Curiosidades escolares no Chile

8
1254
Advertisement

Não vou escrever sobre um tema especifico da educação no Chile, mas sim, pincelar alguns aspectos que se diferenciam do Brasil, sem esmiuçá-los muito. Inclusive, eles abordam várias etapas do período escolar. Se as leitoras tiverem muitas dúvidas a respeito de algum deles, podem comentar para que eu possa escrever mais profundamente sobre o assunto em artigos futuros. Boa ideia, né?

COLEGIO X ESCUELA (COLÉGIO X ESCOLA)
Aqui, evite dizer escuela (escola) quando se referir ao ensino fundamental e médio como diríamos no Brasil, diga colegio (colégio). Escuela, no Chile, é, normalmente, um estabelecimento de ensino de uma área específica, como Escuela de Lenguaje, escuela de conductores (auto-escola), Escuela de Carabineros (academia de polícia), etc. Fui chamada à atenção algumas vezes nos meus primeiros meses vivendo aqui e olhada como se fosse uma tonta que não sabia falar espanhol. O uso dessas duas palavras varia de país para país.

UNIFORME
Meninas não podem usar brincos grandes e piercing. Não podem pintar as unhas com esmalte de uma cor muito visível para ir à escola. Melhor nem pintar se não se pode ver a cor, né? Muito menos tingir o cabelo, pelo menos, na grande maioria delas, principalmente até uma certa idade. Algumas escolas, inclusive, exigem que elas vão com o cabelo preso. Os meninos devem estar com o cabelo bem curtinho. Brinco ou piercing? Se nem as meninas podem, imaginem o sexo masculino!

E a roupa? No mesmo estilo das “Chiquititas” do SBT. Lembram dessa novela? Alguns modelinhos básicos para as meninas: saia cinza ou azul (dependendo do colégio), meias compridas, meia calça no inverno e blusa polo com logo do colégio ou um vestido, que é chamado de jumper. Para os meninos, calça cinza ou azul e camisa polo ou camisa com gravata. As opções sempre vão depender do colégio.

É… parece que o estético do ser humano pode interferir no intelecto, na capacidade de aprender. E acreditem, os professores enchem o saco das crianças ou adolescentes quando começam a querer burlar as regras.

FORMALIDADE
Os chilenos são mais formais que os brasileiros. Ou será que é o Brasil que peca por excesso de informalidade se comparamos com outras culturas? Algumas etiquetas já começam no colégio. Os professores devem ser tratados formalmente, chamados por “usted” e não “”, ou seja, fazendo uma interpretação para o português,“o senhor” ou a “senhora”, não “você”. Além do “usted”, deve-se usar “Miss” + sobrenome (professora) e “Mister” + sobrenome (professor) para dirigir-se a um professor de inglês. Eu seria “Miss Morais”, por exemplo.

HORA DO LANCHE
O lanche comumente chamado de colación. Desde de 2016, está proibida a venda de comida chatarra dentro dos colégios, ou seja, porcaria, lanches que não sejam nutritivos, como salgadinhos, chocolates, batata frita, bolachas (biscoito? Rs), refrigerante, etc. E, alerta! Os chilenos comem muita comida chatarra a qualquer hora do dia, por isso, as crianças já crescem mal-acostumadas. O cuidado com a alimentação no Chile deve ser dobrado, já que as crianças estudam em jornada completa, ou seja, período integral. Comer mal o dia inteiro durante o período escolar seguramente não lhes trará boas consequências. Deem uma olhadinha ao redor quando estiverem em um patio de comida (praça de alimentação) em um Shopping e vão se dar conta dos seus hábitos alimentares pela quantidade de locais que vendem sanduíches e pizzas, assim como, o que estão comendo na hora do almoço. E festinha de aniversário infantil? Um festival de comida chatarra industrializada. Se quiserem saber como se diz em espanhol algumas dessas comidas aqui no Chile, cliquem aqui.

AULAS DE INGLÊS
A quantidade de aulas de inglês no currículo daqui é muito maior que no Brasil, varia entre 6 e 8 aulas semanais, o que, teoricamente, faz com que os alunos aprendam mais. É muito mais comum o “ensino britânico”, o que quer dizer que, são mais adotados livros de editoras inglesas, portanto, vocabulário e pronúncia mais voltados para o “inglês britânico”. Meu alerta: se a criança vem do Brasil já com algum conhecimento de inglês, principalmente porque já estudava em algum curso, pode ser que ela venha com uma pronúncia mais “americanizada” e venha a ter algum probleminha com algum professor “chato” e “quadrado”. Uma professora da minha filha já diminuiu sua nota várias vezes em provas orais por ela ter pronunciado da forma que ela, a professora, não queria. Eu disse “que ela não queria”, não disse “da forma errada”. A professora lhe disse que a sua pronúncia estava errada. Neste caso, um professor mal informado. No entanto, algumas palavras em inglês podem ser pronunciadas de duas formas e isso está comprovado foneticamente nos dicionários (me refiro justamente ao inglês “americano” e “britânico”), o que me levou a ir ao colégio e mostrar o dicionário pra ela.

Turma do terceiro ano do Ensino Médio no aeroporto de Santiago indo para o Brasil em uma “gira de estudio”. Foto: arquivo pessoal

GIRA DE ESTUDIO
O ensino médio dura 4 anos e no penúltimo, terceiro ano da enseñanza media, os grupos participam de uma gira de estudio que nada mais é que uma viagem em dezembro ou janeiro, após o término do 3.° ano, na qual participam todos os alunos da turma e alguns professores. Não é uma viagem obrigatória, mas é claro que todos querem ir. A quantidade de professores que os acompanha vai depender do tamanho do grupo, normalmente 1 (o profesor jefe) ou 2. Na maioria das vezes, são viagens para outro país. Nem preciso dizer que o Brasil é o principal destino, né? E os lugares são os típicos de qualquer pacote turístico daqui: Florianópolis, Camboriú, Rio de janeiro, Foz do Iguaçu. Bariloche, Mendoza e alguns lugares no Chile também são destinos comuns. A escolha vai depender do bolso dos pais. Como perceberam, não são viagens baratas, então, muitas turmas começam a poupar dinheiro um ou dois anos antes, fazendo depósitos mensais em uma conta especifica, rifas e eventos para angariar fundos. O valor arrecadado durante esse tempo é dividido entre eles e cada um paga a diferença. Esse passeio já está tão inserido na cultura escolar que existem agências de viagem especializadas somente em giras de estúdio.

ENSEÑANZA MEDIA (ENSINO MÉDIO)
7- No terceiro ano do ensino médio (no segundo, em alguns colégios), os alunos devem optar pela Educación Científica o Humanista, o que significa que, a partir daí, os alunos de uma mesma turma terão algumas aulas em comum e outras diferenciadas para que cada grupo (científico e humanista) se aprofunde mais nas matérias relacionadas ao curso superior que vão estudar na Universidade. Se um aluno for estudar Pedagogía, por exemplo, deve optar pelo Humanista, pois terá mais aulas de Lenguaje, Filosofía, Historia e outras. As aulas no último ano terminam no finalzinho de outubro, por conta da PSU em novembro – Prueba de Selección Universitaria – que seria mais ou menos o nosso vestibular. Os alunos terminam o período escolar com aproximadamente 18 anos.

VACACIONES (FÉRIAS)
As férias de inverno são curtas em julho, apenas 3 semanas. As de verão, longas, de dezembro ao início de marco. Haja criatividade e dinheiro pra tanto tempo livre!

Cada país latino com seus hábitos e regras escolares. “Nada que hacer“.

Comentem se quiserem saber mais sobre a educação no Chile.

8 Comentários

  1. Excelente post. Apenas uma observação em relação com o “uniforme” escolar. Usar uniforme definido pelo “colégio” serve para evitar sentir as diferenças entre as pessoas com maiores recursos que outros… na minha época (época pobre do país e minha!) o uniforme relaxava o fato de ter que comprar “pintas” de moda para o dia a dia. Para mim serviu muito isto, e portanto me preocupava de outras coisas, mas nunca da roupa… Hoje em dia existe, em vários “colégios”, o “Jeans Day”, um dia à semana onde pode se vestir sem uniforme, pagando uma “moedinha” para reunir fundos para a “gira de estudos” ou outra atividade…

    • Obrigada por comentar, Frederico! Sim, concordo com a importancia do uniforme principalmente pela razao que comentou, e mais ainda na adolescencia, seria uma loucura. Só nao concordo com o tema dos brincos e do cabelo, por exemplo. Uma vez a coordenadora pegou no pé da minha filha porque achou que ela tinha pintado o cabelo, quando na verdade, o cabelo dela clareou normalmente por ir muito a praia nas ferias de verao no Brasil. E uma adolescente pintar ou nao o cabelo, na minha opiniao, deveria ser um “problema” entre os pais e os filhos, nao uma decisao da escola, porque nada tem a ver com higiene. Por outro lado, saias curtissimas geralmente sao permitidas….como entender?

  2. Olá! Gostaria da sua ajuda. Eu, minha esposa e o meu filho, 5 anos. Estamos motivados e entusiasmados para morar no Chile. Penso em comprar, e não alugar, um imóvel, apto.de 3qtos, com garagem. Pensei seja próximo onde vc mora. Seríamos os seus alunos de espanhol e inglês. Quanto custa um imóvel assim? Tenho renda para adquirir a vista o imóvel mais um automóvel que pode ser uma pick-up. Minha renda mensal aqui no Brasil é de R$ 35.000,00 trinta e cinco mil reais. Em pesos quanto é??? Gostaria muito da sua ajuda. Quanto custa, em média, colégio para o meu filho??? Aguardo ansioso seu retorno.
    Desde já agradeço pela sua atenção e generosidade das informações.
    Grande abraço.
    Roberto Pym.

    • Oi, Roberto!
      Desculpas pela demora m responder.
      Muito obrigada por comentar. Como vocês estão de mudança, ou no processo de planejamento, muitos fatores interferem nas decisões de vocês, por isso, é muito complicado dar sugestões muito especificas. Cada um, ou cada família, está acostumado a um certo padrão e ritmo de vida, o que é bom pra um, pode não ser bom para o outro, as pessoas são diferentes e tem prioridades diferentes. O que posso é dar sugestões gerais que tenham a ver com a adaptação de vocês, principalmente no que diz respeito à adaptação dos filhos, com relação a escola e idioma. O que sempre digo é que se seus filhos já são pré-adolescentes ou adolescentes, pensem bem antes de matricular em uma escola bilíngue (espanhol e inglês), porque eles já terão que se adaptar ao espanhol que é a língua falada aqui, ainda terem que ser cobrados por uma exposição excessiva ao inglês, pode ser muito peso pra eles. Não digo que é impossível a adaptação, só é mais complicado e , claro, que podem , sim, não ter nenhum tipo de problema. Mas é bom ir devagar. Já não passa o mesmo com crianças pequenas, no início da idade escolar, já que, cientificamente é provado que o cérebro deles tem a capacidade de “absorver” várias línguas ao mesmo tempo, além de não se estressarem facilmente como os adolescentes rsrsrs

      Sobre a adaptação ao espanhol para os filhos que já estão em idade escolar, há um texto meu aqui no BPM que trata dis”so: Chile – Bilinguismo de infancia” (http://www.brasileiraspelomundo.com/chile-bilinguismo-de-infancia-201656206) Leiam e se depois tiverem alguma dúvida, deixem nos comentários e responderei com prazer. O resumo é que eles se adaptam MUITO fácil, os pais são os que mais entram em pânico com o assunto e acabam atrapalhando o processo. Não deixem de ler o texto. Além de professora de idiomas há 25 anos, sou uma mae que passou por isso aqui. Se vocês tem filhos muito pequenos, podem ler este texto: “Chile, creche e jardim de infancia” (http://www.brasileiraspelomundo.com/chile-creche-e-jardim-da-infancia-091724803)

      O tema moradia é o mais complicado porque tem a ver com tudo o que comentei no início. Prioridade para mim, por exemplo, era morar perto do metro, já que não dirijo e trabalho a noite. O metro facilitar a vida de todo mundo. De carro, você pode se arriscar a morar longe do trabalho, sem problemas, mas sabendo que vai pegar muito transito, como em qualquer cidade grande. Também priorizei ter escola próximo para que minha filha não sofresse tanto o impacto da mudança. Como comente, não dirijo, morar longe da escola, implicaria ter que pegar metro muito cheio de manha. Cada realidade é uma realidade.

      O tema custo de vida também tem a ver com meus comentários iniciais…rs…o que é barato pra um, pode não ser barato pra outro. O que é fato é que Santiago é uma cidade muito cara. Isso é inegável. Talvez, um morador da cidade de São Paulo não sinta tanto o impacto. Viram? A cidade de onde o brasileiro vem também influencia na comparação.

      Deixo outros textos aqui do Brasileiras pelo Mundo que podem ajudar:
      http://www.brasileiraspelomundo.com/chile-4-coisas-que-aprendi-em-4-anos-aqui-361248731
      http://www.brasileiraspelomundo.com/chile-custo-de-vida-561531346
      http://www.brasileiraspelomundo.com/chile-como-e-morar-em-santiago2-53196933

      Voltando ao tema idioma, minha área, podem entrar em contato comigo quando tiverem alguma dúvida esse respeito. Deixo meu e-mail: [email protected]
      Podem ir aprendendo mais coisas sobre a cultura / idioma do Chile me acompanhando no facebook (Profe Gislaine Morais), no instagram (@profe_gislainemorais), no meu canal (www.youtube.com/Profe Gislaine Morais) e meu blog (www.gislainemorais.cl)

      Espero ter ajudado de alguma forma.
      Abraço!

  3. Olá ! Gostei muito do seu blog. Meus questionamentos são basicamente os mesmos do Roberto Pym, mas no meu caso preciso de uma casa, pois tenho animais de estimação. Meus filhos tem 11 e 13 anos. Já estivemos no Chile por duas vezes, e agora surgiu uma possibilidade de morar e trabalhar lá, mas ainda estou pesquisando os aspectos da vida cotidiana, sou advogada e terei que me credenciar para trabalhar no Chile. Meu marido vai transferido , então chega empregado. Então nossas dúvidas giram em torno da escola , moradia e custo de vida no geral.
    Desde já agradecida por seu retorno.
    Forte abraço,
    Rivah Fortes.

    • Oi, Rivha!
      Fico muito satisfeita por voce ter gostado.
      Muito obrigada por comentar. Como vocês estão de mudança, ou no processo de planejamento, muitos fatores interferem nas decisões de vocês, por isso, é muito complicado dar sugestões muito especificas. Cada um, ou cada família, está acostumado a um certo padrão e ritmo de vida, o que é bom pra um, pode não ser bom para o outro, as pessoas são diferentes e tem prioridades diferentes. O que posso é dar sugestões gerais que tenham a ver com a adaptação de vocês, principalmente no que diz respeito à adaptação dos filhos, com relação a escola e idioma. O que sempre digo é que se seus filhos já são pré-adolescentes ou adolescentes, pensem bem antes de matricular em uma escola bilíngue (espanhol e inglês), porque eles já terão que se adaptar ao espanhol que é a língua falada aqui, ainda terem que ser cobrados por uma exposição excessiva ao inglês, pode ser muito peso pra eles. Não digo que é impossível a adaptação, só é mais complicado e , claro, que podem , sim, não ter nenhum tipo de problema. Mas é bom ir devagar. Já não passa o mesmo com crianças pequenas, no início da idade escolar, já que, cientificamente é provado que o cérebro deles tem a capacidade de “absorver” várias línguas ao mesmo tempo, além de não se estressarem facilmente como os adolescentes rsrsrs

      Sobre a adaptação ao espanhol para os filhos que já estão em idade escolar, há um texto meu aqui no BPM que trata dis”so: Chile – Bilinguismo de infancia” (http://www.brasileiraspelomundo.com/chile-bilinguismo-de-infancia-201656206) Leiam e se depois tiverem alguma dúvida, deixem nos comentários e responderei com prazer. O resumo é que eles se adaptam MUITO fácil, os pais são os que mais entram em pânico com o assunto e acabam atrapalhando o processo. Não deixem de ler o texto. Além de professora de idiomas há 25 anos, sou uma mae que passou por isso aqui. Se vocês tem filhos muito pequenos, podem ler este texto: “Chile, creche e jardim de infancia” (http://www.brasileiraspelomundo.com/chile-creche-e-jardim-da-infancia-091724803)

      O tema moradia é o mais complicado porque tem a ver com tudo o que comentei no início. Prioridade para mim, por exemplo, era morar perto do metro, já que não dirijo e trabalho a noite. O metro facilitar a vida de todo mundo. De carro, você pode se arriscar a morar longe do trabalho, sem problemas, mas sabendo que vai pegar muito transito, como em qualquer cidade grande. Também priorizei ter escola próximo para que minha filha não sofresse tanto o impacto da mudança. Como comente, não dirijo, morar longe da escola, implicaria ter que pegar metro muito cheio de manha. Cada realidade é uma realidade.

      O tema custo de vida também tem a ver com meus comentários iniciais…rs…o que é barato pra um, pode não ser barato pra outro. O que é fato é que Santiago é uma cidade muito cara. Isso é inegável. Talvez, um morador da cidade de São Paulo não sinta tanto o impacto. Viram? A cidade de onde o brasileiro vem também influencia na comparação.

      Deixo outros textos aqui do Brasileiras pelo Mundo que podem ajudar:
      http://www.brasileiraspelomundo.com/chile-4-coisas-que-aprendi-em-4-anos-aqui-361248731
      http://www.brasileiraspelomundo.com/chile-custo-de-vida-561531346
      http://www.brasileiraspelomundo.com/chile-como-e-morar-em-santiago2-53196933

      Voltando ao tema idioma, minha área, podem entrar em contato comigo quando tiverem alguma dúvida esse respeito. Deixo meu e-mail: [email protected]
      Podem ir aprendendo mais coisas sobre a cultura / idioma do Chile me acompanhando no facebook (Profe Gislaine Morais), no instagram (@profe_gislainemorais), no meu canal (www.youtube.com/Profe Gislaine Morais) e meu blog (www.gislainemorais.cl)

      Espero ter ajudado de alguma forma.
      Abraço!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui