas, e me dizem que terei de preencher o tal formulário!
Eu apenas quero conhecer um país nórdico e não morar aí, já tenho idade avançada e quero fazer talvez, a última viagem da minha vida! Você pode me tirar essa dúvida? Obrigado pela atenção e ajuda!

Resposta
Cristiane Leme Outubro 16, 2016 at 9:17 am

Rachel, obrigada por ler e comentar.
Que formulário é esse, que lhe estão pedindo para preencher? Brasileiros estão isentos de visto para a Dinamarca e os outros países escandinavos desde 2001 e podem visitar os países como turistas, permanecendo por até 90 dias consecutivos na região.
Veja o que diz o consulado da Noruega, responsável por vistos para a Dinamarca: http://www.noruega.org.br/Servicos/Vistos/Turismo—Brasileiros-nao-estao-sujeitos-a-obrigacao-de-visto-Veja-aqui-as-regras/#.WANFA-B9600

Entre em contato com a agência de turismo e mostre o link para eles, ou peça explicações mais detalhadas sobre o tal formulário. Pode ser que seja outra coisa, como um formulário interno da empresa. Veja isso antes de embarcar.

Abraços e continue nos acompanhando!

Resposta
Tatiana Melo do Amaral Fevereiro 19, 2016 at 9:17 pm

Olá boa noite , eu gostaria de saber quais os documentos que eu tenho que obter para morar na Dinamarca , para eu já começar a providenciar, eu moro no RJ mas no interior , o primeiro passo seria o passaporte , mas e os outros documentos?
Aguardo sua resposta obrigado.

Resposta
Cristiane Leme Fevereiro 19, 2016 at 10:59 pm

Olá, Tatiana. Para morar na Dinamarca você precisa de visto/permissão de residência. Para obter o visto/permissão de residência é preciso se enquadrar em uma das situações sobre as quais o texto fala. Os documentos para obter o visto/permissão de residência vão depender do tipo de visto que você precisa obter. Qual é a sua situação? Cada situação pede um tipo de visto. Veja o que melhor se enquadra na sua situação e procure o consulado da Noruega para obtenção do visto no Brasil.

Resposta
Sara Agosto 21, 2015 at 12:19 am

Oi Cristiane, gostaria de esclarecer uma dúvida, se puder me informar, me falaram que na Dinamarca é difícil conseguir uma consulta médica com um especialista (otorrino, oftalmologista, etc) e também me falaram que a área oncologica ai é ruim. Isso é mesmo verdade? Obrigada

Resposta
Cristiane Leme Agosto 21, 2015 at 6:43 am

Olá Sara e obrigada por ler e perguntar. O sistema de saúde dinamarquês tem suas peculiaridades, sim. Normalmente a pessoa é atendida pelo médico da família, um clínico geral que irá cuidar de todo o seu prontuário médico e irá indicar ou encaminhar para um especialista, caso seja necessário. No Brasil as pessoas são acostumadas a passar direto com o especialista mas aqui é preciso que o médico de família dê o encaminhamento. Sobre a área oncológica, tenho ressalvas, sim, e acredito que poderia ser melhor. O que noto é que pacientes mais jovens e com mais possibilidade de cura e recuperação têm prioridade no tratamento, por assim dizer, e pacientes cujo diagnóstico parece menos promissor recebem tratamentos para amenizar a dor e o sofrimento. Meu sogro foi vítima de câncer na garganta e faleceu em 2013, tendo sido diagnosticado com o problema em 2012 – porém, segundo a família, ele já se queixava há alguns anos mas nunca tomou a iniciativa de procurar um médico antes de o problema se agravar de uma vez. Ele recebeu tratamento para a dor e foi montada uma estrutura semi-hospitalar para ele em casa, com direito a cama hospitalar e enfermeira 3x ao dia, custeados pelo governo. Os remédios não são gratuitos mas é possível pedir parte do valor em reembolso, dependendo do remédio. Em setembro falarei mais aprofundadamente sobre o sistema de saúde daqui – fique atenta e nos acompanhe para saber mais a respeito! 🙂

Resposta
Portugal – Tipos de Visto Setembro 15, 2015 at 12:59 pm

[…] válido para morar num país estrangeiro é muito importante. A Cristiane já escreveu sobre os tipos de vistos na Dinamarca, a Christine já falou sobre os vistos na China e a Cláudia Rahme falou sobre o Líbano. Se você […]

Resposta
Danielle Setembro 21, 2015 at 6:50 am

Oi Cristiane!
Moro no Rio e estou indo pra Dinamarca em novembro, estou dando graças à Deus de ter achado suas postagens. Tenho certeza que elas irão me ajudar muito.
Minha história é a seguinte: meu namorado passou em uma entrevista de emprego para Copenhague e resolvi ir com ele. Pelo que pesquisei, acho que poderia tirar o visto de familiar acompanhante com casamento no civil ou união estavel (o que for menos burocrático e mais rápido visto que só temos dois meses pela frente). Queria saber sua opiniao sobre dar entrada no visto já na Dinamarca, usando os 90 dias de prazo de permanência como turista. Estou com medo de nao dar tempo de juntar toda a documentação antes de ir e queria saber o quanto seria mais difícil fazer isso na embaixada.
Outra dúvida minha é a respeito de estudo. Estou me formando na faculdade de administração e pretendo trancar minha matrícula. Queria saber se com esse tipo de visto eu conseguiria me matricular em cursos de idiomas ou mesmo voltados pra minha área.
Obrigada pela ajuda!!!! Beijoss

Resposta
Cristiane Leme Setembro 21, 2015 at 1:38 pm

Olá Danielle e obrigada por ler e comentar.
Aconselho entrar em contato com o consulado da Noruega para obter informações a respeito do visto que melhor se adequa à sua situação, e desaconselho fazer a solicitação já estando na Dinamarca pois há o risco de o visto demorar e você ter que voltar ao Brasil depois dos 90 dias. O melhor e mais sensato a fazer é entrar imediatamente em contato com o consulado da Noruega e averiguar com eles como você pode solicitar o seu visto. Há regras específicas para visto de acompanhante com base em união estável – é preciso comprovar, por exemplo, que o casal mora junto há mais de um ou dois anos. Fale com o pessoal do consulado, eles estão aptos a esclarecer todas as suas dúvidas a esse respeito.
Sobre cursos de idiomas, saiba que todos são pagos (e caros) por aqui. Cursos livres em universidades e faculdades também são pagos. O visto de familiar acompanhante não dá o direito de trabalhar no país, nem de estudar gratuitamente, portanto é bom se prevenir e vir com um dinheirinho extra para tais cursos, caso seja a sua intenção se matricular em algum curso. Cheque nos sites das universidades os cursos livres disponíveis para mais informações.

Continue nos acompanhando para saber tudo sobre a Dinamarca! Abraços e boa sorte nos seus planos.

Resposta
Francisca Rocha Outubro 29, 2015 at 11:50 pm

Boa noite Cristiane!
Eu sou Caboverdiana, vive em Portugal, tenho a nacionalidade portuguesa, sou casada e estou a pensar em ir viver em Dinamarca, como eu faço para conseguir o visto? é muito difícil? Obrigada.

Resposta
Cristiane Leme Outubro 30, 2015 at 2:30 pm

Olá Francisca e obrigada por nos ler e comentar.
Peço que por favor leia outros textos meus para se informar bem sobre o país antes de tomar uma decisão. A concessão de vistos está cada vez mais acirrada e afunilada para estrangeiros. Consulte o site http://www.nyidanmark.dk para informações a respeito de visto para cidadãos da UE. Em geral, se você estiver na chamada ‘Lista positiva’ de profissões, falar inglês e/ou uma língua escandinava, tiver boas referências profissionais ou uma indicação para um emprego, as coisas são mais fáceis. Caso contrário é preciso se empenhar bastante para conseguir viver aqui. Leia sobre o custo de vida na Dinamarca aqui: http://www.brasileiraspelomundo.com/dinamarca-quanto-custa-morar-aqui-091116026
É bom ressaltar que o desemprego também existe no país e que há uma dificuldade grande no mercado imobiliário na hora de encontrar uma vivenda.

Espero que tenha ajudado e continue a nos acompanhar aqui no blog para saber mais sobre a Dinamarca 🙂

Resposta
Laura Fevereiro 11, 2016 at 12:50 pm

Bom dia Cristiane. Gostaria de tirar uma dúvida.
Tenho registrado em cartório união estável a um ano e meio e vou casar com o meu cônjuge daqui dois meses. Ele é palestino e conseguiu o visto por três anos por causa da filha que está lá como refugiada. Ele vai pra Dinamarca daqui a três meses e por enquanto ficarei no Brasil. Eu consigo o visto para morar com ele na Dinamarca??? Desde já, obrigada!!

Resposta
Cristiane Leme Fevereiro 13, 2016 at 9:57 am

Laura, obrigada pelo comentário.
Na verdade eu aconselharia vocês a darem uma lida no http://www.nyidanmark.dk/en-us para verificar essa questão. Em janeiro desse ano as leis para reunificação familiar foram modificadas e está mais complicado, sobretudo para os refugiados, que agora têm de esperar pelo menos 3 anos em alguns casos para obter o visto de reunificação familiar para cônjuges e filhos. Tenho ouvido histórias na mídia e dos próprios refugiados sobre as dificuldades encontradas por eles. Se a filha dele está aqui como refugiada é provável que ela tenha pedido um visto de reunificação familiar para ele mas há novas regras e não sei informar com certeza qual seria o procedimento para você enquanto esposa, já que o visto dele já é de reunificação e ele é dependente, por assim dizer. Na dúvida, consulte o consulado da Dinamarca no Brasil ou mesmo o consulado da Noruega, responsável pela emissão de vistos.
Abraços e continue nos acompanhando para saber mais sobre a Dinamarca!

Resposta
marcela Março 27, 2016 at 11:19 am

Sou Brasileira e morei na Itália 8 anos e agora estou morando aqui na Dinamarca e descubri que estou grávida de 3 meses e meu namorado é dinâmarques eu tendo um filho aqui terei direito a visto e a residência aqui ? Ando muito preocupada porque sinceramente não sei exatamente como as coisas funcionam por aqui. Desde já agradeço pela atenção e ajuda
muito Grata Marcela Silveira

Resposta
Cristiane Leme Março 27, 2016 at 6:25 pm

Oi Marcela. Que tipo de visto você tem para residir na Dinamarca? Se o seu visto for de cidadã da União Europeia você tem direito a morar no país por 3 meses para procurar emprego. Se passado esse prazo você não conseguir emprego, deverá voltar para o país onde tem visto de residência na UE. Não sei qual seria a medida no seu caso, pois em princípio, se não me engano ter um filho com um dinamarquês não garante visto nem residência na Dinamarca. O país é um dos mais fechados do mundo em termos de imigração e sobretudo no governo atual. Eu sugiro a você que procure um escritório de imigração local para saber com exatidão o que fazer. Boa sorte!

Resposta
Marcela Março 29, 2016 at 5:43 pm

Boa noite Cristiane vou entrar em contato então com o consulado Brasileiro para ter exatidão o meu visto é de residência na Itália mas somente é válido se moro lá morando aqui não vale para nada serve somente para passar na fronteira sem burocracia. Pq com ele não tem direito a trabalhar e nem estudar em outro país da união tanto que eu frequento a escola de dinamarquês e pago pelo serviço mês que vem passo para o segundo nível comecei tem 1 um mês e meio… pensei que tendo um filho teria direito a um visto por ele ter o direito de viver aqui e ser cidadão ops mas o negocio aqui é diferente muito obrigada pela informação.
Gratidão
Um abraço Marcela

Resposta
Cristiane Leme Março 29, 2016 at 8:57 pm

Marcela, não é com o consulado brasileiro que você tem que falar, não. Vá a um escritório de imigração aqui da Dinamarca, é lá que eles vão poder lhe dizer qual visto você poderá solicitar. Caso tenha como comprovar que mora no mesmo endereço que seu namorado há mais de dois anos você pode solicitar visto temporário de residência baseado em união estável. O endereço em conjunto não precisa ser na Dinamarca. Outra opção é se casar com ele e solicitar o visto por reunificação familiar baseado nas regras da UE. Consulte o site que indiquei, lá estão todas as informações sobre esses dois tipos de visto. Entretanto, o melhor mesmo é procurar o escritório de imigração no Borgerservice ou na polícia de onde você está e pedir as informações de acordo com o seu caso.
Abraços e boa sorte!

Resposta
Danilo Abril 3, 2016 at 5:24 am

Oi Cristiane.
Final de abril estou indo para a Dinamarca realizar um trabalho voluntário por 2 meses. A princípio era para ser uma viagem turística através desses programas de workexchange. No entanto encontrei esse projeto que achei incrível e decidi aceitar o desafio. Minha grande dúvida é: será que eu preciso de visto para trabalho voluntário, mesmo ficando apenas 2 meses?
Ah, e você que 2 meses é um tempo razoável (mínimo) para adquirir algum conhecimento?
Se puder me ajudar, agradeço desde já.

Resposta
Cristiane Leme Abril 3, 2016 at 8:55 pm

Danilo, eu aconselho você a se informar diretamente e com mais precisão no consulado ou embaixada da Dinamarca aí no Brasil. Tenho uma amiga que mora em Copenhague e que teve problemas quando estava aqui como turista e trabalhou como voluntária; pela lei do acordo de Schengen os turistas não podem trabalhar no país. Ela informou à polícia sobre o emprego como voluntária no ato de pedir o visto por reunificação familiar e teve que pagar uma multa pesada. Procure o consulado para perguntar, pois entrei no site da imigração daqui e nos sites de empregos para voluntários e não encontrei detalhes confirmando ou não a necessidade de visto para trabalho voluntário, mas ao mesmo tempo não quero correr o risco de passar informação equivocada pra você.
Morar por dois meses pode dar uma ideia de como é a vida por aqui e sem dúvida alguma você adquirirá conhecimento, desde que esteja aberto para isso. Quanto menos expectativa, melhor será o aproveitamento da sua experiência, penso eu.
Boa sorte e continue nos acompanhando!

Resposta
Danilo D. Abril 5, 2016 at 3:33 am

Obrigado pela resposta, Cristiane! 🙂
Também procurei nos sites oficiais e não encontrei uma resposta definitiva. De qualquer forma, se eu precisasse começar agora o processo para conseguir o visto, não daria mais tempo.
Confesso que estou bem entusiasmado, mas por ser uma experiência totalmente nova pra mim. Mas sempre evito criar expectativas para não correr o risco de me frustrar.
O que me deixa apreensivo agora é o fato de eu não falar dinamarquês e meu inglês ser bem “meia-boca” (falo e entendo, mas às vezes precisa ser devagar). Será que isso vai ser um grande problema?
Suas dicas estão sendo muito importantes! Inclusive li aqui você falando sobre grupos no Facebook, procurei, enviei solicitação e justamente você autorizou minha entrada. Hehe
Obrigado mais uma vez. 🙂

Resposta
Cristiane Leme Abril 5, 2016 at 8:21 pm

Oi Danilo! Que coincidência você solicitar entrada no grupo onde sou moderadora, com tantos grupos de brasileiros na Dinamarca 🙂
Eu não sei para qual cidade você vai, então fica difícil dar uma opinião sobre a comunicação. Tudo vai depender de pra onde você vai, com quem vai se relacionar, etc.. Em geral, 85% dos dinamarqueses falam inglês fluentemente – é o segundo idioma mais falado aqui, sendo o alemão o terceiro (e todos os 3 são ensinados nas escolas obrigatoriamente). Se o seu inglês é capenga, pode ser que você passe um pouco de apuro, sim, não vou mentir – sobretudo se for para uma cidade pequena do interior. Em Copenhague, Aarhus, Aalborg e outras cidades grandes há uma concentração maior de estudantes e estrangeiros que faz com que falar inglês seja culturalmente mais bem aceito, porém em festas e reuniões de trabalho a pessoa que não fala dinamarquês tende a ser deixada meio que de escanteio, infelizmente. Tente aprender algumas palavras em dinamarquês para fazer um charme. Como o país é pequeno e a língua tem poucos falantes no mundo, eles apreciarão seus esforços, mesmo porque há um orgulho nacional muito grande e tudo que é dinamarquês é bastante valorizado por aqui.
Espero não ter desanimado você!
Continue nos acompanhando e caso tenha mais dúvidas, escreva 🙂

Resposta
Danilo D. Abril 6, 2016 at 3:53 am

Oi Cristiane!
Eu vou para Helsingor, há 1h de Copenhagen. No entanto, vou ficar em uma instituição onde trabalham pessoas de diversas nacionalidades, incluindo gente de Portugal, conforme me informaram. Então acho que talvez, por isso, facilite um pouco minha socialização. E você não me desanimou não. Não espero que seja a coisa mais fácil da minha vida mesmo. 🙂
Quanto a aprender algo em dinamarquês para fazer um charme, já estou providenciando. Até agora já sei tak, venligst, tak for maden (com
a pronúncia certinha. Rs), além de janteloven e hygge, que também procurei entender um pouco do conceito pra explicar caso alguém pergunte. Aprendi tudo aqui, aliás. Menos venligst que foi o Google tradutor. 😀

Cristiane Leme Abril 6, 2016 at 9:08 am

Que bom, Danilo, fico mais tranquila. Helsingør é uma cidade bacana, espero que goste. Aproveite a estadia para visitar o castelo Kronborg, que é o castelo do Hamlet – no dia 23 de abril tem festa, lá, lembrando os 400 anos da morte de Shakespeare. Aqui vai o site do órgão oficial de turismo dinamarquês, onde você pode ver mais atividades culturais na cidade (o link está em inglês): http://www.visitnorthsealand.com/ln-int/north-sealand/elsinore
Estou curiosa para saber como você pretende usar ‘venligst’, já que em dinamarquês não se usa dizer por favor… Rs

Renata Maio 1, 2017 at 5:35 pm

Oi Danilo tudo bem? Já foi pra Dinamarca? Se sim fico feliz por vc. Me interessei muito por esse projeto de trabalho voluntário que vc citou e gostaria de saber mais sobre ele. Será que vc poderia entrar em contato comigo? Ficarei grata se puder me responder.

Resposta
Fernando Figueiredo Maio 14, 2016 at 10:30 pm

Olá Cristiane. Muito bacana seu post. Olha só, tenho uma dúvida. Estou indo fazer meu Doutorado Sanduíche em Aarhus e preciso e vou tirar um visto de estudo/trabalho. Minha namorada irá comigo e ficaremos menos de 90 dias na Dinamarca (short-term stay). Ela irá apenas como acompanhante. No entanto, ela pretende fazer um curso rápido de idiomas em Copenhagen durante a nossa estadia. Você disse no post “Pessoas que desejem estudar inglês na Dinamarca devem possuir outro tipo de visto válido para residir no país.”. Que tipo de visto é esse? Ou melhor, qual visto ela necessita.
Grato e parabéns pelo ultra-informativo post 🙂

Resposta
Cristiane Leme Maio 15, 2016 at 10:07 am

Fernando, obrigada por ler e comentar.
Para estadia de menos de 90 dias no espaço Schengen não é necessário visto. Há cursos de inglês gratuitos oferecidos em algumas igrejas em Copenhague mas eu não sei informar se ela poderia participar, já que estaria como turista no país. Acho melhor se informar a respeito quando chegarem lá. Existe a possibilidade de visto de acompanhante mas acredito que para isso vocês deveriam ser casados ou viver em união estável (ainda que não registrada) para poder conseguir esse visto. Para todas as suas dúvidas, refira-se ao consulado da Noruega: lá eles poderão elucidar as dúvidas sobre vistos com mais precisão que eu.

Continue nos acompanhando e obrigada mais uma vez pela visita! 🙂

Resposta
Jhonathan Junho 16, 2016 at 12:39 am

Ola,

Estou estudando uma proposta de trabalho na Dinamarca, e minha esposa e filha vão comigo. A minha dúvida é se minha esposa poderia trabalhar lá também? Você saberia me dizer?

Obrigado

Abçs

Resposta
Cristiane Leme Junho 16, 2016 at 9:32 am

Jhonathan, o visto de residência com base em reunificação familiar em geral dá o direito ao cônjuge de trabalhar no país, sim. Acredito que não seja diferente no seu caso. Sugiro contatar a embaixada da Noruega no Brasil para informações mais detalhadas a esse respeito.
Abraços e continue nos acompanhando!

Resposta
Vinicius Vasconcelos Setembro 29, 2016 at 11:29 pm

Olá Cristiane tudo bem? Obrigado pelas dicas, tenho uma dúvida tenho proposta de emprego em fredericia, porém estou com medo de dar entrada no visto e ser recusado por algum motivo, e perder o investimento que é um tanto caro, gostaria de saber se eu fosse como turista e conseguisse um trabalho se eu poderia solicitar o visto estando lá? Obrigado

Resposta
Cristiane Leme Outubro 1, 2016 at 9:22 am

Olá, Vinicius. Desculpe a franqueza mas parece que sua história está incompleta ou mal contada.
Vamos por partes, então.
Empresas dinamarquesas, via de regra, contratam exclusivamente quem já tem permissão legal de morar e trabalhar no país, salvo em casos em que um profissional altamente qualificado que viva em outro país fora da Dinamarca seja essencial para essa empresa e ela decida lhe propor se responsabilizar pelo visto desse profissional, para que ele possa vir a morar e trabalhar no país. Esses casos são raros. O que me parece pelo seu relato é que você está querendo arrumar um emprego para poder morar aqui legalmente. O que posso lhe dizer é que enquanto você for turista no país você não pode trabalhar, pois como turista você não tem permissão de trabalho. Turistas brasileiros não precisam de visto para visitar a Dinamarca (não existe ‘visto de turista’)e não podem trabalhar.

Caso você esteja procurando trabalho e tenha alguém que possa lhe ajudar a conseguir essa vaga em Fredericia, vai ter que explicar para a empresa a sua situação e ver se eles se oferecem para patrocinar o visto. Como eu disse anteriormente, esses casos acontecem, mas são bem raros e reservados a profissionais altamente qualificados com demanda de vagas na sua área de atuação.

Provavelmente você não abriu os links indicados no artigo, mas a página do consulado da Noruega, que lida com os assuntos de visto para a Dinamarca no Brasil, diz o seguinte a esse respeito:
“A permissão de residência e trabalho normalmente é concedida apenas se o mercado profissional ou de trabalho a justificarem. Exemplo: se houver uma falta de mão-de-obra qualificada numa certa área de trabalho. São considerados os seguintes critérios: qualificação e demanda. Informações adicionais e atualizadas na página do Serviço de Imigração da Dinamarca. Além disso, há uma série de programas que facilitam a obtenção de visto de trabalho e residência na Dinamarca para os estrangeiros altamente qualificados: Lista positiva, Esquema de limita salarial, Sistema corporativo, Green Card e etc. Lista completa e informações detalhadas neste site: Special schemes.”

Em todos os meus artigos que falam sobre leis e regras lá links para os sites dos órgãos oficiais da Dinamarca, onde se pode confirmar as informações por mim dadas.

Em hipótese alguma tente bancar o esperto, vindo como turista e arrumando um trabalho informal para permanecer no país. A Dinamarca está se tornando um país bastante rígido em relação à imigração e o mínimo vacilo é motivo para deportação e multas.

Abraços e boa sorte para você.

Resposta
Keila Pestana Outubro 24, 2016 at 6:54 pm

Boa Tarde Cristiane Leme!
Eu sou a Keila e gostaria de tirar algumas dúvidas com você, estou indo pela 1 vez a Dinamarca porque meu namorado me convidou a ir,ele mora na Dinamarca,porém gostaria de saber se no caso preciso de um visto sendo que vou permanecer lá somente 1 mês,e em relação ao passaporte queria saber como faço pois já tenho um não sei se precisa atualizar?Preciso de formulário pra preencher e sobre a moeda dinamarquesa preciso apresentar valores”dinheiro”na Dinamarca.Te algum banco tipo Banco do Brasil na Dinamarca que eu possa usar caso eu preciso ou eu tenho que levar daqui ja trocado na moeda deles?
Desde já agradeço!

Resposta
Keila Pestana Outubro 24, 2016 at 6:56 pm

Gostaria de saber se teria também o Banco do Itaú na Dinamarca tbm.
Desde ja agradecida.

Resposta
Cristiane Leme Outubro 24, 2016 at 8:16 pm

Keila, conforme respondido no comentário anterior não existem agências de nenhum banco brasileiro na Dinamarca. Clientes do Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e outros bancos nacionais podem efetuar saques nos caixas eletrônicos de qualquer banco na Dinamarca, desde que possuam um cartão com função internacional habilitada.

Resposta
Cristiane Leme Outubro 24, 2016 at 8:14 pm

Olá, Keila, obrigada por ler e comentar.
Brasileiros não precisam de visto para virem como turistas para a Dinamarca, nem para outros países da área Schengen.
Leia o que diz o site da missão diplomática da Dinamarca no Brasil:

“Visto de turista

Desde 25 de março de 2001, brasileiros são isentos de visto para entrar na Dinamarca, bem como nos demais países do Tratado Schengen: Alemanha, Áustria, Bélgica, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Tcheca, Suécia, Suíça.

Nacionalidades isentas do visto de turista

Brasileiros e outros estrangeiros isentos de visto, portando passaporte válido, podem permanecer na área do Tratado de Schengen por até 90 dias contados a partir da data de entrada, desde que cumpridos os requisitos de entrada nos países e comprovadas as condições financeiras para retornar ao país de origem.

Consulte a lista de nacionalidades não isentas de visto de turista no site do Serviço de Imigração, nos links ao fim desta página.

Exigências para a entrada de nacionais sem necessidade de visto

A isenção de visto não exime seus beneficiários do cumprimento de algumas formalidades de entrada na área Schengen.

Se solicitado pela polícia aeroportuária, o turista deverá comprovar a quantia disponível em banco. Os valores exigidos são:

· DKK 500/dia, se você se hospedar em hotel;

· DKK 350/dia, se você se hospedar em albergue ou casa particular;

· Documentos necessários para ingresso na área Schengen;

· Documento de viagem com validade mínima de 180 dias após a entrada na área Schengen;

· Passagem de ida e volta;

· Comprovante de reserva de hospedagem ou carta convite da pessoa de referência que mora na área Schengen;

· Carta ou declaração do empregador ou outro documento que comprove a volta ao país de origem/residência;

· Seguro saúde com cobertura mínima de € 30.000,00.

Não cumpridos tais requisitos, a entrada na área Schengen poderá ser recusada.

Outros documentos e informações poderão ser solicitados.”

Respeitando essas regras, tá tudo certo.
Seu namorado tem que mandar uma carta-convite pra você apresentar na imigração do país de entrada, caso seja solicitada. Se for ficar em hotel, tenha a reserva em mãos. No caso de ficar em hotel, não precisa de carta-convite.
Não há necessidade de preenchimento de nenhum formulário para entrar na Dinamarca como turista. Não sei de que formulário vocês falam – já houve um comentário anterior de outra pessoa a esse respeito; eu desconheço a necessidade de se preencher qualquer formulário, já que brasileiros são isentos de visto e formulários servem para solicitar vistos.

Sobre dinheiro: não há agências de bancos brasileiros na Dinamarca, de nenhum banco brasileiro. Se o seu cartão tiver função internacional você pode solicitar o desbloqueio da função ao gerente da sua conta no Brasil e usá-lo para saques e pagamentos como débito, porém terá que pagar no Brasil e sobre cada operação realizada a taxa de IOF, que não é barata. O mais indicado é vir com cartão Travel Money e um pouco de dinheiro em espécie. Cartões de crédito na Dinamarca são taxados com 5% sobre o valor da compra, independentemente de ser um cartão dinamarquês ou internacional. Há estabelecimentos que avisam sobre essa cobrança e há os que não avisam. Ela é legal, mas não obrigatória. Você pode trazer dólares ou euros e trocar nas casas de câmbio como Forex. É muito difícil encontrar casas de câmbio no Brasil que ofereçam coroas dinamarquesas.

IMPORTANTE: a validade do seu passaporte deve ser superior a 90 dias da data de RETORNO ao Brasil, caso contrário a sua entrada poderá ser barrada. Se for entrar pela Inglaterra, é bom saber que lá a validade exigida é de 180 dias.

Acredito ter esclarecido suas dúvidas.

Grata pela leitura e volte sempre!

Resposta
Keila Pestana Outubro 27, 2016 at 3:46 pm

Boa Tarde Cristiane Leme!

Muitíssimo obrigada por esclarecer minhas dúvidas.

Resposta
Cristiane Leme Outubro 29, 2016 at 3:55 pm

Por nada e volte sempre 🙂
Aproveite para dar uma olhadela nos demais artigos sobre a Dinamarca!
Abraços

Resposta
João Março 3, 2017 at 2:50 am

Oi! Tenho lido especificamente sobre o idioma dinamarquês e, simplesmente, fiquei fascinado pelo idioma! Mas não sei nada sobre trabalho. Fiquei com uma dúvida: quando vc fala “este tipo de visto não é concedido a brasileiros”, a qual tipo de visto vc se refere? Brasileiros não estão podendo imigrar para a dinamarca? O visto de trabalho aí dá o direito de morar no país ou é igual o H1B nos EUA que, por ex, dura 3 anos?

Resposta
Cristiane Leme Março 4, 2017 at 9:42 pm

João, está bem claro no texto que me refiro ao visto de refugiado ou asilado político.
Para obter visto de trabalho para a Dinamarca é preciso já ter um trabalho garantido aqui, na maioria dos casos.
Eu preciso atualizar o texto pois o Green Card foi extinto recentemente e essa possibilidade de visto deixou de existir.
Leia os demais textos sobre vistos – tanto eu quanto a Camila escrevemos novamente sobre o assunto – e há também textos sobre trabalho na Dinamarca.
Sobre a duração do visto de trabalho, devido ao fato de ele normalmente ser vinculado à empresa empregadora a sua validade está condicionada à duração do contrato. Uma vez demitido, o visto é automaticamente revogado.

Resposta
Larissa Abril 28, 2017 at 9:18 am

Ola Cristiane eu moro na frança a 4 anos não tenho cidadania ainda, só carta de residente, sou casada com um europeu (italiano) estamos querendo se mudar para Copenhague, mais eu não sei qual visto pedir para poder trabalhar lá, nós nos casamos na frança, será que você pode me ajudar??

Obrigada

Resposta
Cristiane Leme Abril 29, 2017 at 10:04 pm

Larissa, pela forma como descreve eu entendo que o seu visto seja de reunificação familiar atrelado ao do seu marido. Se for isso, você depende de ele ter um visto para a Dinamarca para poder morar aqui. Por favor consulte o site da imigração dinamarquesa para informações sobre vistos para cidadãos da UE. Há diversas exigências a serem cumpridas.
Se o seu visto for desvinculado do seu marido e se você já tinha permissão para morar no país antes, você tem a opção de solicitar o visto de reunificação familiar assim que ele tiver a residência aprovada na Dinamarca. O visto de reunificação familiar dá direito a morar, trabalhar e estudar no país.
Eu escrevi um texto sobre as regras para morar aqui, por favor procure, é de fevereiro desse ano.
O site da imigração daqui é http://www.nyidanmark.dk/en-us (versão em inglês).
Boa sorte!

Resposta
Mateus Maio 16, 2017 at 1:52 am

Estou indo agora em maio pra ficar um ano com visto de residencia pra estágio profissional.
Como vou comprar em cima da hora as passagens estou optando apenas pela ida , não é 100% ctza que me cobrão a passagem de volta, né ? Talvez sim , talvez não .. isso ?

Resposta
Cristiane Leme Maio 16, 2017 at 9:58 pm

Mateus, aconselho a se certificar a respeito consultando as autoridades competentes. Eu no seu lugar não arriscaria comprar uma passagem só de ida sem ter 200% de certeza, principalmente para evitar contratempos na imigração.
Como eu precisarei pesquisar para lhe dar a informação, nessa vou ficar devendo a ajuda.

Resposta
Fer Maio 18, 2017 at 2:47 am

Ola Cristiane, eu estou procurando alguma informação a respeito de visto para trabalho voluntario. Tipo sites como WWOOF e Workaway. Você sabe me dizer qual dos tipos de visto se encaixaria? Obrigada, adorei o site! 🙂

Resposta
Cristiane Leme Maio 23, 2017 at 7:16 pm

Olá e obrigada por ler e comentar. No meu texto ‘Um mundo orgânico’ eu falo um pouco sobre o WWOOF. Para programas como esses que você citou, geralmente não se pede visto, pois os períodos costumam ser de 2 a 3 semanas. Para períodos mais longos que 90 dias é preciso obter um visto de acordo com as leis do país. Veja em https://www.nyidanmark.dk/en-us/coming_to_dk/work/work.htm.
Continue nos acompanhando! Abraços

Resposta
Joao. Alves Novembro 20, 2017 at 7:47 pm

Oi Cristisne sou brasileira e tenho uma filha de 22 anos qie tem muita vontade de fazer graduação na dinamarca como faço pra consegui que ela va morar e estudar la

Resposta
Cristiane Leme Novembro 21, 2017 at 9:59 pm

Ela tem que analisar se é viável para ela.
A graduação é paga para estrangeiros, e é preciso verificar o tipo de graduação que ela deseja cursar. Também é preciso ver os custos de vistos e documentação necessária, acomodações e como ela irá se manter durante o período de estudos, já que estudantes só podem trabalhar de 15 a 20 horas por semana em empregos de meio período.
Leia o meu texto sobre planejamento para mudar para a Dinamarca e o texto sobre custo de vida na Dinamarca: pesquisando no Google ou aqui no site você vai encontrá-los.

Boa sorte pra vocês e continuem nos acompanhando!

Resposta
Jaime Novembro 25, 2017 at 6:57 pm

ola tudo bom? Não sei se você poderá responde essa questão
Eu tenho a carta de séjours francaise, (carte de estudante), e estou querendo viajar para um dos países Nordiques, gostaria de saber só com a carta de séjours eu poderei viajar sem problema para esse pais?
Desde já muito obrigado

Resposta
Cristiane Leme Novembro 25, 2017 at 11:50 pm

Como turista com o passaporte brasileiro você pode permanecer no país por até 90 dias, desde que comprove condições financeiras para tal.
A carte de séjour é a sua permissão de residência na França, não o seu documento de viagem. Para viajar para outros países será preciso apresentar o seu passaporte original e válido, com data de vencimento superior a seis meses da data de retorno ao país de origem.

Resposta
guilherme Novembro 26, 2017 at 7:03 pm

Olá Cristiane, boa tarde.
Estou com uma proposta de trabalho e a empresa irá cuidar de todos os detalhes do meu visto, sendo o combinado que minha permanência seja de pelo menos 1 ano para valer a pena o investimento feito por eles. Contudo, irei me casar em breve, pouco antes de ir. E a minha então esposa irá comigo. Qual seria o visto dela? Ela conseguiria visto para me acompanhar neste tempo? E para ela trabalhar também é possível?

Obrigado!

Resposta
Cristiane Leme Novembro 26, 2017 at 7:46 pm

Guilherme,
Leia a respeito de vistos no site da embaixada dinamarquesa no Brasil. http://brasilien.um.dk/pt/viagem-e-residencia/residencia-e-trabalho/familiares-acompanhantes/

Não sei informar se ela teria permissão para trabalhar com visto de acompanhante. O que sei é que encontrar trabalho na Dinamarca pode ser um desafio e tanto, principalmente se a pessoa não for especialista em sua área de atuação, se não tiver um inglês muito bom e referências e dependendo da cidade, se não souber dinamarquês.

No meu texto que fala das regras para morar no país há links para essa informação. Sugiro consultar também outros textos sobre a Dinamarca aqui no site.
Obrigada por ler e comentar e continue nos acompanhando!

Resposta
Danilo Cappelato Júnior Janeiro 29, 2018 at 10:54 pm

Cansado de tanta corrupção, taxa altíssima de impostos e o pior sem retorno algum, sem saúde, educação e segurança. A violência nas ruas é um absurdo.
Tendo tudo isso em efeito cascata fica muito claro a ausência do estado. Políticos sem vontade nenhuma de resolver os problemas do país só pensam em si próprios e em seus bolsos.
Adoraria morar num país de verdade e o que eu preciso fazer para ganhar um asilo político????
Muito obrigado pela atenção.
Desde já
Agradeço
Danilo Cappelato Júnior

Resposta
Cristiane Leme Fevereiro 6, 2018 at 7:23 pm

Danilo, o Brasil não está em guerra civil e por isso cidadãos brasileiros não se qualificariam tão facilmente nos requisitos internacionais para solicitar asilo político na Dinamarca. Não sei se é o caso de você estar se sentindo perseguido ou ameaçado pelo governo por conta de suas convicções políticas, sociais e ideológicas, mas caso tenha como comprovar que está correndo risco de morrer por conta de perseguições desse tipo, você pode tentar pedir asilo político num país do exterior.
Você pode ler aqui sobre o que precisa para pedir asilo político na Dinamarca: https://flygtning.dk/danmark/asyl/asyl-og-sagsbehandling/hvem-kan-faa-asyl-i-danmark (o texto está em dinamarquês, então use a ajuda do Google Translate para ler 🙂 )

Resposta
Marcio Lisauskas Abril 2, 2018 at 8:34 pm

Gostaria, se possível, informações sobre ida para Dinamarca para morar em definitivo.
Eu e minha esposa somos aposentados. Estou tirando a cidadania da Lituânia para minha família, já que meu pai nasceu lá. Esse foi o país que escolhi para viver e pretendo levar minha familia para lá, 2 filhas, 1 genro e 3 netos.
Como a corôa Dinamarquesa vale menos que o REAL, acho que daria para vivermos tranquilamente por lá.
Se puder, me informe as dicas para facilitar minha ida para lá. Obrigado..

Resposta
Cristiane Leme Abril 9, 2018 at 8:20 pm

Olá Marcio. Cuidado com essa comparação entre real e coroa dinamarquesa, pode levar a erro. Embora a coroa dinamarquesa valha menos que o real, as coisas são muito mais caras aqui do que no Brasil. O aluguel de um apartamento de 90 metros quadrados na Dinamarca em uma cidade pequena ou média do interior pode chegar a 6 mil reais por mês, sem contar as despesas de água, luz e aquecimento! Para se ter uma ideia da diferença, o valor em 2012 do aluguel de um imóvel de 75 metros quadrados na região da Santa Cecília em SP girava em torno de 1200 a 1500 reais sem as despesas. Não acredito que tenha aumentado muito mais.
Sobre dicas, vou em breve escrever sobre um programa que dá incentivo a estrangeiros de países da UE para se mudarem para lugares pouco habitados da Dinamarca. Por enquanto, aconselho a ler meu texto sobre custo de vida e os outros dois sobre vistos e regras.

Resposta
Erick Pereira Julho 26, 2018 at 11:41 pm

Olá Critiane, tudo bem? Li os relatos e comentários, você é muito atenciosa, parabéns. Estou realizando meu doutorado no Brasil e penso em fazer uma parte dele na SDU (University of South Denmark) como aluno intercambista. O período deve ser até no máximo 4 meses para realizar minhas pesquisas com uma professora desta universidade e depois voltar ao Brasil. Quais seriam as suas dicas para mim? Obrigado e um abraço! Erick.

Resposta
Cristiane Leme Agosto 6, 2018 at 8:49 pm

Erick, sou péssima para dar dicas generalistas. Minhas opiniões estão expressadas nos meus textos.
Você quer dicas sobre exatamente o quê? Se me disser com mais especificidade, poderei tentar ajudar de uma forma mais abrangente.
Desculpe o mau jeito.
Abraços e obrigada por ler a minha coluna 🙂

Resposta
Amanda Azevedo Setembro 15, 2018 at 1:26 pm

Olá Cristiane, muito legal todas essas dicas e informações, obrigada por nos ajudar neste processo de mudança para a Dinamarca. Me casei em agosto em Copenhagen, meu marido é Dinamarquês, após 4 anos de relacionamento, decidimos casar e vou dar entrada no processo para o Visto, nós temos todos os pré requisitos listados no site nyidanmark.com, e decidi por aplicar através da Embaixada da Noruega no Rio, visto que hoje eu resido no Rio de Janeiro. Li que o prazo de resposta através da Embaixada aqui no Rio é de 2 a 3 meses, prazo bem inferior ao descrito no site da aplicação que é de 10 meses, fiquei um pouco na dúvida quanto ao real prazo para resposta. A embaixada da Noruega informa que normalmente demora 2 meses, sabe de alguém que teve essa experiência?

Outra dúvida seria, ao receber o e-mail de aprovação da imigração, qual o prazo que tenho para viajar para a Dinamarca, não encontrei a informação em lugar nenhum. Como estou trabalhando, tenho que fazer um planejamento para pedir licença do meu trabalho e me mudar por definitivo, minha preocupação seria ter que ir de forma imediata, após o recebimento da carta de permissão de residencia. Obtive a informação que após a entrada na Dinamarca tenho 14 dias para me apresentar ao ofício de imigração e fazer os registros biométricos, mas não encontrei a informação sobre o prazo para sair do Brasil.

Resposta
Cristiane Leme Setembro 23, 2018 at 8:01 pm

Amanda, recomendo fortemente resolver primeiro a sua vida no Brasil para aí, sim, vir para a Dinamarca e dar entrada no visto aqui: venha como turista e solicite o visto de reunificação familiar antes dos 90 dias de sua estadia. O prazo oficial é de 3 a 10 meses para a resposta da aprovação ou não do visto temporário de residência e vocês não terão que pagar taxa administrativa consular para entrar com o processo. Nesse período de espera você poderá permanecer no país legalmente – lembre-se de pedir um carimbo no seu passaporte e pedir a autorização de reentrada na Dinamarca no caso de ter que viajar para o exterior enquanto espera o seu visto.

Sobre um prazo para a saída do Brasil no caso de fazer o processo pelo consulado da Noruega (o que eu francamente desaconselho), é melhor perguntar diretamente a eles no ato da solicitação ou antes. Eu não encontrei essa informação na imigração dinamarquesa, então acredito que não haja um prazo determinado ou que talvez você tenha de esperar a aprovação do visto para poder vir para a Dinamarca já com a permissão de residência concedida.

Não há infelizmente como determinar quanto tempo o governo demorará para processar o seu pedido. No meu caso a primeira autorização que recebi saiu 2 meses após a solicitação, mas conheço brasileiras que esperaram mais de um ano, e casos em que o governo simplesmente perdeu os documentos do solicitante e tiveram que fazer tudo de novo desde o princípio.

Boa sorte com seus planos e continue nos acompanhando. Caso tenha sugestões de pauta para a Dinamarca, envie para nós.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação