BrasileirasPeloMundo.com
Dicas para viajar sozinha

Vou ser nômade, mas preciso de dinheiro

Vou ser nômade, mas preciso de dinheiro.

Antes de ter o impulso de largar tudo e recomeçar uma vida de forma totalmente diferente do convencional, o nomadismo ainda é visto como algo estranho para nós, preocupados com a segurança das necessidades que nos fizeram assinar o contrato social. Como vou ter dinheiro? Onde vou dormir? O que vou comer? Como vou me locomover? Como vou contribuir com a sociedade? Proponho em meus textos, antes de relatos de viagem, responder às questões de primeira urgência.

A decisão de viver pela estrada e os fatores que realmente importam

 – Relaxar;
 – Na sua vida normal, você vai trabalhar, vai estudar, vai para casa dormir, vai sair aos finais de semana… Mas agora isso não tem mais regra, existe vida fora do espaço de tempo constituído socialmente, você pode sair e ir para onde quiser, comer o que quiser, acordar na hora que quiser, basta se organizar e entender que a liberdade é estado de espírito;
3° – Uma coisa que você realmente não precisa saber antes é: ”O que sou eu?” e tentar se enquadrar em padrões e definições do que é viver na estrada. Se você nunca saiu de viagem, não sabe se irá gostar, por isso, precisa provar e se redescobrir;
4° – Isso pode ser uma fase, pode ser para a sua vida toda, mas antes de sermos sedentários fomos nômades, permita-se ser mutável.
Fonte: Arquivo pessoal

Observe sua situação atual: Você tem um trabalho fixo assalariado? Paga aluguel? Tem a universidade? Está feliz? Seja realista. O que realmente vai precisar? Ter dinheiro necessário para ter onde dormir, para se alimentar, para o transporte, uma reserva para gastos extras além de uma inesgotável vitalidade para buscar crescimento e qualidade de vida.

Dinheiro

Eu preciso de dinheiro para investir? Todas as possibilidades podem existir. Acredito muito que quando você possui muito dinheiro tende a ter medo da escassez e faz coisas com mais pressa. Quando você é nômade, não tem a necessidade de correr porque essa é a sua vida, você não vai viver para visitar pontos turísticos.

Trabalho autônomo ou à distância para terceiros

Analise se é possível com que sua profissão seja feita em movimento, seja ele físico ou virtual. Já conheci um arquiteto argentino no Peru fazendo projeto para Costa Rica. Blogueira brasileira na Europa recebendo por dicas de viagem para o Brasil. Professor de alemão dando aulas no Brasil. Músico uruguaio tocando em restaurantes na Bolívia.

Se você faz o que ama, poderá fazer em qualquer lugar do mundo, se não faz, talvez seja a hora de rever e descobrir ou apenas executar o que tem prazer em fazer. O seu equilíbrio emocional é mais importante que a sua conta bancária, pois ele é pressuposto para executar bem qualquer trabalho.

Você vende pulseira na rua se quiser, faz malabarismo se gostar. Você ama cozinhar? Tocar violão? Vai para rua expor seu talento pro mundo. A autoconfiança é sua base, trabalhe com o que é único seu. Não precisa ser algo convencional. Quando eu saí, sabia desenhar e fiz marca livros que fui vender na Argentina e no Peru. Em 2 dias, tirei R$160,00 (cento e sessenta reais) com a venda de brownies veganos no Peru.

Trabalho eventual ou free-lancer

Há pessoas que buscam trabalhos por temporada em bares e restaurantes. Em cidades como Cusco, no Peru, devido a grande demanda turística sempre oferecem trabalho. Você só tem que encontrá-los. Praias no Caribe, por exemplo, em alta temporada oferecem mais trabalhos, mas ainda assim é possível encontrar em momentos mais estáveis.

Trabalhar em eventos com fotografia, fazer pinturas para hotéis, um final de semana como garçonete… Mas lembre-se do quanto está disposto a vender sua liberdade outra vez.

É extremamente necessário ter a percepção do que é realmente necessidade e do que é um velho padrão instaurado, para poder saber o quanto de dinheiro é preciso e o quanto é dispensável e assim controlar seu tempo de trabalho. Conheça suas prioridades.

  • Um quarto individual com ar condicionado ou um quarto compartilhado com mais 10?
  • Comer em restaurante todos os dias ou cozinhar?
  • Hidratação de cabelo no salão ou comprar um abacate e fazer onde esteja?

O seu trabalho diz muito sobre o que você trata como prioridade, mas a percepção do que é realmente necessidade poderá te abrir possibilidades diferentes do que você já está acostumado.

Por um determinado momento eu viajei com pessoas de diferentes países, amigos incríveis da Argentina e França que não os conheceria se não tivesse compartilhado um quarto em um hostel (local onde você aluga somente a cama, mas divide o quarto que possui mais camas com outras pessoas). Viver na estrada é aceitar que tudo é possível e dedicar sua energia para o que é melhor.

Respeite o seu próprio tempo

Eu particularmente não gosto de viajar em dezembro e janeiro e vou aproveitar a temporada para me dedicar a projetos que precisam de calmaria e que tem a pretensão de me proporcionar maior estabilidade financeira viajando e trabalhando. Não possuo um diploma universitário e muito menos paciência para vínculos institucionais. Depois dos últimos meses, descobri que os nossos maiores talentos são inerentes a nós e é possível ganhar dinheiro com desenhos, com comida vegetariana e com tarot.

As suas prioridades determinarão se suas horas de trabalho e o autoconhecimento serão  prazerosas ou mecânicas.

A vida é uma viagem, a viagem é o caminho. Desfrute.

Related posts

Nepal: um amor à segunda vista

Marina Mazzoni

Dicas para fazer a mala e levar o essencial

Natália Sanches Maia

Por que Pokhara merece destaque na viagem ao Nepal?

Marina Mazzoni

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação